Alvito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Alvito (desambiguação).
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2011).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Alvito
Brasão de Alvito Bandeira de Alvito
Brasão Bandeira
Castelo de Alvito (Portugal)2.jpg
Alvito — Castelo e Pelourinho
Localização de Alvito
Gentílico Alvitense
Área 264,85 km2
População 2 504 hab. (2011)
Densidade populacional 9,45 hab./km2
N.º de freguesias 2
Presidente da
Câmara Municipal
António Valério (CDU)
Fundação do município
(ou foral)
1280
Região (NUTS II) Alentejo
Sub-região (NUTS III) Baixo Alentejo
Distrito Beja
Antiga província Baixo Alentejo
Orago Nossa Senhora da Assunção
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 7920-___ Alvito
Sítio oficial C.M. Alvito
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Alvito é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Beja, região do Alentejo e sub-região do Baixo Alentejo, com cerca de 1 250 habitantes.[1]

É sede de um município com 264,85 km² de área[2] e 2 504 habitantes (2011),[1] [3] subdividido em 2 freguesias.[4] O município é limitado a norte pelo município de Viana do Alentejo, a este por Cuba, a sul e oeste por Ferreira do Alentejo e a oeste por Alcácer do Sal.

História[editar | editar código-fonte]

Os vestígios mais antigos revelam a presença humana na idade do cobre, do bronze e do ferro. Durante o século I, este foi ocupado pelos romanos, que deixaram construção ainda observável, eg as villae de S. Romão, de S. Francisco e Malk Abraão. Também visigodos e muçulmanos ocuparam posteriormente estas antigas villae.[5]

Foi finalmente conquistada pelos Portugueses em 1234, e em 1251 a povoação é doada a D. Estêvão Anes, chanceler-mor do reino, por D. Afonso III e pelos Pestanas de Évora. A partir desta data, sobretudo através da acção do Chanceler, procede-se ao seu repovoamento, passando Alvito a ser uma povoação com dimensões consideráveis para a época.[5]

Em 1279 com a morte de D. Estêvão Anes, a vila fica em testamento para a Ordem da Santíssima Trindade, a qual lhe concede carta de foral a 1 de Agosto de 1280, que viria a ser confirmado por D. Dinis em 1283. Em 1387, D. João I doa Alvito a D. Diogo Lobo, em troca dos bons serviços prestados na batalha de Aljubarrota (1385) e na conquista de Évora aos espanhóis (1387), ficando a vila ligada à história desta família ao longo de todo o restante período do regime monárquico.[5]

A 24 de Abril de 1475, D. Afonso V concede ao Dr. João Fernandes da Silveira, esposo de D. Maria de Sousa Lobo, o título de Barão, passando Alvito a ser a «cabeça» da primeira baronia instituída em Portugal. Nesta época já a povoação desfrutava de um crescimento acentuado, fruto da conjuntura favorável em que o reino se encontrava e que permitiu um forte crescimento populacional em todo o país.[5]

Tal crescimento teve fortes repercussões na economia da vila, dado que Alvito passa a ser um dos principais centros político-económicos de todo o Alentejo, durante o período moderno, tendo quase 1700 habitantes e 364 fogos, segundo as estatísticas do censo de 1527. Este facto justifica o esplendor que se pode observar em muitos monumentos: Castelo, Igreja Matriz, Igreja da Misericórdia, Igreja de Nossa Senhora das Candeias, bem como na representatividade da arte manuelina de Alvito[5] .

Na época de transição do século XVIII para o século XIX, o crescimento e prosperidade de Alvito estagnam, começando o seu declínio a partir de meados da década de 70, após o 25 de Abril.[carece de fontes?]

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
9 607 10 215 10 827 11 089 11 848 12 173 14 180 16 283 17 702 16 028 12 264 10 637 8 999 8 145 7 449

(Número de habitantes que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Por decreto de 03/04/1871 a freguesia de Torrão, que pertencia ao concelho de Alvito, passou a fazer parte do de Alcácer do Sal, do distrito de Setúbal. Por decreto de 17/10/1876 a freguesia de Odivelas, também pertencente ao concelho de Alvito, passou a fazer parte do de Ferreira do Alentejo.

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 975 1 436 1 356 1 545 1 838 1 661 1 278 840 569 444 350 325
15-24 Anos 548 669 749 845 1 043 970 908 435 397 288 355 261
25-64 Anos 1 362 1 766 1 590 1 808 2 403 2 393 2 289 1 760 1 434 1 256 1 249 1 212
= ou > 65 Anos 220 237 277 280 333 367 375 430 568 662 734 706
> Id. desconh 2 16 6 1 2

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população presente no concelho à data em que eles se realizaram Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Alvito.

O concelho de Alvito está dividido em 2 freguesias:

Política[editar | editar código-fonte]

Eleições autárquicas[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal[editar | editar código-fonte]

% M % M % M % M % M % M % M % M % M % M % M
Partido 1976 1979 1982 1985 1989 1993 1997 2001 2005 2009 2013
PS 49,1 3 13,4 13,3 24,4 1 30,2 2 33,8 2 45,4 2 21,8 1 33,4 2 31,1 2
FEPU/APU/CDU 43,7 2 49,6 3 47,8 3 40,4 2 33,4 2 32,5 2 45,0 3 32,2 2 20,9 1 34,1 2 45,2 2
PSD-CDS-PPPM 34,2 2 33,4 2 20,3 1 29,6 1
PPD/PSD 55,5 3 37,8 2 30,1 1 14,1 16,4 1
IND 33,8 2
PSD-CDS 19,1 1

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Geminações[editar | editar código-fonte]

O concelho de Alvito é geminado com a seguinte cidade:[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Alentejo. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 100. ISBN 978-989-25-0182-6 ISSN 0872-6493 Página visitada em 27/07/2013.
  2. Instituto Geográfico Português (2013). "Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013" (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consult. 28/11/2013. 
  3. INE (2012). "Quadros de apuramento por freguesia" (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_ALENTEJO". Instituto Nacional de Estatística. Consult. 27/07/2013. 
  4. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  5. a b c d e "Alvito". Memória Portuguesa. Consult. 30 de setembro de 2011. 
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  8. http://www.anmp.pt/anmp/pro/mun1/gem101l0.php?cod_ent=M7920

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre um município de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Concelhos do Distrito de Beja Mapa do distrito de Beja
Aljustrel
Almodôvar
Alvito
Barrancos
Beja
Castro Verde
Cuba
Ferreira do Alentejo
Mértola
Moura
Odemira
Ourique
Serpa
]Vidigueira
Aljustrel
Almodôvar
Alvito
Barrancos
Beja
Castro Verde
Cuba
Ferreira do Alentejo
Mértola
Moura
Odemira
Ourique
Serpa
Vidigueira