Pedro Paulo de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedrinho
Informações pessoais
Nome completo Pedro Paulo de Oliveira
Data de nasc. 29 de Junho de 1977 (37 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Altura 1,68 m
Canhoto
Apelido Pedrinho
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meia
Clubes de juventude
19831997 Brasil Vasco da Gama
Clubes profissionais12
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19952000
20012005
20052006
2006
2007
2008
2008
2009
2012

2013

Brasil Vasco da Gama
Brasil Palmeiras
Arábia Saudita Al-Ittihad
Brasil Fluminense
Brasil Santos
=Emirados Árabes Unidos Al Ain
Brasil Vasco da Gama
Brasil Figueirense
Brasil Olaria

Brasil Vasco da Gama

211 0000(47)
92 0000(21)
000000(0)
9 00000(1)
29 0000(10)
0 00000(0)
8 00000(0)
5 00000(0)
13 00000(2)

1 0000(0)
368 0000(79)

Seleção nacional3
2004 Brasil Brasil 1 00000(0)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 9 de Setembro de 2011.
2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 9 de Setembro de 2011.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 9 de Setembro de 2011.

Pedro Paulo de Oliveira, mais conhecido como Pedrinho (Rio de Janeiro, 29 de Junho de 1977), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como meia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Vasco da Gama, onde iniciou no futsal aos seis anos de idade, Pedrinho foi promovido à equipe principal em 1995 junto com o seu amigo Felipe com quem conviveu em todas as categorias de futebol do clube. Começou a se destacar no Campeonato Brasileiro de 1997, e formou ao lado de Ramon e Juninho Pernambucano um meio-campo ofensivo que criava jogadas para a dupla de ataque Evair e Edmundo.

Viveu o melhor momento de sua carreira na campanha vitoriosa do Vasco na Copa Libertadores de 1998, sendo decisivo nas quartas-de-final onde marcou dois gols frente ao Grêmio. Após a conquista, Pedrinho foi convocado pela primeira vez à Seleção Brasileira, que enfrentaria a Iugoslávia. Porém, em 6 de setembro, dois dias antes de se apresentar, ele rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito após uma falta violentíssima de Jean Elias, durante jogo contra o Cruzeiro, em São Januário.[1] Passados sete meses de recuperação, o jogador voltou num amistoso pelo 'Expressinho', time B do Vasco, contra o Duque de Caxias, onde marcou dois gols. Contudo, dois dias depois, em outro amistoso, contra o Volta Redonda, o meia voltou a sentir o mesmo problema no joelho. Pedrinho só retornaria 11 meses depois, em fevereiro de 2000, na primeira partida da decisão do Rio-São Paulo daquele ano.

Dois meses depois envolveu-se num episódio polêmico na final da Taça Guanabara. Na comemoração do seu gol, o último na goleada de 5 a 1 sobre o Flamengo, Pedrinho foi comemorar com gestos mandando a torcida rival se calar. Pouco depois, antes de ser substituído, recebeu um passe no lado do campo e fez algumas embaixadas. A atitude irritou parte da equipe adversária. O rubro-negro Juan recebeu o cartão amarelo por tentar atingir com um carrinho o meia vascaíno logo após o lance, e alguns jogadores do Flamengo foram para cima de Pedrinho, iniciando uma confusão generalizada dentro de campo. Ainda fez parte do memorável título da Copa Mercosul de 2000 e disputou a Libertadores de 2001, na qual o time chegou às quartas-de-final.

Ao se transferir para o Palmeiras em 2001, onde estava tendo um ótimo desempenho no Campeonato Brasileiro, Pedrinho se lesionou seriamente pela terceira vez em novembro — curiosamete contra o Vasco da Gama, seu antigo clube — novamente o ligamento cruzado anterior, desta vez no joelho esquerdo. Ficou parado por oito meses.

Em outubro de 2002, a CBF divulgou que ele havia sido flagrado no antidoping em partida do mês anterior, com a substância antidepressiva bupropiona.[2] Porém, a entidade admitiu que o jogador consumia a medicação com a sua anuência. Já como titular em 2004, com gols decisivos e boas atuações, ajudou o alviverde a garantir vaga na Libertadores, um ano depois de disputar a segunda divisão.

Nesse mesmo ano, disputou a sua única partida pela Seleção Brasileira num amistoso com o Haiti.

Em 6 de março de 2005, após estar afastado desde dezembro do ano anterior devido a uma lesão no joelho, Pedrinho voltou na vitória por 3 a 1 contra o Santos, fazendo dois gols com uma grande exibição no Parque Antarctica.[3] Desafortunadamente, se machucou de novo algumas semanas depois. Pouco jogou no Brasileirão e, antes mesmo do campeonato terminar, foi negociado com o Al-Ittihad, um clube da Arábia Saudita, que disputaria o Mundial de Clubes; acabou inscrito fora do prazo e ficou de fora do torneio. Regressou ao Brasil em 2006 para defender o Fluminense, mas não teve uma boa temporada; voltou a sofrer com contusões e só disputou 18 partidas naquele ano, sendo dispensado em dezembro.

Desacreditado, Pedrinho foi contratado pelo Santos em 26 de janeiro de 2007, após passar 17 dias recuperando-se no Cepraf, onde foi descoberto e tratado um desequilíbrio em sua cintura pélvica, principal causa das constantes lesões.[4] No clube, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo — quem havia lhe convocado para a Seleção em 1998 — voltou a jogar com regularidade e em alto nível. Campeão paulista, esteve presente na campanha do time às semifinais da Libertadores. Em talvez sua melhor apresentação com a camisa alvinegra, Pedrinho marcou dois gols na goleada por 4 a 1 sobre o Cruzeiro na Vila Belmiro,[5] vitória que iniciou a reabilitação do Santos no Campeonato Brasileiro, onde foi um dos jogadores mais importantes da equipe que se classificou à Copa Libertadores de 2008 como vice-campeã.

Em 3 de janeiro de 2008, Pedrinho acertou por cinco meses com o Al Ain, dos Emirados Árabes.[6]

No mesmo ano o jogador regressou ao Brasil e para o clube onde iniciou a carreira. Em Setembro o Vasco da Gama anunciou a sua contratação para o resto do ano.[7]

Depois de seu contrato acabar, Pedrinho foi para o Figueirense, por indicação de seu amigo Edmundo. Após passagem sem muito brilho pelo clube catarinense, no dia 6 de Agosto de 2009, Pedrinho anuncia a sua decisão de encerrar a carreira como jogador, aos 32 anos de idade[8] . O principal motivo seria as constantes lesões que o perseguiram praticamante durante toda a sua carreira futebolística.

Olaria[editar | editar código-fonte]

Após dois anos longe dos gramados, em Outubro de 2011 Pedrinho anunciou o acerto com o Olaria para a disputa do Campeonato Carioca de 2012.

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Pedrinho deu adeus ao futebol no dia 13 de janeiro de 2013, quando o Vasco derrotou os holandeses do Ajax em amistoso comemorativo por 1 a 0. O jogador, na semana que antecedeu ao jogo, se emocionou ao poder participar dos preparativos ao lado do elenco cruz-maltino.[9]

Em 12 de janeiro de 2014 foi contratado para ser comentarista do programa "Jogo Aberto Rio" da BAND do Rio de Janeiro ao lado de Djalminha e Larissa Erthal.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Brasil Vasco da Gama


Brasil Palmeiras


Brasil Santos

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]