Lanterna Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Lanterna Verde
Green Lantern
Lanternas Verdes por Ethan Van Sciver.jpg
Publicado por DC Comics
Primeira Aparição All-American Comics #16. (Julho de 1940)
Criado por Bill Finger
Martin Nodell
Personagens
Alan Scott
Hal Jordan
Kyle Rayner
Guy Gardner
Abin Sur
John Stewart
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Lanterna Verde (em inglês: Green Lantern) é um nome compartilhado por diversos super-heróis da DC Comics. Criado por Martin Nodell e Bill Finger, o Lanterna Verde original estreou em All-American Comics nº16 (1940). Reformulado como um novo super-herói com o mesmo nome nos anos 60, o personagem original ficou conhecido por Lanterna Verde Alan Scott e por um tempo adotou a identidade de Sentinela (Brasil).

O Lanterna Verde atual foi lançado nos quadrinhos da década de 60, e também é conhecido como "O Lanterna Verde da Era de Prata". Sua identidade era a de Hal Jordan, membro fundador da Liga da Justiça da América. Apesar do excelente trabalho do desenhista Gil Kane nesse período, era um personagem de super-herói relativamente genérico até que em 1970 a DC resolveu emparelhá-lo com o Arqueiro Verde (Oliver "Ollie" Queen), em uma série de quadrinhos absolutamente inovadora e de cunho social. Essa época ajudou a consolidar o novo Lanterna Verde como um herói popular, apesar das séries subseqüentes abordarem temas mais cósmicos.

Em 2012, a DC Comics anunciou que o Lanterna Verde Alan Scott da nova cronologia é homossexual. A revelação foi feita na revista "Earth 2", lançada em junho nos Estados Unidos. A edição mostra o personagem Alan Scott em uma cena de amor com um amigo.[1]

O anel dos Lanternas Verdes[editar | editar código-fonte]

Diversos indivíduos já assumiram o nome de Lanterna Verde ao longo do tempo. Cada um possuiu um anel que lhes dava grande controle sobre o mundo físico. O anel foi considerado a arma mais poderosa da galáxia, criando objetos plasmados complexos de acordo com a mente de seu portador, limitado apenas por duas coisas: a força de vontade do lanterna verde e a cor amarela, onde o anel não surte efeito algum (problema causado por uma impureza na fonte original que gerou os anéis). O anel dos Lanternas Verdes deve ser recarregado de acordo com o período de rotação do planeta natal de seu portador (na Terra, a cada 24 Horas). A bateria do anel se assemelhava em seu formato à antiga lanterna utilizada por exemplo pelos ferroviários para sinalizar alguma coisa ocorrida nos trilhos aos maquinistas de trens.

Os anéis dos Lanternas Verdes foram confeccionados pelos Guardiões do Universo, seres extremamente antigos e poderosos, que têm a missão de zelar pela manutenção da paz intergaláctica. O poder do anel provém da materia energética do planeta OA, lar dos guardiões, que fica no centro do universo, alimentando a energia vital de todos os seres do universo.

Mais tarde, foi dito que os anéis dos Lanternas Verdes não são mais vulneráveis a cor amarela. Apenas os anéis dos recrutas agora tinham esta limitação.

A Tropa dos Lanternas Verdes[editar | editar código-fonte]

Para melhor monitorar o Universo, os Guardiões dividiram-no em 3600 setores espaciais, sendo que o setor que abriga o planeta Terra é o de n° 2814. A princípio, foi designado 1 membro por setor, mas após a reconstrução da Tropa nos anos 2000, os Lanternas passaram a agir em duplas, aumentando o efetivo da Tropa para 7200 oficiais.

