Eleições presidenciais portuguesas de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eleição presidencial de Portugal de 2016
  2011 ← Flag of Portugal.svg → 2021
24 de janeiro de 2016
Marcelo2015.png António Nóvoa 2013-06-19 (reduzida).jpg MarisaMatias2015.jpg
Candidato Marcelo Rebelo de Sousa António Sampaio da Nóvoa Marisa Matias
Partido PPD/PSD Independente BE
Votos 2 413 956 1 062 138 469 814
Porcentagem 52,00% 22,88% 10,12%
Mapa dos resultados da eleição presidencial de Portugal em 2016.png
Mapa do candidato mais votado por concelho:
  Concelhos onde Marcelo Rebelo Sousa foi o mais votado
  Concelhos onde Sampaio da Nóvoa foi o mais votado
  Concelhos onde Edgar Silva foi o mais votado


Coat of arms of Portugal.svg
Presidente de Portugal

As nonas eleições presidenciais portuguesas desde a Revolução dos Cravos tiveram lugar a 24 de janeiro de 2016 e decidiram o sucessor do presidente Aníbal Cavaco Silva, constitucionalmente impossibilitado de se recandidatar a um terceiro mandato consecutivo.[2]

O presidente da República eleito, Marcelo Rebelo de Sousa,[1] é o vigésimo desde a Implantação da República, e o sétimo desde o 25 de Abril — destes, o quinto democraticamente eleito.

A campanha eleitoral decorreu entre os dias 10 e 22 de janeiro de 2016.[3]

Processo legal[editar | editar código-fonte]

Qualquer cidadão de nacionalidade originariamente portuguesa, no pleno uso dos seus direitos de cidadania e maior de 35 anos de idade, tem oportunidade de concorrer à Presidência. Para tal, deve reunir entre 7 500 e 15 000 assinaturas (proposituras) de eleitores e apresentá-las no Tribunal Constitucional até 30 dias antes da data marcada para as eleições.

Segundo a Lei Eleitoral do Presidente da República - Decreto-Lei nº 319-A/76, de 3 de maio, a data das eleições, que deve recair nos 60 dias anteriores ao termo do mandato do Presidente cessante (a 9 de março), tem de ser marcada com a antecedência mínima de 60 dias (dois meses), o que, para estas eleições, foi feito a 19 de novembro de 2015 pelo Presidente cessante, Aníbal Cavaco Silva, para o dia 24 de janeiro de 2016.

De acordo com o critério da eleição, nos termos do artº 10º, o candidato necessita, para ser eleito, da maioria (50% mais um) dos votos validamente expressos. Caso nenhum candidato atinja esse valor na primeira volta, realizar-se-á uma segunda volta apenas entre os dois candidatos mais votados, no 21.º dia posterior ao da realização da primeira volta, o que, nestas eleições, acontece a 14 de fevereiro de 2016.

A apresentação de candidaturas decorreu até 24 de dezembro de 2015, ou seja, até 30 dias (um mês) antes da data da realização das eleições presidenciais.

No dia 29 de dezembro de 2015 o Tribunal Constitucional aceitou as 10 candidaturas apresentadas, fazendo com que esta eleição tenha o maior número de candidatos numa eleição presidencial.

Contexto político[editar | editar código-fonte]

Aquando das eleições presidenciais de 2011, o Presidente Aníbal Cavaco Silva, candidato único do centro-direita, fora reeleito, tinha vencido o escrutínio logo na primeira volta, com 52,95% dos votos expressos. Tinha enfrentado os dois candidatos principais, Manuel Alegre, do Partido Socialista (então no poder), que ficou em segundo lugar (19,76%), e o independente Fernando Nobre, presidente da AMI, que ficou em terceiro lugar com 14,1% dos votos. Esta reeleição do Presidente em funções era esperada e estava em linha com os anteriores chefes do Estado que cumpriram dois mandatos; permitiu também a continuação do período de “coabitação política” com o primeiro-ministro socialista, José Sócrates.

Esta coabitação duraria, no entanto, pouco mais tempo, já que o governo viria a apresentar a demissão na sequência da rejeição do PEC IV na Assembleia da República e consequente resgate financeiro a Portugal pela chamada troika (FMI, BCE e Comissão Europeia).

Consequentemente, as eleições legislativas de 5 de junho de 2011 deram a vitória ao PPD/PSD de Pedro Passos Coelho, que viria a formar governo em coligação com o CDS-PP de Paulo Portas, inaugurando um período de Presidente e governo da mesma cor política. A situação de crise económica e financeira que o país vive conduziu à adopção de um plano de austeridade orçamental e à intervenção mais frequente do chefe de Estado na vida política para promover o acordo entre os partidos políticos do país, nomeadamente na crise política do verão de 2013, após a demissão de Paulo Portas, em que o Presidente procurou que os três partidos subscritores do memorando da troika (PPD/PSD, CDS-PP e PS) formassem um governo de unidade nacional. Inutilizado esse esforço, o governo de Passos Coelho e Paulo Portas continuou o seu mandato, tornando-se a primeira coligação a cumprir o mandato integral no regime democrático português.

Em 2015, realizaram-se eleições legislativas a 4 de outubro, num período em que o Presidente Aníbal Cavaco Silva estava já com poderes diminuídos, nomeadamente o de dissolução da Assembleia da República, quer por estar no último semestre do seu mandato presidencial quer por a Assembleia estar no primeiro semestre da legislatura. A coligação PPD/PSD.CDS-PP foi a mais votada, mas conseguiu apenas uma maioria relativa, o que inviabilizou a continuação de Passos Coelho no cargo de primeiro-ministro, depois da rejeição do programa do seu governo na Assembleia da República por toda a oposição. Em alternativa, o PS, de António Costa, conseguiu entendimentos com os partidos à sua esquerda (PCP, BE e PEV) para que estes formassem uma maioria parlamentar de apoio ao seu governo. Relutantemente, o Presidente, dando mostras de insatisfação com a solução obtida e após uma longa ronda de audiências, deu posse ao governo de António Costa, inaugurando um curto período de coabitação política que dura até 9 de março de 2016, data de tomada de posse do novo Presidente saído das eleições presidenciais de 24 de janeiro, às quais Cavaco Silva, tendo atingido o limite de dois mandatos consecutivos, não pôde candidatar-se.

