Osni Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Osni
Informações pessoais
Nome completo Osni Lopes
Data de nasc. 13 de julho de 1952 (62 anos)
Local de nasc. Osasco,  Brasil
Altura 1,56 m
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19681971
1970
1971
19721976
1977
1978
1979
1980
1980
1981
19811983
1985
Brasil Santos
Brasil Madureira (emp.)
Brasil Olaria (emp.)
Brasil Vitória
Brasil Flamengo
Brasil Bahia
Brasil Maranhão
Brasil Bahia
Brasil Dom Bosco
Brasil Santa Cruz
Brasil Bahia
Brasil Leônico

000? 0000(4)
000? 0000(1)
000? 00(112)
000? 000(16)
000? 0000(8)
000? 0000(7)
000? 0000(9)
000? 0000(4)
000? 0000(0)
000? 000(98)
000? 0000(4)

Osni Lopes, mais conhecido como Osni (Osasco, 13 de julho de 1952), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Osni começou a carreira no Cobrasma, time amador de Osasco.[1] Passou pela base do Corinthians e chegou ao Santos, em 1968, permanecendo no alvinegro até o fim de 1971, quando chegou ao Vitória.[2]

No rubro-negro baiano virou ídolo, jogando lá até 1976. Fez parte do elenco da histórica conquista do Baianão de 1972, que viria a ser o único título estadual conquistado pelo Leão na década de 1970.[3]

Era famoso também pelas cenas que protagonizava no alto dos seus 1,56 metros de altura dentro de campo. A mais notável, sem dúvidas, foi ainda no Campeonato Baiano de 1972, quando o Vitória enfrentava seu maior rival, o Bahia, no estádio da Fonte Nova. O baixinho deixou Romero, zagueiro do tricolor, no chão após driblá-lo, sentou sobre a bola e chamou outros jogadores do adversário para virem tentar marcá-lo. A façanha resultou numa grande briga dentro de campo, envolvendo quase todos os jogadores de ambos os times.[3]

Depois de dois prêmios Bola de Prata[4] e de convocações para a Seleção Brasileira, em 1977 foi para outro rubro-negro, dessa vez o Flamengo. Jogou apenas um ano e poucos meses no time carioca.[5]

De lá foi para o Bahia, em 1978, onde também foi ídolo, por marcar vários gols, inclusive contra o Vitória, seu antigo clube. Era também famoso por marcar muitos gols de cabeça, mesmo sendo baixinho. Teve mais duas passagens pelo Tricolor de Aço para se consagrar, sendo a segunda em 1980 e a terceira, mais longa, em 1982, ficando até 1984, quando foi tricampeão baiano. Ele é o 6º maior artilheiro da história do Tricolor, com 138 gols marcados. Entre essas temporadas pelo time de Salvador, Osni jogou ainda no Maranhão,[6] em 1979, e no Santa Cruz,[6] em 1981. Terminou a carreira no Leônico no ano seguinte.[6]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vitória
Bahia

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Osni terceirotempo.ig.com.br. Página visitada em 26 de setembro de 2010.
  2. Baixinhos perdem espaço camisa12.esp.br (2 de agosto de 2010). Página visitada em 26 de setembro de 2010.
  3. a b OSNI, O PEQUENO GIGANTE! GRANDE ÍDOLO DE DUAS TORCIDAS NA BAHIA cacellain.com.br. Página visitada em 26 de setembro de 2010.
  4. Bola de Prata: Seleção ogol.com.br. Página visitada em 26 de setembro de 2010.
  5. Osni - Jogos futpedia.globo.com. Página visitada em 26 de setembro de 2010.
  6. a b c Osni ogol.com.br. Página visitada em 26 de setembro de 2010.
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.