Fênix Negra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde maio de 2010).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A Saga da Fênix Negra
Fênix Negra por Greg Land.jpg
Jean Grey sob a entidade de Fênix. Arte de Greg Land.
Editora Marvel Comics
Publicação
Qte. de edições Uncanny X-Men vol. 1, #129–138
Data das edições Janeiro - Outubro 1980
Personagens Jean Grey

Os X-Men

Equipe criativa
Criador(es) Chris Claremont
John Byrne
Desenhista(s) John Byrne
Letrista(s) Tom Orzechowski
Colorista(s) Glynis Wein
Projecto Banda Desenhada  · Portal da Banda Desenhada

A Fênix Negra (português brasileiro) ou Fénix Negra (português europeu) é uma saga de X-Men no enredo ficcional do Universo Marvel Comics, contando sobre a história de Jean Grey e a Força Fênix. Foi escrita por Chris Claremont com arte de Dave Cockrum e John Byrne. Às vezes, é dividido em duas partes, com a Saga da Fênix (X-Men [vol. 1] # 101-108, 1976-1977) referindo-se a hipótese do poder de Jean e da reparação do cristal de M'kraan, e a Saga da Fênix Negra (X-Men [vol. 1] # 129-138, 1980) a sua corrupção e queda. Foi adaptado para o X-Men Animated Series, e que alude o filme X2: X-Men. Um terceiro filme, X-Men: O Confronto Final, lançado em 2006, contém novos elementos da saga.

A Saga Original[editar | editar código-fonte]

Nas histórias em quadrinhos de hoje, os leitores vêm a Fênix como uma entidade cósmica psiônica ligada a Jean Grey, tendo sido escolhida pela Força Fénix por ser a única mutante de nível 5 com poderes ilimitados. No entanto, esta não foi a forma como o personagem foi escrito na história original - lá, a Fênix era Jean Grey, no auge de seu poder. Retornando de uma missão no espaço, a história contada de Jean, após ser exposta à radiação mortal de uma tempestade solar, acabou brevemente por atingir o seu potencial máximo, que já era ilimitado, como uma telepata e telecinética. Neste momento, Jean tornou - se um ser de pensamento puro, com poder cósmico infinito e reformou-se, em seguida, após o regresso à Terra com o novo traje, identidade e poder da "Fênix". Foi com este poder incrível que Jean consertou o Cristal M'kraan, mas voluntariamente restringido seus poderes depois, a fim de mantê-los sob controle.

Seu vasto poder cósmico, fez dela um alvo para o ilusionista Mastermind (Mestre Mental), que estava tentando pôr ela à prova a fim de fazer-la juntar-se ao prestigiado Circulo Interno do Clube do Inferno. Com a ajuda de um dispositivo criado pela Rainha Branca, Emma Frost, Mastermind (usando o nome Jason Wyngarde) foi capaz de projetar as suas ilusões diretamente na mente de Fênix. Essas ilusões a levou a acreditar que ela estava revivendo as memórias de sua ante passada, Lady Grey, que nas ilusões, era amante de Wyngarde. Fênix foi subvertida em juntar-se ao Clube do Inferno como a Rainha Negra, um papel decadente que lhe permitia apreciar os extremos da emoção humana e começou a quebrar as barreiras que tinha erguido.

Quando os X-Men vieram em seu socorro, eles foram capturados pelo Circulo Interno, Ciclope e Jason se enfrentaram em um duelo psíquico. Quando Jason matou imagem psíquica de Ciclope, serviu para quebrar o domínio sobre a mente de Jean e quebrou as barreiras final sobre o seu poder. Tendo esse poder em sua totalidade, juntamente com o papel decadente que acabara de interpretar, Jean, totalmente oprimida, se renomeou como a "Fênix Negra". Os X-Men lutaram contra ela, mas foram facilmente derrotados por seu poder antes de ela partir para o espaço. Com a intenção de saciar sua fome, Fênix Negra criou um buraco de minhoca e transportou-se a uma galáxia distante. Sem pensar nas consequências, ela mergulhou no coração da estrela D'Bari e devorou a sua energia, fazendo com que a estrela virasse uma supernova,mas por sorte a estrela não era abitada. Fênix Negra foi então atacada por um cruzador Shiar tentando impedi-la de destruir outras estrelas. Fênix Negra derrotou facilmente seus inimigos, mas não antes que eles fossem capazes de alertar a Imperatriz Shi'ar, Lilandra. Recrutando uma série de associados intergalácticos, incluindo o imperador Kree Skrull, o Conselho concluiu que a Fênix era uma ameaça maior que o devorador de planetas Galactus e que devia ser destruída, já que ela tinha o poder de destruir todo o Universo.

Na Terra, os X-Men foram resgatados pelos membros dos vingadores e o ex-X-Man, Fera. Ele havia projetado um dispositivo que iria neutralizar os poderes da Fênix Negra tempo suficiente para derrotá-la. Fênix Negra voltou à Terra, a casa de sua família, e foi posteriormente atacada pelos X-Men. Durante uma batalha psíquica com seu mentor, Charles Xavier, ele foi capaz, com a ajuda de Jean Grey, de reconstruir as barreiras mentais em sua mente, o que reduziu os poderes da Fênix Negra para níveis mais razoáveis e permitiu que a personalidade de Jean ocupasse o controle, reduzindo os impulsos destrutivos da Fênix Negra.

Os Shi'ar, em seguida, abortaram os X-Men, dissendo-lhes o genocídio casual da Fênix Negra, e afirmaram que ela deve ser condenada à morte por causa disso. Xavier, que estava envolvido romanticamente com a imperatriz Shiar, Lilandra desafiou a Arin'n Haelar, um duelo de honra Shi'ar que não pode ser recusado. Depois de conferenciar com os seus aliados, que insistiu que o concurso será encenado para garantir uma vitória garantida por sua vez, Lilandra cedeu ao pedido de Xavier. No dia seguinte, os X-Men e a Guarda Imperial Shi'ar foram teletransportados para a área azul da lua, onde eles iriam fazer a batalha, com os vencedores decidindo o destino da Fênix. A Guarda Imperial, liderada por Gladiador, foi capaz de derrotar todos os X-Men, deixando Cyclope e Fênix só para tomar um confronto final contra eles. Quando um raio de energia atingiu Ciclope, Jean Grey em pânico destruiu as barreiras mentais que tinha colocado dentro de sua mente, com a ajuda do professor Charles Xavier, e todos os poderes da Fênix foram mais uma vez desencadeados. Neste ponto, Lilandra abandonou a abordagem delicada e ordenou a execução do Plano Ômega, que consistiria em destruir todo o sistema solar, na esperança de eliminar a Fênix Negra no processo. Com a situação fora de controle, o Professor Charles Xavier ordenou aos X-Men para tentarem derrotar Jean Grey com o objectivo de impedir Lilandra da sua medida de emergência. A equipa lutou até que ela recuperou os seus sentidos. Correndo para um beco na lua, Jean, lutando para manter o controle, e sabendo que o poder enorme que possuía era demasiado poderoso para ser controlado, pois podia destruir todo o universo, activou uma arma Kree e desintegrou-se após um emocional adeus a Ciclope. Mais tarde, ele deduziu que Jean Grey tinha planeado o seu sacrifício a partir do momento em que havia pousado na lua, com o objectivo de salvar os restantes membros dos X-Men e todo o universo. Esta história central termina com Uatu, o Observador, comentando que "Jean Grey poderia ter vivido para se tornar uma deusa, mas era mais importante que ela morresse como um ser humano."