AESP-14

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
AESP-14
Missão
Operação Brasil INPE
Contratantes principais Brasil INPE e ITA
Tipo de missão Científico
Planeta orbitado Terra
Lançamento 10 de janeiro de 2015
Veículo de Lançamento Estados Unidos Falcon 9 v1.1
Local do Lançamento Estados Unidos Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, Flórida
Massa 1 kg
Resultado Falha
Elementos Orbitais

O AESP-14 foi o primeiro nanossatélite (CubeSat) brasileiro; foi concebido no início de 2012.[1] O Objetivo principal da missão era obter uma plataforma nacional de CubeSat 1U, ou seja, validar no espaço a plataforma desenvolvida por estudantes.[1] Foi lançado em 5 de fevereiro de 2015, mas ficou inoperante por não ter estendido a antena de transmissão como deveria. Os técnicos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica tentaram reverter o problema, mas passados 15 dias a carga da bateria do dispositivo acabou. Planejava-se que ele teria três meses de vida útil.[2] Tinha 10 centímetros cúbicos e pesava 700 gramas.[2]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Imagem feita da Estação Espacial Internacional durante o momento em que o AESP-14 é colocado no espaço.

O satélite foi lançado com sucesso ao espaço no dia 10 de janeiro de 2015, por meio de um veículo Falcon 9 v1.1 a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, EUA, juntamente com a espaçonave Dragon, que era a principal carga do foguete e que levava suprimentos para a tripulação da Estação Espacial Internacional, e outros passageiros. Ele tinha uma massa de 1 kg.[3]

O AESP-14 foi transportado para a Estação Espacial Internacional (EEI) para ser ser colocado no espaço a partir de lá. O AESP-14 foi implantado a partir da EEI, às 14:30 UTC, em 5 de fevereiro de 2015. Porém, não foi recebido nenhum sinal do satélite.[3]

Falha[editar | editar código-fonte]

O primeiro nanossatélite desenvolvido e construído integralmente no Brasil, após passar um mês em órbita, foi declarado, pela Agência Espacial Brasileira (AEB) em 4 de março de 2015, inoperante devido a uma falha no sistema de abertura de uma antena de transmissão.[4]

O AESP-14, lançado a partir da Estação Espacial Internacional no dia 5 de fevereiro do mesmo ano, deveria ter colocado em funcionamento sua antena 30 minutos depois do lançamento, procedimento necessário para o envio de dados à Terra. O equipamento, porém, não funcionou. Técnicos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), responsáveis pela operação, tentaram vários métodos para reverter o problema da antena, sem sucesso, até que a bateria do nanossatélite acabou, 15 dias depois de entrar em órbita.[5]

Referências

  1. a b «Pequenos ganham o espaço» (Website). FAPESP. Maio de 2014. Consultado em 15 de março de 2015 
  2. a b «Primeiro nanossatélite brasileiro registra falha e fica inoperante». Olhar Digital. 6 de março de 2015. Consultado em 15 de março de 2015 
  3. a b «AESP-14» (em inglês). Gunter's Space Page. Consultado em 16 de maio de 2015 
  4. «Nanossatélite brasileiro de R$ 400 mil é declarado inoperante após falha». G1. Consultado em 16 de maio de 2015 
  5. «FALHA DEIXA CUBESAT NACIONAL INOPERANTE». Agência Espacial Brasileira (AEB). Consultado em 16 de maio de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]