Jorge de Amorim Campos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorginho
Jorginho
Jorginho em 2005
Informações pessoais
Nome completo Jorge José de Amorim Campos
Data de nasc. 17 de agosto de 1964 (50 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Altura 1,75 m
Apelido Jorginho
Informações profissionais
Clube atual =Emirados Árabes Unidos Al-Wasl
Posição Treinador
(ex-Lateral-direito)
Clubes de juventude
1978–1984
1984
Brasil America
Brasil Flamengo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos)
1983–1984
1984–1989
1989–1992
1992–1995
1995–1998
1999
2000–2001
2001–2002
Total
Brasil America
Brasil Flamengo
Alemanha Bayer Leverkusen
Alemanha Bayern de Munique
Japão Kashima Antlers
Brasil São Paulo
Brasil Vasco da Gama
Brasil Fluminense
020 00(0)
188 00(7)
087 00(9)
067 00(6)
103 0(17)
013 00(1)
028 00(2)
008 00(0)
582 0(46)
Seleção nacional3
1983–1988
1987–1995
Brasil Brasil Olímpico
Brasil Brasil
25 (0)
068 00(4)[1]
Times que treinou3
2005–2006
2006
2006
2006–2010
2010
2011
2012
2013
2013
2014–
Brasil America
Brasil Fluminense (auxiliar-técnico)
Brasil Fluminense (interino)
Brasil Brasil (auxiliar-técnico)
Brasil Goiás
Brasil Figueirense
Japão Kashima Antlers
Brasil Flamengo
Brasil Ponte Preta
=Emirados Árabes Unidos Al-Wasl


1

20
47

14
30
Última atualização: 11 de dezembro de 2013

Jorge de Amorim Campos, mais conhecido como Jorginho (Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1964) é um ex-futebolista brasileiro e atual treinador. Atualmente, está no Al-Wasl.

Jorginho é irmão de Jayme de Amorim Campos, Pastor Evangélico da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

É oriundo do bairro carioca de Guadalupe, assim como o ex-lateral Donato (America, Vasco da Gama, Atlético de Madrid e La Coruña), o ex-goleiro Benício (Madureira), o já falecido zagueiro Geraldo (America, Vasco e Seleção Brasileira), e tantos outros.

Revelado nas divisões de base do America, Jorginho começou a se tornar mais conhecido quando foi contratado em 1984 pelo Flamengo. Rapidamente, Jorginho se transformou no lateral-direito titular do Rubro-Negro, uma vez que Leandro, em virtude de uma grave artrose nos joelhos, optara por jogar na zaga central. Jorginho vestiu a camisa rubro-negra durante cinco anos e, nesse período, contribuiu para a conquista de importantes títulos, como o Campeonato Carioca de 1986.

Na Seleção Brasileira, Jorginho começou sua história pela seleção olímpica, quando atuou em 25 jogos entre 1983 e 1988. Conquistou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de 1983, os Torneios Pré-Olímpicos de 1984 e 1987 e a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Seul. Neste período, também participou da importante conquista do Campeonato Mundial Sub-20 em 1983. Já pela seleção principal, Jorginho fez 89 partidas entre 1987 e 1995, tendo participado das conquistas da Copa América de 1989 e da Copa do Mundo de 1994.

Em meados de 1989, o Flamengo vendeu Jorginho para o Bayer Leverkusen, time da Bundesliga, a primeira divisão alemã. Nesta nova equipe, foi deslocado da lateral-direita para o meio-campo, o que permitiu ao jogador usufruir melhor de toda sua capacidade técnica. Posteriormente, Jorginho também jogou pelo Bayern de Munique, onde logo de cara faturou o título de campeão alemão na temporada 1993-94. Certamente, em seis anos na Alemanha, Jorginho conseguiu marcar seu nome na história do futebol europeu.

Fora sua bem sucedida passagem pela Alemanha, Jorginho também atuou no futebol japonês. Seguindo os passos de outros ex-jogadores do Flamengo, como Alcindo e Leonardo, Jorginho foi jogar no Kashima Antlers, clube que Zico defendera após deixar definitivamente o futebol brasileiro. Lá, Jorginho sagrou-se bicampeão japonês em 1996 e 1998, além de ter sido eleito o melhor jogador do campeonato na temporada de 1996.

Finalmente, em 1999, após uma década longe do país, o jogador retornou ao futebol brasileiro. Defendeu o São Paulo e o Vasco da Gama, este último para o qual torcia na infância e adolescência, tendo conquistado com ele o Campeonato Brasileiro de 2000 e a Copa Mercosul. Encerrou sua carreira no Fluminense, em 2001.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Jorginho retornou ao America e conduziu o time com algum destaque. Deixou o clube em 2006 para ser auxiliar-técnico de Dunga na Seleção Brasileira. Ele trabalhou como auxiliar da seleção até 2010, quando o Brasil foi eliminado nas quartas-de-final da Copa do Mundo.

