Joel Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joel Santana
Joel Santana 001.jpg
Informações pessoais
Nome completo Joel Natalino Santana
Data de nasc. 25 de dezembro de 1948 (65 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Altura 1,85 m
Apelido Papai Joel
Rei do Rio
O Cigano [1]
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1971-1980 (9 anos)
Como Treinador: 1981-presente (32 anos)
Clube atual Brasil SBT
Posição Treinador (ex-Zagueiro)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19711973
1973
19741975
19761980
Brasil Vasco da Gama
Brasil Olaria
Brasil Vasco da Gama
Brasil América-RN
0019 0000(0)
0011 0000(0)
0032 0000(0)
0044 0000(0)
Times que treinou
19811986
19861987
19871990
1990
19901992
19921993
1994
1995
1996
1997
1997
1998
1999
2000
20002001
2001
20022003
2003
2004
2004
20042005
2005
2005
2006
2007
20072008
20082009
20102011
2011
20112012
2012
2013
2013
=Emirados Árabes Unidos Al Wasl
Brasil Vasco da Gama
Arábia Saudita Al Hilal
Brasil América-RJ
Arábia Saudita Al-Nasr
Brasil Vasco da Gama
Brasil Bahia
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
Brasil Botafogo
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo
Brasil Bahia
Brasil Botafogo
Brasil Vasco da Gama
Brasil Coritiba
Brasil Vitória
Brasil Fluminense
Brasil Guarani
Brasil Internacional
Brasil Vasco da Gama
Brasil Brasiliense
Brasil Flamengo
Japão Vegalta Sendai
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
Bandeira da África do Sul África do Sul
Brasil Botafogo
Brasil Cruzeiro
Brasil Bahia
Brasil Flamengo
Brasil Bahia
Flag of Angola.svg Angola





























000038
000031
000007
Última atualização: 12 de Maio de 2013

Joel Natalino Santana (Rio de Janeiro, 25 de dezembro de 1948) é um treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuava como zagueiro. Atualmente, comanda a Seleção Angolana.

Joel é mais reconhecido por ter sido o único campeão estadual com os quatro grandes clubes cariocas (Botafogo, Fluminense, Flamengo e Vasco) e com os dois baianos (Bahia e Vitória), além de ter comandando a Seleção Sul-Africana no período de preparação para a Copa do Mundo que aconteceu no país, em 2010.

Santana nasceu e foi criado no bairro Olaria.[2] [3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Joel Santana teve uma curta carreira como jogador profissional, iniciada tarde, aos 23 anos. Atuou na posição de zagueiro pelo Vasco da Gama e América de Natal.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Joel decidiu encerrar a carreira de jogador para trabalhar como treinador por ver mais chances no futebol se ocupasse esse cargo. Foi então que em 1981 Joel assumiu o seu primeiro clube. O Al Wasl Club decidiu apostar no jovem treinador e contratou-o. Apesar de não conquistar qualquer título, Joel permaneceu no comando da equipe por cinco anos. Também conhecido como "Papai Joel", por conversar muito com seus jogadores e dar conselhos.

Em 1986 o Vasco da Gama convidou-o para retornar ao Brasil para treinar a equipe principal do clube. O convite foi aceito e Joel assumiu o seu primeiro clube brasileiro. A passagem não durou tanto quanto o seu primeiro desafio e ao fim de um ano o treinador mudou de ares mais uma vez seguindo para a Arábia Saudita para treinar o Al Hilal.

Três anos após, Joel retorna ao Brasil, agora o novo desafio é treinar o América do Rio de Janeiro. A passagem foi muito curta e no mesmo ano ele volta à Arábia Saudita.

O primeiro título[editar | editar código-fonte]

Mas em 1992 Joel volta a assumir o Vasco da Gama. Esta segunda passagem rende ao treinador o seu primeiro título, o Campeonato Carioca de Futebol de 1992 de forma invicta. Devido à conquista, ele é mantido no cargo e no ano seguinte conquista novamente o Campeonato Carioca.