O Lanterna Verde da Era Dourada (Alan Scott), como também é conhecido, não faz parte da Tropa dos Lanternas Verdes, pois seu anel não foi forjado pelos Guardiões, mas moldado a partir da bateria encontrada por ele mesmo, por sua vez originada de um meteoro proveniente do Coração Estelar. Predefinição:Um laterna verde nao podia anular o poder do outro

Os substitutos e as novas personalidades de Hal Jordan[editar | editar código-fonte]

Nos últimos vinte anos, a DC colocou diferentes indivíduos no papel de Lanterna Verde: (Guy Gardner, John Stewart e Kyle Rayner), sendo que todos esses heróis foram membros da Liga da Justiça em várias de suas encarnações. Mas em 2005, depois de um período como o vilão Parallax e de se tornar o novo Espectro, Jordan voltou a ser o Lanterna Verde. Kyle Rayner passou um bom tempo como o único Lanterna Verde da Terra e do espaço. Enquanto existia, a Liga da Justiça teve em John Stewart o seu Lanterna Verde oficial. O cargo fora oferecido a ele por Kyle Rayner, quando decidiu abandonar a Terra por decepção.

Ordem das trocas[editar | editar código-fonte]

Primeiramente, Hal Jordan foi chamado para ser Lanterna Verde pelo ex-dono do anel chamado Abin Sur. Guy Gardner foi recrutado para ser o seu substituto (todo Lanterna Verde necessita de um substituto caso o titular venha a morrer). Porém, Guy Gardner se feriu em um acidente e ficou hospitalizado, impossibilitando de ajudar Hal quando ele precisava (durante a época que o Arqueiro Verde o estava acompanhando em suas viagens). Assim a Tropa dos Lanternas precisou de recrutar um outro substituto para Hal e o escolhido foi John Stewart (que no início, não levou a sério). Algum tempo depois, quando Coast City foi destruída pelo Superman Ciborgue, Hal tomado pelo medo, se tornou o receptaculo da propria entidade do medo, uma criatura conhecida como Parallax, sendo controlado pela criatura, Hal e saiu universo afora matando TODOS os seus companheiros. Como visto na minissérie Crepúsculo Esmeralda (primeira versão pela Abril Jovem e recém lançada como encadernado pela Panini Comics). O último dos Guardiões do Universo (Ganteth) recruta o jovem Kyle Rayner para ser o novo Lanterna Verde e recuperar a Tropa dos Lanternas (com visto na minissérie Novo Amanhecer).

Poderes[editar | editar código-fonte]

Cada Lanterna Verde detém um anel de poder que pode gerar uma variedade de efeitos, sustentando-se apenas pela imaginação do portador do anel e pela sua força de vontade. Quanto maior a força de vontade do usuário, mais eficaz é o anel. Os limites superiores das habilidades do anel de poder permanecem indefinidos, e tem sido referida como "a arma mais poderosa do universo" em mais de uma ocasião. Também foi afirmado que cada arma tem um ponto fraco, e a fraqueza de um anel do Lanterna Verde é o seu portador (embora alguns argumentem que este é o seu forte). Ao longo dos anos, os anéis foram mostrados capazes de realizar quase qualquer coisa dentro da imaginação do portador do anel. Em 2006, histórias em continuidade retroativa estabeleceram há muito tempo a ineficácia do anel sobre objetos amarelos, informando que o portador do Anel só precisa sentir medo, compreendê-lo e superá-lo, a fim de afetar objetos amarelos (no entanto, é uma habilidade aprendida e praticada, tornando-se uma fraqueza para alguns Lanternas Verdes), dando o crédito retroativo para a explicação da fraqueza real, mas superável do anel para o amarelo.

Anéis de energia utilizados pelos detentores exibem vários (mas não estão limitados a) os seguintes efeitos:

  • Construção de energia verde-sólido, que pode variar de microscópico a enorme no tamanho e / ou complexidade e são limitados pela imaginação do portador do anel. Isso pode ser usado para atacar, defender, ou para agarrar metas (Pré-Crise, os anéis geram habilidades telecinéticas sem construções, se necessário).
    • Geração de campo de força, uma aura de proteção (limitada pela vontade do usuário) usada para proteger o usuário contra os rigores do vácuo do espaço. Isso proporciona uma atmosfera respirável para o usuário também. Contrariamente aos cânones mais velhos, um anel de um Lanterna Verde atualmente não protege automaticamente seu portador do mal, mas deve, se quiser fazê-lo (anteriormente, um portador inconsciente geraria um campo de força que o protegeria automaticamente).
    • Geração de tampões mentais para bloquear a comunicação telepática e de manipulação.
    • Localização de objetos invisíveis.
    • As luzes e os feixes de intensidade e cores diferentes, como plasma destrutivo e inofensivas luzes multicoloridas.
  • Capacidades de movimento:
    • Voo, incluindo voo a velocidades incriveis, embora isso crie um gasto enorme de energia.
    • Transporte relativamente instantâneo entre as distâncias de galáxias.
    • Pré-Crise, os anéis permitiam viajar tão rápido quanto a velocidade da luz.
  • Os anéis podem agir como computadores semi-conscientes e acessar informações através de sua conexão com o Livro de Oa. Os anéis têm capacidade de resolver problemas, mas eles não podem tomar decisões ou agir por conta própria, e deve ser dada diretamente pelo portador:
    • Tradução de quase todas as línguas (originalmente, este foi realizado utilizando a força de vontade, mas isso mudou na era moderna a ser uma função dos anéis de si).
    • A comunicação entre Lanternas Verdes, independentemente da distância que os separa.
    • Recursos de diagnóstico, permitindo que o usuário veja raio X, as doenças e possa diagnosticar e identificar os materiais.
    • Criação e emissão de certos tipos de radiação, incluindo comprimentos de onda simuladas.
    • Colocar os seres humanos em um estado de animação suspensa e puxá-los de fora.
  • Mudar o estado alvo da matéria e do portador:
    • Permitir os objetivos do portador através de intangibilizar os objetos sólidos.
    • Prestação ao portador de metas de se tornar invisível.
    • Cura acelerada de feridas, proteção e tratamento de vírus e ataques biológicos e certos procedimentos cirúrgicos, incluindo a colagem de vários membros e dígitos. Mais avançados procedimentos médicos podem ser feitos automaticamente e são limitados pelo conhecimento do portador da medicina. Pré-Crise, um portador pode instantaneamente revigorar os membros que não tinham sido utilizados em anos, assim que alguém prostrado durante anos a andar como se seus músculos não estavam atrofiados.
    • Virtuais que mudam de forma, gerando uma forte luz holográfica para disfarçar ao redor do portador do anel.
    • Em Green Lantern: First Flight Sinestro foi capaz de "reconectar sinapses" no cérebro de um criminoso morto, a fim de extrair informação através de um tipo de discussão orientada.
    • O anel cria qualquer elemento, basta apenas concentração do manipulador do anel, como mostrado no filme Lanterna Verde(2011)quando Hal cria um lança chamas, ou quando para salvar uma moça ele cria água a salvando.

Guerra dos Anéis[editar | editar código-fonte]

Do original Sinestro Corps War, foi uma grande saga com grandes proporções no Universo DC que afetou todas as histórias dos Lanternas.

Antes da tropa[editar | editar código-fonte]

O Anel Amarelo

A entidade Parallax é um parasita espacial que é a personificação do medo e que foi aprisionado dentro da Bateria Central de Oa. Com o passar do tempo, Parallax ficou conhecido como a impureza amarela – a causa da fraqueza dos Lanternas Verdes.

Após Sinestro se tornar renegado, ele foi banido para o universo de antimatéria de Qward pelos Guardiões de Oa. Quando voltou à nossa dimensão, ele manuseava um anel energético que usava energia amarela. Depois de muitos confrontos com o Lanterna Verde Hal Jordan, ele também foi aprisionado dentro da Bateria Central. Lá, ele foi capaz de usar seu anel – que utiliza o medo, ao invés da força de vontade, como fonte de poder – para despertar Parallax de sua hibernação. A partir de então, o parasita e Sinestro puderam influenciar as atitudes de Hal Jordan e provocar a derrocada da Tropa dos Lanternas Verdes, deixando apenas um Lanterna, o novato Kyle Rayner.

