Bonsucesso Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bonsucesso
Escudo do Bonsucesso.gif
Nome Bonsucesso Futebol Clube
Alcunhas Rubro-anil
Bonsuça / Cesso
Mascote Leão da Leopoldina
Fundação 12 de outubro de 1913 (100 anos)
Estádio Estádio Leônidas da Silva (Av. Teixeira de Castro)
Capacidade 13.000 pessoas
Presidente Brasil José Ferreira Simões
Treinador Brasil Alfredo Sampaio
Patrocinador Brasil Rio Pax
Brasil Hotel Regina
Brasil Sutil Tintas
Brasil Guaraviton
Material esportivo Brasil W A Sport
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca
Website www.bonsucessofcrj.com.br
Kit left arm bonsucesso14h.png Kit body bonsucesso14h.png Kit right arm bonsucesso14h.png
Kit shorts bonsucesso14h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm bonsucesso14a.png Kit body bonsucesso14a.png Kit right arm bonsucesso14a.png
Kit shorts bonsucesso14h.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

Bonsucesso Futebol Clube é uma tradicional agremiação esportiva da cidade do Rio de Janeiro, capital do estado do Rio de Janeiro, fundada a 12 de outubro de 1913, sendo as cores de sua camisa o azul e o vermelho.

Introdução[editar | editar código-fonte]

Bonsucesso em 2009. Foto de André Luiz Pereira Nunes

Tradicional agremiação do Rio de Janeiro, pertencente ao bairro de Bonsucesso, que lhe inspirou o nome, já foi finalista do Campeonato Carioca da 1º Divisão, em 1924, quando terminou derrotada pelo Vasco na final por 1 a 0, sagrando-se vice-campeã carioca.

Campos e Estádio[editar | editar código-fonte]

A sua primeira praça esportiva se localizava na Rua Uranos, inaugurada a 3 de fevereiro de 1918, com a partida Bonsucesso FC 3 a 4 River FC, tendo como árbitro, Máximo Martins.

Já o seu segundo campo foi na Avenida dos Democráticos, inaugurado a 3 de maio de 1927, com o jogo principal Bonsucesso 4 a 1 Olaria, e o jogo posterior, São Cristóvão AC, atual São Cristóvão FR, 4 a 2 Flamengo.

Em 1929 estreia sua nova praça de esportes para a 1ª divisão carioca da AMEA, o Campo da Estrada do Norte, que depois transformou-se em Estádio da Teixeira de Castro (Av. Teixeira de Castro) e atualmente Estádio Leônidas da Silva.

No dia 29 de junho de 1947 são inauguradas as novas arquibancadas de concreto e a nova social. O dia festivo foi marcado por dois jogos. O principal Bonsucesso 3 a 2 Madureira e o jogo posterior, Botafogo 5 a 5 Fluminense.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1919, o clube foi campeão carioca da Liga Suburbana de Futebol. É o maior título de primeira divisão do clube em gramados cariocas. A campanha foi essa: oito vitórias, cinco empates e duas derrotas.

Buscando maior projeção no cenário esportivo carioca, em 1920, o clube ingressa na liga organizadora do campeonato da "elite esportiva carioca", a LMDT. Na Liga Metropolitana de Desportos Terrestres o Bonsucesso conquistou o título carioca da segunda divisão em 1921 e chegou a final da primeira divisão em 1924 ao ser Campeão da Série B {o campeonato da 1ª divisão foi dividido em três séries e os campeões de cada série formaram o triangular final}(8).

Filiado na Associação Metropolitana de Esportes Atléticos, foi tri-campeão carioca da segunda divisão em 1926, 1927 e 1928. Em 1927, conquistou a segunda divisão de forma brilhante. Obteve todos os pontos ao vencer dez jogos consecutivos, tendo o dobro de pontos do segundo colocado.

Em 1929, foi a estreia do Bonsucesso na primeira divisão da AMEA. Obteve a sétima colocação ficando a frente do Club de Regatas do Flamengo que terminou a competição em décimo.

