Estação Ferroviária de Coimbra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Coimbra
BSicon BAHN.svg
enquadramento da estação de Coimbra (fachada principal, virada a sueste) na Avenida Navarro
Identificação:[1] 41020 COI (Coimbra)
Denominação: Estação de Coimbra
Classificação: E (estação)[2][3]
Linha(s): Ramal da Lousã (PK 1,669)
Altitude: 20 m (a.n.m)
Coordenadas: 40°12′31.56″N × 8°25′55.38″W

(≍+40.20877;−8.43205)

(mais mapas: 40° 12′ 31,56″ N, 8° 25′ 55,38″ O)
Concelho: bandeiraCoimbra
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgRBSicon LSTR yellow.svgUBSicon LSTR red.svgIR
Conexões:
Ligação a autocarros103 11 12 12A 12R 13P 14 14T 17 21 21A 21R 21T 22 24 24T 30 31 32 32A 32R 33 38 38F 38T 4 47 48 49 5F 6 7 7T 9 9F Bot
Ligação ao metroMM
Serviço de táxisCBR
Equipamentos: Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes Posto de perdidos e achados Caixas de correio Sala de espera Telefones públicos Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento Lavabos adaptados Lavabos Bar ou cafetaria
Inauguração: 18 de outubro de 1885 (há 137 anos)
Diagrama:
Website:
Aspeto da fachada principal.
O antigo Grémio da Lavoura visto das plataformas.
Disambig grey.svg Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Estação Ferroviária de Coimbra-B, Apeadeiro de Coimbra-Parque, Apeadeiro de Coimbra-Parque (antigo) ou Apeadeiro de Coimbrões.

A Estação Ferroviária de Coimbra, igualmente conhecida como de Coimbra-Cidade, e popularmente chamada de Coimbra-A e Estação Nova, é uma interface do Ramal da Lousã, que serve a cidade de Coimbra, em Portugal.

Esta estação foi inaugurada pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses em 18 de Outubro de 1885.[4][5] Desde 1864 que a cidade de Coimbra era já servida por uma estação da Linha do Norte, Coimbra-B, mais afastada do centro. A abertura do ramal entre esta e a nova estação de Coimbra permitiu levar o caminho-de-ferro para um local mais próximo do centro da cidade. Na altura da abertura da Estação de Coimbra já existiam planos para a construção de uma linha férrea entre Coimbra e o interior do seu distrito (até à Lousã e Arganil); a Estação de Coimbra deixou pois de ser tecnicamente um terminus em 1906, com a inauguração da linha Coimbra–Lousã; o troço inicial da nova linha partilhava o canal rodoviário no centro da cidade e por isso muitos serviços dessa linha não incluiam Coimbra. Igualmente, durante décadas, muitos serviços ferroviários da linha do Norte começavam e iniciavam a sua marcha aqui (e.g., em 1933).[6] Entretanto, em 1931 fora inaugurado o atual edifício de passageiros, desenhado pelo arquiteto Cotinelli Telmo. Na década de 1990 foi apresentado o projeto do Metro Mondego, que defendia a transformação do Ramal da Lousã, no qual esta estação se insere, numa linha de metropolitano ligeiro de superfície, e a quase totalidade do Ramal da Lousã foi encerrada em 2009–2010. Na altura, o troço inicial entre Coimbra-B e esta estação não foi encerrado, pelo que a Estação de Coimbra voltou a ser o terminal provisório do Ramal da Lousã. Da incerta sorte do Metro Mondego depende o destino da Estação de Coimbra, cujo encerramento esteve previsto para 2020.[7]

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Vista de sudoeste, em 2016, com a via férrea para além da estação, sobre a Av. Navarro.
Fachada lateral nordeste, em 2013 (note-se a fiação aérea dos tróleis).

