Philip K. Dick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philip K. Dick
Nome completo Philip Kindred Dick
Outros nomes PKD
Nascimento 16 de dezembro de 1928
Chicago, Illinois,  Estados Unidos
Morte 2 de março de 1982 (53 anos)
Santa Ana, Califórnia,  Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos americano
Cônjuge Jeanette Marlin (1948)
Kleo Apostolides (1950-59)
Anne Rubinstein (1959-65)
Nancy Hackett (1966-72)
Leslie Busby (1973-77)
Ocupação escritor
Influenciados
Principais trabalhos Do Androids Dream of Electric Sheep?
Gênero literário Ficção científica
Página oficial
www.philipkdick.com/
Assinatura
Philip K Dick signature.svg

Philip Kindred Dick (Chicago, Estados Unidos, 16 de Dezembro de 1928Santa Ana, Estados Unidos, 2 de Março de 1982), também conhecido pelas iniciais PKD, foi um escritor americano de ficção científica que alterou profundamente este género literário. Apesar de ter tido pouco reconhecimento em vida, a adaptação de várias das suas novelas ao cinema acabou por tornar a sua obra conhecida de um vasto público, sendo aclamado tanto pelo público como pela crítica.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de um funcionário do governo federal, a sua irmã gémea morreu quase à nascença. Os seus pais divorciaram-se quando Philip contava quatro anos de idade. Acompanhou a mãe na sua mudança para a Califórnia, onde estudou, ingressando na Escola Secundária de Berkeley, onde permaneceu até 1945. Matriculou-se então na Universidade da Califórnia, onde estudou Filosofia e Alemão, abandonando o curso para trabalhar como um DJ numa emissora de rádio, mantendo, ao mesmo tempo, uma loja discográfica.

Começou a escrever nesta época, publicando o seu primeiro conto de ficção científica na revista Planet Stories. Chegou a terminar alguns romances de índole autobiográfica, mas não conseguiu encontrar quem os editasse. Decidiu portanto dedicar-se inteiramente à ficção científica, convicto de que este género poderia melhor abarcar as suas especulações filosóficas.

A sua primeira obra publicada foi Solar Lottery de 1955. A acção da obra decorria no século XXIII, num tempo em que a democracia como forma de eleição foi substituída por uma sistema de loteria que decide as funções dos indivíduos na sociedade. No entanto, vem-se a descobrir que a sorte está viciada. Após o aparecimento de obras como Eye In The Sky de 1956, Dr Futurity de 1960 e Vulcan's Hammer de 1960, Philip K. Dick conseguiu ser reconhecido como escritor, sobretudo com a publicação de The Man In The High Castle (O Homem do Castelo Alto) de 1962. O romance recriava um mundo em que a Alemanha e o Japão haviam vencido a Segunda Guerra Mundial.

Por ter mantido relações com o partido Comunista dos Estados Unidos, o escritor foi alvo de cuidadosas investigações por parte do FBI e dos serviços secretos da Força Aérea dos EUA. A visão quase paranóica da realidade que Dick demonstrou em muitos dos seus trabalhos não seria portanto de todo infundada.

Inspirando-se em ideias do Budismo, Cabalismo, Gnosticismo e outras doutrinas herméticas, e combinando-as com certos aspectos das novas crenças na parapsicologia, extraterrestres e percepção extra-sensorial, o autor criou mundos alternativos nos quais acabou eventualmente por julgar viver. O autor acreditava ter sido contactado, em março de 1974, por uma "mente racional transcendental", o que ele julgava ser uma teofania. Detalhes sobre este evento são detalhados no romance Valis, publicado em 1978.

PKD explorou em muitas das suas obras temas como a realidade e a humanidade, utilizando normalmente como personagens pessoas comuns e não os normais heróis galácticos de outras obras do género. Precursor do género cyberpunk, o seu livro Do Androids Dream of Electric Sheep? inspirou o filme Blade Runner que, já perto da sua morte por um AVC (Acidente Vascular Cerebral), serviu como introdução a Hollywood e levou a que outras obras suas fossem adaptadas ao cinema.

Os filmes Minority Report / PT: Relatório Minoritário/ BR: Minority Report: A Nova Lei (com Tom Cruise), Total Recall / O Vingador do Futuro (com Arnold Schwarzenegger), Screamers / BR: Assassinos Cibernéticos com Peter Weller, O Pagamento / Pago para Esquecer (com Ben Affleck), Impostor,Next / Next - Sem Alternativa / O Vidente (com Nicolas Cage), A Scanner Darkly, (com Keanu Reeves) The Adjustment Bureau / BR: Os Agentes do Destino (com Matt Damon) também são baseados em novelas ou contos de Dick.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros de sua autoria.