Em 1932, fez uma bela campanha no Torneio Preparatório com duas goleadas, uma sobre o Flamengo por 5 a 0, outra sobre o Carioca Futebol Clube por 8 a 3, e um empate em 2 a 2 com o Botafogo de Futebol e Regatas. Esse torneio foi paralisado quando o Bonsucesso liderava a Chave A, mas apesar da interrupção, os jogos não foram anulados.

Em 1933, no Campeonato Carioca, terminou a competição com o mesmo número de pontos do Club de Regatas Vasco da Gama, terceiro lugar, ficando à frente de America Football Club e Flamengo, último lugar. No mesmo ano participou do primeiro Torneio Rio-São Paulo, ficando à frente dos clubes paulistas de pequeno investimento. No Rio goleou os grandes paulistas, São Paulo Futebol Clube e Sport Club Corinthians Paulista, por 5 a 4 e 3 a 0, respectivamente.

Em 1937, integra a lista de clubes fundadores da Liga de Futebol do Rio de Janeiro (LFRJ), "liga-mãe" da atual Federação de Futebol do Rio de Janeiro.

Em 1939, sob o comando de Gradim, o Bonsucesso conquistou o seu maior título sub-20 da 1ª divisão. Foi campeão carioca da categoria juvenil, equivalente hoje à categoria júnior.

No ano de 1952 foi realizado o Torneio Extra. Foi uma bela campanha do Bonsucesso na primeira fase. Classificou-se em segundo no grupo para o quadrangular final à frente do Fluminense Football Club, Vasco da Gama, Olaria Atlético Clube e Canto do Rio Foot-Ball Club, desclassificados. No quadrangular ficou na terceira colocação. Neste ano, foi Campeão Invicto do 3º Torneio Quadrangular de Juiz de Fora.

Em 1953, participou do Torneio Jânio Quadros, em São Paulo.

Em 1954, Campeão do Torneio Triangular de Araguari.

Em 1955, fez uma bela campanha no Campeonato Carioca, conseguindo a classificação para a outra fase, terceiro turno, ficando à frente do Botafogo, que não venceu o Bonsucesso nesse campeonato e foi desclassificado. Em 1956, chegou à final do Torneio Início eliminando a Associação Atlética Portuguesa, Vasco da Gama e América. Mas caiu diante do Fluminense pelo placar de 1 a 0.

No final de década de 50 e no início da década de 60, o Bonsucesso conquistou dois títulos na Bahia. Em 1959, foi campeão do Torneio Adroaldo Ribeiro Costa. Os jogos foram realizados no antigo Estádio da Fonte Nova em Salvador. Em 1961, o Bonsucesso foi campeão do Quadrangular de Feira de Santana. Os dois torneios contaram com participações de tradicionais equipes do futebol Baiano, como Fluminense de Feira, Bahia de Feira, Leônico, Galícia e Ypiranga.

Em 1965, conquistou a 6ª colocação no Campeonato Carioca a frente do America. Na frente do Cesso, Flamengo, Bangu, Fluminense, Botafogo e Vasco.

Em 1967, participou de dois torneios realizados no Estádio Mário Filho. Venceu o Torneio Paulo Rodrigues obtendo quatro vitórias e duas derrotas e foi vice-campeão do Torneio José Trócoli, obtendo quatro vitórias e duas derrotas.

Em 1968, o Bonsucesso, quarto colocado, ficou à frente do Vasco da Gama, quinto colocado, na Taça Guanabara. Ano marcado pela vitória do Bonsucesso sobre o Flamengo por 2 a 0, no Maracanã. Neste jogo bastava um empate para o Flamengo ser campeão. Com o resultado, houve uma nova decisão do campeonato e o Botafogo foi o campeão. Também nesse ano, participou do Torneio da Cidade de Aracaju. No Campeonato Carioca conquistou a 6ª colocação junto com o Fluminense. Na frente do Cesso, Botafogo, Vasco, Flamengo, America e Bangu.

Bonsucesso campeão estadual da Série B em 2011. Foto de André Luiz Pereira Nunes

Em 1969, pela segunda vez consecutiva, o Bonsucesso, quinto colocado, ficou à frente do Vasco da Gama, sexto colocado, na Taça Guanabara. No Campeonato Carioca obteve a 6ª colocação à frente do Bangu. Na frente do Cesso, Fluminense, Flamengo, Botafogo, Vasco e America.