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta interface encontra-se junto ao Largo das Ameias, na freguesia da São Bartolomeu, na cidade de Coimbra,[8][9] apresentando um plano em "U" com três fachadas viradas à via pública:[10]

  • A principal, virada a sudeste, no enfiamento da Av. Emídio Navarro, paralela ao Mondego,
  • outra virada a nordeste (Rua António Granjo) com saída em varanda,
  • e ainda uma fachada em plataforma ferroviária aberta virada a sudoeste e ao Mondego (Av. Cidade Aeminium).[10]

Vias e plataformas[editar | editar código-fonte]

Está ligada a Coimbra-B por cerca de 1,5 km de via única[11] (troço inicial do Ramal da Lousã)[1], apresentando quatro vias de circulação das quais três franquando plataformas: Duas delas terminam no seio da plataforma terminal que o edifício envolve,[11] e uma única via, a mais a sudoeste, corre paralela à Av. Cidade Aeminium e prolonga-se pela Av. Emídio Navarro, franqueando a fachada principal da estação pela sua direita com insersão direta na via pública[11] — caso raro no sistema ferroviário pesado português, onde impera segregação estrita.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Durante o planeamento da Linha do Norte pelo engenheiro Wattier, na Década de 1850, considerou-se que a cidade de Coimbra era local obrigatório de passagem para a futura linha,[12] devido à sua importância como centro regional.[13] Com efeito, a cidade deveria não ser só servida da melhor forma possível pela Linha do Norte, que deveria ser desviada se necessário, mas também tornar-se num importante núcleo ferroviário ao ser o ponto inicial da futura Linha da Beira Alta, melhorando desta forma as comunicações entre Coimbra e a região interior.[13] A primeira estação de Coimbra entrou ao serviço em 10 de Abril de 1864, como parte do lanço entre Estarreja e Taveiro da Linha do Norte.[5]

Entretanto, iniciaram-se os estudos para a futura Linha da Beira Alta, desde Coimbra até Espanha, tendo o engenheiro Francisco Maria de Sousa Brandão sido responsável pelo reconhecimento do terreno entre a cidade e a fronteira, em 1859.[14] No entanto, por motivos de ordem técnica, o local de entroncamento foi mudado para a Pampilhosa por uma lei de 23 de Março de 1878.[5]

Estação primitiva de Coimbra, edifício modesto junto ao Hotel Palace.

Planeamento[editar | editar código-fonte]

De forma a compensar a cidade de Coimbra por esta perda, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses da Beira Alta, que foi responsável pela construção daquela linha, comprometeu-se a construir uma nova gare ferroviária situada junto ao centro da cidade, com o correspondente ramal de ligação à Linha do Norte.[5] Porém, a Companhia da Beira Alta entrou em conflito com o estado, motivo que levou a que a concessão para o Ramal de Coimbra fosse entregue à Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[5][4] em 1883.[13]

Inauguração e ampliação[editar | editar código-fonte]

Assim, foi pela Companhia Real que a estação central foi inaugurada, em 18 de Outubro de 1885, para servir como terminal do Ramal de Coimbra.[5][4] No entanto, a avenida de acesso à nova estação só entrou ao serviço em 1889, tendo sido uma das primeiras obras num programa de expansão das vias rodoviárias na cidade de Coimbra.[15] A zona onde se insere a estação tornou-se num dos pontos mais importantes da cidade, devido ao movimento de passageiros, tendo sido construídos ali importantes estabelecimentos hoteleiros.[15]