A campanha eleitoral ficou marcada pelo falecimento de António de Almeida Santos, a 18 de janeiro. Em consequência, a candidata Maria de Belém suspendeu as acções de campanha nos dias 19 e 20 de janeiro (incluindo a participação no debate televisivo de dia 19) pois Almeida Santos era seu apoiante declarado.[4] Já Marcelo Rebelo de Sousa, Sampaio da Nóvoa e Cândido Ferreira cancelaram as acções de campanha previstas para a tarde do dia 19 de janeiro e até à realização do funeral de Almeida Santos, a 20 de janeiro, pelas 13h00.[5]

Candidatos[editar | editar código-fonte]

Candidaturas admitidas[editar | editar código-fonte]

(por ordem do sorteio realizado no Tribunal Constitucional)[6][7]

Replace this image male.svg

     Henrique Neto[editar | editar código-fonte]

Independente.
Empresário; militante e ex-deputado do Partido Socialista (1995–99).[8] e colaborador n’O Diabo,[9] semanário de direita.
Assinaturas recolhidas: 7 950.
Data de formalização: 11 de dezembro de 2015.[10]

António Nóvoa 2013-06-19 (reduzida).jpg

     António Sampaio da Nóvoa[editar | editar código-fonte]

Independente (ver apoios).
Antigo reitor da Universidade de Lisboa (2006–13).[11][12]
Assinaturas recolhidas: 13 000.
Data de formalização: 22 de dezembro de 2015.[13]

Replace this image male.svg

     Cândido Ferreira[editar | editar código-fonte]

Independente.
Médico e antigo presidente da Federação Distrital de Leiria do PS.[14]
Assinaturas recolhidas: 8 300.
Data de formalização: 23 de dezembro de 2015.[15]

EdgarSilva2016.jpg

     Edgar Silva[editar | editar código-fonte]

Partido Comunista Português.
Deputado do Partido Comunista Português na Assembleia Legislativa da Madeira.[16]
Assinaturas recolhidas: 15 000.
Data de formalização: 7 de dezembro de 2015.[17]

Replace this image male.svg

     Jorge Sequeira[editar | editar código-fonte]

Independente.
Psicólogo, investigador, orador motivacional e professor universitário.[18]
Assinaturas recolhidas: 9 100.
Data de formalização: 22 de dezembro de 2015.[19]

Replace this image male.svg

     Vitorino Silva (“Tino de Rans”)[editar | editar código-fonte]

Independente.
Calceteiro e antigo presidente da Junta de Freguesia de Rans.[20]
Assinaturas recolhidas: 8 118.
Data de formalização: 23 de dezembro de 2015.[21]

MarisaMatias2015.jpg

     Marisa Matias[editar | editar código-fonte]

BE e MAS.
Socióloga, eurodeputada pelo BE e vice-presidente do Partido da Esquerda Europeia.[22][23]
Assinaturas recolhidas: 12 000.
Data de formalização: 17 de dezembro de 2015.[24]

Maria de Belém Roseira.jpg

     Maria de Belém Roseira[editar | editar código-fonte]

Independente.
Jurista, antiga ministra da Saúde (1995–99) e da Igualdade (1999–2000) e antiga presidente do Partido Socialista (2011–14).
Assinaturas recolhidas: 9 200.
Data de formalização: 22 de dezembro de 2015.[25]

Marcelo2015.png

     Marcelo Rebelo de Sousa[editar | editar código-fonte]

PPD/PSD, CDS-PP e PPM.[26]
Jurista, professor universitário, analista político e antigo presidente do PSD (1996–99).[27][28][29][30][31][32][33][34][35]
Assinaturas recolhidas: 15 000.
Data de formalização: 23 de dezembro de 2015.[36]

PauloMorais(quadrado).png

     Paulo de Morais[editar | editar código-fonte]

Independente.
Vice-presidente da TIAC – Transparência e Integridade, Associação Cívica e ex-vice-presidente da Câmara Municipal do Porto (2002–05).[37][38]
Assinaturas recolhidas: 8 000.
Data de formalização: 1 de dezembro de 2015.[39]

Candidaturas não concretizadas[editar | editar código-fonte]

(candidaturas que, uma vez anunciadas, foram retiradas pelo próprio candidato antes de serem formalizadas junto do TC)

Replace this image male.svg

Manuel Almeida[editar | editar código-fonte]

Candidato do PTP à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia em 2013.[40] Desistiu da candidatura pela dificuldade em recolher assinaturas e para se focar nas eleições autárquicas de 2017.[41]

Replace this image male.svg

Paulo Freitas do Amaral[editar | editar código-fonte]

Professor universitário, candidato do CDS-PP à Câmara Municipal de Oeiras em 2013 e antigo Presidente da Junta de Freguesia de Cruz Quebrada - Dafundo (2009–13).[42][43][44] Desistiu da candidatura para apoiar Marcelo Rebelo de Sousa.[45]

Replace this image male.svg

Orlando Cruz[editar | editar código-fonte]

Antigo militante do CDS-PP e candidato do PTP à Câmara Municipal de Matosinhos em 2013. Foi cabeça-de-lista do PURP por Viana do Castelo nas eleições legislativas de 2015.[46] Desistiu da candidatura por motivos de saúde, tendo declarado apoio a Marcelo Rebelo de Sousa.[47]

Replace this image male.svg

António Silva[editar | editar código-fonte]

Ex-militar da Força Aérea.[48] Desistiu da candidatura para apoiar Paulo Morais.[47]

Replace this image female.svg

Graça Castanho[editar | editar código-fonte]

Açoriana, professora na Universidade dos Açores e antiga Directora Regional das Comunidades (2010–12).[49] Desistiu da candidatura pelo facto de as assinaturas terem sido destruídas no temporal de 14 de Dezembro nos Açores.[50]

Replace this image male.svg

Sérgio Gave Fraga[editar | editar código-fonte]

Advogado.[51][52][53] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização.[54]

Replace this image male.svg

José Pedro Simões[editar | editar código-fonte]

Funcionário bancário.[55] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização.[56]

Replace this image male.svg

Castanheira Barros[editar | editar código-fonte]

Advogado, militante do PSD e candidato à liderança do partido em 2010.[57][43][58] Desistiu da candidatura por motivos profissionais, tendo declarado apoio a Marcelo Rebelo de Sousa.[59]

Replace this image female.svg

Manuela Gonzaga[editar | editar código-fonte]

PAN. Historiadora e escritora.[60] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização.[61]

LelloMarmello2007.jpg

Manuel João Vieira[editar | editar código-fonte]

Vocalista da banda Ena Pá 2000 e candidato anunciado às eleições presidenciais de 2011.[62][63] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização, tendo declarado apoio a Sampaio da Nóvoa.