Em 1970, foi vice-campeão do II Torneio Otávio Pinto Guimarães com cinco vitórias, três empates e uma única derrota na final.

Em 1974, obteve a 6ª colocação no Campeonato Carioca, a frente do Bangu Atlético Clube, último colocado. Na frente do Cesso, Flamengo, Vasco, America, Botafogo e Fluminense.

Em 1975, o Bonsucesso escreveu na sua história a participação do Torneio Conde de Fenosa, na cidade espanhola da Corunha, juntamente com o Deportivo La Coruña e o River Plate da Argentina, com o grande triunfo do Bonsucesso nesse torneio tendo sido sobre o time argentino, quando o venceu por 1 a 0, gol de Oliveira, com uma grande atuação de seu goleiro, Pedrinho. O Bonsucesso terminou a competição como vice-campeão ao empatar com o Deportivo La Coruña em número de vitórias, derrotas, saldo e tiros livres na marca "penal", mas perdeu o título pela desvantagem do confronto direto, pois havia sido derrotado pelo Deportivo por 1 a 0. Jogos deste torneio: 30 de agosto de 1975; La Coruña 1 a 0 Bonsucesso (Tiros livres: La Coruña 2 a 4 Bonsucesso); 31 de agosto de 1975; Bonsucesso 1 a 0 River Plate (Tiros livres: Bonsucesso 3 a 4 River Plate); 1 de setembro de 1975; La Coruña 1 a 2 River Plate (Tiros livres: La Coruña 5 a 1 River Plate).

O clube foi campeão estadual infantil, em 1975, de foma invicta, tendo como revelação Maurício, ponta-direita que mais tarde faria o gol do título estadual do Botafogo sobre o Flamengo, em 1989, acabando com um jejum de 21 anos do clube alvinegro.

Em 1976, foi campeão do Torneio Valdir Benevento de forma invicta, com três vitórias e três empates.

Em 1978, foi vice-campeão do Torneio Integração Murilo Portugal.

Em 1980 e 1983, participou da Taça de Prata, campeonato equivalente a atual Série B do Campeonato Brasileiro.

De 1981 a 1985, o Bonsucesso oscilou entre a 1ª e 2ª divisões, conquistando dois títulos da “segundona”. Foi campeão em 1981 e 1984.

Em 1982, formando um triangular com Madureira Esporte Clube e Portuguesa, foi campeão do Torneio Incentivo Manoel Gomes da Silva.

Zeca Simões, presidente, e Fernando Meireles Filho, vice-presidente do Conselho de Beneméritos. Foto de André Luiz Pereira Nunes

Em 1983, foi um dos clubes pioneiros na introdução do futebol feminino no Rio de Janeiro. De forma invicta foi Campeão Carioca Juvenil Feminino.

Em 1993 foi o segundo colocado do Grupo B da 1ª divisão no 1º turno e ascendeu ao Grupo A no 2º turno. Sem investimentos, permaneceu com o mesmo time e voltou a cair ao término da Taça Rio.

Em 1998, na Copa Rio, participou do grupo do Fluminense e terminou a primeira fase em segundo à frente do Olaria e Campo Grande Atlético Clube. O Fluminense foi o primeiro colocado e se classificou para a outra fase.

Em 2003, foi campeão da Terceira Divisão, ficando na segunda colocação o Mesquita Futebol Clube. Ambos haviam sido rebaixados da Segunda Divisão no ano anterior.

Em 2011, após 18 anos na segundona, e depois de 27 anos do último título profissional na Segunda Divisão, retornou à elite do Campeonato Estadual, após vencer por 2 a 1, o Estácio de Sá Futebol Clube. Na última rodada, ao empatar com o Quissamã Futebol Clube, sagrou-se campeão estadual da Série B de 2011.

Em 2012, de volta à elite do Campeonato Estadual, voltou a ser rebaixado para a segunda divisão, após empatar na última rodada com o Friburguense Atlético Clube, somando ao final da Taça Guanabara e Taça Rio, 13 pontos em 15 jogos. 2 vitórias, 7 empates e 6 derrotas, ficando somente à frente do Americano Futebol Clube, de Campos, que somou 9 pontos. Foi impedido pela FFERJ de jogar em Teixeira de Castro sendo o único clube da elite, naquele ano, a não cumprir o mando de campo em seu próprio estádio. Por um ponto, o Rubro-Anil deixou a série A.