Em 16 de Março de 1898, a Gazeta dos Caminhos de Ferro noticiou que o jornal Conimbricense tinha proposto a expansão da estação de Coimbra, tanto o edifício de passageiros como nos cais para carga, ideia que teve o apoio das entidades locais.[16] Com efeito, nessa altura a autarquia e várias empresas de Coimbra já tinham começado a discutir como deveria ser feita a angariação dos fundos e as expropriações necessárias para este processo.[16] Em 7 de Fevereiro de 1903, foi elaborado um projecto para a ampliação da estação de Coimbra, que foi aprovado por uma portaria de 27 de Junho.[17] Este documento foi substituído por um novo projecto, datado de 13 de Julho, que foi aprovado pelo governo em 31 de Agosto.[17] Segundo este novo plano, seria necessário ocupar uma extensão de 254 m² para a ampliação, enquanto que o projecto original só necessitava de 162 m².[17] No entanto, esta solução provocou protestos em Coimbra, que consideravam que a ampliação seria prejudicial aos projectos que já existiam para vários melhoramentos na cidade.[18]

Em 8 de Novembro de 1908, o rei D. Manuel II viajou de Lisboa para o Porto, tendo passado pela estação de Coimbra, onde foi efusivamente recebido, tendo os estudantes acompanhado o comboio a pé durante cerca de um quilómetro após a partida.[19]

Ligação à Lousã[editar | editar código-fonte]

Em 1883, foi assinada a concessão para a linha de Coimbra a Arganil, primeiro como via estreita e depois em bitola larga.[13] A escritura para a construção da linha foi assinada entre a Companhia do Caminho de Ferro do Mondego e Eugène Beraud, em 22 de Fevereiro de 1889.[20]

O primeiro troço do Caminho de Ferro de Coimbra a Arganil, entre esta estação e a Lousã, entrou ao serviço em 16 de Dezembro de 1906.[21]

Chegada de António José de Almeida a Coimbra, em 1914.

Década de 1910[editar | editar código-fonte]

Em 1913, a estação de Coimbra era servida por carreiras de diligências até Lorvão, Chelo, Penacova, Rebordosa, Vila Nova de Poiares, Olho Marinho, Arganil, Góis, Penela, e Várzea de Góis.[22]

Em 16 de Março de 1918, a Gazeta dos Caminhos de Ferro relatou que em breve iria ser ampliada a estação de Coimbra, e deslocalizado o cais para mercadorias.[23]

Aspeto do interior da nova estação, inaugurada em 1931.

Décadas de 1920 e 1930[editar | editar código-fonte]

Em 1923, os arquitectos Cottinelli Telmo e Luís da Cunha foram nomeados pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para refazer um estudo que já existia para o novo edifício de passageiros na estação de Coimbra Cidade.[24] As principais alterações em relação ao plano anterior foram no desenho dos alçados, utilizando uma linguagem classicizante, mais depurada e sóbria.[24] A nova estação foi desenhada de forma a dar um ambiente de ordenação e dignidade urbana, correspondente à sua importância como um grande equipamento público.[24] O edifício apresenta uma mistura de elementos regionalistas e modernistas,[25] acompanhando as tendências em voga nessa altura para a construção dos edifícios públicos.[24][10] Este modelo foi posteriormente reutilizado por Cottinelli Telmo noutros conjuntos, como o bairro ferroviário Camões no Entroncamento, e as estações de Tomar,[24] Carregado, e Terreiro do Paço.[10] As obras iniciaram-se em 1925 e terminaram em 1931,[26][27] ano em que a estação foi inaugurada.[24]

Entretanto, em 1927 iniciaram-se os estudos para a revisão do plano para a rede ferroviária nacional, tendo sido nessa altura proposta a alteração do traçado do Ramal da Lousã além de Coimbra, que passaria a ser de via estreita, e sair da estação de Coimbra B.[13] A autarquia de Coimbra sugeriu o encerramento de todo o percurso do ramal na cidade, que seria substituído por linhas de carros eléctricos.[13] Estes planos foram cancelados devido à crise dos caminhos de ferro a partir de 1930.[13]

Em 19 de Maio de 1933, o transporte de passageiros entre Coimbra e Serpins passou a ser feito por uma carreira rodoviária.[28][necessário esclarecer]

Em 1939, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses fez grandes obras de reparação no caminho de acesso ao cais de mercadorias de Coimbra.[29]

Elétrico de Coimbra circulando em frente da estação, em 1969.

