Zíper

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Demonstração de um Zíper se fechando.

Um zíper (português brasileiro) ou braguilha (português europeu), também chamado no Brasil de fecho ecler e em Portugal de fecho éclair, é um fecho de correr utilizado em roupas e em artefatos de couro feito de dois cadarços com dentes metálicos, que se encaixam por ação de um cursor.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

O zíper atual é formado por dois trilhos de dentes plásticos ou metálicos, por onde corre o cursor, o qual tem aberturas em forma de um Y. Pela parte de cima passam os dois trilhos separados, lado a lado. Dentro do cursor, os dentes dos trilhos se engancham para saírem por uma saída só, juntos, pelo lado oposto pelo qual entraram.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A história do zíper ou fecho éclair começou em 1893, na Exposição Mundial de Chicago, nos EUA; onde esse objeto deslizante para fechar e abrir roupas foi apresentado pela primeira vez. Tratava-se uma versão primitiva do dispositivo, com minúsculos ganchos e argolas, desenvolvida pelo engenheiro americano Whitcomb Judson. Judson estava cansado de abrir e fechar todos os dias os cordões de seus sapatos, então teve a ideia de criar um artefato rudimentar, composto de ganchos e furos. Porém esse tipo de zíper não era muito eficiente: não fechava com facilidade e abria em horas impróprias.

Embora Whitcomb Judson tenha sido o inventor e criado uma fábrica para sua criação, ele também era obrigado a fabricar botões. O zíper só começou a se popularizar quando começou a ser usado em outras peças de roupa, que não calçados e quando foi inventada em 1912 pelo sueco-americano Gideon Sundback a versão do zíper que é conhecida hoje, com dentes que se engancham; o que tornou a o dispositivo mais prático ainda.

O zíper se difundiu por todo o mundo quando os aviadores americanos na Primeira Guerra Mundial usaram-nos para fechar seus uniformes e foi introduzido na alta costura da moda mundial quando a modista parisiense Elsa Schiaparelli começou a usá-los em suas criações nos salões franceses. O nome do zíper vem da palavra zipper, em inglês. Este nome popularizou-se somente em 1923, vindo de um funcionário da empresa americana B.F. Goodrich, em que o termo foi usado para denominar o fecho da nova linha de galochas de borracha da fábrica, chamada Zipper Boots.

Em Portugal adotou-se a expressão "fecho éclair", vinda do francês fermeture Éclair, que se refere ao nome da sociedade detentora do registo da marca, Éclair Prestil SN. Essa expressão foi utilizada durante muitos anos, por fecho éclair ser uma marca mundialmente conhecida desde sua fundação em 1946.

Logo da YKK.

Atualmente, porém, o maior produtor de zíperes do mundo está bem longe dos EUA e da Europa, onde foi inventado e difundido. Localizada no Japão, está o grupo YKK, o mais famoso do mundo por fabricar os fechos. A indústria, que foi fundada no ano de 1934 em Tóquio, possui 109 companhias pelo mundo todo, distribuídas em 71 países, dominando 45% do mercado mundial.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vestuário ou moda é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.