Dick Cheney

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Richard Cheney)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.
Dick Cheney
46º vice-presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Mandato 20 de janeiro de 2001
a 20 de janeiro de 2009
Presidente George W. Bush
Antecessor(a) Al Gore
Sucessor(a) Joe Biden
17º Secretário de Defesa dos Estados Unidos
Mandato 20 de março de 1989
a 20 de janeiro de 1993
Presidente George H. W. Bush
Antecessor(a) Frank Carlucci
Sucessor(a) Les Aspin
Membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos por Wyoming
Mandato 3 de janeiro de 1979
a 20 de março de 1989
Antecessor(a) Teno Roncalio
Sucessor(a) Craig L. Thomas
Chefe de Gabinete da Casa Branca
Mandato 21 de novembro de 1975
a 20 de janeiro de 1977
Presidente Gerald Ford
Antecessor(a) Donald Rumsfeld
Sucessor(a) Hamilton Jordan
Vida
Nome completo Richard Bruce Cheney
Nascimento 30 de janeiro de 1941 (73 anos)
Lincoln, Nebraska,
 Estados Unidos
Progenitores Mãe: Marjorie Lorraine Cheney
Pai: Richard Herbert Cheney
Dados pessoais
Alma mater Universidade Yale
Universidade de Wyoming
Universidade do Wisconsin-Madison
Esposa Lynne Vincent (1964–presente)
Partido Republicano
Religião Metodista
Profissão Empresário
Assinatura Assinatura de Dick Cheney

Richard Bruce "Dick" Cheney (Lincoln, 30 de Janeiro de 1941) é um político americano e empresário associado ao Partido Republicano. É casado com a escritora Lynne Cheney.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cheney foi Chefe de Gabinete da Casa Branca na década de 1970, membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pelo Wyoming entre 1979 e 1989 e Secretário da Defesa dos Estados Unidos entre 1989 e 1993. Neste último cargo é de salientar o papel que desempenhou entre 1990 e 1991 no conflito bélico desencadeado pelo Iraque devido à invasão do Kuwait. Dirigiu todos os acordos e alianças prévias à Guerra do Golfo, conseguindo que o rei Fahd da Arábia Saudita permitisse a instalação de bases militares em Daharan, e em 1992 assinou um acordo de segurança entre os Estados Unidos e o emirado do Qatar, onde instalou o comando central das tropas dos Estados Unidos estacionadas na região do Golfo Pérsico.

O Secretário Cheney recebeu a Medalha Presidencial de Liberdade outorgada pelo Presidente George H. W. Bush em 3 de julho de 1991 pelo seu papel de líder durante a Guerra do Golfo.

Vice-presidência[editar | editar código-fonte]

Como running mate de George W. Bush nas eleições de 2000, foi eleito como 46º vice-presidente dos Estados Unidos.

Cheney foi figura-chave no endurecimento da política externa americana e é considerado um dos arquitetos da guerra do Iraque - mais especificamente na elaboração dos argumentos sobre uma conexão entre o regime de Saddam Hussein e a Al-Qaeda, assim como a existência de armas de destruição em massa no Iraque. A "Guerra ao Terror" foi ideia dele. Desde 11 de setembro de 2001, tal ideia dominou as relações dos EUA com o resto do mundo e levou às invasões do Afeganistão e do Iraque - bem como à tortura, que Cheney aprovou e defendeu.[1]

As justificativas para a invasão de do Iraque em 2003 se revelaram falsas, e o escândalo do vazamento do nome de uma agente da CIA, Valerie Plame, intensificou o debate sobre a distorção de dados de inteligência e as táticas agressivas da administração Bush para abafar as vozes dos seus críticos.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Richard Cheney