Wladimir Rodrigues dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wladimir
Informações pessoais
Nome completo Wladimir Rodrigues dos Santos
Data de nasc. 29 de Agosto de 1954
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Apelido Wlad
Informações profissionais
Número 4
Clubes de juventude
1970-1971 Brasil Corinthians
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19721985/1987
1985-1987
1988
1989
1990
1990
1991
Brasil Corinthians
Brasil Santo André
Brasil Ponte Preta
Brasil Santos
Brasil Cruzeiro
Brasil São Caetano
Brasil Central Brasileira
805 (32)
 ? (0)
24 (2)
16 (0)
23 (1)
 ? (?)
 ? (?)
Seleção nacional
1977-1985 Brasil Brasil 7 (0)
Times que treinou

Wladimir Rodrigues dos Santos (São Paulo, 29 de agosto de 1954), mais conhecido como Wladimir, é um ex-jogador de futebol, tendo sido um dos maiores ídolos da torcida do Corinthians.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira esportiva ainda nas equipes de base do Corinthians, tornando-se titular da equipe no ano de 1972, durante uma excursão à Europa, sob o comando do técnico Duque, firmando-se na posição no ano seguinte, já sob o comando de Yustrich.

Dono absoluto da camisa 4 até 1985, quando deixou o time para jogar no Santo André, foi recordista do maior número da atuações seguidas no mesmo time: 161 jogos sem contusões ou suspensões, de 28 de março de 1981 (Santa Cruz 2 x 0 Corinthians) a 21 de maio de 1983 (Corinthians 1 x 0 Inter de Limeira).

Wladimir é o corintiano com mais jogos pelo campeonato brasileiro (268), sendo que nenhum outro jogador entrou em campo com a camisa do Corinthians tantas vezes. Ele atuou 806 vezes com a camisa do Timão.

Em 1982, Wladimir foi um dos líderes da Democracia Corinthiana, ao lado dos ídolos Sócrates e Casagrande. O movimento, que permitia que os jogadores participassem de todas as decisões técnicas (por exemplo, os jogadores votavam se queriam ir para a concentração ou não), causou muita controvérsias, mesmo com o time conseguindo ser campeão paulista daquele ano.

É considerado, pela maioria dos especialistas em futebol, como o melhor lateral-esquerdo da História do Corinthians.

Outros clubes[editar | editar código-fonte]

Em 1985, foi para o Santo André. A primeira vez que enfrentou seu ex-clube foi no Campeonato Paulista de 1987: foi aplaudido pela torcida corintiana, jogou bem, e o Santo André ganhou por 3 a 1.[1] Teve ainda passagens por Ponte Preta, Santos, Cruzeiro, São Caetano e encerrou sua carreira futebolística na Central Brasileira de Cotia, em 1991.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Wladimir foi convocado pela primeira vez para jogar pela Seleção Brasileira em 1977 para a partida contra a Colômbia pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1978. O empate de 0x0 foi considerado vexatório e por conta disso, o técnico Osvaldo Brandão acabou pedindo demissão. Wladimir, que não teve culpa do resultado, acabou ficando marcado e não voltou mais a ser chamado para a Seleção. Em 1978, por exemplo, Cláudio Coutinho preferiu improvisar o zagueiro Edinho como lateral-esquerdo, deixando de lado um Wladimir em excelente forma. Porém, voltou a ser convocado pelo técnico Carlos Alberto Parreira para a disputa da Copa América de 1983, quando obteve o vice-campeonato.

Jogou um total de sete partidas pela seleção e não marcou nenhum gol.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Corinthians

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Seleção Brasileira

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Corinthians

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Brasil Corinthians

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Uma noite de alegria e tristeza", Ubiratan Brasil, Placar número 885, 18/5/1987, Editora Abril, pág. 9
  2. UOL Esporte - Futebol

Ligações externas[editar | editar código-fonte]