Givanildo Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Givanildo Oliveira
Informações pessoais
Nome completo Givanildo José de Oliveira
Data de nasc. 8 de Agosto de 1948 (65 anos)
Local de nasc. Olinda (PE),  Brasil
Apelido Rei de Pernambuco
Rei do acesso
Informações profissionais
Posição Treinador (ex-Volante)
Clubes de juventude
1967–1969 Brasil Santa Cruz
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1969–1976
1976–1977
1977–1979
1980
1980–1984
Brasil Santa Cruz
Brasil Corinthians
Brasil Santa Cruz
Brasil Fluminense
Brasil Sport
0119 0000(2)
0021 0000(1)
0060 0000(1)
0017 0000(0)
0035 0000(0)
Seleção nacional
1976–1977 Brasil Brasil 0013 0000(0)
Times que treinou
1983–1984
1984
1984–1985
1985–1986
1986–1987
1987–1988
1989–1990
1990–1991
1991–1992
1993
1993
1993–1994
1994–1995
1995
1995–1996
1997–1998
1998–1999
2000–2002
2002–2003
2003
2003–2004
2004
2004
2004
2004–2006
2006
2006
2006
2007
2007
2008–2009
2009
2009
2009–2010
2010
2010
2011
2011–2012
2012
2012–2013
2013–
Brasil Sport
Brasil Confiança
Brasil Central
Brasil ABC
Brasil CRB
Brasil Paysandu
Brasil Santa Cruz
Brasil CSA
Brasil Sport
Brasil Bragantino
Brasil Ponte Preta
Brasil Remo
Brasil Sport
Brasil Guarani
Brasil Bahia
Brasil América Mineiro
Brasil Santa Cruz
Brasil Paysandu
Brasil Náutico
Brasil Remo
Brasil Paysandu
Brasil Fortaleza
Brasil Paysandu
Brasil Remo
Brasil Santa Cruz
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Sport
Brasil Santa Cruz
Brasil Vitória
Brasil Brasiliense
Brasil Vila Nova
Brasil Mogi Mirim
Brasil América Mineiro
Brasil Sport
Brasil Santa Cruz
Brasil Ponte Preta
Brasil Remo
Brasil América Mineiro
Brasil Paysandu
Brasil ABC
Brasil Paysandu

Givanildo José de Oliveira, mais conhecido apenas como Givanildo Oliveira (Olinda, 8 de agosto de 1948) é um ex-futebolista e atual treinador de futebol brasileiro, que atuava como volante. Atualmente, está sem clube.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Como jogador de futebol, era um volante rápido, com grande movimentação em campo e de passe extremamente preciso. Começou no Santa Cruz, pelo qual foi pentacampeão pernambucano (1969-1973) e depois bicampeão entre 1978-79. Foi um dos principais jogadores do Corinthiansque conquistou o Campeonato Paulista de Futebol de 1977. Jogou também no Fluminense (campeão carioca em 1980) e fez 13 partidas pela Seleção Brasileira de Futebol.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Como técnico, dirige principalmente equipes do norte-nordeste do país, com repetidas passagens por Sport, Santa Cruz, Remo e Paysandu. No Santa Cruz, o técnico mantém a marca histórica de 45 jogos de invencibilidade no Estádio do Arruda. Na temporada de 1997, comandou o América Mineiro na conquista do Campeonato Brasileiro da Série B. No Paysandu, foi homenageado tendo o seu nome posto no Centro de Treinamento do clube, por ter comandado o clube na vitoriosa campanha da Copa dos Campeões de 2002, que credenciou o Papão à Copa Libertadores da América de 2003, feito inédito até hoje entre times da Região Norte.

Em abril de 2009, foi contratado pelo América-MG para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C.[1]

Em novembro de 2009, foi contratado pelo Sport para tentar levar o clube de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Em 2010, levou o mesmo Sport ao título de pentacampeão pernambucano. Nesse mesmo ano, no dia 25 de maio de 2010, saiu do Leão.

No dia 19 de julho de 2010, Givanildo acerta sua 4ª ida ao Santa Cruz para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro.

Após 17 anos, Givanildo é anunciado novamente como técnico da Ponte Preta, após demissão de Jorginho e fracasso na Serie B do Brasileiro.

Na noite de segunda-feira, 16 de maio de 2011, Paulo Comelli é demitido do Remo, e Givanildo Oliveira é anunciado como técnico do clube, para o restante do Parazão 2011. Pelo Leão Azul o técnico conquistou os títulos paraenses de 1993 e 1994, as primeiras conquistas do histórico pentacampeonato conquistado pelo clube na década de 1990.

Em agosto de 2011, Givanildo foi contratado novamente pelo América-MG.[2] No jogo de estreia sob o comando do novo treinador, o time mineiro venceu o Fluminense por 3 a 0, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.[3] Em 2012, comandou o Paysandu na Série C.[4] E atualmente, pela segunda, vez dirige o ABC.[5]

No dia 2 de junho de 2013, foi anunciado novamente como técnico do Paysandu, essa será a sétima passagem de Givanildo pelo Papão.[6] Após um má desempenho com a equipe, em 28 de julho foi demitido.

O Rei do acesso[editar | editar código-fonte]

É considerado "O Rei do acesso", por ter comandado várias equipes a subir de divisão:

  • Para a Série A com o América-MG (1997).
  • Para a Série A com o Paysandu (2001).
  • Para a Série A com o Santa Cruz (2005).
  • Para a Série A com o Sport (2006).
  • Para a Série B com o América-MG (2009).

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Santa Cruz
Corinthians
Fluminense
Sport

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Paysandu
Clube do Remo
CSA
Sport
América-MG
Santa Cruz
Vitória

Referências

Precedido por
Vágner Benazzi
Pernambuco Técnico do Náutico
2002-2003
Sucedido por
Heriberto da Cunha
Precedido por
Mauro Fernandes
Bahia Técnico do Vitória
2007
Sucedido por
Marco Aurélio
Precedido por
Ademir Fonseca
Rio Grande do Norte Técnico do ABC
2012-2013
Sucedido por
Paulo Porto
Precedido por
Lecheva
Pará Técnico do Paysandu
2013
Sucedido por
Arturzinho