Rui Vilar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Emílio Rui Vilar)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Emílio Rui Vilar
Ministro(a) de Portugal Portugal
Período de governo I Governo Constitucional
  • Ministro dos Transportes
    e Comunicações
Antecessor(a) -
Sucessor(a) Manuel Ferreira Lima
Vida
Nascimento 17 de Maio de 1939 (75 anos)
Porto
Dados pessoais
Profissão Jurista

Emílio Rui da Veiga Peixoto Vilar GCCGCIHComMAI (Porto, 17 de Maio de 1939) é um jurista e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jurista de formação, licenciou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em 1961. Foi quadro directivo do Banco Português do Atlântico, entre 1969 e 1973. Eleito primeiro presidente da Direcção da SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, em 1970, chegou à política em 1974, sendo empossado Secretário de Estado do Comércio Externo e Turismo do I Governo Provisório. No mesmo ano torna-se Ministro da Economia dos II e III Governos Provisórios, até 1975, ano em que é designado vice-governador do Banco de Portugal, até 1984.

É eleito Deputado à Assembleia da República em 1976, deixando o cargo para integrar o I Governo Constitucional, como Ministro dos Transportes e Comunicações, de 1976 a 1978. Mais tarde seria nomeado director-geral da Comissão das Comunidades Europeias, em Bruxelas, de 1986 a 1989, deixando a presidência do Conselho de Gestão do Banco Espírito Santo e Comercial de Lisboa, que assumira em 1985. Nesse mesmo ano, a 24 de Agosto, foi feito Comendador da Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Industrial.[1]

Em 1989 é nomeado presidente do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos, onde permanece até 1995. Acumula essa função com a presidência do Grupo Europeu dos Bancos de Poupança, de 1991 a 1994. Mais tarde preside ao Conselho de Administração da Galp, de 2001 a 2002.

No sector da cultura presidiu à Comissão de Fiscalização do Teatro Nacional de São Carlos, de 1980 a 1986, foi comissário-geral de Portugal na Europália '91, na Bélgica, de 1989 a 1992, vice-presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves, entre 1989 e 1990 e administrador da sociedade Porto 2001, em 1999. A 25 de Março de 1992 foi feito Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e a 26 de Fevereiro de 1996 foi feito Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[2]

Desde 2002 preside ao Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian (cargo no qual será substituído por Artur Santos Silva em 2 de maio de 2012[3] ) e da Partex Oil and Gas (Holdings) Corporation, empresa que detém aquela instituição.

É casado com Isabel Alçada desde 2002.

Funções governamentais exercidas[editar | editar código-fonte]

  • Ministro da Economia dos II e III Governos Provisórios (1974-1975)
  • Secretário de Estado do Comércio Externo e Turismo do I Governo Provisório (1974)
  • Ministro dos Transportes e Comunicações (1976-1978)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
-
Ministro dos Transportes e Comunicações
I Governo Constitucional
Sucedido por
Manuel Ferreira Lima
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.