Estádio Luso Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Estádio Luso-Brasileiro)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luso-Brasileiro
Estádio Luso-Brasileiro.JPG
Nomes
Nome Estádio Luso-Brasileiro
Apelido Estádio dos Ventos Uivantes
Antigos nomes Arena Petrobrás (2005)
Características
Local Rio de Janeiro, RJ
Gramado natural (108 x 78m)
Capacidade 3.718 pessoas[1]
Construção
Inauguração
Data 2 de outubro de 1965
Partida inaugural Portuguesa 0 - 2 Vasco
Primeiro gol Zezinho (Vasco)
Recordes
Público recorde 18 725 pessoas
Data recorde 23 de julho de 2005
Partida com mais público Botafogo 1 - 1 Brasiliense
Outras informações
Remodelado 2005 (provisório)
Proprietário Portuguesa-RJ
Administrador Portuguesa-RJ
Mandante Portuguesa-RJ

Estádio Luso-Brasileiro, também conhecido como Estádio da Ilha do Governador, é um estádio de futebol brasileiro pertencente a Portuguesa-RJ, localizado na Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro.

Entrada

História[editar | editar código-fonte]

O estádio foi inaugurado em 2 de outubro de 1965, na partida Portuguesa-RJ 0 a 2 Vasco, com um público de 8.565 pagantes. Os dois gols do Vasco foram marcados pelo atacante Zezinho, que curiosamente jogava antes na Portuguesa, sendo o primeiro um gol olímpico, talvez ajudado pelo vento que faz o estádio da Lusa ser conhecido como o "Estádio dos Ventos Uivantes".

Antes de se tornar estádio de futebol, o local abrigava o Jockey Club da Guanabara. A arquibancada principal, com sua imponente marquise, ainda é a original dos tempos em que o local sediava provas de turfe.


Arena Petrobrás[editar | editar código-fonte]

O Luso-Brasileiro viveu seu momento mais marcante no ano de 2005, quando uma parceria com o Botafogo, o Flamengo e a Petrobrás colocaram estruturas metálicas tubulares em todo o trecho disponível do estádio, elevando sua capacidade para 30 mil torcedores, na disputa do Campeonato Brasileiro daquele ano, uma vez que o "Maraca" encontrava-se interditado para reformas visando aos Jogos Pan-Americanos Rio 2007 e o Caio Martins desativado pela diretoria botafoguense.

Durante aquele tempo, o estádio foi denominado "Arena Petrobrás", a partir do direito de naming right. Nele foram instaladas arquibancadas tubulares e suas dependências foram reformadas, tudo numa iniciativa da Petrobrás e do Governo do Estado do Rio de Janeiro. As arquibancadas chegaram a ter capacidade para 30 mil pessoas.

Novo Projeto em 2013[editar | editar código-fonte]

Em Maio de 2013, a Portuguesa-RJ, proprietária e administradora do estádio, anunciou para a imprensa que irá modernizar e aumentar a capacidade do estádio, tornando-o em uma Arena. Hoje o estádio não tem boas condições para jogos entre equipes de grande porte, sua capacidade é de 3.718 expectadores, porém, segundo o projeto o estádio depois de modernizado e sofrerá uma ampliação, com uma capacidade para cerca de 15.130 expectadores, a obra é avaliada em aproximadamente R$ 80 milhões, o estádio ficaria durante 3 anos em obras e as mesmas serão tocadas pela FG Intermediações, que vai arcar com todo o projeto, será uma parceria entre a empresa e o clube carioca.

Como recompensa, a empresa vai ter o direito de administrar durante 25 anos o hotel de três pavimentos que será erguido na região. O projeto ainda prevê outras melhorias, como a construção de um restaurante panorâmico, e contará com tecnologias como a do telhado verde, que é uma alternativa sustentável às coberturas tradicionais. A expectativa é que, com a modernização de toda a estrutura, o estádio possa sediar diversos jogos e receber visitantes de fora da Ilha do Governador. Por conta disso, o projeto prevê um espaço que será preenchido por lojas e órgãos governamentais para atender ao público.

O novo estádio poderá será uma alternativa a mais para os clubes cariocas, que hoje, por exemplo não tem tantos estádios na capital do Rio com condições para mandar suas partidas (Hoje somente o Maracanã e Engenhão).

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.