Em 2013 participou da Série B estadual e alcançou o vice-campeonato, conquistando o acesso à Série A 2014. No ano de seu centenário, o Bonsucesso foi o Campeão da Taça Santos Dumont(1º turno da competição). Na Taça Corcovado(2º turno) chegou às semifinais, mas foi eliminado. Como Campeão de turno participou do Triangular Final(3º turno)com o America/RJ(clube de maior números de pontos na 1ª fase) e a A.D. Cabofriense(Campeã da Taça Corcovado). Terminou o último turno do campeonato como vice-campeão, perdendo no critério de desempate menor número de cartões no campeonato. O jogo que definiu o acesso à Série A foi Bonsucesso 0 x 0 America na Teixeira de Castro no dia 08/09/13.

Em 2014, aos 100 anos de atividades no futebol carioca, participou da Série A estadual e alcançou o seu principal objetivo na competição: permanecer na divisão de elite para 2015.

No Bonsucesso, o grande craque Leônidas da Silva, o "Diamante Negro", marcou o primeiro gol de bicicleta da história. Outro jogador de destaque que passou pelo Bonsuça, foi o ex-lateral de Cruzeiro e Seleção Brasileira, Nelinho, que teve o Bonsucesso como o seu primeiro clube profissional.

Partidas memoráveis[editar | editar código-fonte]

No setor nacional, as mais expressivas e brilhantes vitórias foram estas:

Em 1931, no returno do campeonato, o Bonsucesso venceu o Flamengo pela elevada contagem de 6 a 2.

Em 1932, no Parque Antártica, contra o Palestra Itália, hoje Sociedade Esportiva Palmeiras, até então invicto contra equipes cariocas, o Cesso venceu por 3 a 1. Na equipe alviverde figuraram Primo, Bianco, Serafini, Ministrinho, Romeu, Amílcar, Pepe, Lara, Imperato e Gogliardo. A atuação de nossos defensores foi tão saliente que mereceu da imprensa paulista o galardão de "Esquadrão Academia" como foi conhecido por vários anos.

Em 1933, venceu o famoso esquadrão do São Paulo, no Torneio Rio-São Paulo, por 5 a 4, integrado por "astros" da categoria de Nestor, Bartô, Orozimbo, Waldemar de Brito, Frienderich, Petronilho e Hércules.

Em 1938, o Bonsucesso, depois de estar perdendo por 3 a 0, em sensacional "virada", derrotou o Flamengo por 4 a 3.

Em 1956, perdia por 4 a 0 para o Vasco da Gama, quando em brilhantíssima reação, igualou a contagem em 4 a 4.

Em 2014, pelo Campeonato Carioca, perdia por 3 x 0 para o Audax Rio e nos 25 minutos finais da partida, virou o placar para 5 x 3, sendo esta uma das reações mais monumentais já vistas.

Em âmbito internacional, o Bonsucesso figura entre os clubes brasileiros que mais atuaram no estrangeiro, visitando 46 países das Américas, Europa, África, Oriente, Ásia e Arábia, onde disputou 104 partidas, vencendo 76, empatando 16 e perdendo 12, com um saldo de 49 gols.

Bonsucesso, o Demolidor de Seleções[editar | editar código-fonte]

No âmbito internacional, o Bonsucesso ficou invicto em 26 partidas: 15 jogos, em 1961, 4 partidas em 1962 e 7 jogos em 1963, figurando com destaque entre os clubes brasileiros com currículo no exterior onde jogou perto de 200 partidas, sendo um verdadeiro demolidor de seleções.

