Müller (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Müller
Luís Antônio Corrêa da Costa (Müller) 01.jpg
Informações pessoais
Nome completo Luís Antônio Corrêa da Costa
Data de nasc. 31 de janeiro de 1966 (48 anos)
Local de nasc. Campo Grande (MS),  Brasil
Altura 1,78 m
Apelido Müller
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1984-2004 (20 anos)
Como Treinador: 2009-2011 e 2014-
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1984-1987
1988-1991
1991-1994
1995
1995-1996
1996
1997
1997-1998
1998-2001
2001
2001
2003
2003
2004
Brasil São Paulo
Itália Torino
Brasil São Paulo
Japão Kashiwa Reysol
Brasil Palmeiras
Brasil São Paulo
Itália Perugia
Brasil Santos
Brasil Cruzeiro
Brasil Corinthians
Brasil São Caetano
Brasil Tupi (MG)
Brasil Portuguesa
Brasil Ipatinga
60 (25)
65 (24)
41 (13)
24 (8)
69 (28)
20 (11)
6 (0)
27 (10)
40 (7)
13 (3)
15 (4)
0 (0)
7 (1)
0 (0)
Seleção nacional
1986-1998 Brasil Brasil 59 (12)
Times que treinou
2009
2010
2011
2014
Brasil Grêmio Maringá
Brasil Sinop
Brasil Imbituba
Brasil Grêmio Maringá

Luís Antônio Corrêa da Costa, mais conhecido como Müller (Campo Grande, 31 de janeiro de 1966), é um ex-futebolista e ex-comentarista brasileiro. Atualmente é treinador de futebol do Grêmio Maringá.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Sua carreira está identificada ao São Paulo, pelo qual foi campeão brasileiro em 1986 e em 1991, bicampeão da Libertadores em 1992 e 1993 e da Copa Intercontinental - Mundial Interclubes também em 1992 e 1993. Marcou o gol do título contra o Milan, de costas, num lance histórico para a torcida são-paulina, no finalzinho do jogo, garantindo o bicampeonato. Ainda pelo São Paulo foi campeão paulista em 1985, 1987, 1991 e 1992 e da Supercopa da Libertadores de 1993.

Müller chegou ao São Paulo em 1984, mas foi em 1985, no time do técnico Cilinho, conhecido como os Menudos do Morumbi, que ele passou a ter destaque; no período em que vestiu a camisa 7 do São Paulo tornou-se o quinto maior artilheiro da história do clube, com 158 gols. Ostentou por algum tempo uma invencibilidade em finais de campeonato que só foi quebrada com a derrota na decisão da Libertadores de 1994. Apesar de ser um dos destaques do São Paulo nos anos 1990, durante o período em que Telê Santana foi o treinador, com quem teve alguns desentendimentos. Ao ser perguntado sobre quem considera ser o melhor treinador com quem trabalhou, Müller costuma apontar Vanderlei Luxemburgo e Emerson Leão[carece de fontes?].

Teve uma passagem de algum destaque no futebol italiano, de 1988 a 1991 onde jogou pelo Torino sem conseguir, no entanto, evitar o rebaixamento de seu time; e uma passagem mais rápida e menos destacada pelo Perugia Calcio. Também militou rapidamente no futebol japonês, pelo Kashiwa Reysol.

Se destacou também em sua passagem pela Palmeiras, onde conquistou o Campeonato Paulista de 1996 e formou o badalado ataque dos 100 gols com Rivaldo, Djalminha e Luizão. Nessa última fase de sua carreira foi apelidado de "garçom", dada a frequência que deixava seus companheiros em condição de fazer gols. Voltou Para o Tricolor ainda em 1996 para a disputa do Campeonato Brasileiro, mas com pouco destaque, sendo negociado com o futebol italiano numa passagem relâmpago no Perugia e retornando ao Brasil para atuar pelo Santos em 1997, se destacando com ex-companheiros de São Paulo como Macedo, Zetti e Jamelli[carece de fontes?].

Os últimos títulos antes de se aposentar foram com o Cruzeiro: a Copa do Brasil em 2000 e a Copa Sul-Minas de 2001.

Pela seleção brasileira, disputou três Copas do Mundo: México-86, Itália-90, quando foi titular no ataque ao lado de Careca, e EUA-1994, quando foi reserva na conquista do tetracampeonato mundial. Jogou 59 partidas (3 não-oficiais) com a camisa verde-amarela e marcou 12 gols (2 em Copas).

Treinador[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o ex-atacante foi contratado como técnico daquela que já foi uma das equipes mais tradicionais equipes do interior paranaense, o Grêmio Maringá. Tal contratação faz parte de um plano que almejava levar novamente o clube a elite do futebol paranaense.[1] Não obteve sucesso e foi demitido em 8 de janeiro de 2010.[2]

Passou ainda no Sinop , time que revelou seu colega de São Paulo Rogério Ceni em 1990.[3]

No ano de 2011, assumiu o Imbituba, que disputa a Primeira Divisão do Campeonato Catarinense de Futebol.[4] [5]

Em 2014 será técnico do Grêmio Maringá que disputará a Segunda ou Terceira Divisão do Campeonato Paranaense.

Outros[editar | editar código-fonte]

Participou como comentarista no programa esportivo Apito Final, da TV Bandeirantes, ao lado de Luciano do Valle, durante a Copa do Mundo de 2006; exerceu a função também no canal de TV a cabo SporTV. Apresentou uma passagem sem grande destaque pelo Santo André, no cargo de diretor-executivo do clube, onde era responsável pelas categorias de base e do futebol profissional. Foi recontratado em 2011 pelo SporTV para as transmissões da Série B do brasileirão. Aos 45 anos, o ex-jogador recentemente veio a público admitir que atravessa dificuldades financeiras por ter perdido tudo que acumulara ao longo de duas décadas no futebol. Porém, essa situação foi logo superada com seu emprego no SporTV e a imensa quantidade de eventos que realiza[carece de fontes?].

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Palmeiras
Cruzeiro
Brasil

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Bola de Prata (Revista Placar): 1997
  • Melhor jogador da liga Calcio (Campeonato italiano): 1989
  • Melhor jogador do Mundial de Clubes (Copa intercontinental): 1993
  • Melhor atacante da América (El País): 1994

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]