Olaria Atlético Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olaria
Olaria Atlético Clube.svg
Nome Olaria Atlético Clube
Alcunhas Azulão
Azulão da Bariri
Torcedor/Adepto Olariense
Mascote Índio
Fundação 1 de julho de 1915 (99 anos)
Estádio Rua Bariri
Capacidade 5.141 pessoas* (Limitado pelo Corpo de Bombeiros)
Presidente Brasil Augusto Pinto Monteiro
Treinador Brasil Cleimar Rocha
Patrocinador Brasil Papelex
Material esportivo Brasil Trivella
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca
Ranking nacional 140º lugar, 40 pontos
Website http://www.olariaatleticoclube.com/
Kit left arm.png Kit body olaria13h.png Kit right arm.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm.png Kit body olaria13a.png Kit right arm.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Olaria Atlético Clube é uma agremiação poli-esportiva da cidade do Rio de Janeiro, localizada no bairro de Olaria e fundada em 1 de julho de 1915. Sua maior conquista é o Campeonato Brasileiro Série C de 1981, então denominada Taça de Bronze. Foi ainda vice-campeão carioca de 1933, em um dos campeonatos geridos pela então Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), certame filiado a CBD.

História[editar | editar código-fonte]

Equipe profissional do Olaria. Foto de Paulo Roberto Rodrigues
Heitor Belini, ex-presidente

O clube é homônimo do bairro carioca onde foi fundado. Seu estádio é o Mourão Vieira Filho, popularmente conhecido como Estádio da Rua Bariri, nome da rua onde está localizado. Seu uniforme oficial é composto por camisa azul, com lista horizontal branca, calção branco e meias azuis com detalhes em branco. O Olaria é conhecido, entre outros feitos, por ter sido o primeiro clube de Romário e o último de Garrincha.

Olaria Football Club, atual Olaria Atlético Clube, foi fundado a 1º de julho de 1915, na época em que o bairro era constituido por chácaras e algumas residências. Em 1920, o presidente e doutor Silvio e Silva ampliou as atividades esportivas do clube com tênis, regata e escotimo, utilizando um campo situado na Rua Filomena Nunes do, até então, Clube Japonês. Em 1922 o Olaria AC se mudou para a Rua Leopoldina Rego e posteriormente, em 1925 chegou a rua Bariri, através da doação do terreno por Dona Noemia Nunes, filha de Custódio Nunes (grande comerciante e comprador de terrenos da região leopoldinense, possuidor de um abatedouro na Fazendinha, na década de 1890-1900). Na época, o campo do clube ficou conhecido como "Alçapão da Bariri" por possuir dimensões reduzidas e uma pequena arquibancada. Os jogos eram realizados com olarienses e com funcionários do matadouro, através do Irmãos Goulart Futebol Club.

Em 1968, o Olaria AC foi o ganhador do Campeonato Estadual de Basquete Infantil numa memorável campanha. O técnico de basquete era Heleno Fonseca Lima.

Um grande momento do clube foi nos anos 1970, quando chegou a disputar o Campeonato Brasileiro. Em 1981, disputou o Campeonato Brasileiro Série C de 1981, então denominada Taça de Bronze, conquistando o título derrotando o Associação Atlética Santo Amaro, de Pernambuco, na final. O Olaria, apesar de campeão, não subiu para a série B devido a CBF ter mudado as regras de rebaixamento e classificação ao término do campeonato. [1]

Rebaixado na Primeira divisão do Campeonato Carioca em 2005, o Olaria disputou em 2006 a Segunda Divisão do mesmo, no qual não teve uma campanha muito relevante. O time conquistou ainda em 2006 uma das quatro vagas que foram abertas para a Primeira divisão do Campeonato Carioca de 2007, através de uma seletiva que foi realizada com a presença de dezesseis clubes, tendo o Olaria chegado em terceiro lugar. Contudo a justiça anulou esse certame e o clube teve de jogar a segunda divisão no ano seguinte.

Em 2007 a segunda divisão carioca levou no total cinco times para a primeira divisão, mas o Olaria não esteve entre os contemplados. Porém com um ótimo trabalho feito em sua categoria de base o Olaria AC consagrou-se vice-campeão da Copa Roberto Dinamite de juvenis do mesmo ano, que é um torneio com clubes cariocas elaborado pelo ex jogador Roberto Dinamite, tendo como destaque alguns jogadores que vieram a despontar nos anos seguintes como: Wander (Contratado em 2008 pelo Manchester United - ING); Ivan (Transferido para Associação Atlética Portuguesa-RJ no ano seguinte.) e Yago Augusto (Hoje sem clube mas um dos principais destaques da equipe juvenil no ano de 2007).