As mais expressivas vitórias internacionais foram na Bulgária, contra a seleção búlgara por 3 a 2. Na Romênia contra o campeão, Rapid de Bucarest, por 1 a 0. Contra a Seleção Chilena, por 2 a 1, o campeão peruano, Alianza, por 2 a 0, o Guadalajara, do México, por 3 a 1, Líbano por 5 a 1, Síria, por 1 a 0, Jordânia, por 4 a 1, Líbia, por 6 a 1, Porto Rico, por 2 a 1, El Salvador, por 3 a 0, Santa Fé, da Colômbia, por 2 a 1. Em Frankfurt, na Venezuela, contra o Circuito Italiano, por 3 a 2. Na Noruega contra o Skai, por 1 a 0 e na Espanha contra o Espanyol, de Barcelona, por 2 a 1. O Club Atlético River Plate, da Argentina, por 1 a 0, em um torneio na cidade da Corunha. Possui mais de 170 partidas internacionais.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Campeonatos[editar | editar código-fonte]

Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Camp. Carioca - 1ª Divisão - Série B 1 1924
Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B 7 1921, 1926, 1927, 1928, 1981, 1984, 2011.
Rio de Janeiro Taça Santos Dumont 1 2013
Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série C 1 2003
Municipais
Competição Títulos Temporadas
Município do Rio de Janeiro Liga Suburbana de Futebol
1ª Divisão
1 1919
Município do Rio de Janeiro Liga Suburbana de Futebol
2ª Divisão
1 1918

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Município do Rio de Janeiro Taça Disciplina - Federação Metropolitana de Futebol : 1951 e 1956;
  • Município do Rio de Janeiro Taça Disciplina - Federação Carioca de Futebol : 1968;

Torneios[editar | editar código-fonte]

Interestaduais[editar | editar código-fonte]

  • Minas Gerais Torneio Quadrangular de Juiz de Fora: 1952;
  • Minas Gerais Torneio Triangular de Araguari: 1954;
  • Bahia Torneio Adroaldo Ribeiro Costa: 1959;
  • Bahia Torneio Quadrangular de Feira de Santana: 1961;

Municipais[editar | editar código-fonte]

  • Município do Rio de Janeiro Liga Municipal de Futebol: 1914;
  • Município do Rio de Janeiro Torneio Suburbano de Bonsucesso: 1915;
  • Município do Rio de Janeiro Torneio Paulo Rodrigues: 1967;
  • Município do Rio de Janeiro Torneio Valdir Benevento: 1976 (Campeão invicto);
  • Município do Rio de Janeiro Torneio Incentivo Manoel Gomes da Silva: 1982;
Atleta ostentando o uniforme principal do clube

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Outras Campanhas de Destaque[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

  • Rio de Janeiro Vice-campeão Carioca: 1924;
  • Rio de Janeiro Vice-campeão do Torneio Início Carioca: 1956;
  • Rio de Janeiro Vice-Campeão do Torneio José Trócoli: 1967.;
  • Rio de Janeiro Vice-Campeão do 2º Torneio Otávio Pinto Guimarães: 1970;
  • Rio de Janeiro Vice-Campeão do Torneio Integração Murilo Portugal: 1978;
  • Rio de Janeiro Vice-Campeão do Torneio Oduvaldo Cozzi: 1979;
  • Rio de Janeiro Vice-Campeão da Série B Estadual: 2013;

Outras Modalidades[editar | editar código-fonte]

  • Rio de Janeiro Vôleibol Masculino Carioca: Bicampeão do 1º Quadro da 2ª Divisão de 1928 e 1929;
  • Rio de Janeiro Basquetebol Masculino Carioca: Campeão do 1º e 2º Quadros da 2ª Divisão de 1932;
  • Rio de Janeiro IV Circuito Ciclístico do Distrito Federal: Campeão de 1938;
  • Rio de Janeiro Competição Ciclística Carioca de Resistência: Campeão de 1938;
  • Rio de Janeiro Futebol Feminino: Campeão Carioca Juvenil Invicto de 1983;
  • Rio de Janeiro Futsal Masculino: Campeão Carioca Liga RioFutsal Novos Talentos sub-9 de 2008;
  • Rio de Janeiro Futsal Masculino: Campeão Estadual Liga RioFutsal Novos Talentos sub-11 de 2008;
  • Rio de Janeiro Futsal Masculino: Vice-Campeão Estadual Liga RioFutsal Novos Talentos sub-13 de 2008;
  • Rio de Janeiro Futsal Masculino: Campeão Carioca Liga RioFutsal Novos Talentos sub-11 de 2009;
  • Rio de Janeiro Futsal Masculino: Campeão Carioca Liga RioFutsal Novos Talentos sub-17 de 2009;