Replace this image male.svg

António Pedro Ribeiro[editar | editar código-fonte]

Militante do PCTP/MRPP e seu candidato à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim em 2013. Poeta, escritor e cronista.[64][65] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização, tendo declarado apoio a Marisa Matias.

Replace this image male.svg

Paulo Borges[editar | editar código-fonte]

Fundador e antigo presidente do Pessoas-Animais-Natureza (PAN).[66] Desistiu da candidatura por não ter conseguido reunir as 7 500 assinaturas necessárias à sua formalização.

Debates[editar | editar código-fonte]

O artigo 7.º da lei da cobertura eleitoral estabelece que «no período eleitoral os debates entre candidaturas promovidos pelos órgãos de comunicação social obedecem ao princípio da liberdade editorial e de autonomia de programação, devendo ter em conta a representatividade política e social das candidaturas concorrentes».[67]

Os debates decorreram em três modelos diferentes:[68][69][70][71]

  • Houve dois debates entre os dez candidatos: um radiofónico, de duas horas, a 4 de janeiro, na Antena 1; outro televisivo, a 19 de janeiro, na tvi casa dos segredos 6
Data Hora Intervenientes Moderador(es) Canal Audiências
[73][74][75][76]
Hiperligações
1 de janeiro 20:35 - 21:00 Sampaio da Nóvoa e Marisa Matias José Rodrigues dos Santos RTP1 602 300 Vídeo
21:30 - 22:00 Maria de Belém e Paulo Morais SIC Notícias 103 500 Vídeo
22:00 - 22:30 Henrique Neto e Edgar Silva Paulo Magalhães TVI24 Vídeo
23:30 - 00:15 Marcelo Rebelo de Sousa, Vitorino Silva e Jorge Sequeira(a) 89 300 Vídeo
2 de janeiro 20:40 - 21:05 Sampaio da Nóvoa e Henrique Neto José Rodrigues dos Santos RTP1 486 300 Vídeo
21:30 - 22:00 Marisa Matias e Paulo Morais Paulo Magalhães TVI24 Vídeo
22:00 - 22:30 Maria de Belém e Edgar Silva Anselmo Crespo SIC Notícias Vídeo
3 de janeiro 20:40 - 21:05 Edgar Silva e Paulo Morais José Rodrigues dos Santos RTP1 541 800 Vídeo
21:30 - 22:00 Marcelo Rebelo de Sousa e Henrique Neto Anselmo Crespo SIC Notícias 166 500 Vídeo
22:00 - 22:30 Maria de Belém Roseira e Marisa Matias Paulo Magalhães TVI24 22 100 Vídeo
4 de janeiro 10:10 - 12:00 Todos os candidatos (debate na rádio) Maria Flor Pedroso Antena 1 Vídeo/Som
20:40 - 21:05 Maria de Belém e Henrique Neto João Adelino Faria RTP1 691 900 a 713 000 Vídeo
21:30 - 22:00 Marcelo Rebelo de Sousa e Marisa Matias Anselmo Crespo SIC Notícias Vídeo
22:00 - 22:30 Sampaio da Nóvoa e Edgar Silva Paulo Magalhães TVI24 Vídeo
5 de janeiro 20:40 - 21:05 Marcelo Rebelo de Sousa e Edgar Silva João Adelino Faria RTP1 713 400 a 736 700 Vídeo
21:30 - 22:00 Henrique Neto e Marisa Matias Anselmo Crespo SIC Notícias Vídeo
22:00 - 22:30 Sampaio da Nóvoa e Paulo Morais Paulo Magalhães TVI24 Vídeo
23:00 - 23:45 Sampaio da Nóvoa, Vitorino Silva e Jorge Sequeira(b) Anselmo Crespo SIC Notícias Vídeo
6 de janeiro 20:40 - 21:10 Marisa Matias e Edgar Silva João Adelino Faria RTP1 Vídeo
21:45 - 22:15 Marcelo Rebelo de Sousa e Paulo Morais Paulo Magalhães TVI24 Vídeo
23:30 - 24:00 Henrique Neto e Paulo Morais Anselmo Crespo SIC Notícias Vídeo
7 de janeiro 20:50 - 21:30 Marcelo Rebelo de Sousa e Sampaio da Nóvoa Clara de Sousa SIC 1 326 000 a 1 328 000 Vídeo
20:40 - 21:25 Maria de Belém, Vitorino Silva e Jorge Sequeira(b) João Adelino Faria RTP1 670 800 Vídeo
8 de janeiro 20:40 - 21:25 Marcelo Rebelo de Sousa e Maria de Belém João Adelino Faria RTP1 850 800 a 889 000 Vídeo
9 de janeiro 20:45 - 21:30 Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém Judite Sousa TVI 1 064 300 Vídeo
19 de janeiro 21:00 - 23:00 Todos, exceto Maria de Belém (debate na televisão)(c) Carlos Daniel e Vítor Gonçalves RTP1 Vídeo 1+2

Notas:
↑(a) Cândido Ferreira saiu do estúdio logo no início, depois de ler uma intervenção escrita a criticar as “discriminação” de tratamento das candidaturas.[77]
↑(b) Cândido Ferreira foi convidado para o debate, mas não participou.
↑(c) Maria de Belém Roseira foi convidada para o debate, mas não participou por causa do falecimento, no dia anterior, de António de Almeida Santos, seu apoiante na campanha.[78]

Orçamentos de campanha[editar | editar código-fonte]

O valor estabelecido para as subvenções a atribuir aos candidatos na 1.ª volta é de 4 192 200 Euros (10 mil vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais);[79] 20% são distribuídos igualmente pelos candidatos que obtenham pelo menos 5% dos votos e os restantes 80% são distribuídos na proporção dos resultados eleitorais obtidos.[80]

Candidato Votação
obtida
Subvenções (€) Despesas
previstas (€)(d)
Percentagem
das despesas %
Calculadas Orçamentadas(d) Saldo
Edgar Silva 377 750,00 750 000,00
 