Em 2008, a quantidade de vagas para o acesso à primeira divisão estadual reduziu para dois times. O Olaria, que teve como um dos destaques do torneio naquele ano o jovem atacante Assumpção, chegou ao quadrangular final e ficou em quarto lugar atrás de Bangu Atlético Clube, Esporte Clube Tigres do Brasil e Aperibeense Futebol Clube.

Em 2009, consegue o acesso para primeira divisão do campeonato carioca, após cinco anos, perdendo o título da competição para o America FC.

Em 2011, o Olaria fez grande campanha na Taça Rio e conseguiu se classificar para as semifinais do campeonato, mas acabou sendo eliminado pelo Vasco quando foi derrotado por 1x0.

Em 2013, o Olaria fez uma péssima campanha no Campeonato Carioca, e acabou sendo rebaixado para a Segunda Divisão.

Em 2014, o Olaria foi vice-campeão da Taça Santos Dumont (1º Turno da Segunda Divisão do Campeonato Carioca), perdendo a final para o Barra Mansa F.C. O Azulão da Bariri também contratou o ex-ídolo do Botafogo, Donizete 'Pantera', para o cargo de gerente de futebol. No segundo turno, a Taça Corcovado, o Olaria somou apenas 6 pontos no grupo A (1V - 3E - 3D), ficando na penúltima colocação da chave.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Fachada da Sede do Olaria A.C.
Formação principal do Olaria nos anos 50

Principais Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
B Series Brazilian Championship Trophy.png Campeonato Brasileiro - Série C 1 1981
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Troféu Moisés Mathias de Andrade 1 2010
Rio de Janeiro Troféu Washington Rodrigues 1 2011
Rio de Janeiro Torneio Integração do Rio de Janeiro 1 1977
Rio de Janeiro Torneio Início 1 1960
Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B 2 1931 e 1983

Outras Conquistas[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Categorias de Base[editar | editar código-fonte]

Torcidas[editar | editar código-fonte]

  • Torcida Poder Azul
  • Império Olariense
  • Torcida Jovem Olaria
  • Torcida Fiel Olaria
  • Bravura Azul do Olaria (Barra-Brava, extinta)

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Cléber
Brasil Adilson Santos
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Uirá Marques Z
Brasil Lucas Coutinho Z
Brasil Vanderson Z
Brasil Ivan Z
Brasil Erick Brandão Z
Brasil Daniel Z
Brasil Robertinho Z
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Rafael Conca M
Brasil Esdras M
Brasil Nego M
Brasil Marlos M
Brasil Magno M
Brasil Cocada M
Brasil Léo Oliveira M
Brasil Lincoln M
Atacantes
Jogador
Brasil Bruno Andrade
Brasil Andrezinho
Brasil Renatinho

Jogadores destacados[editar | editar código-fonte]

Jogadores Estrangeiros[editar | editar código-fonte]

  • César Mena (2011 - Colômbia)
  • Gonzalo Gil (2011 - Argentina)
  • Nicólas Villafãne (2011 - Argentina)
  • André Ladaga (2001-03 - Azerbaijão)
  • César Lagoria (2003 - Argentina)
  • Gastón Pisani (2006 - Argentina)
  • Cristhian Ovelar (2012 - Paraguai)
  • Santiago Fernandez (2012 - Argentina)
  • Mehmet Aurélio (2001 e 2013 - Turquia)
  • Erickson Araújo - 'Eco' (1978 - Portugal)

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Publicações:

  • "Saudações Olarienses: Cartas para Michael Moore", do cronista Wagner Fonseca Lima, edições Armazém Digital (RJ), lançado em 2003.
  • "Olaria - A conquista da Taça de Bronze", de Marcelo Paes, Editora: Oficina Raquel, lançado em 2013.

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 140º
  • Pontuação: 40 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • PAES, Marcelo. Olaria - A conquista da Taça de Bronze.. Rio de Janeiro: Editora Oficina Raquel, 2013.

Referências

  1. PAES, Marcelo. Olaria - A conquista da Taça de Bronze. Rio de Janeiro: Editora Oficina Raquel, 2013.
  • Bairros do Rio - Ramos, Olaria e Penha, projeto de Silvia Fraiha e Tiza Lobo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]