Recrutamento[editar | editar código-fonte]

Depois que a Tropa dos Lanternas Verdes foi reorganizada com o retorno de Hal Jordan, Sinestro recrutou a Tropa Sinestro ou Tropa dos Lanternas Amarelos, oferecendo anéis energéticos dessa cor para seres capazes de instilar grande medo. Após serem convocados, os membros da Tropa são imediatamente enviados para Qward para se submeterem a recondicionamento físico e psicológico. Os membros da Tropa Sinestro atuam em setores, assim como os Lanternas Verdes. Qward também possui uma enorme Bateria Central amarela em sua superfície, como a que se localiza em Oa.

Embora a Tropa Sinestro use o medo e se oponha à Tropa dos Lanternas Verdes e aos Guardiões do Universo, Sinestro determinou que seu objetivo é trazer a ordem ao universo, o que ele afirma que os Guardiões falharam em fazer. Dentre os membros da Tropa Sinestro, Arkillo, um alienígena extremamente selvagem, escravizou todos os armeiros de Qward, forçando-os a forjar novos anéis amarelos continuamente. Esses anéis são programados para romper a barreira entre os universos de matéria e antimatéria para encontrar e recrutar novos portadores para eles. Arkillo também desempenha o papel de treinador de todos os recrutas, de forma semelhante a Kilowog.

Outros integrantes da Tropa Sinestro são: Karu-Sil, criada por animais; Despótellis, um vírus consciente capaz de atacar seus inimigos por dentro; e Bedovian, o atirador, que pode atingir um alvo a três setores de distância. Durante a fase de recrutamento, a Tropa Sinestro tentou levar Batman para seu lado, conhecido até por algumas raças alienígenas por sua formidável habilidade de instilar o medo em outros. Entretanto, a força de vontade do Homem-Morcego, combinada a uma breve exposição prévia dele a um anel energético, lhe permitiu rechaçar o anel amarelo antes que fosse subjugado e levado para ser treinado e moldado como um dos soldados de Sinestro. O anel, então, procurou um substituto e selecionou Amon Sur, o filho de Abin Sur, que estava na Terra tentando matar Hal Jordan para roubar seu anel energético.

A profecia[editar | editar código-fonte]

Uma profecia sombria proclama que após incontáveis milênios, os armeiros de Qward, a cidade sapiente Ranx, os Filhos do Lobo Branco, e o Império das Lágrimas se unirão contra a Tropa dos Lanternas Verdes. Isso foi amplamente ignorado até que os atualizados Caçadores Cósmicos passaram a aparecer ao redor do universo. Hal Jordan encontrou um deles na Terra e, com Guy Gardner, o seguiu até o setor 3601. Hal e Guy encontraram diversos Lanternas Verdes presumidos como mortos quando do surto de loucura de Jordan, e o novo Grão-Mestre dos Caçadores: Hank Henshaw, o Superciborgue.

Os Caçadores Cósmicos foram derrotados e a cabeça de Henshaw foi levada a Oa. O Livro de Oa contém um capítulo proibido a respeito das Revelações Cósmicas, que inclui a seguinte profecia:

“Uma face de metal e carne falará dos segredos das 52.

O medo aumentará.

A força de vontade se acumulará.

E uma guerra de luz libertará a verdade por trás da energia do anel.”

- Livro de Oa, capítulo III: A Noite mais densa

Após interrogarem Henshaw, os Guardiões do Universo descobriram que ele sabia a respeito dos 52 universos paralelos e que se a Nova Terra fosse destruída, todo o multiverso entraria em colapso e o universo de antimatéria tomaria o seu lugar. Dois dos Guardiões, Ganthet e Sayd, alertaram seus demais companheiros para não ignorarem a profecia, pois isso poderia acarretar no fim da Tropa dos Lanternas Verdes.

QWARD e o Setor: -1[editar | editar código-fonte]

Há um lugar sombrio do multiverso conhecido como universo de antimatéria. Como Oa é o centro do universo, o planeta Qward – um mundo desolado ocupado pelas forças da Tropa Sinestro – é o centro do universo de antimatéria.