22,4%
Sampaio da Nóvoa 798 000,00 742 000,00
 
22,1%
Maria de Belém 790 656,00 650 000,00
 
19,4%
Marisa Matias 308 659,50 454 659,50
 
13,6%
Henrique Neto 199 000,00 275 000,00
 
8,2%
Marcelo Rebelo de Sousa 90 000,00 157 000,00
 
4,7%
Jorge Sequeira 0 123 500,00
 
3,7%
Paulo de Morais 61 000,00 93 000,00
 
2,8%
Cândido Ferreira 0 60 000,00
 
1,8%
Vitorino Silva 0 50 000,00
 
1,5%
Total 100% 4 192 200 2 625 065,50 3 355 159,50 100%  

Nota:
↑(d) Tribunal Constitucional - Orçamentos de Campanha[81]

Sondagens[editar | editar código-fonte]

Instituto Data Amostra Margem de erro Marcelo2015.png António Nóvoa 2013-06-19 (reduzida).jpg Maria de Belém Roseira.jpg MarisaMatias2015.jpg EdgarSilva2016.jpg PauloMorais(quadrado).png Replace this image male.svg Replace this image male.svg Replace this image male.svg Replace this image male.svg Outros/
Indecisos
Marcelo R. de Sousa
PPD/PSD, CDS-PP, PPM
Sampaio da Nóvoa
Ind.
Maria de Belém
Ind.
Marisa Matias
BE, MAS
Edgar Silva
PCP
Paulo de Morais
Ind.
Henrique Neto
Ind.
Vitorino Silva
Ind.
Jorge Sequeira
Ind.
Cândido Ferreira
Ind.
Aximage 16–20 Jan 1 301 ±2,7 51,5 22,6 9,0 6,6 5,2 2,3 0,8 1,8 0,1 0,1
Univ. Católica 16–17 Jan 3 340 ±1,7 52,0 22,0 8,0 8,0 3,0 3,0 1,0 2,0 <1,0 <1,0 18,0
Eurosondagem 14–19 Jan 2 025 ±2,18 55,0 19,0 13,3 5,3 3,7 2,2 1,1 0,2 0,1 0,1 16,1
Intercampus 14–20 Jan 1 043 ±3,0 51,8 16,9 10,1 7,9 4,6 2,9 2,3 2,5 0,6 0,5 14,3
Eurosondagem 7–13 Jan 1 516 ±2,52 54,8 16,8 16,3 4,8 4,0 1,6 1,1 18,0
Aximage 2–5 Jan 602 52,9 16,9 11,8 2,8 2,9 2,9 1,0 0,5
2016
Eurosondagem 16–21 Dez 1 515 ±2,52 52,5 16,9 18,1 4,8 4,7 1,7 1,3 14,2
Univ. Católica 5–6 Dez 1 183 ±2,9 62,0 15,0 14,0 3,0 3,0 1,0 1,0 2,0
Aximage 28 Nov–2 Dez 605 ±4,0 54,6 13,2 13,4 2,4 1,9 1,1 0,4 13,0
Eurosondagem 13–18 Nov 1 510 ±2,52 48,0 16,7 18,9 6,9 5,2 1,1 2,2 21,4
Aximage 31 Out–4 Nov 603 ±4,0 56,9 15,3 13,1 2,1 12,6
Intercampus 23–30 Set 1 013 ±3,1 49,3 10,1 17,0 1,4 41,2
2015

Tabela de resultados oficiais[editar | editar código-fonte]

Candidato Partidos apoiantes 1.ª Volta
Votos %
Marcelo Rebelo de Sousa PPD/PSD, CDS-PP, PPM 2 413 956
52,00 / 100
António Sampaio da Nóvoa PCTP/MRPP, LIVRE 1 062 138
22,88 / 100
Marisa Matias B.E., MAS 469 814
10,12 / 100
Maria de Belém Roseira Independente 196 765
4,24 / 100
Edgar Silva PCP 183 051
3,94 / 100
Vitorino Silva Independente 152 374
3,28 / 100
Paulo de Morais Independente 100 191
2,16 / 100
Henrique Neto Independente 39 163
0,84 / 100
Jorge Sequeira Independente 13 954
0,30 / 100
Cândido Ferreira Independente 10 609
0,23 / 100
Votos em branco 58 964
1,24 / 100
Votos nulos 43 588
0,92 / 100
Total 4 744 597
100 / 100
Eleitorado/Participação 9 751 398
48,66 / 100
Fonte [82]

Gráfico[editar | editar código-fonte]

Gráfico dos resultados da primeira volta
Marcelo R. de Sousa
  
52,00%
Sampaio da Nóvoa
  
22,88%
Marisa Matias
  
10,12%
Maria de Belém
  
4,24%
Edgar Silva
  
3,94%
Vitorino Silva
  
3,28%
Paulo de Morais
  
2,15%
Henrique Neto
  
0,84%
Jorge Sequeira
  
0,30%
Cândido Ferreira
  
0,23%
Branco/Inválido
  
2,18%
Abstenção
  
51,34%

Resultados por Círculos eleitorais[editar | editar código-fonte]

 %  %  %  %  %  %  %  %  %  %
Círculo eleitoral MRS SN MM MB ES VS PDM HN JS CF Votantes
Açores 58,1 21,5 8,9 4,4 1,3 2,2 2,1 0,8 0,3 0,3 70 522
Aveiro 59,4 18,6 9,2 4,1 1,6 4,1 3,9 0,8 0,3 0,2 325 975
Beja 31,7 31,5 11,3 5,1 15,6 2,3 1,2 0,7 0,3 0,4 60 925
Braga 59,0 20,0 8,4 3,9 1,9 3,6 1,7 0,8 0,5 0,2 421 910
Bragança 61,9 19,7 7,3 4,6 1,2 2,7 1,3 0,8 0,3 0,3 59 686
Castelo Branco 50,1 26,0 10,6 5,2 2,3 2,7 1,7 0,8 0,3 0,3 90 385
Coimbra 50,2 23,2 13,9 4,6 2,2 2,7 1,9 0,8 0,2 0,4 192 171
Évora 38,6 30,3 10,8 4,1 11,5 2,1 1,5 0,6 0,3 0,3 72 087
Faro 47,6 23,8 13,8 4,4 3,6 2,7 3,0 0,7 0,2 0,2 164 669
Guarda 59,0 21,3 8,3 4,6 1,5 3,0 1,1 0,7 0,3 0,3 61 990
Leiria 61,1 17,0 9,5 3,2 2,0 3,0 2,0 1,6 0,2 0,5 212 683
Lisboa 49,8 25,8 10,0 4,5 4,0 2,1 2,4 1,0 0,2 0,2 1 019 808
Madeira 51,4 11,3 10,1 2,8 19,7 0,9 2,4 0,8 0,4 0,3 116 517
Portalegre 42,9 30,6 10,1 4,5 7,1 2,3 1,2 0,6 0,2 0,5 49 860
Porto 51,3 21,8 10,2 4,5 2,5 5,7 2,7 0,8 0,4 0,2 851 771
Santarém 51,1 23,6 10,8 4,5 4,1 3,0 1,9 0,7 0,2 0,3 200 364
Setúbal 37,9 29,7 13,0 4,3 9,5 2,3 2,3 0,6 0,2 0,2 364 466
Viana do Castelo 57,0 22,9 7,6 3,3 1,6 3,8 2,4 0,8 0,3 0,3 114 170
Vila Real 62,5 19,7 6,7 4,1 1,3 3,2 1,3 0,8 0,2 0,3 90 490
Viseu 62,6 18,8 7,3 3,6 1,3 4,1 1,4 0,7 0,2 0,2 169 064
Estrangeiro 57,9 19,0 8,2 4,4 4,0 1,0 3,0 1,5 0,5 0,5 11 133
Portugal 52,0 22,9 10,1 4,2 4,0 3,3 2,2 0,8 0,3 0,2 4 737 273

