Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de CNBB)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é uma instituição permanente que reúne os Bispos católicos do Brasil que, conforme o Código de Direito Canônico, "exercem conjuntamente certas funções pastorais em favor dos fiéis do seu território, a fim de promover o maior bem que a Igreja proporciona aos homens, principalmente em formas e modalidades de apostolado devidamente adaptadas às circunstâncias de tempo e lugar, de acordo com o direito" (Cân. 447).[1][2]

Pertencem à CNBB, pelo próprio direito, todos os Bispos diocesanos do Brasil e os que são a eles equiparados pelo direito, os Bispos coadjutores, os Bispos auxiliares e os outros Bispos titulares que exercem no mesmo território algum encargo especial, confiado pela Sé Apostólica ou pela Conferência dos Bispos (cf. Cân. 450).[2]

A CNBB foi fundada em 14 de outubro de 1952, no Rio de Janeiro, então capital do Brasil.[3] A transferência da sede para Brasília aconteceu em 1977.[4]

Missão[editar | editar código-fonte]

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, segundo seu estatuto, tem por finalidade:[5]

  • aprofundar cada vez mais a comunhão dos Bispos;
  • estudar assuntos de interesse comum da Igreja no País, para melhor promover a ação pastoral orgânica;
  • deliberar em matérias de sua competência, segundo as normas do direito comum ou de mandato especial da Sé Apostólica;
  • manifestar solicitude pela Igreja Universal, através da comunhão e colaboração com a Sé Apostólica e com as outras Conferências Episcopais;
  • cuidar do relacionamento com os poderes públicos, a serviço do bem comum, ressalvado o conveniente entendimento com a Nunciatura Apostólica, no âmbito de sua competência específica.

Ações da CNBB[editar | editar código-fonte]

Campanha da Fraternidade[editar | editar código-fonte]

Anualmente, durante o período da quaresma, a CNBB lança a campanha da fraternidade. Cada edição conta com um tema diferente, normalmente relacionado a políticas públicas e justiça social.[6][7][8] O objetivo dessa campanha é conscientizar as pessoas e também pregar o evangelho.[8] Cerca de 40% dos valores arrecadados são destinados ao Fundo Nacional da Solidariedade, gerido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o qual destina os recursos, preferencialmente, aos projetos que atendem os objetivos propostos pela campanha da fraternidade, a outra parte é destinada a projetos locais das arquidioceses.[9]

Posição diante da pandemia de COVID-19[editar | editar código-fonte]

A CNBB tem defendido o distanciamento social como forma de reduzir a contaminação da doença.[10][11] Arcebispos da CNBB inclusive têm oferecido templos da igreja para servirem de hospital de campanha.[12][13] Em razão da pandemia, a realização das missas tem sido feita sem a presença dos fieis, através do meio virtual.[14]

Organização da CNBB[editar | editar código-fonte]

A Conferência Nacional do Bispos do Brasil tem a seguinte estrutura:

  • Assembleia Geral
  • Conselhos Regionais
  • Conselho Permanente
  • Comissões Episcopais
  • Presidência da CNBB
  • Conselhos Econômico e Fiscal
  • CONSEP
  • Organismos Vinculados
  • Secretariado Geral
  • Assessores Nacionais

Presidentes, vice-presidentes e secretários-gerais[editar | editar código-fonte]

