SACI-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SACI-1
Modelo tridimensional do satélite.
Propriedades
Massa 60 kg
Baterias Bateria de níquel cádmio
Missão
Data de lançamento 14 de outubro de 1999 às 08:16:00 UTC
Veículo de lançamento Longa Marcha 4B
Local de lançamento China LC-7, Centro de Lançamento de Taiyuan, Shanxi
Destino Falha (perda de comunicação)
Especificações orbitais
Referência orbital Órbita hélio-síncrona


O Satélite de Aplicações Científicas 1 ou SACI-1 foi um microssatélite de aplicações científicas, projetado, desenvolvido, construído e testado por técnicos, engenheiros e cientistas brasileiros trabalhando no INPE.[1]

O SACI-1 foi lançado em 14 de outubro de 1999, a partir do Centro de Lançamento de Taiyuan por intermédio de um foguete Longa Marcha 4B, como carga útil secundária no lançamento do CBERS-1.

Características[editar | editar código-fonte]

Os satélites "SACI" são compostos por uma plataforma multimissão e por um conjunto de experimentos que constitui a carga útil. Esses satélites contaram com a cooperação de diversas instituições brasileiras e estrangeiras.[2]

O satélite científico SACI-1 possui as seguintes características:[2]

Gerais[editar | editar código-fonte]

  • Formato: paralelepípedo com 60 x 40 x 40 cm
  • Massa: 60 kg
  • Órbita: heliossícrona
  • Estabilização: por rotação (6 rpm)
  • Precisão: 1 grau
  • Altitude: 750 km

Suprimento de energia[editar | editar código-fonte]

  • Células solares: Arseneto de Gálio (AsGa)
  • Dimensões: 3 painéis de 57 x 44 cm
  • Eficiência: 19%
  • Potência gerada: 150W
  • Células da Bateria de Níquel Cádmio (NiCd)
  • Voltagem: 1,4V
  • Capacidade: 4,5 Ah

Suprimento de energia[editar | editar código-fonte]

  • Taxa de telecomando: 19,2 kbps
  • Taxa de transmissão: 500 kbps
  • Antenas de bordo: 2 de transmissão e 2 de recepção, tipo Microstrip
  • Frequência de operação telemetria/telecomando: 2,250 GHz/2,028 GHz
  • Antena de recepção em Solo: 3,4 m de diâmetro

Missão[editar | editar código-fonte]

Embora o lançamento tenha transcorrido sem problemas, e a órbita pretendida atingida, o SACI-1 não chegou a entrar em operação, provavelmente devido a uma falha no sistema de controle do painel solar.[2][3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sousa, Fabiano (Setembro de 2007). «Desenvolvimento de satélites e plataformas espaciais no INPE no período 1961-2007» (PDF). INPE. Consultado em 25 de julho de 2013. 
  2. a b c Moreira, Mauricio. «Complemento do LIVRO "Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologia de Aplicação"» (PDF). CEFETES. Consultado em 25 de julho de 2013. 
  3. «O vexame do Saci». VEJA - Abril.com - Edição 1.621. 27 de outubro de 1999. Consultado em 25 de julho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]