Tabela de resultados por Círculos eleitorais[editar | editar código-fonte]

Açores
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 39 811 58,1
Sampaio da Nóvoa 14 768 21,5
Marisa Matias 6 073 8,9
Maria de Belém 3 041 4,4
Vitorino Silva 1 522 2,2
Paulo de Morais 1 457 2,1
Edgar Silva 907 1,3
Henrique Neto 577 0,8
Jorge Sequeira 212 0,3
Cândido Ferreira 190 0,3
Votos Inválidos 1 964 2,8
Total 70 522 100
Eleitorado/Participação 228 087 30,9
Aveiro
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 189 380 59,4
Sampaio da Nóvoa 59 149 18,6
Marisa Matias 29 392 9,2
Maria de Belém 12 996 4,1
Vitorino Silva 12 296 3,9
Paulo de Morais 6 372 2,0
Edgar Silva 5 029 1,6
Henrique Neto 2 397 0,8
Jorge Sequeira 983 0,3
Cândido Ferreira 708 0,2
Votos Inválidos 7 273 2,2
Total 325 975 100
Eleitorado/Participação 653 469 49,9
Beja
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 18 911 31,7
Sampaio da Nóvoa 18 770 31,5
Edgar Silva 9 290 15,6
Marisa Matias 6 741 11,3
Maria de Belém 3 046 5,1
Vitorino Silva 1 354 2,3
Paulo de Morais 724 1,2
Henrique Neto 412 0,7
Cândido Ferreira 209 0,4
Jorge Sequeira 189 0,3
Votos Inválidos 1 279 2,1
Total 60 925 100
Eleitorado/Participação 128 628 47,4
Braga
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 244 205 59,0
Sampaio da Nóvoa 82 976 20,0
Marisa Matias 34 686 8,4
Maria de Belém 16 318 3,9
Vitorino Silva 14 951 3,6
Edgar Silva 7 676 1,9
Paulo de Morais 7 210 1,7
Henrique Neto 3 234 0,8
Jorge Sequeira 2 071 0,5
Cândido Ferreira 866 0,2
Votos Inválidos 7 889 1,9
Total 422 082 100
Eleitorado/Participação 788 443 53,5
Bragança
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 36 173 61,9
Sampaio da Nóvoa 11 484 19,7
Marisa Matias 4 253 7,3
Maria de Belém 2 688 4,6
Vitorino Silva 1 582 2,7
Paulo de Morais 783 1,3
Edgar Silva 701 1,2
Henrique Neto 452 0,8
Cândido Ferreira 161 0,3
Jorge Sequeira 152 0,3
Votos Inválidos 1 257 2,1
Total 59 686 100
Eleitorado/Participação 147 514 40,5
Castelo Branco
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 44 199 50,1
Sampaio da Nóvoa 22 924 26,0
Marisa Matias 9 358 10,6
Maria de Belém 4 565 5,2
Vitorino Silva 2 338 2,7
Edgar Silva 2 013 2,3
Paulo de Morais 1 524 1,7
Henrique Neto 737 0,8
Cândido Ferreira 268 0,3
Jorge Sequeira 217 0,3
Votos Inválidos 2 242 2,5
Total 90 385 100
Eleitorado/Participação 180 554 50,1
Coimbra
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 94 184 50,2
Sampaio da Nóvoa 43 577 23,2
Marisa Matias 26 101 13,9
Maria de Belém 8 561 4,6
Vitorino Silva 4 973 2,7
Edgar Silva 4 186 2,2
Paulo de Morais 3 577 1,9
Henrique Neto 1 440 0,8
Cândido Ferreira 703 0,4
Jorge Sequeira 362 0,2
Votos Inválidos 4 507 2,3
Total 192 171 100
Eleitorado/Participação 390 475 49,2
Évora
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 27 281 38,6
Sampaio da Nóvoa 21 405 30,3
Edgar Silva 8 137 11,5
Marisa Matias 7 609 10,8
Maria de Belém 2 908 4,1
Vitorino Silva 1 492 2,1
Paulo de Morais 1 032 1,5
Henrique Neto 421 0,6
Jorge Sequeira 186 0,3
Cândido Ferreira 181 0,3
Votos Inválidos 1 435 2,0
Total 72 087 100
Eleitorado/Participação 141 089 51,1
Faro
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 76 560 47,6
Sampaio da Nóvoa 38 311 23,8
Marisa Matias 22 155 13,8
Maria de Belém 7 071 4,4
Edgar Silva 5 710 3,6
Paulo de Morais 4 767 3,0
Vitorino Silva 4 290 2,7
Henrique Neto 1 144 0,7
Cândido Ferreira 392 0,2
Jorge Sequeira 379 0,2
Votos Inválidos 3 890 2,4
Total 164 669 100
Eleitorado/Participação 371 330 44,4
Guarda
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 42 087 58,5
Sampaio da Nóvoa 15 549 21,6
Marisa Matias 6 316 8,8
Maria de Belém 3 096 4,3
Vitorino Silva 2 108 2,9
Edgar Silva 1 006 1,4
Paulo de Morais 882 1,2
Henrique Neto 482 0,7
Cândido Ferreira 198 0,3
Jorge Sequeira 180 0,3
Votos Inválidos 1 837 2,5
Total 73 741 100
Eleitorado/Participação 163 257 45,2
Leiria
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 126 494 61,1
Sampaio da Nóvoa 35 253 17,0
Marisa Matias 19 630 9,5
Maria de Belém 6 540 3,2
Vitorino Silva 6 142 3,0
