Rádio Cidade (Rio de Janeiro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rádio Cidade 102.9 FM
Rádio Cidade do Rio de Janeiro Ltda.
País  Brasil
Cidade Niterói (concessão)
Frequência(s) 102,9 MHz
Sede Rio de Janeiro
Slogan O que é bom é pra sempre.
Fundação 1 de maio de 1977 (1ª fase)
10 de março de 2014
Extinção 6 de março de 2006 (1ª fase)
Fundador Sistema Jornal do Brasil
Pertence a Sistema Jornal do Brasil
Género Rock
Idioma (em português)
Prefixo ZYD 462
Cobertura Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Baixada Fluminense, Região dos Lagos, Região sul e Região Serrana
Nome(s) anterior(es) Oi FM
Rede Verão
Jovem Pan FM
Rádio 102.9
Sítio oficial Página oficial da nova Rádio Cidade
Último
Último
Rádio 102.9
Próximo
Próximo

Rádio Cidade, chamada Cidade FM ou simplesmente Cidade é uma emissora de rádio brasileira pertencente ao Sistema Jornal do Brasil  fundada em sua primeira fase em 1º de maio de 1977 e extinta em 6 de março de 2006. Após a saída da Jovem Pan Rio da frêquencia 102,9, uma grande campanha para a volta da rádio foi feita através da internet por fãs da rádio e artistas como Tico Santa Cruz, Pitty e outros. A Rádio Cidade voltou ao dial carioca no dia 10 de março de 2014, 8 anos após sua extinção.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Embora fosse canal destinado à cidade de Niterói, com o nome de Rádio Jornal Fluminense, estava sediada no Rio de Janeiro e operava na frequência de 102.9 MHz. Entrou no ar no dia 1º de maio de 1977 e seus locutores titulares foram: Jaguar, Fernando Mansur, Eládio Sandoval, Romilson Luiz, Ivan Romero, Sergio Luiz e Paulo Roberto.

A emissora é de propriedade do Sistema Jornal do Brasil, que tinha, além da Cidade, as rádios Jornal do Brasil AM 940 KHz (atual Rádio Brasil, do Sistema LBV - Legião da Boa Vontade), Jornal do Brasil FM 99.7 MHz (ainda em operação, com o nome JB FM) e FM 105, 105.1 MHz (atualmente da Igreja Universal do Reino de Deus).

Com a crise que abateu o Sistema Jornal do Brasil de Rádio, a primeira rádio a ser sacrificada foi a Rádio FM 105, a então vice-líder em audiência, uma rádio que chegou a bater a rádio do Sistema Globo de Rádio no Ibope, 98 FM por alguns meses. Logo depois foi a vez da Rádio Cidade encerrar suas atividades.

Entre 1995 e 2006, suprindo o fim em 1994 da Rádio Fluminense FM, a Maldita, Rádio de Rock que ocupava a faixa 94.9 FM, a Rádio Cidade adotou um perfil rock inspirado na conduta comercial da 89 FM de São Paulo. A princípio, a influência era só ideológica, pois não havia ainda uma parceria administrativa entre as duas. Mas ela começou a ocorrer em 2000, quando foi criada a "Rede Rock" da 89 FM, para a qual a Rádio Cidade foi escolhida para ser a afiliada do Rio, condição que durou seis anos.

Nesta fase, seus principais locutores locais eram Rhoodes Dantas, Paulo Becker e, por um breve período, Monika Venerabile, que no entanto adaptou seu estilo original na Fluminense FM numa linguagem pop nem sempre aceita pelos fãs. A rádio também retransmitiu alguns dos principais programas da 89 FM, como Pressão Total e Tarja Preta, além da adaptação local de programas como A Vez do Brasil (bandas nacionais) e Do Balacobaco.

Em 6 de março de 2006, a programação da emissora foi substituída pela rádio Oi FM, tornando-se a quarta afiliada de uma rede de estações de rádio, constituída pela maior operadora de telefonia fixa e móvel do país, a Oi (ex-Telemar)[2] . Porém, a rádio ainda operava na internet, sob nome de "Cidade Web Rock".[3]

A Cidade FM do Rio foi pioneira na formação de redes de rádio no Brasil no estilo pop eclético, com ênfase na dance music, sendo cabeça de rede da Rede Cidade nos anos 80, através da associação administrativa, e no início dos anos 90, pela transmissão via satélite, que era composta por emissoras de todo o pais. 

Segunda Fase[editar | editar código-fonte]

De março de 2012 a outubro de 2013, a 102.9 FM foi ocupada pela Jovem Pan 2 FM, após um hiato da emissora paulista. Após problemas financeiros, a Jovem Pan 2 FM deixou a 102.9 fazendo assim com que a frequência ficasse vaga[4] . Após sua saída, uma grande campanha foi feita por artistas e fãs da rádio com a "hashtag" #VoltaRádioCidadeRJ.[5]

O retorno da rádio aconteceu no dia 10 de março de 2014, retomando o perfil artístico de emissora jovem com foco no rock mais comercial e direcionado ao público jovem, durante o período como parceira da 89 FM a Rádio Rock. Nesta nova fase, a programação é independente, sem o vínculo de rede com a emissora paulista.[6] [7] [8] [9]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.