Eleições presidenciais portuguesas de Abril de 1918

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eleição presidencial de Portugal de Abril de 1918
  1915 (Agosto) ← Flag of Portugal.svg → 1918 (Dezembro)
28 de Abril de 1918
Sidonio Pais.jpg
Candidato Sidónio Pais


Partido Partido Nacional Republicano


Votos 470 831
Porcentagem 91,61%


Coat of arms of Portugal.svg
Presidente de Portugal

As quartas eleições presidenciais portuguesas, primeiras eleições presidenciais directas e únicas durante a Primeira República, tiveram lugar a 28 de Abril de 1918, no mesmo dia em que tiveram lugar as eleições legislativas de 1918.

Estas eleições não correram pelo Congresso da República, como previsto pela Constituição Política Portuguesa de 1911. A 27 de Dezembro de 1917, a República Nova de Sidónio Pais decretou unilateralmente alterações à Constituição, introduzindo um regime presidencialista. Em 1918, foi estabelecido o sufrágio universal e directo para a eleição do Presidente da República, regulamentado pelo Decreto n.º 3997, de 30 de Março.[1]

Sidónio Pais é o único candidato a Presidente da República e o seu partido recém-criado, o Partido Nacional Republicano é o único partido republicano que apresenta listas para o Congresso. Os três principais partidos republicanos (Democrático, Evolucionista, e Unionista) não concorrem, e decidem-se pela abstenção.[2] Este facto gerou uma perturbação do acto eleitoral, na medida em que nenhuma das assembleias de voto pôde começar o seu funcionamento à hora regulamentar (9 horas), porquanto a lei eleitoral consignava que os cargos de presidentes e vice-presidentes das assembleias seriam exercidos por vereadores da última vereação camarária; como, neste caso, as últimas vereações eram quase exclusivamente constituída por democráticos, unionistas e evolucionistas, estes não compareceram para constituir as mesas. Os lugares vagos tiveram de ser preenchidos ad hoc, por indivíduos escolhidos entre si e, por este motivo, a votação só pôde ser iniciada por volta das 11 horas, terminando depois das 14 e das 15 horas. Por volta das 12h30, o próprio Sidónio Pais (vestido à civil, e de calça, casaca, gravata e cartola pretas, de luto pela morte recente do irmão Aureliano) apresentou-se no seu lugar de voto na 3.ª Secção de Belém (nos claustros da Casa Pia), tendo recebido "uma carinhosa manifestação pelos eleitores presentes".[2]

Conforme expectável, foi eleito para Presidente da República Sidónio Bernardino da Silva Pais, tendo sido proclamado em 9 de Maio desse mesmo ano.[3]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Candidato Partidos apoiantes 1ª Volta
Votos %
Partido Nacional Republicano Sidónio Pais 470 831
91,61 / 100,00
Votos Inválidos 43 127
8,39 / 100,00
Total 513 958
100,00 / 100,00
Eleitorado/Participação 900 000 ~
57,10 / 100,00
Fonte [4]; [5]

Gráfico[editar | editar código-fonte]

Eleição de abril de 1918 (número de votos)
Sidónio Pais
  
470 831

Referências

  1. «"Eleições Presidenciais - Eleição do Presidente da República Sidónio Pais, em 28 de Abril de 1918"». Arquivo Histórico Parlamentar. Consultado em 5 de Dezembro de 2015 
  2. a b Silva, Armando Malheiro da (2006). História de um caso político. Volume 2 - Sidónio e sidonismo 1.ª ed. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. ISBN 972-8704-54-2 
  3. «"Presidentes Anteriores - Sidónio Pais"». Página oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de Dezembro de 2015 
  4. http://www.presidencia.pt/?idc=13&idi=34 Presidência da República Portuguesa
  5. http://www.iscsp.ulisboa.pt/~cepp/eleicoes_portuguesas/1918.htm Arquivado em 8 de dezembro de 2015, no Wayback Machine. ISCSP-ULisboa