TAAG Linhas Aéreas de Angola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TAAG logo.png
TAAG Linhas Aéreas de Angola
IATA
DT
ICAO
DTA
Indicativo de chamada
TAAG
Fundada em 1938 como DTA - Divisão dos Transportes Aéreos
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro



Frota 14 aeronaves
Destinos 30 localidades
Companhia
administradora
Governo de Angola (100%)
Sede Luanda, Angola
Pessoas importantes Teixeira da Cunha (CEO)
Sítio oficial www.taag.com
TAAG Angola Airlines Boeing 777-3M2ER no Aeroporto da Portela em Lisboa, 2 de outubro 2009. </gallery>
TAAG Angola Airlines Boeing 777-3M2ER decola no Aeroporto da Portela em Lisboa 4 de dezembro de 2012.
Agência da TAAG, Pequim.

A TAAG Linhas Aéreas de Angola, também conhecida como TAAG Angola Airlines, é a companhia aérea nacional de Angola, tendo a sua sede em Luanda. TAAG é um acrónimo para Transportes Aéreos Angolanos.[1] Atualmente a empresa atende a 17 destinos domésticos em Angola e a 25 destinos internacionais na África, na América do Sul, no Caribe, na Europa e na Ásia. É também a única companhia aérea que opera vôos regulares (diretos ou com escalas) entre a África Central e a América Latina.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A empresa foi criada em 1938 como DTA - Divisão dos Transportes Aéreos da Direcção dos Serviços de Portos, Caminhos de Ferro e Transportes de Angola. No entanto, suas operações iniciaram-se de fato em 1940, com aviões Dragon Rapide, Klemen e Leopard Moth. São assim activadas as primeiras linhas regulares entre Luanda-Moçâmedes (hoje Namibe) e Lobito, e os primeiros vôos internacionais Luanda – Ponta Negra.

Em 1948 entram em serviço os primeiros aviões Douglas DC-3. Quatorze anos mais tarde é adquirido o primeiro avião Fokker F27.

1973 - A DTA transforma-se em empresa de capital misto com a designação de TAAG – Transportes Aéreos de Angola, S.A.R.L., com capital maioritário do Governo, 30% da TAP e o restante repartido por empresas privadas. Durante esse período a TAAG explora os voos domésticos e inicia as carreiras regionais para São Tomé e Windhoek. As rotas Luanda-Lisboa e as ligações a Maputo, Beira e Salisbury (hoje Harare) servidos pela TAP.

1975 - Após a proclamação da independência nacional, são iniciadas negociações com a TAP para a participação da TAAG – como companhia aérea de bandeira – nos voos Luanda-Lisboa. Os primeiros voos Luanda-Lisboa passaram a ser operados por aviões TAP com a sigla DT das Linhas Aéreas de Angola. Nos vôos com destino Lisboa os passageiros começam a ser assistidos por pessoal de cabine da TAAG. São nomeados os primeiros angolanos para a administração da empresa.

1976 - A 3 de Março com a chegada ao país do primeiro Boeing 737 é iniciada a era do jato em Angola.

1980 - A 13 de Fevereiro é publicado no Diário da República o Decreto No 15/80 que cria a Empresa Linhas Aéreas de Angola, U.E.E., abreviadamente designada por TAAG. Com aquisição dos novos Boeing 707 inicia-se rápido crescimento da TAAG. As estatísticas são suficientemente elucidativas. Em 1977 a TAAG transporta 230.000 passageiros em voos domésticos, atingindo no ano seguinte os 795.947. Em voos internacionais o desenvolvimento da companhia passa no mesmo período para 130.838 transportados. Outros dados estatísticos são também esclarecedores: 43.095 toneladas de carga e correio transportadas num ano. As asas da TAAG voam 31.852 horas, percorrendo 18 milhões de quilómetros.

1985 - No dia 16 de junho de 1985 se iniciaram as operações para o Brasil com destino Rio de Janeiro com o equipamento Boeing 707.

1986 - A TAAG transporta um milhão de passageiros, na maioria tropas cubanos. A queda brusca dos preços do petróleo e o agravamento da situação político-militar no País exigem da empresa um esforço especial . A paralisação quase absoluta dos transportes rodoviários e ferroviários forçam a TAAG a voar entre as principais cidades com ocupações raramente abaixo dos 100% da oferta. Durante anos, a TAAG foi o único elo de ligação entre as cidades do país, o que bastante orgulha os seus cerca de 5 mil trabalhadores.

1990 - A TAAG transporta 700 mil passageiros e cerca de 60.000 toneladas de carga e correio.

1991 - São criadas duas novas empresas autónomas: A Angola - Air Charter, para voos charter de carga e passageiros e a Sociedade de Aviação Ligeira, S.A.R.L., para o serviço de táxi-aéreo e de propósito múltiplo, dedicada a voos especializados de desinfestação, combate a incêndios, etc.

