Saudação nazista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Heil Hitler)
Ir para: navegação, pesquisa

A saudação nazista[nota 1] ou saudação de Hitler (em alemão: Hitlergruß), muito conhecida na época da Alemanha Nazista como Deutscher Gruß (saudação alemã), é uma variação da saudação romana, adotada pelo Partido Nazista como um sinal da lealdade e culto da personalidade de Adolf Hitler. Ganhou popularidade concomitantemente com à ascensão de Hitler. Consiste em esticar o braço direito no ar com a palma estendida para baixo enquanto se diz as palavras Heil Hitler ("Salve Hitler").

A expressão é uma adaptação de Sieg Heil ("Salve a Vitória"). Foi primeiramente usada por Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha Nazista. É-lhe atribuído o número 88, por ser H a oitava letra do alfabeto, formando 88 as letras HH, ou Heil Hitler.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Hitler fazendo a saudação nazista em uma parada militar

Para a saudação de Hitler o braço direito é levantado em um ângulo de aproximadamente 45 graus na horizontal e ligeiramente na lateral, embora muitas vezes seja utilizado em 90 graus (principalmente em multidões onde não haveria espaço para colocar o braço estendido para a frente)[1] , e acompanhado das palavras Sieg Heil!, Heil Hitler!, Heil mein Führer! (Salve, meu líder - quando endereçada ao próprio Hitler), ou simplesmente Heil!, geralmente dito em voz alta e repetidas três vezes. O próprio Hitler usava frequentemente a saudação, e há muitas fotografias dele fazendo-a em multidões e em carros abertos. No caso de uma pessoa saudar a outra, as palavras são pronunciadas ao mesmo tempo, e o receptor deve levantar a mão direita sobre o ombro dizendo as mesmas palavras

História[editar | editar código-fonte]

Um retrato do expositor (1852) que retrata uma reconstrução da cerimónia de posse de um rei alemão.

A saudação nazista desde cerca de 1925 foi uma saudação habitual no partido nazista, principalmente em reuniões, especialmente após um discurso de Hitler. De 1933 a 1945 a saudação a Hitler era um cumprimento alemão comum. Hitler copiou a saudação de Benito Mussolini (a saudação romana). Embora os fascistas italianos associassem a saudação com Roma antiga, Hitler e Heinrich Himmler do SS, acreditaram que ele se originou dos antigos povos germânicos.

As reivindicações de Hitler e Himmler eram justificadas, pois os historiadores discutem há muito tempo que gestos similares à saudação romana já eram usadas na coroação de reis alemães antigos. [2] As ilustrações que reconstroem tais eventos, e mostram a saudação, datam de meados do século XIX.

Multidão alemã fazendo a saudação

A Enciclopédia Brockhaus repete tas reivindicações, dizendo que a saudação deriva dos gestos usados durante a coroação de reis alemães medievais juntamente com a exclamação de “Heil”. [3] De acordo com alguns nazistas, aspectos presentes na Roma antiga vieram do norte da europa, e assim, em sua opinião, seria provável que tivessem trazido a saudação para Roma da Alemanha.

A saudação romana, no qual a saudação de Hitler foi baseada, foi usada em muitos países diferentes para muitas finalidades diferentes antes da Segunda Guerra Mundial. Por exemplo, a Saudação de Bellamy, usada como garantia de fidelidade nos Estados Unidos no século XIX, e no inicio do século XX, era uma versão da saudação romana com algumas similaridades à saudação nazista. A saudação de Bellamy foi abandonada desde 1942 por causa dessa similaridade. O mesmo aconteceu com à maioria das outras formas de saudações romanas ao redor do mundo.

O uso da saudação e das frases do acompanhamento foi proibido por lei na Alemanha e na Áustria desde o fim da segunda guerra mundial. A saudação é usada atualmente por grupos neonazistas.

O desenhista John Heartfield, isto antes da tomada de Hitler em 1933, criou pôsteres satirizando a saudação a Hitler. Durante a guerra, os aliados usaram a saudação de formas satíricas. O uso satírico e ofensivo do termo “Sieg Heil” é às vezes ambígua, e os comediantes que o usam para finalidades cómicas têm sido acusados às vezes de anti-semitismo.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Shirer, William L.. Ascensão e queda do Terceiro Reich. [S.l.]: Agir Editora Ltda., 2008. ISBN 8522009138 (Diversas vezes na obra a saudação é referida como "saudação nazista").

Referências

  1. Colour of War (As Cores da Guerra). Documentário com vídeos em cores sobre a Segunda Guerra Mundial. Apresentado pela TV Escola. 2009
  2. de acordo com o expositor ilustrado, a reconstrução de tais cerimónias entre o Gauls e alemães foi empreendido por Agostinho Thierry. Expositor ilustrado, 1852, vol. 1., pp.165-6
  3. "Der Nazi-Gruß war aus der spätgermanischen Zeit hergeleitet"; Brockhaus Enciclopédia, 1989, Vol. 9, P. 604