Zé Carlos (Futebol)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde abril de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Zé Carlos
Informações pessoais
Nome completo José Carlos da Costa Araújo
Data de nasc. 7 de fevereiro de 1962
Local de nasc. Rio de Janeiro,  Brasil
Falecido em 24 de julho de 2009 (47 anos)
Local da morte Rio de Janeiro,  Brasil
Altura 192
Apelido Zé Grandão
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1983
1984
1984-1991
1992
1992-1994
1994-1995
1995-1996
1996-1997
1997
1999
1999
2000
Brasil Americano-RJ
Brasil Rio Branco-ES
Brasil Flamengo
Brasil Cruzeiro
Portugal Vitória de Guimarães
Portugal Farense
Portugal Felgueiras
Brasil Flamengo
Brasil Vitória
Brasil XV de Piracicaba
Brasil América-RJ
Brasil Tubarão

296 (0)
56 (1)
Seleção nacional
1987-1993 Brasil Brasil 2 (0)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Seul 1988 Futebol

José Carlos da Costa Araújo, o Zé Carlos (Rio de Janeiro, 7 de fevereiro de 1962 — Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009), foi um futebolista brasileiro, goleiro do Flamengo nas décadas de 80 e 90. Era membro da Ordem DeMolay, tendo iniciado no capítulo Rio de Janeiro 001 do Brasil e Mater da América Latina[carece de fontes?].

Carreira[editar | editar código-fonte]

No início de sua carreira, Zé Carlos atuou pelo Americano-RJ e Rio Branco-ES. Entretanto, sua carreira acabou sofrendo uma guinada em 1984, quando o goleiro foi contratado pelo Flamengo.

Entre 1986 e 1991, Zé Carlos foi o goleiro titular do Flamengo e, apesar de nunca ter sido uma unanimidade entre os torcedores, sempre se destacou por realizar defesas impossíveis, de puro reflexo e elasticidade.

Durante as eliminatórias da Copa do Mundo de 1990 atuou em duas partidas e, em seguida, foi convocado para disputar aquela Copa, na reserva de Taffarel e Acácio.

Em 1991, com a chegada de Gilmar, Zé Carlos perde espaço no time do Flamengo e deixa o clube.

Após deixar o Flamengo, teve rápida passagem pelo Cruzeiro e, em seguida, transferiu-se para o futebol português, onde defendeu o Vitória de Guimarães, o Farense, o Felgueiras e o FC Pedras Rubras.

No retorno ao Brasil, em maio de 1996, voltou a atuar pelo Flamengo. No entanto, pouco mais de um ano depois e a falha na final do torneio Rio-São Paulo de 1997, deixou a Gávea pela última vez e foi defender o Vitória. No Vitória participou das vitoriosas campanhas do Campeonato Baiano e da Campeonato do Nordeste.

Antes de sair do Flamengo, Zé Carlos foi o segundo goleiro da história do clube a marcar um gol, em cobrança de pênalti.

Antes de encerrar a carreira, Zé Carlos ainda jogou pelo XV de Piracicaba, América-RJ e Tubarão-SC.

Jogos marcantes[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Brasileiro de 1988, logo após retornar de seu compromisso com a Seleção Brasileira depois do término das Olimpíadas de Seul, Zé Carlos reestreou na equipe do Flamengo em uma partida contra o Grêmio e foi aplaudido e chamado de rei pela torcida do Flamengo, pois após sua equipe empatar em 0 a 0 com a equipe gaúcha e a partida ser decidida nos pênaltis (leia o regulamento do Campeonato Brasileiro de 88 para mais detalhes), o goleiro defendeu dois pênaltis e garantiu a vitória do Flamengo por 4 a 2.[1]

Pós-carreira[editar | editar código-fonte]

  • Zé Carlos participou, em 27 de dezembro de 2007, do jogo comemorativo de 20 anos da conquista do Módulo Verde do Campeonato Brasileiro de 1987. Zé Carlos e todos os titulares que venceram a equipe do Internacional no jogo final do Módulo Verde do Campeonato Brasileiro de 87[2] (com exceção de Jorginho e Bebeto) atuaram contra o Time dos Amigos de Zico[3] .

Falecimento[editar | editar código-fonte]

No dia 24 de julho de 2009, Zé Carlos morreu devido a um câncer no abdômen.[4] [5] Foi sepultado no Cemitério São João Batista no dia seguinte[6]

Dentre várias homenagens, dois dias depois da morte de Zé Carlos, o amigo e companheiro de equipe no Flamengo e na Seleção Brasileira Andrade, estando interinamente no comando do Flamengo, dedicou ainda em campo e emocionado a primeira vitória do clube sobre o Santos em jogos oficiais dentro da Vila Belmiro ao falecido companheiro.[7] Também foi homenageado pelo goleiro Bruno, que usou uma camisa com seu nome no dia do título de hexacampeão brasileiro do Flamengo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Seleção Brasileira
Cruzeiro
Vitoria
TUBARÃO

Referências