Tita (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tita
Informações pessoais
Nome completo Milton Queiroz da Paixão
Data de nasc. 1 de Abril de 1958 (56 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Informações profissionais
Posição Treinador (ex-meia e atacante)
Clubes de juventude
Brasil Flamengo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos)
1977–1982
1983
1983–1985
1985–1986
1987
1987–1988
1989
1989–1990
1991–1994
1994–1995
1996–1997
1997
Brasil Flamengo
Brasil Grêmio
Brasil Flamengo
Brasil Internacional
Brasil Vasco da Gama
Alemanha Bayer Leverkusen
Itália Pescara
Brasil Vasco da Gama
México León
México Puebla
México León
Guatemala Comunicaciones
289 000(89)
32 0000(19)
93 0000(41)
57 0000(32)
42 0000(24)
37 0000(22)
31 0000(17)
39 0000(11)
105 000(54)
42 0000(23)
62 0000(32)
11 0000(6)
Seleção nacional3
1979–1990 Brasil Brasil 32 0000(6)
Times que treinou3
2000
2000
2001
2002
2002–2003
2003
2003
2004
2004–2005
2005
2005
2006
2006–2007
2007–2008
2008
2009
2010
2010-2011
2012
Brasil Vasco da Gama
Brasil Americano
Japão Urawa Reds
Estados Unidos El Paso Patriots
Brasil America
Brasil Bangu
Brasil Americano
Brasil Caxias
Brasil Remo
Brasil Campinense
Brasil Olaria
Flag of Japan.svg Japão (Assistente)
Brasil Tupi
Brasil Macaé
Brasil Vasco da Gama
Brasil América-RN
Brasil Volta Redonda
México León
México Necaxa

Milton Queiroz da Paixão, mais conhecido como Tita (Rio de Janeiro, 1º de abril de 1958), é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como meia ou atacante.

Tita também é membro ativo e líder local (RJ) de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, também conhecidos como os Mormons.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Tita começou a jogar futebol nas divisões de base do Flamengo em 1970, quando tinha 12 anos de idade. Sete anos mais tarde subiu para o time profissional do Flamengo, tendo participado de todas as grandes conquistas do rubro-negro durante aquele período mágico no início dos anos 80.

Sua posição de origem era a de armador no meio-de-campo, contudo, como o Flamengo já tinha Andrade, Adílio e Zico, Tita acabou improvisado na ponta-direita. Jogador versátil, não teve dificuldade em adaptar-se a nova posição, fazendo ótimas apresentações como atacante. Participou das conquistas dos Estaduais de 78, 79 e 81, dos Brasileiros de 1980 e 82, além da Libertadores da América e Mundial Interclubes em 81.

Em 1983, foi emprestado ao Grêmio, ajudando a equipe gaúcha em sua conquista da Libertadores de 1983. Retornou ao Flamengo em outubro daquele mesmo ano, ficando, portanto, de fora da final do Mundial, quando o Grêmio derrotou o Hamburgo e tornou-se o terceiro time brasileiro campeão do mundo na história.

Nesta nova passagem pelo Flamengo, Tita assumiu a camisa 10 de Zico, que havia sido negociado com o futebol italiano. Entretanto, em 1985, deixou definitivamente a Gávea para ir jogar no Internacional.

Em 1987, retornou ao futebol carioca, vestindo a camisa do Vasco da Gama. Naquele ano, o time do Vasco, que já contava com nomes como Acácio, Paulo Roberto, Mazinho, Roberto Dinamite, Geovani e Romário, chegou às finais do Estadual contra o Flamengo. Ironicamente, Tita foi o autor do gol que deu o título ao Vasco.

Fora do Brasil, Tita atuou no Bayer Leverkusen, da Alemanha, aonde conquistou a Copa da UEFA de 1988, e depois no Pescara, um clube italiano.

Voltou para o Vasco em 1989, quando conseguiu seu quarto título nacional no Brasileirão daquele ano. Então, já com 32 anos de idade, foi convocado para sua primeira e única Copa do Mundo, a da Itália, em 1990. Entretanto, ficou no banco de reservas e não disputou nenhuma partida.

Depois da Copa, Tita foi jogar no México, aonde permaneceu pelos seis anos seguintes. Encerrou sua carreira em 1998, jogando no Comunicaciones, da Guatemala.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Dois anos após encerrar a sua carreira como jogador, Tita fez a transição para o cargo de treinador e assumiu o comando do Americano do Rio de Janeiro. No mesmo ano, 2000, voltou Vasco da Gama onde onde trabalhou como jogador.

Na primeira passagem pelo Vasco, Tita esteve no comando da equipe apenas por dois jogos: o segundo jogo da final do Campeonato Carioca no qual perdeu para o Flamengo e um jogo amistoso contra o Rio Branco que o Vasco venceu.[1] [2]

Seguiram-se passagens por clubes de menor expressão e alguns de fora do Brasil.

Em 2008, Tita foi contratado pelo seu ex-companheiro de equipe, agora presidente do Vasco da Gama, Roberto Dinamite para assumir o comando da equipe até o fim do Campeonato Brasileiro.[1] No dia 17 de setembro do mesmo ano, após a eliminação da Copa Sul-Americana e uma série de maus resultados no Campeonato Brasileiro, Tita se demite do Vasco. e esteve entre 2010 e 2011, como treinador do León. e em 2012, como do Necaxa[3] .

Títulos[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Grêmio
Vasco
Bayer Leverkusen
Club León
Comunicaciones

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Marcio Iannacca (7 de Agosto de 2008). Tita é o novo técnico do Vasco. Visitado em 9 de Agosto de 2008.
  2. Vice em 2000, Tita traz péssimas recordações como treinador do Vasco (7 de Agosto de 2008). Visitado em 9 de Agosto de 2008.
  3. globoesporte.com (06.12.2011). Tita é o novo técnico do Necaxa. Visitado em 12.12.2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]