A conquista baiana[editar | editar código-fonte]

Em 1994 o treinador aceita um novo desafio e assume o Bahia. Uma experiência curta de um ano, mas onde pôde conquistar o Campeonato Baiano. Em 1999 Joel voltou ao Bahia para uma nova conquista do Campeonato Baiano.

Mais uma vez carioca[editar | editar código-fonte]

Em 1995 ele volta ao Rio de Janeiro para treinar o Fluminense. O clube estava desacreditado e com poucas chances de ganhar o Campeonato Carioca. O grande favorito para a conquista era o Flamengo, que havia se reforçado com Romário. Mas contra todas as probabilidades o treinador levou o clube à final da competição contra o Flamengo e num jogo que surpreendeu a todos, o Fluminense sagrou-se campeão carioca rendendo ao treinador o seu terceiro título.

Com o título a diretoria manteve o treinador e reforçou o clube para a disputa do Campeonato Brasileiro. Joel chegou até as semi-finais, onde venceu o Santos em casa de goleada, e conseguiu a incrível proeza de ser eliminado no jogo de volta, sendo goleado.

Com três título cariocas, Joel Santana começava a ser visto como um treinador vitorioso no Rio de Janeiro. Em 1996 o Flamengo, que no ano anterior perdeu o título para Joel, contratou o treinador com o objetivo de conquistar o Campeonato Carioca. O objetivo foi alcançado e de forma invicta o treinador conquistou o seu quarto título.

Em 1997, assume o Botafogo, que era o único clube grande do Rio de Janeiro que ainda não tinha treinado e, mais uma vez, ele conquistou o título carioca. O treinador saiu durante o campeonato brasileiro, em virtude de uma grande proposta do Corinthians, onde, entretanto, não ficou por muito tempo. Foi mais uma vez contratado pelo Flamengo por seis meses em 1998. O treinador esteve de volta ao Botafogo em 1999, mas sem grande sucesso.

O primeiro título brasileiro e internacional[editar | editar código-fonte]

Joel passou a ser conhecido como o "Rei do Rio" devido às suas passagens vitoriosas e ao seus cinco títulos cariocas. Mas o treinador nunca havia conquistado um título nacional ou internacional.

Em 2000, após um desentendimento do presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, com o treinador do clube, Oswaldo de Oliveira, que culminou com a demissão do treinador, Joel Santana foi contratado para assumir o cargo. Esta passagem foi atípica e o assumiu a equipe quando esta já estava na fase final da Copa Mercosul. O treinador seguiu no clube até o final da Copa João Havelange (Campeonato brasileiro), que o Vasco venceria numa final disputada contra o São Caetano, no ano de 2001.

O treinador assim somou dois títulos inéditos à sua coleção.

De volta à Bahia[editar | editar código-fonte]

Após uma passagem rápida pelo Coritiba, ainda em 2001, foi contratado pelo Vitória, onde conquistou dois títulos baianos e um da Copa do Nordeste de 2003.

De conquistador de títulos a salvador[editar | editar código-fonte]

Joel Santana começou a ser contratado por curtos períodos não com o objetivo de conquistar um título, mas sim de recuperar uma equipe mal classificada.

Voltou ao Fluminense em 2003 e por seis meses esteve no comando da equipe. No ano seguinte treinou o Guarani e o Internacional, ambos por um curto período. No mesmo ano assumiu pela quarta vez o Vasco da Gama, para no ano seguinte ir para o Brasiliense. No mesmo ano Joel foi convidado a assumir novamente o Flamengo. O clube encontrava-se em má posição no Campeonato Brasileiro e o objetivo principal era garantir a permanência da equipe na primeira divisão. Joel tinha apenas nove jogos para comandar e atingir o objetivo. Com seis vitórias e três empates, o clube conseguiu se manter na primeira divisão. No fim da competição Joel foi para o Japão treinar o Vegalta Sendai que tinha outros objetivos, ser promovido à primeira divisão japonesa. Porém o treinador não conseguiu atingir o objetivo.