Nome Período Notas
Presidentes
13º Dom Walmor Oliveira de Azevedo 2019-atual
12º Dom Sérgio Cardeal da Rocha 2015-2019
11º Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis 2011-2015
10º Dom Geraldo Lyrio Rocha 2007-2011
Dom Geraldo Majella Cardeal Agnelo 2003-2007
Dom Jayme Henrique Chemello 1998-2003
Dom Lucas Cardeal Moreira Neves, OP 1995-1998 Renunciou ao ser nomeado Prefeito da Congregação para os Bispos.
Dom Luciano Mendes de Almeida, SJ 1987-1995
Dom José Ivo Lorscheider 1979-1987
Dom Aloísio Cardeal Lorscheider, OFM 1971-1979
Dom Agnelo Cardeal Rossi 1964-1971
Dom Jaime de Barros Cardeal Câmara 1958-1964
Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Cardeal Motta 1952-1958
Vice-presidentes
Dom Frei Jaime Spengler, OFM 2019-atual
Dom Murilo Krieger, SCJ 2015-2019
Dom Frei José Belisário da Silva, OFM 2011-2015
Dom Luiz Soares Vieira 2007-2011
Dom Antônio Celso de Queiroz 2003-2007
Dom Marcelo Pinto Carvalheira 1998-2003
Dom Jayme Henrique Chemello 1995-1998
Dom Serafim Fernandes de Araújo 1991-1995
Dom Paulo Eduardo Andrade Ponte 1987-1991
Dom Benedito de Ulhôa Vieira 1983-1987
Dom Clemente José Carlos de Gouvea Isnard, OSB 1979-1983
Dom Geraldo Fernandes Bijos, CMF 1974-1979
Dom Avelar Cardeal Brandão Vilela 1971-1974
Dom Alfredo Vicente Cardeal Scherer 1968-1971
Dom Avelar Brandão Vilela 1964-1968
2º Vice-presidentes
Dom Mário Antônio da Silva 2019-atual
Secretários-gerais
Dom Joel Portella Amado 2019- atual
Dom Frei Leonardo Ulrich Steiner, OFM 2011-2019
Dom Dimas Lara Barbosa 2007-2011
Dom Odilo Pedro Scherer 2003-2007
Dom Raymundo Damasceno Assis 1995-2003
Dom Antônio Celso de Queiroz 1987-1995
Dom Luciano Mendes de Almeida, SJ 1979-1987
Dom José Ivo Lorscheider 1971-1979
Dom Aloísio Lorscheider, OFM 1968-1971
Dom José Gonçalves Costa 1964-1968
Dom Hélder Pessoa Câmara, OFS 1952-1964

Referências

  1. «Quem somos». CNBB - Site Oficial. Consultado em 8 de abril de 2020 
  2. a b «Código de Direito Canónico» (PDF). Vatican. Consultado em 8 de abril de 2020 
  3. de Almeida, Luciano Mendes (19 de outubro de 2002). «CNBB (1952 - 2002)». Folha de S.Paulo. Consultado em 8 de abril de 2020 
  4. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «CONFERENCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL (CNBB)» 
  5. danielAC (6 de maio de 2019). «Estatuto Canônico e Regimento definem as funções da presidência da CNBB» 
  6. «Campanha da Fraternidade: CNBB alerta contra indiferença e violência». 26 de fevereiro de 2020 
  7. «CNBB apresenta a Campanha da Fraternidade 2014». Época Negócios. Consultado em 8 de abril de 2020 
  8. a b «Qual é o objetivo da Campanha da Fraternidade». Canção Nova. 27 de fevereiro de 2012. Consultado em 8 de abril de 2020 
  9. «Como são investidos os recursos arrecadados na Coleta da Solidariedade - A12.com». Consultado em 8 de abril de 2020 
  10. TEMPO, O. (16 de março de 2020). «Contra coronavírus, CNBB diz que idosos e doentes não precisam ir às missas» 
  11. «'Politização' da pandemia preocupa a CNBB». Valor Econômico. 6 de abril de 2020. Consultado em 8 de abril de 2020 
  12. «Covid-19: Igreja do Brasil oferece espaços para abrigar hospitais de campanha - Vatican News». 6 de abril de 2020 
  13. «Coronavírus: Arquidiocese oferece igrejas para servirem de hospitais de campanha na Grande BH». G1. 26 de março de 2020. Consultado em 8 de abril de 2020 
  14. «Semana Santa na quarentena terá missa online e proibição de lava-pés». O Tempo (Estadão Conteúdo). Consultado em 8 de abril de 2020 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O site da CNBB:
Pronunciamentos dos Papas para com a CNBB:
João Paulo II: