Eleições presidenciais portuguesas de 1911

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eleição presidencial de Portugal de 1911
  Nenhuma ← Flag of Portugal.svg → 1915 (Maio)
24 de Agosto de 1911
Manuel de Arriaga - Fotografia Vasques.png BernardinoMachado.png Duarte Leite.png
Candidato Manuel de Arriaga Bernardino Machado Duarte Leite
Partido Bloco Republicano Moderado Bloco Republicano Democrático Independente
Votos 121 86 4
Porcentagem 55,76% 39,63% 1,84%

As primeiras eleições presidenciais portuguesas decorreram em reunião da Assembleia Nacional Constituinte, de 24 de Agosto de 1911 (59.ª Sessão), tendo sido eleito, para um mandato de 4 anos, Manuel José de Arriaga Brum da Silveira e Peyrelongue.

Nos termos da Constituição Política da República Portuguesa de 1911 que então vigorava, tendo sido aprovada apenas três dias antes, a 21 de Agosto de 1911, pela Assembleia Nacional Constituinte, o Presidente da República era eleito através de sufrágio indirecto, requerendo pelo menos dois terços dos votos das duas Câmaras (Deputados e Senado) do Congresso da República reunidas em sessão conjunta.[1]

A estas eleições concorreram, ambos pelo Partido Republicano Português, Manuel de Arriaga (com o apoio das facções mais moderadas lideradas por António José de Almeida e Brito Camacho, e que dariam origem ao Partido Evolucionista e ao Partido Unionista), e Bernardino Machado (apoiado pelo grupo liderado por Afonso Costa, que mais tarde daria origem ao Partido Democrático).[2] Foram ainda candidatos, mas sem apoios significativos e sem obterem grande expressão no resultado eleitoral, Duarte Leite, Sebastião de Magalhães Lima, e Augusto Alves da Veiga.[3]

Os resultados deram a vitória a Arriaga, que se tornou no primeiro Presidente da República Portuguesa eleito. O programa de Arraga advogava a amnistia e conciliação nacional, respeito pela legalidade e ordem pública, revisão do núcleo duro da legislação do Governo Provisório, nomeadamente a Lei da Separação.[2]

Durante o mandato de Manuel de Arraga, o Partido Republicano Português desmembra-se e o Presidente procura conseguir um entendimento entre os principais dirigentes partidários, num clima conturbado de polémica e crescente crispação política, ao qual se vem ainda juntar o início da Primeira Grande Guerra. Goradas quaisquer tentativas de arbitrar os diferendos partidários, o Presidente vê-se obrigado a resignar após a revolta de 14 de Maio de 1915.[4]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Partido Candidato Votos %
Partido Republicano Português (bloco evolucionista e unionista) Manuel de Arriaga 121
55,76 / 100,00
Partido Republicano Português (bloco democrático) Bernardino Machado 86
39,63 / 100,00
Independente Duarte Leite 4
1,84 / 100,00
Independente Sebastião de Magalhães Lima 1
0,46 / 100,00
Independente Augusto Alves da Veiga 1
0,46 / 100,00
Votos em Branco 4
1,85 / 100,00
Total 217
100,00 / 100,00

Arquivo Histórico Parlamentar

Gráfico[editar | editar código-fonte]

Gráfico dos resultados
Manuel de Arriaga
  
121
Bernardino Machado
  
86
Duarte Leite
  
4
Sebastião de Magalhães Lima
  
1
Augusto Alves da Veiga
  
1

Referências

  1. Constituição Política da República Portuguesa (1911)
  2. a b Serra, João Bonifácio (26 de agosto de 2010). «"As eleições de 1911"». Público. Consultado em 2 de Dezembro de 2015. 
  3. «"Assembleia Nacional Constituinte de 1911 - Eleição do Presidente da República Manuel de Arriaga, 24 de Agosto de 1911"». Arquivo Histórico Parlamentar. Consultado em 2 de Dezembro de 2015. 
  4. «"Presidentes Anteriores - Manuel de Arriaga"». Página oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2 de Dezembro de 2015.