Edgar Silva 4 169 2,0
Paulo de Morais 4 110 2,0
Henrique Neto 3 401 1,6
Cândido Ferreira 966 0,5
Jorge Sequeira 425 0,2
Votos Inválidos 5 553 2,7
Total 212 683 100
Eleitorado/Participação 423 811 50,2
Lisboa
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 496 372 49,8
Sampaio da Nóvoa 257 593 25,8
Marisa Matias 100 125 10,0
Maria de Belém 44 743 4,5
Edgar Silva 39 919 4,0
Paulo de Morais 23 444 2,4
Vitorino Silva 21 302 2,1
Henrique Neto 10 207 1,0
Jorge Sequeira 2 062 0,2
Cândido Ferreira 1 517 0,2
Votos Inválidos 22 524 2,2
Total 1 019 808 100
Eleitorado/Participação 1 901 492 53,6
Madeira
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 58 423 51,4
Edgar Silva 22 414 19,7
Sampaio da Nóvoa 12 825 11,3
Marisa Matias 11 448 10,1
Maria de Belém 3 157 2,8
Paulo de Morais 2 699 2,4
Vitorino Silva 1 044 0,9
Henrique Neto 884 0,8
Jorge Sequeira 498 0,4
Cândido Ferreira 372 0,3
Votos Inválidos 2 753 2,4
Total 116 517 100
Eleitorado/Participação 256 058 45,5
Portalegre
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 20 945 42,9
Sampaio da Nóvoa 14 934 30,6
Marisa Matias 4 910 10,1
Edgar Silva 3 484 7,1
Maria de Belém 2 208 4,5
Vitorino Silva 1 122 2,3
Paulo de Morais 582 1,2
Henrique Neto 285 0,6
Cândido Ferreira 261 0,5
Jorge Sequeira 113 0,2
Votos Inválidos 1 016 2,1
Total 49 860 100
Eleitorado/Participação 100 815 49,5
Porto
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 428 067 51,3
Sampaio da Nóvoa 181 698 21,8
Marisa Matias 85 334 10,2
Vitorino Silva 47 405 5,7
Maria de Belém 37 848 4,5
Paulo de Morais 22 365 2,7
Edgar Silva 20 817 2,5
Henrique Neto 6 273 0,8
Jorge Sequeira 3 490 0,4
Cândido Ferreira 1 529 0,2
Votos Inválidos 16 982 2,0
Total 851 808 100
Eleitorado/Participação 1 592 891 53,5
Santarém
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 100 119 51,1
Sampaio da Nóvoa 46 150 23,6
Marisa Matias 21 080 10,8
Maria de Belém 8 722 4,5
Edgar Silva 7 976 4,1
Vitorino Silva 5 873 3,0
Paulo de Morais 3 652 1,9
Henrique Neto 1 346 0,7
Cândido Ferreira 512 0,3
Jorge Sequeira 447 0,2
Votos Inválidos 4 546 2,3
Total 200 423 100
Eleitorado/Participação 392 531 51,1
Setúbal
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 135 300 37,9
Sampaio da Nóvoa 106 114 29,7
Marisa Matias 46 326 13,0
Edgar Silva 33 930 9,5
Maria de Belém 15 204 4,3
Vitorino Silva 8 292 2,3
Paulo de Morais 8 211 2,3
Henrique Neto 2 285 0,6
Jorge Sequeira 843 0,2
Cândido Ferreira 625 0,2
Votos Inválidos 7 336 2,0
Total 364 466 100
Eleitorado/Participação 726 468 50,2
Viana do Castelo
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 63 744 57,0
Sampaio da Nóvoa 25 613 22,9
Marisa Matias 8 540 7,6
Vitorino Silva 4 256 3,8
Maria de Belém 3 686 3,3
Paulo de Morais 2 663 2,4
Edgar Silva 1 769 1,6
Henrique Neto 894 0,8
Jorge Sequeira 328 0,3
Cândido Ferreira 275 0,3
Votos Inválidos 2 402 2,1
Total 114 170 100
Eleitorado/Participação 253 160 45,1
Vila Real
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 58 283 62,3
Sampaio da Nóvoa 18 638 19,9
Marisa Matias 6 343 6,8
Maria de Belém 3 739 4,0
Vitorino Silva 2 898 3,1
Edgar Silva 1 264 1,4
Paulo de Morais 1 213 1,3
Henrique Neto 760 0,8
Cândido Ferreira 230 0,3
Jorge Sequeira 213 0,2
Votos Inválidos 1 785 1,9
Total 95 366 100
Eleitorado/Participação 228 875 41,7
Viseu
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 103 394 62,6
Sampaio da Nóvoa 30 993 18,8
Marisa Matias 12 002 7,3
Vitorino Silva 6 705 4,1
Maria de Belém 5 974 3,6
Paulo de Morais 2 282 1,4
Edgar Silva 2 068 1,3
Henrique Neto 1 117 0,7
Jorge Sequeira 355 0,2
Cândido Ferreira 353 0,2
Votos Inválidos 3 821 2,2
Total 169 064 100
Eleitorado/Participação 370 967 45,6
estrangeiro
Candidato Votos %
M. Rebelo de Sousa 7 993 57,3
Sampaio da Nóvoa 2 666 19,1
Marisa Matias 1 160 8,3
Maria de Belém 607 4,3
Edgar Silva 544 3,9
Paulo de Morais 459 3,3
Henrique Neto 237 1,7
Vitorino Silva 149 1,1
Jorge Sequeira 69 0,5
Cândido Ferreira 66 0,5
Votos Inválidos 201 1,4
Total 14 150 100
Eleitorado/Participação 301 463 4,7