Nas profundezas da superfície de Qward, os armeiros escravizados forjam anéis e baterias amarelos, aumentando o poderio de Sinestro. Foi nesse mundo amaldiçoado que o Flash Barry Allen perdeu heroicamente sua vida, ao destruir o canhão de antimatéria da criatura chamada Antimonitor, na primeira Crise.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Novas Leis

Ocorreram vários fatores importantes nesta guerra e vários desdobramentos, porém a consequência mais grave foi o fato que os Guardiões de Oa liberaram 10 novas leis.

  • 1ª NOVA LEI: Fica revogado o dispositivo de segurança contra o uso de força letal. Os anéis energéticos ficam autorizados a utilizá-la contra a Tropa Sinestro, sempre que for julgada necessária por seu usuário, para anular a ação e avanço da tropa amarela.
  • ADENDO 1 À 1ª LEI: A entidade Íon, agora livre e não mais hospedada em Kyle Rayner, encontrou em SODAM YAT seu novo hospedeiro, mesmo este ainda não preparado a contento, mas devido a seu potencial físico como daxamita, capaz de adquirir superpoderes sob o sol amarelo. Ele tornou-se a nova arma suprema dos Guardiões.
  • ADENDO 2 À 1ª LEI: Criação da divisão dos Lanternas Alfas, dentro da Tropa dos Lanternas Verdes. Uma corregedoria composta por Lanternas Verdes selecionados. Os mesmos submeter-se-íam à "cirurgia" e teríam uma bateria energética mesclada a seus corpos físicos.
  • 2ª NOVA LEI: Fica autorizado o uso de força letal contra todos os inimigos da Tropa dos Lanternas Verdes, sempre que for julgada necessária por seu usuário.
  • 3ª NOVA LEI: Ficam proibidos relacionamentos físicos e amorosos dentro da Tropa dos Lanternas Verdes.

A guerra dos anéis termina com a revelação que ainda irão existir ao todo sete Tropas com sete espectros diferentes: força de vontade (verde), medo (amarelo), amor (violeta), raiva (vermelho), compaixão (índigo ou anil), avareza (laranja) e esperança (azul). E ainda terá um oitavo espectro que representará a morte (preto) e o nono "vida ou criação"(branco) curiosidade e spoiler dawn granger a nova columba é a unica pessoa que pode usar normalmente a luz branca, mas ela não pode ressuscitar pessoas como a entidade da luz branca.

A Noite Mais Densa[editar | editar código-fonte]

Conhecido como Blackest Night[2] , esta saga foi sucesso de vendas na DC Comics em 2009 nos EUA, batendo vários recordes e foi publicada no Brasil na revista mensal do Lanterna Verde #23 (Julho/2010) e também em uma revista especial #00 (na qual nos EUA foi lançada no FREE COMIC BOOK DAY junto com um anel do poder).

Basicamente é a terceira parte da saga que o roteirista Geoff Johns começou em 'Lanterna Verde: Renascimento' (seguido pela Guerra da Tropa Sinestro traduzido no Brasil erroneamente de Guerra dos Anéis)[3] .

É uma guerra entre todos os tipos de Lanternas da galáxia onde vários dos super-heróis (e vilões) mortos (incluindo do multiverso e terras paralelas) voltaram a vida para lutar ao lado dos Lanternas Negros.

O Dia Mais Claro[editar | editar código-fonte]

Segundo o presidente da DC Comics, Dan Didio, após os eventos de "A Noite Mais Densa" será lançada a minissérie "O Dia Mais Claro", revista quinzenal com 26 edições que começa a sair nos EUA a partir de março de 2010, mostrando o que acontece após o evento que alavancou as vendas da DC e a cativou milhares de fãs do "Gladiador Esmeralda".

Juramento dos Lanternas Verdes[editar | editar código-fonte]

A fim de recarregar seus anéis a cada 24 horas na bateria-lanterna, os Lanternas Verdes fazem um juramento perante a mesma.

  • 'Versão original' em inglês:

“In brightest day, in blackest night,

no evil shall escape my sight!