Artilheiros

  1. China - 1935 (16 gols)
  2. Thiago Gonçalves - 2008 (18 gols)

Histórico em competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Taça de Prata

Ano Posição
1981 18º
1983 42º

Copa Rio

Ano Posição Ano Posição
1991 23º 1998
1992 24º 1999
1993 16º 2011 12º
1994 18º 2012
1995 22º 2013 14º

Torneio Início

Ano Fase Ano Fase
1919 semi-final 1950
1929 1951
1930 1952
1931 1953
1932 1954
1934 semi-final 1955
1938 1956 vice-campeão
1939 1957 semi-final
1940 1958
1941 1959
1942 1960
1943 1961
1944 1962
1945 1963
1946 1964
1947 semi-final 1965
1948 1967
1949 1977

Torneio Extra

Ano Posição
1934
1941
1952
1958

Torneio Municipal de Futebol do Rio de Janeiro

Ano Posição Ano Posição
1938 1946
1943 1947
1944 10º 1948 10º
1945 10º 1951

Taça Guanabara (Edições Independentes do Campeonato Carioca)

Ano Posição
1966
1968
1969
1970

Torneio Integração do Rio de Janeiro

Ano Posição
1975 12º
1976
1977
1978

Campeonato Carioca - 1ª Divisão

Ano Posição Ano Posição Ano Posição Ano Posição Ano Posição
1919 1º (LSF) 1941 10º 1955 1969 1985 12º
1924 2º (LMDT) 1942 10º 1956 1970 11º 1993 14º
1929 1943 10º 1957 11º 1971 2012 15º
1930 1944 10º 1958 11º 1972 2014 13º
1931 1945 1959 10º 1973
1932 1946 10º 1960 1974
1933 3º (LCF) 1947 11º 1961 11º 1975
1934 7º (LCF) 1948 1962 1976 10º
1935 4º (LCF) 1949 1963 11º 1977
1936 4º (LCF) 1950 1964 1978
1937 1951 1965 1979 12º
1938 1952 11º 1966 1980 13º
1939 1953 10º 1967 1982
1940 1954 1968 1983 11º

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Uniforme[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro uniforme era azul com golas vermelhas e calções brancos. Desde a década de 1960, o clube passou a utilizar uniforme com camisas listradas na vertical em vermelho e azul e calções brancos. Também existe a camisa toda branca com gola e mangas vermelhas.

Hino[editar | editar código-fonte]

Para a torcida rubro-anil
Palmas eu peço (clap! clap!)
Na Leopoldina em cada esquina
Quem domina é o Bonsucesso
Lá surgiu um jogador sensacional
Surgiu Leônidas, o maioral!
Quando a turma joga em casa
A linha arrasa
Que baile... Que troça!
A torcida grita em coro
Não há choro
A vitória hoje é nossa
Autor: Lamartine Babo


–== Ídolos == JOGADORES

TREINADORES

Torcidas organizadas[editar | editar código-fonte]

Atuais
  • Torcida Rubro-Anil (T.R.A);
  • Fanáticos Pelo Cesso (F.P.C);
Extintas
  • Torcida Organizada do Bonsucesso (T.O.B)
  • Força Rubro Anil (F.R.A.)
  • Mancha Rubro Anil (M.R.A.)

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 92º
  • Pontuação: 98 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  • (1) Coletânea de Dados do site www.rsssfbrasil.com.
  • (2) Acervo do Bonsucesso Futebol Clube.
  • (3) Livro Vai Dar Zebra, pelos autores Raymundo Quadros e José Resende.
  • (4) Jornal O Estado de São Paulo, edição de 10/04/2011, seção Esportes, pelo autor Silvio Barsetti.
  • (5) Jornal El Mundo Deportivo, edição de 31/08/1975, pág. 8, pelo autor J. Nolla Duran.
  • (6) Acervo do pesquisador Raymundo Quadros.
  • (7) Acervo do pesquisador George Joaquim.
  • (8) http://www.rsssfbrasil.com/tablesrz/rj1924.htm.