Pronome pessoal do caso reto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Pronome. (desde dezembro de 2013)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Os pronomes pessoais do caso reto exercem a função de sujeito ou predicativo do sujeito. Apresentam flexão de número, gênero (apenas na 3ª pessoa) e pessoa, sendo essa última a principal flexão porque marca a pessoa do discurso.[1]

Número Pessoa Retos
Singular Eu
Tu
Ele/ela
Plural Nós
Vós
Eles/elas

Os pronomes do caso reto são diferentes do Pronome pessoal do caso oblíquo pelo uso. Enquanto aqueles são usados somente como sujeito, esses são usados como complemento (repare que nós, vós, eles e elas podem ser tanto do caso reto quanto do oblíquo). O fato de certas construções permitirem o pronome pessoal do caso reto após preposição muitas vezes torna seu uso confuso.

  • Exemplo: Ele emprestou o livro para mim .

Nesse caso, apesar de o pronome estar após uma preposição, ele não é complemento, e sim sujeito do verbo ler. Nesse caso, deve ser usado o pronome pessoal do caso reto:

  • Exemplo: Ele emprestou o livro para eu ler.Pronome pessoal do caso reto é aquele que, na sentença, exerce a função de sujeito.

Sendo um pronome ele carrega consigo as características próprias a essa classe gramatical, ou seja, é uma palavra que pode determinar a pessoa do discurso ou substituir e/ou qualificar um nome.

Frequentemente se observa a omissão do pronome reto em Língua Portuguesa. Isso se dá porque as formas verbais marcam, através de suas desinências, as pessoas do verbo indicadas pelo pronome reto (ex.: Dormi cedo ontem; Fizemos boa viagem).

É importante conhecer algumas outras particularidades dos pronomes retos, tais como:

Outra dúvida freqüente é a contração do pronome com a preposição de quando esta rege o verbo:

  • Exemplo: Está na hora dela ir embora, já são oito horas.

Embora na linguagem coloquial,essa construção seja comum, a norma padrão recomenda que não haja a contração, visto que o pronome em questão é o sujeito da oração.

  • Exemplo: Está na hora de ela ir embora, já são oito horas.

Referências

  1. Pronome pessoal do caso reto.Acessado em 10 de setembro de 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.