Década de 1940[editar | editar código-fonte]

Estação de Coimbra em 1990

Em 1 de Junho de 1949, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses introduziu ao serviço uma automotora entre Coimbra e Mangualde, medida que foi bem recebida pela população.[30]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

Em 14 de Novembro de 2002, um comboio de passageiros descarrilou quando estava em manobras na estação de Coimbra, tendo derrubado um poste de alta tensão e batido contra o muro na margem do Rio Mondego.[31] Este acidente não provocou quaisquer vítimas, uma vez que não havia passageiros a bordo naquela altura, mas levou a uma interrupção temporária da circulação entre as duas estações de Coimbra.[31]

Na década de 1990 fora apresentado o projeto do Metro Mondego, que defendia a transformação do Ramal da Lousã, no qual esta estação se insere, numa linha de metropolitano ligeiro de superfície. Para isso, a quase totalidade do Ramal da Lousã foi encerrada em 2009–2010. Na altura, o troço inicial entre Coimbra-B e esta estação não foi encerrado, pelo que Coimbra voltou a ser o terminal provisório do Ramal da Lousã. No entanto, devido aos efeitos da crise financeira portuguesa de 2010-2014, as obras do Metro Mondego foram suspensas. Em 2017, o governo português reformulou por completo o projeto, renomeado Sistema de Mobilidade do Mondego: Foi abandonada a ideia do metro ligeiro e optou-se por instalar um sistema de autocarros no canal ferroviário.[32] Em 2018 previa-se que o tráfego ferroviário entre Coimbra-B e Coimbra, e por consequência, esta estação, fosse encerrado em finais de 2020, com o sistema de autocarros elétricos no canal do Ramal da Lousã a entrar em funcionamento em 2021[7] — o que não se verificou, com Coimbra a constar da oferta dos serviços da C.P. até, pelo menos, 2022.[33]

Comboios em Coimbra
(Serviços ferroviários pesados suburbanos e
regionais de passageiros, na região de Coimbra)

BSicon BHFq black.svg BSicon fBHFq.svg BSicon fexBHFq.svg em operação • BSicon BHFq.svg extinto em 2010
BSicon fexBHFq.svg ext. anunc. 2020 • BSicon exBHFq black.svg BSicon exBHFq.svg extinto em 2009


 
Unknown route-map component "STR+l" Unknown route-map component "STR+r"
 
(ã) Lobazes 
Station on track Station on track
 Moinhos (ã)
(ã) Miranda do Corvo 
Unknown route-map component "KBHFxe" Station on track
 Trémoa (ã)
(ã) Padrão 
Unknown route-map component "exBHF" Station on track
 Vale de Açor (ã)
(ã) Meiral 
Unknown route-map component "exBHF" Station on track
 Ceira (ã)
(ã) Lousã-A 
Unknown route-map component "exBHF" Station on track
 Conraria (ã)
(ã) Lousã 
Unknown route-map component "exBHF" Station on track
 Carvalhosas (ã)
(ã) Prilhão-Casais 
Unknown route-map component "exBHF" Station on track
 S. José (Calhabé) (ã)
(ã) Serpins 
Unknown route-map component "exKBHFe"
End station + Unknown route-map component "HUBa"
 Coimbra-Parque (ã)
(ã) Coimbra 
Unknown route-map component "c"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "HUBaq"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "dKBHFa-L black"
Unknown route-map component "c"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "fexdKBHFa-R"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "HUBr"
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "c"
 
 
Unknown route-map component "d"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "dSTR_black"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "fxABZg+l"
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "c"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "fSTR+r"
Unknown route-map component "d"
 
(ã)(n) Coimbra-B 
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "dBHF-L_black" Unknown route-map component "fdKBHFe-R" Unknown route-map component "fdSTRc2" Unknown route-map component "fdSTR3"
 
