Alê Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alê Silva
Deputada Federal por Minas Gerais
Período 1º de fevereiro de 2019 até atualidade
Dados pessoais
Nome completo Alessandra da Silva Ribeiro
Nascimento 04 de junho de 1974 (45 anos)
Petrópolis Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileira
Progenitores Mãe: Hildegard Jantsch
Pai: João Jantsch
Partido PSL (2018-presente)
Religião Cristã
Ocupação Advogada / Perita Contábil

Alessandra da Silva Ribeiro, Alê Silva (Petrópolis-RJ, 04 de julho de 1974), Deputada Federal do Vale do Aço, eleita com 48.043 votos nas eleições gerais de 07 de outubro de 2018 pelo PSL (Partido Social Liberal). Advogada e Perita Contábil por formação. É sitiante, residente em Coronel Fabriciano com sua família (esposo e filha) e muitos animais, entre eles sete cachorros, sendo que cinco foram resgatados do abandono e maus tratos que sofriam nas ruas.

Eleita logo na primeira tentativa, já que nunca antes havia concorrido a qualquer cargo público, tornando-se a primeira mulher eleita Deputada Federal da região do Vale do Aço desde 2010, tempo que não contava com uma representação na Câmara dos Deputados. Desde 1987, há 31 anos atrás, não era eleito um Deputado Federal de partido de direita fabricianense. Alê Silva foi a única Deputada Federal eleita neste pleito pelo PSL em Minas Gerais, ocupando uma vaga no Congresso Nacional.

Logo no início da campanha, Alê Silva assinou uma Escritura Pública de Compromisso, abrindo mão de todos os privilégios políticos, tão logo fosse empossada. Também renunciou ao Fundo Partidário, por acreditar que dinheiro público deve ser usado em favor da sociedade e não em campanhas políticas.[1]


Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Petrópolis-RJ, morou no bairro Meio da Serra, próximo de Majé, quando aos sete anos de idade foi adotada pelo casal de descendentes alemães, João Jantsch e sua esposa Hildegard Jantsch, depois indo morar na roça, pertencente à cidade de Rio Negrinho, Planalto Norte de Santa Catarina. Lá somente estudou até o 4º ano do ensino fundamental, não havia escola próxima de onde morava para que continuasse seus estudos, além de que seus pais não tinham condições de mantê-la na cidade para estudar. Só retornou a uma sala de aula após ter completado 16 anos.

Alê Silva é cristã de mente ativa, perspicaz, curiosa e tem por hobby a leitura. Pessoa simples e humilde que começou a trabalhar ainda muito cedo para se sustentar, Alê Silva exerceu as funções de agricultora, doméstica, operadora de caixa, projetista e secretária. Em 1995 se mudou para Ipatinga, onde cursou e se formou na Faculdade de Direito em 2000. Desde 2001 exerce a profissão de Advogada. Em 2013 formou-se em Contabilidade pela Universidade de Uberaba e passou a trabalhar também com cálculos judiciais. Também se especializou em Atuária e Políticas Públicas pela Faculdade Mauá de Brasília.


Trajetória[editar | editar código-fonte]

Alê Silva iniciou em 2013 a sua trajetória nos movimentos populares anticorrupção do Vale do Aço. Foi atuante nos movimentos ‘Vem Pra Rua Fabri’, ‘Direita Minas Ipatinga’ e ‘Avança Minas’. Também ajudou efetivamente na criação do ‘Observatório Social Paff – Patriotas in Foco Fabriciano’, um órgão de Direito Público cujo objeto principal é a fiscalização de contas públicas dos Governos Municipais, Estaduais e Federal sob orientação do Contas Abertas Nacional. Ela ainda participou ativamente dos movimentos pró-impeachment em Brasília, da desocupação do colégio Estadual Giovanini em Coronel Fabriciano em 2016, foi contra os aumentos dos próprios salários pelos vereadores de Coronel Fabriciano em 2017, pela manutenção da prisão após a condenação em 2ª Instância, e a favor da paralisação dos caminhoneiros em 2018. Também apoia as ações da Operação Lava Jato.

Em 18 de outubro de 2019, foi suspensa pelo seu partido, PSL, sob suspeita de ataques ao partido e ao presidente da sigla.[2]

Propaganda política gratuita[editar | editar código-fonte]

Para Alê Silva, devido a sua grande dimensão territorial, o Estado de Minas Gerais, apresenta regiões com características específicas e particulares, com problemas pontuais a serem solucionados, que necessitam de pessoas corajosas, honestas e comprometidas com os interesses da população, por isso, ela acredita na política diferente e ética, defendida por Jair Messias Bolsonaro, sem ‘toma-lá-dá-cá’. Alê Silva propõe implantação de ações efetivas e eficazes para o combate da insegurança que garante impunidade e liberdade para os bandidos, que por causa do medo, os cidadãos de bem são mantidos praticamente reféns em suas próprias casas. Ela acredita ainda num maior controle dos gastos dos Governos através de uma efetiva fiscalização das contas públicas. Defende ainda a importância de Matérias sobre Saúde Pública e Segurança, fazerem parte da Base Nacional Comum Curricular nas escolas, desde a primeira infância até a conclusão do ensino médio, numa linguagem própria para a idade do aluno. Alê Silva preza a preservação da família como fator fundamental para o completo desenvolvimento do ser humano e espera que a sociedade se torne mais influente nas decisões dos governantes ao determinar o futuro do país, fazer assim valer efetivamente os seus direitos.


Referências[editar | editar código-fonte]

  • «Alê Silva 1704 PSL (Deputada Federal) Minas Gerais - Eleições 2018». especiais-gazetadopovo-com-br.cdn.ampproject.org. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  • «PSL suspende 5 deputados ligados a Bolsonaro; Bibo Nunes se diz "honrado"». EXAME. Consultado em 19 de outubro de 2019