São Francisco de Itabapoana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Francisco de Itabapoana
Bandeira de São Francisco de Itabapoana
Brasão de São Francisco de Itabapoana
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 18 de janeiro de 1995 (19 anos)
Gentílico sanfranciscano
Lema Energia que transforma!
Prefeito(a) Pedro Jorge Cherene Júnior[1] (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de São Francisco de Itabapoana
Localização de São Francisco de Itabapoana no Rio de Janeiro
São Francisco de Itabapoana está localizado em: Brasil
São Francisco de Itabapoana
Localização de São Francisco de Itabapoana no Brasil
21° 28' 12" S 41° 07' 08" O21° 28' 12" S 41° 07' 08" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Norte Fluminense IBGE/2008 [2]
Microrregião Campos dos Goytacazes IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Campos dos Goytacazes, São João da Barra, Mimoso do Sul (ES) e Presidente Kennedy (ES)
Distância até a capital 368 km
Características geográficas
Área 1,122 438 km² [3]
População 41 354 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade Erro de expressão: caractere " " não reconhecido hab./km²
Altitude 4 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,688 (RJ: 90º) – médio PNUD/2000 [5]
PIB R$ 368 413,947 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 797,62 IBGE/2008[6]
Página oficial

São Francisco de Itabapoana é um município da microrregião de Campos dos Goytacazes, na mesorregião do Norte Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Possui uma área de 1 111,335 quilômetros quadrados e uma população de 47 247 habitantes, segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2008. Possui o 2º pior índice de desenvolvimento humano entre os municípios do estado, atrás somente de Varre-Sai.

PARQUE EÓLICO DE Gargaú ENERGIA E TURISMO

Desde o final de 2010, está diferente a paisagem da praia de Gargaú, no município de São Francisco de Itabapoana. A grande margem de praia, protegida pela Marinha, recebeu em um longo trecho, o primeiro parque eólico da região sudeste, o Parque Eólico de Gargaú, administrado pela empresa privada Gesa – Gargaú energética S/A. A cerca de 350 quilômetros do Rio de Janeiro, a cidade no norte-fluminense de pouco mais de 42 mil habitantes, e com um território de 1254 quilômetros quadrados (o segundo maior município em extensão territorial do estado), começa a atrair um novo tipo de visitante. O Parque Eólico de Gargaú está atraindo turistas a fim de registrar as imensas torres de geração de energia que se destacam ao longe – o parque pode ser visto de São João da Barra, do outro lado do rio Paraíba do Sul, a quase 50 quilômetros de distância.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O "Itabapoana" do nome do município é uma referência ao rio Itabapoana, que banha o município.

História[editar | editar código-fonte]

O município de São Francisco de Itabapoana foi criado pela lei estadual 2 379, de 10 de janeiro de 1995.[7] [8]

O território do atual município de São Francisco de Itabapoana, quando da divisão do Brasil em capitanias hereditárias, passou a integrar a [[Capitania de São Tomé]], ou Paraíba do Sul, concedida em 1536 a Pero Góis da Silveira. Esse donatário se estabeleceu na área em 1539, escolhendo, para implantação do núcleo original, o lugar que considerou de solo fértil e abrigado do tempo e dos índios goitacás que dominavam a região. Houve um entendimento com os indígenas, possibilitando a primeira plantação de cana-de-açúcar, próxima ao Rio Itabapoana.

Após segregar com os locais, retornou a Portugal, ficando, em seu lugar, alguns portugueses, até que outra expedição comandada pelo seu filho, Gil de Góis, aqui aportou. O plantio de cana cresceu, mas também ele teve um desentendimento com as tribos dos coroados ao norte e dos goitacás ao sul, e o cultivo foi abandonado.

No ano de 1995, São Francisco de Itabapoana ganha sua autonomia face à edição da Lei 2 379, de 18 de janeiro, desmembrado-se então do município de São João da Barra e sendo instalado em 1º de janeiro de 1997.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O povo de São Francisco é hospitaleiro, cordial e simples: gosta de contar "causos" que contagiam a alma e enchem de fantasias os turistas que frequentam a região. Exemplo disso são os mistérios e lendas que o mangue de Gargaú esconde. Os pescadores contam que, num certo ponto no canal do mangue com o Rio Paraíba, uma bela moça se afogou e, até hoje, eles ouvem os seus murmúrios, surgindo, assim, a "Lenda da Moça Bonita". Muitos turistas se sentem atraídos e acabam virando moradores.

Gargaú também se destaca por suas belíssimas lagoas. A Lagoa do Comércio é ideal para a pesca ao final da tarde; já a Lagoa dos Quiosques concentra passeios de caiaques e pedalinhos; e ainda a Lagoa da Praia, ideal para esportes náuticos como jet sky, lanchas e esqui aquático. O carnaval é animado. Blocos de bois pintados desfilam pelas ruas suas belas alegorias e ricas fantasias, além de muito samba.

No outro extremo do município, encontramos a vila da Rainha, hoje conhecida como Barra do Itabapoana. Com casarões antigos às margens do rio, Barra é puro encanto e uma das opções de lazer é o cais no fim da tarde. Durante o último final de semana de julho de cada ano no distrito de Travessão de Barra, acontece o Festival do Maracujá, o evento mais tradicional do município, recebendo grande número de turistas.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O município de São Francisco de Itabapoana possui cerca de 60 quilômetros de extensão de lindas praias. Todas se caracterizam por suas ondas tranquilas e temperatura amena, convidando para um passeio em família. Também são recomendadas para cura de várias doenças devido a suas areias medicinais. Se destacam pelos atrativos naturais, fazendo com que os visitantes possam desfrutar dos mais variados cenários.

Ao sul do município, estão as praias urbanizadas, com boa infraestrutura e uma ampla rede de hotéis e pousadas. As praias de Santa Clara, Guaxindiba, Gargaú , Sonhos, Sossego e Barra do Itabapoana são as mais movimentadas, concentrando a programação de verão com shows e atividades esportivas, culturais e de lazer. Outro atrativo são as Ilhas de Lima, do Peçanha e da Convivência, que, na foz do rio Paraíba do Sul, fazem um convite ao turismo ecológico com cerca de 200 quilômetros quadrados de áreas de manguezais ricas em espécies de crustáceos, canais tipo igarapé, várias pequenas lagoas, ilhas de areias e muita vegetação nativa.

Já ao norte do município, encontra-se um litoral verde que é ideal para quem procura tranquilidade. Em perfeita harmonia com a natureza, vivem os moradores dos pequenos lugarejos circundados por paisagens rurais, vegetação de restinga, enseada belíssima e muito verde, destacando-se as praias de Tatagiba, Caçador, Guriri e Lagoa Doce.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

  • Transporte
  • Terminal Marítimo Ponto do Gargaú
  • Usina de Energia Eólica de Gargaú
  • Usina Canabrava, na divisa de São Francisco de Itabapoana e Campos dos Goytacazes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pedro Jorge Cherene Júnior UOL Eleições. Página visitada em 6 de janeiro de 2012.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. IBGE - cidades@ - Histórico - SAO FRANCISCO DE ITABAPOANA (RJ) ibge.gov.br.. Página visitada em 14 de julho de 2012.
  8. Prefeitura Municipal de São Francisco de Itabapoana - Histórico pmsfi.rj.gov.br.. Página visitada em 14 de julho de 2012.