Let those who worship evil's might,

beware my power…GREEN LANTERN'S LIGHT!”

  • Tradução literal da versão inglesa:

"No dia mais claro, na noite mais escura,

nenhum mal escapará a minha visão!

Que aqueles que adoram o poder do mal,

temam o meu poder ... A LUZ DO LANTERNA VERDE!"

Existem no Brasil varias versões deste juramento:

"No dia mais claro,

na noite mais negra,

ninguém escapará à minha visão!

Que aqueles que adoram o poder do Mal

se acautelem contra o meu poder...

A LUZ DO LANTERNA VERDE!"[4]

  • Versão Abril (presente nas histórias clássicas da Tropa da revista da Abril “Super Amigos”)

“No dia mais claro

Na noite mais densa

O mal sucumbirá

Ante à minha presença

Da lanterna vem

o dom da paz

Para disseminar a luz

Que a justiça traz

Quem quer o mal

tudo perde

Ante ao poder

do Lanterna Verde”

  • Segunda versão

“No dia mais claro,

Na noite mais densa,

O mal sucumbirá ante a minha presença

Quem venera o mal tudo perde

Frente ao poder do Lanterna Verde!”

  • Terceira versão (encontrado atualmente nas edições do Lanterna Verde da Editora Panini)

“No dia mais claro,

Na noite mais densa,

O mal sucumbirá ante a minha presença

Todo aquele que venera o mal há de penar

Quando o poder do Lanterna Verde enfrentar!”

  • Quarta versão (mais uma tradução do juramento)

No dia mais claro, na noite mais densa

O mal sucumbirá ante a minha presença

Todo aquele que venera o mal há de temer

A luz do Lanterna Verde e o seu poder!

  • Quarta versão (Encontrada nas antigas revistas da década de 1970)

No dia mais claro, na noite mais escura

Nenhum mal escapará à minha procura

Cuidado aqueles a quem o mal seduz

Meu nome é Lanterna Verde e minha arma é a luz!

  • Quinta Versão (Citada por Hal Jordan a se tornar Paralax)

No dia mais claro,

na noite mais densa,

Todo mal sucumbirá

ante a minha presença...

O Seguidor do mal tudo perde

Ante o MEU PODER!

"No dia mais claro

Na noite mais escura

Nenhum mal escapará à minha visão

E para aqueles que cultuam o mal

Temam o meu poder

A luz do Lanterna Verde!"

No dia mais claro,

Na noite mais densa,

O mal sucumbirá ante a minha presença

Todo aquele que venera o mal há de penar

Quando a um Lanterna Verde tiver que enfrentar!

No dia mais brilhante, na noite mais escura

Nenhum demônio escapará de mim

Deixe aqueles que veneram a força do mal

Conhecer a força da luz do Lanterna Verde!

“In Blackest day or brightest night,

watermelon, centaloupe, yadda-e-yadda,

erm…supersticious and cowardly lot,

with liberty and justice for all!”

Desenhos animados[editar | editar código-fonte]

No Brasil também foi conhecido como O Homem de Verde, nome que o alterego de Hal Jordan recebeu na versão em português de uma antiga série de desenhos animados feita para a TV (The Superman/Aquaman Hour of Adventure da Filmation, 1967-1968).

Nos desenhos recentes em que o Lanterna Verde aparece na Liga da Justiça, Hal Jordan foi substituído por John Stewart. Originalmente, Stewart fora criado para ser realmente o Lanterna Verde substituto, caso Hal não estivesse disponível para cumprir com seus deveres em seu setor.

Em 2011 estreou Green Lantern: The Animated Series.

Cinema[editar | editar código-fonte]

O longa metragem baseado no personagem foi lançado em 19 de agosto de 2011 em 3D e foi protagonizado por Ryan Reynolds no papel de Hal Jordan.

No filme, Parallax mata Abin Sur que passa o anel para Hal Jordan que derrota Parallax.

No filme, Parallax também incorpora Hector, que sofre contato com a energia amarela e se torna vilão.

No final do filme Sinestro acaba colocando o anel amarelo. [5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]