A seguinte bibliografia é adaptada da entrada Philip K. Dick da versão em língua inglesa da Wikipedia, acrescentando, quando existem, os títulos das edições portuguesa (PT) ou brasileira (BR). A data que surge antes do título é a data provável de composição, a que surge entre parêntesis a da primeira edição original.

Romances[editar | editar código-fonte]

1950
Gather Yourselves Together (1994)
1952
Voices From the Street (prevista edição em 2006) (BR: Vozes da Rua)
1953
Vulcan's Hammer (1960, em versão reescrita) (PT: A Máquina de Governar)
Dr. Futurity (1960, em versão revista)
The Cosmic Puppets (1957, com pequenas revisões) (PT: Marionetas Cósmicas)
1954
Solar Lottery (1955, com pequenas revisões) (PT: Lotaria Solar)
Mary and the Giant (1987, com pequenas revisões)
The World Jones Made (1956) (PT: Passageiros para Vênus)
1955
Eye in the Sky (1957) (PT: Os Olhos no Céu, Universos Paralelos e Conflito dos mundos)
The Man Who Japed (1956) (PT: O Profanador)
1956
A Time for George Stavros (manuscrito perdido)
Pilgrim on the Hill (manuscrito perdido)
The Broken Bubble (1988)
1957
Puttering About in a Small Land (1985)
1958
Nicholas and the Higs (manuscrito perdido)
Time out of Joint (1959) (PT: O Homem mais Importante do Mundo)
In Milton Lumky Territory (1985)
1959
Confessions of a Crap Artist (1975)
1960
The Man Whose Teeth Were All Exactly Alike (1982)
Humpty Dumpty in Oakland (1986)
1961
The Man in the High Castle (1962, prémio Hugo) (PT/BR: O Homem do Castelo Alto)
1962
We Can Build You (1972)
Martian Time-Slip (1964)
1963
Dr. Bloodmoney, or How We Got Along After the Bomb (1965) (PT: Depois da Bomba e Os sobreviventes)
The Game-Players of Titan (1963) (PT: Os Jogadores de Titã)
The Simulacra (1964) (PT: O Tempo dos Simulacros)
The Crack in Space (1966, em versão revista) (PT: A Fenda no Espaço)
Now Wait for Last Year (1966) (PT: À Espera do Ano Passado)
1964
Clans of the Alphane Moon (1964) (PT: Os Clãs da Lua de Alfa)
The Three Stigmata of Palmer Eldritch (1965) (PT/BR: Os Três Estigmas de Palmer Eldritch)
The Zap Gun (1967) (PT: A Arma Impossível e A revolução dos brinquedos, BR: A Arma Impossível)
The Penultimate Truth (1964) (PT: A Penúltima Verdade)
Deus Irae com Roger Zelazny (1976, com alterações substanciais) (PT: O Deus da Fúria)
The Unteleported Man (1966 / 1983, em versão estendida / 1984, em versão reescrita e publicado como Lies, Inc.) (PT: Espaço eletrônico)
1965
The Ganymede Takeover com Ray Nelson (1967, com pequenas revisões)
Counter-Clock World (1967) (PT: Regresso ao passado)
1966
Do Androids Dream of Electric Sheep? (1968) (PT: Perigo Iminente, BR: Andróides Sonham Com Carneiros Elétricos?, mais tarde reeditado com o título Blade Runner: O Caçador de Andróides e posteriormente O Caçador de Andróides)
Nick and the Glimmung (livro para crianças) (1988)
Ubik (1969) (PT/BR: Ubik)
1968
Galactic Pot-Healer (1969)
A Maze of Death (1970) (BR: O Labirinto da Morte)
1969
Our Friends from Frolix 8 (1970)
1970
Flow My Tears, The Policeman Said (1974, com pequenas revisões) (PT: Vazio Infinito e Identidade Perdida, BR: Identidade Perdida - O Homem que Virou Ninguém)
1973
A Scanner Darkly (1977, com pequenas revisões) (PT/BR: O Homem Duplo)
1976
Radio Free Albemuth (1985)
1978
VALIS (1981) (PT: O Mistério de VALIS, BR: VALIS)
1980
The Divine Invasion (1981) (PT: A Invasão Divina)
1981
The Transmigration of Timothy Archer (1982) (PT: A Transmigração de Timothy Archer)

Contos[editar | editar código-fonte]

The Golden Man (Abril de 1954).
The Golden Man
(Abril de 1954).
Small Town (Maio de1954).
Small Town
(Maio de1954).
Adjustment Team (Setembro/Outubro de 1954).
Adjustment Team
(Setembro/Outubro de 1954).