(n) Souselas 
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "BHF_black" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "fdSTR+1"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "fSTRc4"
Unknown route-map component "c"
 
(f)(n) Pampilhosa 
Unknown route-map component "KBHFxe_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Bencanta (n)
(f) Mala 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Espadaneira (n)
(f) Silvã-Feiteira 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Casais (n)
(f) Enxofães 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Taveiro (n)
(f) Murtede 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 V. Pouca Campo (n)
(f) Cordinhã 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Ameal (n)
(f) Cantanhede 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Pereira (n)
(f) Limede-Cadima 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Formoselha
(f) Casal 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Alfarelos (a)(n)
(f) Arazede 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Montemor (a)
(f) Bebedouro 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Marujal (a)
(f) Liceia 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Verride (a)
(f) Santana-Ferreira 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Reveles (a)
(f) Costeira 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Bif. de Lares (a)(o)
(f) Alhadas 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Lares (o)
(f) Carvalhal 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Fontela (o)
(f) Maiorca 
Unknown route-map component "exBHF_black" Unknown route-map component "fBHF"
 Fontela-A (o)
 
Unknown route-map component "exKBHFe-L black" Unknown route-map component "fKBHFe-R"
 Figueira da Foz (f)(o)

Linhas: a R. Alfarelosf R. Figueira da Foz
ã R. Lousãn L.ª Norteo L.ª Oeste
Fonte principal: Diagrama oficial (2001)

Ferrovias e similares em Coimbra
SMTUC CP/IP + MM (2006– ⚒)
BSicon uSTRq.svg elétrico (1911–1980)*
BSicon STRq.svg trólei (1947–)*
BSicon FUNI.svg elevador (2001–)
BSicon .svg (* fonte ~1971 =)
BSicon STRq black.svg L.ª Norte (1857–)
BSicon STRq black.svg R. Coimbra (1885–)
BSicon STRq grey.svg R. Lousã (1906–2006) MM
BSicon exSTRq grey.svg “L.ª Hospital” MM