1993 - Aberta a Linha de Harare, Zimbabwe.

1994 - Aberta a Linha de Joanesburgo, África do Sul.

1995 - Reabertura da Linha de Lusaka, Zâmbia.

1997 - A 8 de Julho a TAAG acquire o seu primeiro Boeing 747, a que deu o nome de "Cidade de Kuito", em homenagem ao povo mártir daquela cidade.

2006 - Em Novembro a TAAG renova a sua frota, encomenda sete novos aviões Boeing, três Boeing 777-200 e outros quatro Boeing 737-700 NG (nova geração).

2007 - A 28 de Junho um Boeing 737 da TAAG despenha-se com 78 passageiros a bordo, quando tentava aterrar no aeroporto de Mbanza Congo, confirmam-se 6 vítimas mortais, incluindo o administrador municipal de Mbanza Congo e George Vilanelo, padre católico de origem Italiana. O acidente teve lugar às 13:30 horas (hora local). 2008 - Em novembro, Conselho da Administracao da TAAG foi explusado e um novo conselho foi nomeado, em um esforço para obter a companhia aérea retirado da lista negra da União Europeia.

2009 - Inicia-se a rota Luanda-Dubai.

Incidentes[editar | editar código-fonte]

Em 28 de Junho de 2007, um Boeing 737 da TAAG despenhou-se nas proximidades do aeroporto de Mbanza Congo, na província do Zaire, com 78 pessoas a bordo, provocando a morte de seis pessoas. O avião efectuava a ligação entre Luanda e Mbanza Congo, e embateu numa casa, depois de os pilotos terem tentado efectuar uma aterragem de emergência.[2]

Em 06 de Dezembro de 2010, um Boeing 777 da TAAG com 126 passageiros a bordo, logo depois de ter descolado do Aeroporto de Lisboa perdeu diversas peças de metal de cinco por quinze centímetros de tamanho ao longo da cidade de Almada, e teve a aterrar de emergência.[3]

Proibição de voar para Europa 2007-2010[editar | editar código-fonte]

A Comissão Europeia decidiu em 3 de julho 2007 incluir a TAAG na lista negra de companhias aéreas impedidas de voar para Europa. Esta decisão implicou a suspensão de seis vôos semanais da TAAG para Lisboa.[4]

Em Julho de 2009 a TAAG Air Angola recebeu a permissão de voltar ao espaço europeu, sob a condição de usar unicamente os seus novos Boeing 777-200ER e, a partir de Outubro de 2010, os Boeing 737, e só para Lisboa.[5] Em 1 de Agosto de 2009, o primeiro vôo da TAAG partiu de Luanda para Lisboa, depois de quase dois anos de ter sido banida do espaço aéreo da UE.

Em Março de 2010 a proibição foi ainda mais aligeirada permitindo que a TAAG voasse para todos os aeroportos europeus.[6] Desde então, a TAAG pretende voar para o Aeroporto de Frankfurt ou/e para o Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle como um novo destino na sua programação.

A Manutenção de aeronaves Boeing 777-200ER é realizada pela TAP Manutenção e Engenharia Brasil S.A[7] , no Rio de Janeiro, bem como em Pequim por especialistas chineses na empresa Ameco Beijing[8] .

Frota[editar | editar código-fonte]

A frota da TAAG inclui as seguintes aeronaves (em 5 de Agosto 2014):[9]

TAAG Linhas Aéreas de Angola Frota
Aeronave Total Passageiros Rotas
Boeing 737-200 003 130 Domestico
Boeing 737-700 005 120 Domestico e Regional
Boeing 777-200ER 003 255 Longa distância
Boeing 777-300ER 003 365 Longa distância
Total 014

Em junho de 2011 a companhia aérea recebeu seu primeiro recém-adquiridas Boeing 777-300ER, de dois encomendados em setembro de 2009. TAAG se tornou a primeira operadora africano na compra e operação deste tipo de aeronaves.[10] O código do cliente para o Boeing da TAAG é M2 (por exemplo, Boeing 777-3M2ER).

Os Presidentes do Conselho de Administração[editar | editar código-fonte]

  • 1977: Roque Martins
  • 1978: Armando Manuel
  • 1979-1981: Julio de Almeida
  • 1981-1982: Germâno Gomes
  • 1982-1985: Rui Filomeno de Sa
  • 1985-1988: José Fernandes
  • 1988: Félix Manuel
  • 1988-1991: Mario Rogerio von Haff
  • 1991-1992: Antonio H. da Silva
  • 1992-2000: Miguel Costa
  • 2000-2006: Mateus Neto
  • 2006-2008: Jesus Nelson Martins
  • 2008-2013: António Luís Pimentel Araújo
  • 2013  :Joaquim Teixeira da Cunha

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.