Antes de trabalhar na seleção, Jorginho trabalhou com Oswaldo de Oliveira durante o ano de 2006, no Fluminense. Como auxiliar de Oswaldo, Jorginho até ganhou uma chance de trabalhar como técnico interino, durante a disputa de um jogo amistoso contra o Joinville, em 8 de julho de 2006, e que terminou num empate sem gols.[2]

Em 29 de agosto de 2010, foi anunciado como novo treinador do Goiás. Em 8 de outubro do mesmo ano, não aguentou a pressão da diretoria e, praticamente com o time rebaixado para a Série B, foi demitido.

No dia 1 de março de 2011, foi anunciado como novo técnico do Figueirense. Porém, após a boa campanha do time na Série A de 2011, deixou o clube, dizendo que está em busca de "novos desafios"[3] , mas no final de 2011 acertou para ser o comandante do Kashima Antlers.[4]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de março de 2013 Jorginho foi anunciado como novo treinador do Flamengo, com a missão de continuar o trabalho deixado pelo até então treinador Dorival Júnior.

Menos de um mês depois de assumir o clube, em 7 de abril, Jorginho já encararia uma eliminação, no Estadual, quando o Rubro-Negro apenas empatou com o Duque de Caxias e viu o rival Fluminense tirar suas chances de classificação à Taça Rio. Depois da partida, o treinador chamou a responsabilidade do revés para si e pediu aos jogadores que as únicas coisas que não podem faltar são "raça e paixão".[5]

Jorginho foi demitido em 6 de junho, após mal início do clube no Campeonato Brasileiro.[6]

Ponte Preta[editar | editar código-fonte]

Acertou com a Macaca no dia 25 de agosto de 2013, no lugar de Paulo César Carpegiani. Sob seu comando, a Ponte acabou sendo rebaixada para a Série B do Campeonato Brasileiro, porém conquistou o vice-campeonato da Copa Sul-Americana. Em 13 de dezembro de 2013, o clube e Jorginho anunciam que não houve acordo para a continuidade do seu trabalho.[7]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Fluminense 1 0 1 0
Goiás 20 6 4 10
Figueirense 47 21 14 12
Flamengo 14 7 4 3
Ponte Preta 30 8 10 12

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Bayer Leverkusen
Bayern Munique
Kashima Antlers
São Paulo
Vasco da Gama
Fluminense

Seleção[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Kashima Antlers

Como auxiliar-técnico[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Instituto Bola Pra Frente[editar | editar código-fonte]

Um instituto criado por Jorginho e por seu amigo: Bebeto, ele foi inaugurado em 29 de junho de 2000. Ele serve para atender crianças e adolescentes com condição social baixa, ajudando-as com a melhoria de vida pelo esporte, educação, cultura, arte e profissionalismo.

Referências

  1. Jorge de Amorim Campos (em português) Sambafoot.com. Página visitada em 20 de janeiro de 2008.
  2. GloboEsporte.com (27 de março de 2006). Jorginho será auxiliar de Oswaldo (em português) GloboEsporte.com. Página visitada em 11 de abril de 2014.
  3. HASS, Bernardo (4 de dezembro de 2011). Jorginho anuncia que deixa o Figueira e não fala sobre seu futuro (em português) GloboEsporte.com. Página visitada em 11 de abril de 2014.
  4. GloboEsporte.com (21 de dezembro de 2011). Técnico Jorginho confirma acerto com o Kashima Antlers (em português) GloboEsporte.com. Página visitada em 23 de dezembro de 2011.
  5. Pedindo paixão, Jorginho assume culpa por eliminação do Flamengo (em português) GazetaEsportiva.net (6 de abril de 2013). Página visitada em 11 de abril de 2014.
  6. MOTA, Cahê (6 de junho de 2013). Jorginho é demitido do Flamengo após derrota para o Náutico (em português) GloboEsporte.com. Página visitada em 11 de abril de 2014.
  7. DORIGATTI, Guilherme (PontePress) (13 de dezembro de 2013). Muito obrigado, Jorginho! Técnico deixa o comando da Ponte Preta e ressalta a emoção da torcida (em português) PontePreta.com. Página visitada em 11 de abril de 2014.
  8. Taça Euzébio de Andrade (em português) Flapédia.com (26 de janeiro de 2011). Página visitada em 11 de abril de 2014.
  9. Torneio Internacional de Angola (em português) Flapédia.com (28 de janeiro de 2011). Página visitada em 11 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jorge de Amorim Campos
Precedido por
Oswaldo de Oliveira
Técnico do Fluminense (interino)
2006
Sucedido por
Oswaldo de Oliveira
Precedido por
Emerson Leão
Técnico do Goiás
2010
Sucedido por
Arthur Neto
Precedido por
Márcio Goiano
Técnico do Figueirense
2011
Sucedido por
Branco
Precedido por
Oswaldo de Oliveira
Técnico do Kashima Antlers
2012
Sucedido por
Toninho Cerezo
Precedido por
Dorival Júnior
Técnico do Flamengo
2013
Sucedido por
Mano Menezes
Precedido por
Paulo César Carpegiani
Técnico da Ponte Preta
2013
Sucedido por
Sidney Moraes