Em 2007 Joel foi convidado pelo amigo e dirigente do Fluminense, Branco, para assumir a equipe tricolor. O contrato firmado era de um ano,[4] mas a passagem foi muito curta, dois meses, e após dez jogos o treinador teve o contrato rescindido.[5]

Três meses após a dispensa do Fluminense, Joel voltou a assumir outro clube carioca, o Flamengo. O objetivo era o mesmo de há dois anos, recuperar a equipe em má posição no Campeonato Brasileiro. Desta vez o treinador assumiu a equipe com uma maior margem de manobra, tendo ainda vinte e seis jogos para disputar, e obteve uma recuperação surpreendente, levando o Flamengo da zona de rebaixamento à conquista de uma vaga para a Copa Libertadores da América 2008.[6] E no torneio de sua despedida do clube, levou o Flamengo ao título do Campeonato Carioca de 2008.

Em sua partida de despedida pelo Flamengo, no entanto, Joel não pôde evitar a derrota por 3 a 0 para o América do México no Maracanã, e a consequente eliminação da Libertadores da América 2008.

Futebol internacional[editar | editar código-fonte]

Após conquistar mais um título carioca—e após partida na qual o Flamengo viria a ser eliminado pelo América do México nas oitavas-de-final da Libertadores de 2008 --, Joel Santana saiu do Flamengo e foi comandar a seleção da África do Sul, país sede da Copa do Mundo de 2010, sob indicação do até então técnico Carlos Alberto Parreira (que, na época, afirmava aposentar-se da carreira de técnico de futebol). O cargo de técnico do Flamengo foi assumido por Caio Júnior. A passagem de Joel como treinador de seleção não durou muito: foi demitido em 19 de Outubro de 2009, após uma série de derrotas. Apesar disso, teve um ponto alto com a seleção da África do Sul: levou o país à semifinal da Copa das Confederações de 2009.

De volta ao Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Em 2010 Joel Santana foi contratado pelo Botafogo após uma goleada de 6 a 0 sofrida para o Vasco da Gama.

O treinador organizou o time, que subiu de rendimento e conquistou, em cima do mesmo Vasco da Gama, a Taça Guanabara. Em seguida, o clube alvinegro conquistou também o returno do Campeonato Carioca, a Taça Rio, em cima do Flamengo, sagrando-se campeão estadual sem a necessidade de final. Ganhou também o prêmio de melhor técnico do campeonato.

No dia 8 de dezembro de 2010, anunciou a renovação do seu contrato com o clube carioca.[7]

Mas em 22 de março, após derrota para o Vasco da Gama na Taça Rio e magoado com as vaias e críticas da torcida, Joel pediu demissão do comando do Alvinegro.

Acerto com o Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

No dia 19/06/2011, após o pedido de demissão do então treinador do Cruzeiro, Cuca, o clube mineiro confirmou o acerto com o técnico Joel Santana. Após alternar bons e maus resultados, a diretoria do Cruzeiro o demitiu em 02 de setembro de 2011 depois da derrota por 4 x 2 diante do Figueirense.[8]

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de setembro de 2011, A diretoria anunciou via twitter, que Joel seria o novo técnico do tricolor baiano. No ano de 2012, Joel continua com contrato com o Bahia até o final do ano.

No dia 1 de fevereiro de 2012, após ser confirmada a saída de Vanderlei Luxemburgo do cargo do Flamengo, ficou ainda mais intensificado que Joel voltaria ao Flamengo após os jogadores do clube terem sido informados que Joel seria o novo técnico do Flamengo.[9] Assim, no dia 2 de fevereiro, o treinador pediu demissão do Bahia para acertar seu retorno ao Flamengo.[10]

Volta ao Flamengo[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de fevereiro de 2012, após uma rápida negociação, Papai Joel acertou sua volta ao Flamengo. Essa é a quinta e pior passagem do treinador no rubro-negro carioca.[11] . Joel acabou sendo eliminado ainda na fase de grupos da Libertadores e não conseguira classificar o flamengo para as finais da Taça Rio, fazendo com que o time ficasse mais de um mês sem jogos oficiais até o inicio do Campeonato Brasileiro de 2012. Após uma derrota para o Grêmio, na 6ª rodada, do Campeonato Brasileiro de 2012, por 2x0, onde o placar foi generoso, Papai Joel disse que o Flamengo jogou bem e que poderíam cobrá-lo ao final de Dezembro, que o Flamengo seria campeão.