Referências

  1. a b "Marcelo Rebelo de Sousa eleito Presidente". Público.
  2. «PR marca presidenciais para 24 de Janeiro». diariodigital.sapo.pt. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  3. Debate televisivo a 19 de janeiro juntará sete candidatos às presidenciais, Observador, 4 de Dezembro de 2015. Vista em 5 de Dezembro de 2015.
  4. Maria de Belém só retoma campanha na quinta-feira, Jornal de Negócios, 19 de Janeiro de 2016. Vista em 19 de Janeiro de 2016.
  5. Morte de Almeida Santos 'suspende' campanhas. E o debate de hoje?, Notícias ao Minuto, 19 de Janeiro de 2016. Vista em 19 de Janeiro de 2016.
  6. «Eleição para o Presidente da República - 2016 (edital)» (PDF). Tribunal Constitucional. 28 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015 
  7. «ACÓRDÃO Nº 700/2015». Tribunal Constitucional. 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015 
  8. Ex-deputado do PS Henrique Neto é candidato às eleições presidenciais, Observador, 22 de Março de 2015. Vista em 24 de Março de 2015.
  9. http://jornaldiabo.com/?s=Henrique+Neto
  10. Henrique Neto ataca "independentes" que têm “partidos a recolher assinaturas”, Público, 11 de Dezembro de 2015. Vista em 11 de Dezembro de 2015.
  11. Ex-reitor Sampaio da Nóvoa "disposto a tudo" para contribuir para novo ciclo político, Notícias ao Minuto, 17 de Janeiro de 2015. Vista em 2 de Fevereiro de 2015.
  12. Sampaio da Nóvoa avança oficialmente a 29 de abril, Visão, 18 de Abril de 2015. Vista em 1 de Maio de 2015.
  13. Candidato presidencial Sampaio da Nóvoa “praticamente seguro” de segunda volta, Observador, 22 de Dezembro de 2015. Vista em 22 de Dezembro de 2015.
  14. Médico Cândido Ferreira apresenta candidatura a 25 de abril em Cantanhede, Observador, 17 de Abril de 2015. Vista em 17 de Abril de 2015.
  15. Presidenciais: Cândido Ferreira diz que é o único capaz de enfrentar Marcelo, Diário Digital, 23 de Dezembro de 2015. Vista em 23 de Dezembro de 2015.
  16. PCP já tem candidato às presidenciais. Saiba quem é o padre Edgar Silva, Diário Económico, 8 de Outubro de 2015. Vista em 8 de Outubro de 2015.
  17. Edgar Silva formaliza candidatura à Presidência e garante não ter “amarras”, Público, 7 de Dezembro de 2015. Vista em 7 de Dezembro de 2015.
  18. ACB: Jorge Sequeira assume candidatura a Belém, Correio do Minho, 8 de Maio de 2015. Vista em 18 de Julho de 2015.
  19. Jorge Sequeira apresenta assinaturas e quer Portugal sem "partidocracia", Porto Canal, 22 de Dezembro de 2015. Vista em 22 de Dezembro de 2015.
  20. Tino de Rans apresenta candidatura a Belém, Jornal de Notícias, 23 de Outubro de 2015. Vista em 23 de Outubro de 2015.
  21. Mais de oito mil querem ver Tino de Rans em Belém, Jornal de Notícias, 23 de Dezembro de 2015. Vista em 23 de Dezembro de 2015.
  22. Mesa Nacional do Bloco aprova candidatura de Marisa Matias, Notícias ao Minuto, 18 de Outubro de 2015. Vista em 18 de Outubro de 2015.
  23. «Contra a austeridade, votar Marisa Matias nas Presidenciais e exigir que o Governo devolva o que a direita roubou». MAS. Consultado em 31 de dezembro de 2015 
  24. Marisa Matias formaliza candidatura a Presidente da República, Esquerda.net, 17 de Dezembro de 2015. Vista em 17 de Dezembro de 2015.
  25. Maria de Belém: “Não sou comentadora de notícias de actualidade”, Público, 22 de Dezembro de 2015. Vista em 22 de Dezembro de 2015.
  26. Passos e Portas com Marcelo, Expresso, 10 de Dezembro de 2015. Vista em 11 de Dezembro de 2015.
  27. Marcelo Rebelo de Sousa admite candidatura às presidenciais de 2016, SIC Notícias, 27 de Outubro de 2013. Vista em 24 de Agosto de 2014.
  28. PSD começa a acreditar que Marcelo é candidato, SOL, 5 de Abril de 2015. Vista em 5 de Abril de 2015.
  29. Marcelo já decidiu avançar, SOL, 21 de Agosto de 2015. Vista em 21 de Agosto de 2015.
  30. Belém: Caminho mais aberto para Marcelo, Observador, 29 de Agosto de 2015. Vista em 29 de Agosto de 2015.
  31. Passos Coelho não afasta apoio nas presidenciais. Marcelo sorri, Observador, 5 de Setembro de 2015. Vista em 5 de Setembro de 2015.
  32. Marcelo aproxima-se de Passos. “Tem de ser”, Expresso, 20 de Setembro de 2015. Vista em 20 de Setembro de 2015.
  33. Marcelo: “Estou mais bem situado” que Rui Rio para as presidenciais, Observador, 2 de Outubro de 2015. Vista em 3 de Outubro de 2015.
  34. Presidenciais: Marcelo já tomou a decisão e tudo indica que avança, Público, 5 de Outubro de 2015. Vista em 6 de Outubro de 2015.
  35. Marcelo apresenta candidatura hoje às 18h00, Observador, 9 de Outubro de 2015. Vista em 9 de Outubro de 2015.
  36. Marcelo entrega 15 mil assinaturas para iniciar "caminhada de cinco anos", Diário Económico, 23 de Dezembro de 2015. Vista em 23 de Dezembro de 2015.
  37. Paulo Morais aponta para Belém, Expresso, 14 de Março de 2015. Vista em 15 de Março de 2015.
  38. Paulo Morais é o segundo candidato oficial à cadeira de Cavaco, Diário Económico, 9 de Abril de 2015. Vista em 9 de Abril de 2015.
  39. Paulo Morais é primeiro candidato a apresentar assinaturas, TSF, 1 de Dezembro de 2015. Vista em 7 de Dezembro de 2015.
  40. Manuel Almeida: 'Sou o Ninja do Povo', blastingnews, 14 de Abril de 2015. Vista em 17 de Abril de 2015.
  41. Pronto para a rentrée? Responda ao quiz da silly season, Observador, 13 de Agosto de 2015. Vista em 18 de Agosto de 2015.
  42. Entrevista a Paulo Freitas do Amaral – Candidato à Presidência da República, Televisão de Lisboa, 31 de Maio de 2014. Vista em 8 de Abril de 2015.
  43. a b Os candidatos presidenciais “outsider” que já estão no terreno, Observador, 8 de Janeiro de 2015. Vista em 8 de Janeiro de 2015.