Philip K. Dick escreveu cerca de 130 contos, alguns dos quais republicados em colectâneas. Na língua portuguesa estão publicadas as seguintes:

  • A Máquina Preservadora:
    • «The Preserving Machine» (PT/BR: «A Máquina Preservadora»)
    • «War Game» (PT: «O Jogo de Guerra», BR: «Jogo de Guerra»)
    • «If There was no Benny Cemoli» (PT: «E se Benny Cemoli não Existisse?»)
    • «Roog» (PT: «Roog»)
    • «War Veteran» (PT: «Veterano de Guerra»)
    • «Stand By» (PT: «O Melhor Lugar de Reserva»)
    • «Beyond lies the Wub» (PT: «E lá ao Fundo vivem os Wubs»)
    • «We can Remember it for You Wholesale» (PT: «Recordações por Atacado», BR: «Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável»)
    • «Captive Market» (PT: «Mercado Cativo»)
    • «Upon the Dull Earth» (PT: «Esta Triste Terra»)
    • «Retreat Syndrome» (PT: «O Síndroma da Fuga»)
    • «The Crawlers» (PT: «Os Rastejadores»)
    • «Oh, to be a Blobel!» (PT: «Oh, é tão Bom ser um Blobel!», BR: «Ah, Ser um Bolho!»)
    • «What the Dead Men say» (PT: «O que os Mortos têm para nos Dizer», BR: «O que Dizem os Mortos»)
    • «Pay the Printer» (PT: «Paguem ao Impressor»)
  • Pago para Esquecer:
    • «Paycheck» (PT: «O Pagamento»)
    • «Nanny» (PT: «Nanny»)
    • «Jon's World» (PT: «O Mundo de Jon»)
    • «Breakfast at Twilight» (PT: «Pequeno-almoço ao Sol-posto»)
    • «Small Town» (PT: «A Nova Maqueta»)
    • «The Father-Thing» (PT: «O Pai Postiço»)
    • «The Chromium Fence» (PT: «Intolerância»)
    • «Autofac» (PT: «A Rede Autofab»)
    • «The Days of Perky Pat» (PT: «Jogar para Reviver o Passado»)
    • «Stand By» (PT: «O Suplente»)
    • «A Little Something for us, Tempunauts» (PT: «Uma Condecoração Especial, por Cansaço»)
  • O Vingador do Futuro:
    • «We can Remember it for You Wholesale»
    • «The Alien Mind» (BR: «A Mente Alienígena»)
    • «Return Match» (BR: «Revanche»)
    • «Not By Its Cover» (BR: «Não Julgue pela Capa»)
    • «The Electric Ant» (PT: «A Formiga Electrica», BR: «A Formiga Elétrica»)
    • «The Little Black Box» (BR: «A Pequena Caixa Preta»)
    • «Strange Memories of Death» (BR: «Estranhas Memórias da Morte»)
    • «The Eye of the Sybil» (BR: «O Olho da Sibila»)
  • Minority Report - A Nova Lei:
    • «The Minority Report» (BR: Minority Report - A Nova Lei)
    • «War Game» (BR: «Jogo de Guerra»)
    • «What the Dead Men say» (BR: «O que Dizem os Mortos»)
    • «Oh, to be a Blobel!» (BR: «Ah, Ser um Bolho!»)
    • «We can Remember it for You Wholesale» (BR: «Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável»)
    • «Faith of Our Fathers» (BR: A Fé de Nossos Pais)
    • «The Story to End All Stories» (BR: A História que Acaba com Todas as Outras Histórias)
    • «The Electric Ant» (BR: «A Formiga Elétrica»)
    • «Second Variety» (BR: A Segunda Variedade)
    • «Impostor» (BR: O Impostor)
  • Realidades Adaptadas:
    • «We can Remember it for You Wholesale» (BR: «Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável»)
    • «Second Variety» (BR: A Segunda Variedade)
    • «Impostor» (BR: O Impostor)
    • «The Minority Report» (BR: Minority Report - A Nova Lei)
    • «Paycheck» (BR: O Pagamento)
    • «The Golden Man» (BR: O Homem Dourado)
    • «Adjustment Team» (BR: Agentes do Destino)

Adaptações ao cinema[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Philip K. Dick
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Philip K. Dick

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]