Após seis meses de irregularidades, incluindo a eliminação da Taça Libertadores da América, do Campeonato Carioca e uma série de péssimos resultados no Campeonato Brasileiro, Papai Joel é demitido do Flamengo em 23 de julho de 2012[12] .

Volta ao Bahia[editar | editar código-fonte]

Em 8 de Abril de 2013, Joel acerta o seu retorno ao tricolor baiano. Joel chegou com 90% de rejeição dentro da Nação Tricolor, após dar uma indireta de que o Bahia seria uma "sardinha", em 2011, e de ter menosprezado o clube quando o largou para comandar o Flamengo, em fevereiro de 2012. Na ocasião, perguntou aos jornalistas o que eles fariam se estivessem trabalhando em Salvador e recebessem um convite da britânica BBC. Mas em apenas 1 mês, no dia 13 de Maio, Joel é demitido após uma goleada humilhante para o arquirrival Vitória por 7x3 na final do Campeonato Baiano.

Como self made man[editar | editar código-fonte]

Em 2013, depois de gravar o comercial da Head & Shoulders, no qual brinca com seu inglês pouco escorreito aprendido no open english - tal produção, no entanto, seria a segunda gravada pelo treinador, que, em 2012, já havia participado de um reclame da Pepsi, Joel Santana chegou a se comparar com o ator de Hollywood Didi, ao se dizer responsável por poder levantar, com o marketing, a imagem de clubes que poderiam contratá-lo como treinador. Santana também se disse "inteligente", ao ter sabido gozar do sucesso depois de ter transformado a fala pouco hábil no idioma inglês em chamados publicitários. Afinal, como bem define o técnico, "são mais de 17 milhões de acessos no YouTube".[13]

Angola[editar | editar código-fonte]

Depois de quase 6 meses desempregado, acertou com a Seleção Angolana no dia 5 de novembro de 2013, retornando ao futebol africano depois de 4 anos.[14]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Fluminense 10 5 1 4
Flamengo 54 35 7 12
Africa do Sul 27 10 3 15
Botafogo 76 41 23 12
Cruzeiro 15 8 0 7
Bahia 14 5 3 6
Flamengo 31 17 5 9
Bahia 7 2 3 9

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Jogador[editar | editar código-fonte]

Vasco da Gama
América-RN

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

AL-Wasl FC
  • UAE League: 1982, 1983, 1985
Vasco da Gama
AL-Hilal
  • Campeonato Saudita: 1988, 1990
Bahia
Fluminense
Flamengo
Botafogo
Vitória

Referências

Precedido por
Cláudio Garcia
Nelsinho Rosa
Oswaldo de Oliveira
Geninho
Rio de Janeiro Treinador do Vasco
19861987
19921993
20002001
20042005
Sucedido por
Sebastião Lazaroni
Alcir Portella (interino)
Alcir Portella (interino)
Dário Lourenço
Precedido por
Washington Rodrigues
Paulo Autuori
Andrade
Ney Franco
Vanderlei Luxemburgo
Rio de Janeiro Treinador do Flamengo
1996
1998
2005
20072008
2012
Sucedido por
Valinhos
Toninho Barroso (interino)
Adílio
Caio Júnior
Dorival Júnior
Precedido por
Jair Pereira
Antônio Clemente
Estevam Soares
Rio de Janeiro Treinador do Botafogo
1997
2000
20102011
Sucedido por
Sebastião Rocha
Antônio Clemente
Caio Júnior
Precedido por
Ivo Wortmann
Paraná Técnico do Coritiba
2002
Sucedido por
Paulo Bonamigo
Precedido por
Lori Sandri
Rio Grande do Sul Treinador do Internacional
2004
Sucedido por
Muricy Ramalho
Precedido por
Cuca
Minas Gerais Treinador do Cruzeiro
2011
Sucedido por
Emerson Ávila
Precedido por
René Simões
Jorginho
Bahia Treinador do Bahia
20112012
2013
Sucedido por
Paulo Roberto Falcão
Cristóvão Borges
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.