  44. Paulo Freitas do Amaral assume candidatura à Presidência da República, SOL, 13 de Abril de 2015. Vista em 13 de Abril de 2015.
  45. Paulo Freitas do Amaral desiste e apoia Marcelo Rebelo de Sousa, Notícias ao Minuto, 26 de Novembro de 2015. Vista em 26 de Novembro de 2015.
  46. Orlando Cruz anuncia candidatura a Belém, SOL, 14 de Abril de 2015. Vista em 17 de Abril de 2015.
  47. a b Orlando Cruz e António Araujo da Silva desistem da corrida a Belém, Observador, 14 de Dezembro de 2015. Vista em 14 de Dezembro de 2015.
  48. Presidenciais: António Silva quer ser o presidente de todos e seguir Humberto Delgado, Observador, 13 de Novembro de 2015. Vista em 13 de Novembro de 2015.
  49. Açoriana Graça Castanho candidata-se à Presidência da República, Diário dos Açores, 27 de Abril de 2015. Vista em 29 de Abril de 2015.
  50. Graça Castanho desiste de candidatura por assinaturas terem sido levadas pelo vento, Público, 15 de Dezembro de 2015. Vista em 15 de Dezembro de 2015.
  51. Os 17 candidatos a Belém e os que falta conhecer, Jornal de Notícias, 9 de Outubro de 2015. Vista em 20 de Outubro de 2015.
  52. Candidatos independentes à Presidência encontram-se na sexta-feira, Público, 19 de Outubro de 2015. Vista em 20 de Outubro de 2015.
  53. «Sérgio Gave Fraga - Pré-candidato às eleições presidenciais de 2016». Consultado em 20 de Outubro de 2015 
  54. Presidenciais: Sérgio Gave Fraga desiste e admite que falhou assinaturas por culpa própria, Diário Digital, 16 de Dezembro de 2015. Vista em 17 de Dezembro de 2015.
  55. José Pedro Simões candidata-se a Belém para ser "a voz do Interior", Jornal de Notícias, 23 de Outubro de 2015. Vista em 23 de Outubro de 2015.
  56. José Pedro Simões falha recolha de assinaturas e abandona candidatura, Jornal de Notícias, 19 de Dezembro de 2015. Vista em 19 de Dezembro de 2015.
  57. Castanheira Barros pode ser o próximo Presidente da República, Notícias de Coimbra, 23 de Julho de 2014. Vista em 4 de Abril de 2015.
  58. Castanheira Barros apresenta candidatura a 21 de Maio em Coimbra, Público, 29 de Abril de 2015. Vista em 1 de Maio de 2015.
  59. Castanheira Barros desiste devido à “grande azáfama” da sua vida profissional, Observador, 21 de Dezembro de 2015. Vista em 21 de Dezembro de 2015.
  60. Manuela Gonzaga quer concorrer a Belém e é apoiada pelo PAN, Público, 3 de Agosto de 2015. Vista em 3 de Agosto de 2015.
  61. Manuela Gonzaga desiste de candidatura à Presidência. “Não vale a pena inventar desculpas”, Expresso, 22 de Dezembro de 2015. Vista em 22 de Dezembro de 2015.
  62. «Vieira 2016 - Candidato». Consultado em 9 de Abril de 2015 
  63. Manuel João Vieira faz pré-apresentação de candidatura às presidenciais, Observador, 10 de Setembro de 2015. Vista em 18 de Outubro de 2015.
  64. ANTÓNIO PEDRO RIBEIRO CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, trip na arcada, 18 de Junho de 2015. Vista em 28 de Novembro de 2015.
  65. Há mais um candidato à Presidência da República, RTP, 5 de Dezembro de 2015. Vista em 25 de Dezembro de 2015.
  66. Há um novo candidato às presidenciais: Paulo Borges, ex-PAN, Notícias ao Minuto, 20 de Julho de 2015. Vista em 21 de Julho de 2015.
  67. «Debates televisivos arrancam no primeiro dia de Janeiro. Conheça as datas dos frente-a-frente». www.jornaldenegocios.pt. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  68. Debate televisivo a 19 de janeiro juntará sete candidatos às presidenciais, Observador, 4 de Dezembro de 2015. Vista em 5 de Dezembro de 2015.
  69. «Conheça todas as datas dos debates presidenciais». DN. Consultado em 31 de dezembro de 2015 
  70. «Primeiro debate presidencial de Marcelo será com Tino de Rans». DN. Consultado em 31 de dezembro de 2015 
  71. «Presidenciais: consulte o calendário com todos os debates». tvi24. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  72. «Presidenciais 2016 - Cândido Ferreira abandona debate em direto. "Retiro-me com mágoa" - Portugal - DN». DN. Consultado em 9 de janeiro de 2016 
  73. «Belém-Marcelo foi o debate menos visto dos 'três grandes'». ionline. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  74. «Debate entre Marcelo e Maria de Belém na RTP1 foi o mais visto». Económico. Consultado em 11 de janeiro de 2016 
  75. «Qual foi o debate presidencial mais visto até aqui?». Expresso. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  76. «Marcelo contra Nóvoa foi o debate mais visto». ionline. Consultado em 9 de janeiro de 2016 
  77. «Primeiro debate com Marcelo marcado por desistência de Cândido Ferreira». tvi24. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  78. «Maria de Belém suspende campanha e também não vai ao debate a 10 na RTP - Renascença». rr.sapo.pt. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  79. «Edgar Silva e Sampaio da Nóvoa são os que preveem gastar mais na campanha presidencial». Jornal de Notícias. 28 de dezembro de 2015. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  80. «Lei do Financiamento dos Partidos Políticos e das Campanhas Eleitorais» (PDF). Assembleia da República. 20 de junho de 2003. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  81. «Orçamentos de Campanha». Tribunal Constitucional. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  82. Tribunal Constitucional. «Ata da Assembleia de Apuramento Geral» (PDF). Eleições presidenciais de 2016. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  83. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u www.tangivel.com, Critical Software - www.criticalsoftware.com, Tangivel -. «Presidenciais 2016 - Resultados». www.presidenciais2016.mai.gov.pt. Consultado em 24 de janeiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Sítios oficiais de campanha