Fernando Prestes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Fernando Prestes
"Cidade que o amor criou"
Bandeira de Fernando Prestes
Brasão de Fernando Prestes
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 5 de julho
Fundação 29 de dezembro de 1914 (99 anos)
Gentílico fernando-prestense
Prefeito(a) Bento Luchetti Júnior (PSDB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Fernando Prestes
Localização de Fernando Prestes em São Paulo
Fernando Prestes está localizado em: Brasil
Fernando Prestes
Localização de Fernando Prestes no Brasil
21° 15' 50" S 48° 41' 06" O21° 15' 50" S 48° 41' 06" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Jaboticabal IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes (Norte) Ariranha e Monte Alto(Sul); Aparecida do Monte Alto (Sudeste); Taquaritinga; (Leste)Cândido Rodrigues; (Oeste) Santa Adélia e (Noroeste) Itápolis.
Distância até a capital 383 km
Características geográficas
Área 170,112 km² [2]
População 5 534 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 32,53 hab./km²
Altitude 545 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,776 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 82 267,162 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 15 440,53 IBGE/2008[5]
Página oficial

Fernando Prestes é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º15'52" Sul e a uma longitude 48º41'07" Oeste, estando a uma altitude de 545 metros. Sua população estimada em 2004 era de 5.567 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

  • Fundação: 1899

Leonel José Ferraz, vindo da cidade de São Carlos, estado de São Paulo, fixou-se em Aparecida do Monte Alto atraído pela grande quantidade de madeira existente em nossa região, adquiriu terras à margem do Ribeirão dos Mendes, construiu então, neste local a primeira habitação de madeira. Leonel denominou estas plagas de “Matão”, devido à exuberância de verde. Seduzidas pela atividade da madeira, as pessoas que para cá se dirigiam referiam-se à região como “Matão do Leonel”.

A partir de então, atraídos por motivos econômicos, desbravadores adquiriram propriedades aqui se estabeleceram. Com árduo trabalho de suas famílias, arrotearam a terra bruta, fazendo brotar as primeiras lavouras.

O povoado que deu origem ao atual município de Fernando Prestes foi fundado em 1899 e recebeu este nome em homenagem ao senador e presidente do estado Fernando Prestes de Albuquerque.

A agricultura foi a grande responsável pelo desenvolvimento da região, levando a cidade ao apogeu na década de 1920, mas, com a economia voltada basicamente para a cultura do café, o município entrou em crise no final dos anos 20 e só ganhou novo impulso, posteriormente, com a plantação de cítricos.

Administrativamente, Fernando Prestes foi distrito do município de Monte Alto a partir de 29 de dezembro de 1914, adquirindo autonomia política em 5 de julho de 1935.

Fundadores: Leonel José Ferraz, Francisco Salles de Almeida Leite, José Agustoni, Julio Freitas da Silva, Joaquim Gorgulho e Giácomo Pedrassoli.

No ano de 1909, com a construção da ferrovia pela Companhia Estrada de Ferro Araraquara, passou a chamar-se Fernando Prestes, em homenagem ao Coronel Fernando Prestes de Albuquerque, então governador do estado de São Paulo.

Data de Emancipação: 5 de julho de 1935 - Decreto Número 7.354 do Governador Doutor Armando de Salles Oliveira.

O município possui um distrito como o nome de Agulha.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Panorama montado através de fotos tiradas da Paróquia Santa Luiza, em Fernando Prestes

Com área de 174 km², representam 0,07% da área do estado de São Paulo, está situado na região araraquarense, à noroeste do estado, e a nordeste da capital, a 21°16’ de latitude sul e 48°44’ de longitude oeste de Greenwich, a 517 metros acima do nível do mar.[carece de fontes?]

Limites: Ao norte com os municípios de Ariranha e Monte Alto, ao sul com Taquaritinga, a leste com Cândido Rodrigues, a oeste com Santa Adélia e noroeste com Itápolis.

Possui uma área de 170,112 km².

Clima[editar | editar código-fonte]

Classificado como quente com inverno seco, a média térmica anual é de 22,7°C, a umidade relativa do ar é de 69%, a pluviosidade é de 126,3 mm anuais, a evaporação média é de 123,8 mm e a insolação média é de 208,3 horas.

Topografia[editar | editar código-fonte]

O relevo de Fernando Prestes é uma planície levemente ondulada, tendo a Serra do Itaimbé com 720 metros de altitude. Na sede do Município, nota-se a presença de um vale percorrido pelo Ribeirão dos Mendes, às margens do qual surgem as colinas que o definem perfeitamente.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População Total: 5.434

  • Urbana: 4.113
  • Rural: 1.321
  • Homens: 2.688
  • Mulheres: 2.746

Densidade demográfica (hab./km²): 31,95

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 18,79

Expectativa de vida (anos): 69,73

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,40

Taxa de Alfabetização: 88,78%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,776

  • IDH-M Renda: 0,700
  • IDH-M Longevidade: 0,746
  • IDH-M Educação: 0,881

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio da Onça
  • Ribeirões: dos Mendes, e dos Porcos.
  • Córregos: Palmeiras, Cunha, Agulha, Prata, Limeira, Divisa, Tanque, São José, Gaspar, Olho D'água, Congonhas, Pastore, Santa Mariana e Borghi.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Edemir José Aparecido Molena, Geraldo da Silva, João Carlos da Silva, Joel do Sacramento, Nivairdo Marcato, Mauricio José Junchetti, Ronie Carlos Gomes da Silva, Roque Aparecido Estruzani e Simone Pinheiro de Almeida Machado

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]