Anexo:Tabela cronológica da Revolução Francesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tabela cronológica de alguns dos principais eventos da Revolução Francesa.


Eventos relevantes que precedem a Revolução[editar | editar código-fonte]

1740

1756

  • Início da Guerra dos Sete Anos (1756-1763) - agravamento da situação financeira do Estado francês.


1774

1776

1777

1785

1786

  • Luís XVI de França e o Estado francês estão perante a ruína financeira.
  • 26 de Setembro: tratado de comércio entre a França e a Grã-Bretanha (Tratado de Eden), abre a porta aos produtos industriais ingleses levando à falência muitos pequenos industriais e artesãos.

Fase Pré-Revolucionária[editar | editar código-fonte]

1787

1788

1789

  • 24 de Janeiro: Instabilidade geral, ocasionada pelas condições económicas, converge para a convocação dos Estados Gerais pela primeira vez, desde 1614.
  • 5 de Maio: Abertura da reunião dos Estados Gerais em Versailles.

Estados Gerais e Assembleia Constituinte[editar | editar código-fonte]

  • 17 de Junho: O Terceiro Estado proclama-se "Assembleia Nacional" - o início da Revolução política.
  • 24 de Junho: Luís Filipe II, Duque d'Orleães liderando um grupo de 47 nobres, junta-se aos revoltosos da Assembleia Nacional.
  • 27 de Junho: O rei Luís XVI aceita a demissão de Necker, seu ministro das finanças.
  • 9 de Julho: A Assembleia Nacional proclama-se "Assembleia Nacional Constituinte".
  • 12 de Julho: Início dos motins em Paris - a "jornada sinistra".
  • 14 de Julho: Tomada da Bastilha - o ínício simbólico da Revolução francesa.
  • 15 de Julho: A "jornada sinistra" estende-se aos campos, com pilhagens de igrejas, queima de colheitas, casas, etc..
  • 28 de Julho: A Assembleia Nacional institui um comité de investigação de "complots" aristocráticos.
  • 4 de Agosto: Sob proposta do visconde de Noailles e do duque de Aiguillon, a Assembleia Nacional suprime todos os privilégios das comunidades e das pessoas, as imunidades provinciais e municipais, as banalidades, e os direitos feudais.
  • 26 de Agosto - "Declaração dos direitos do Homem e do Cidadão".
  • 10-11 de Setembro: Derrota dos monárquicos - afirmação da Camara Única e rejeição do Veto Suspensivo do Rei.
  • 2 de Novembro: Nacionalização dos bens de rendimento da Igreja Católica para garantia dos assignats.

1790

  • 19 de Abril: O Estado nacionaliza e passa a administrar todos os bens da Igreja Católica.
  • Maio - Publicação dos decretos de aplicação da abolição dos direitos feudais; início do assalto e destruição dos arquivos notariais e senhoriais.
  • 12 de Julho: Constituição Civil do Clero.[1]
  • No Verão de 1790: início da organização, sob inspiração de Marat e Danton de "Les Cordeliers", que vêm a ser muito reprimidos por Lafayette em Julho de 1791.
  • 27 de Novembro: Sob proposta do protestante Barnave, a Assembleia decide que todos os eclesiásticos católicos que se mantivessem em funções teriam que jurar manter a Constituição Civil do Clero.

1791

Assembléia Legislativa[editar | editar código-fonte]

1792

A Convenção Nacional[editar | editar código-fonte]

1793

1794

1795

1797

1798

1799

Início da Era Napoleônica[editar | editar código-fonte]

Não há uma data precisa para o início da Era Napoleônica. O Golpe do 18 Brumário dissolveu o Diretório; A Constituição, seis semanas depois, dissolveu-o formalmente.

  • 1807-1809 – Invasões Napoleônicas na Espanha e em Portugal por recusarem a aderir o Bloqueio Continental
  • 1807 – Dom João VI decide transferir a corte ao Brasil após a invasão francesa à Portugal.
  • 1812 – O Czar russo, Alexandre I recusa-se a seguir com o Bloqueio em seu país.
  • 1812 – Início da Campanha da Rússia
  • 1812 – Derrota na Campanha da Rússia