Unknown route-map component "uSTR+l" Urban transverse track Unknown route-map component "uENDEeq" Unknown route-map component "CONTg grey"
Urban straight track Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "uABZgl+l" + Unknown route-map component "STRc2"
Unknown route-map component "-STR3+l" + Unknown route-map component "uSHI1lq"
Unknown route-map component "uSTR2+r-" + Unknown route-map component "-STRq"
Unknown route-map component "-STRq" + Unknown route-map component "uSTRc3"
Unknown route-map component "-STR2+r" Unknown route-map component "STRc3" Unknown route-map component "+d" Unknown route-map component "vSTR+2h-" Unknown route-map component "dSHI3c3" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "uSHI1r" + Unknown route-map component "v-STR+1"
Unknown route-map component "STRc4" Unknown route-map component "uSTRc1" Unknown route-map component "uSTR2+4"
Unknown route-map component "STRc1" + Unknown route-map component "uSTRc3"
Unknown route-map component "STR2+4" Unknown route-map component "STRc3"
Unknown route-map component "v-STR" + Unknown route-map component "vSTR+l-"
One way rightward Unknown route-map component "STRc2" Unknown route-map component "STR2+3"
Unknown route-map component "BHF grey" + Unknown route-map component "STRc3"
Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "uSTRc1" Unknown route-map component "uSTR2+4"
Unknown route-map component "STRc1" + Unknown route-map component "uSTRc3"
Unknown route-map component "STR2+4" Unknown route-map component "STRc3" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR2+1" Unknown route-map component "STRc1234"
Unknown route-map component "STR grey" + Unknown route-map component "STR3+4"
Unknown route-map component "uvSTR+lf-" + Unknown route-map component "uvSTRlf-" + Unknown route-map component "v-STRlg"
Unknown route-map component "umvSTRq"
Unknown route-map component "uvSTR+rf-" + Unknown route-map component "v-STR+rg"
Unknown route-map component "uSTRc1"
Unknown route-map component "uSTR2+4" + Unknown route-map component "DNULg"
Unknown route-map component "uSTRc3" + Unknown route-map component "STRc1"
Unknown route-map component "STR+4" Unknown route-map component "vSTRl" Unknown route-map component "STRq-STR+r" Unknown route-map component "v-STR+rg" Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "vSTR+4-STR+1"
Unknown route-map component "STR grey" + Unknown route-map component "STRc4"
Unknown route-map component "uvSHI2gl-" Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "uSTRc1" Unknown route-map component "uSTR2+4"
Unknown route-map component "uSTRc3" + Unknown route-map component "STR2"
Unknown route-map component "STRc3" Straight track Unknown route-map component "v-STR" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "uSPLe"
Unknown route-map component "uvSHI2l-" + Unknown route-map component "vSTR+l-" + Unknown route-map component "v-STRl"
Unknown route-map component "STR2+r" Unknown route-map component "STRc3" Unknown route-map component "uSTRc1"
Unknown route-map component "uSTR+4" + Unknown route-map component "STRc1"
Unknown route-map component "STR2+4" Unknown route-map component "STR2+c3"
Unknown route-map component "STRc3" + Unknown route-map component "v-STR" + Unknown route-map component "vSTR+l"
Unknown route-map component "vSTRq"
Unknown route-map component "vSTR" + Unknown route-map component "vSTR+r"
Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track Unknown route-map component "mvSTR" Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "ABZ4+2f" Unknown route-map component "STRc3" Urban straight track Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "STR+4+c1"
Unknown route-map component "vSTR" + Unknown route-map component "vSTR+4-"
Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track
Unknown route-map component "mvSTR" + Unknown route-map component "vSTRlf-" + Unknown route-map component "uv-STRlg"
Unknown route-map component "uvSTR+lg-" + Unknown route-map component "mvSTRq" + Unknown route-map component "v-STR+lf"
Unknown route-map component "uSHI2rq-" + Unknown route-map component "-STR2+r" + Unknown route-map component "-STRr" + Unknown route-map component "STRc1"
Unknown route-map component "STRc3" + Unknown route-map component "u-STRq" + Unknown route-map component "STRl+4-"
Unknown route-map component "umvSTRq"
Unknown route-map component "u-STRr" + Unknown route-map component "STR2+r-"
Unknown route-map component "STRc3" Straight track Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "uSTRg" Unknown route-map component "mvSTR" Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "STR2+4" Unknown route-map component "STRc23"
Unknown route-map component "STRc12" + Unknown route-map component "-STR3+l" + Unknown route-map component "STR+3"
Unknown route-map component "STR3+l-" + Unknown route-map component "-STRq" + Unknown route-map component "STRl+4-"
Unknown route-map component "vSTRq" + Unknown route-map component "STRr-"
Unknown route-map component "vSTRr" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track
Unknown route-map component "mvSTR" + Unknown route-map component "vSTR+l-"
Unknown route-map component "umvSTR" + Transverse track
Unknown route-map component "STR+r" Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "STR1+4"
Unknown route-map component "STRc4" + Unknown route-map component "ABZg+1"
Unknown route-map component "STRc4" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track Unknown route-map component "mvSTR" Unknown route-map component "umvSTR" Straight track Straight track Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track Unknown route-map component "mvSTR" Unknown route-map component "umvSTR" Straight track Unknown route-map component "STRc2" Unknown route-map component "STR3" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track
Unknown route-map component "mvSTR" + Unknown route-map component "vSTRlf-"
Unknown route-map component "umvSTR" + Unknown route-map component "v-STRrf"
One way leftward Transverse track Unknown route-map component "STRr+1" Unknown route-map component "STRc4" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Urban straight track Unknown route-map component "uSTR+l"
Urban transverse track + Unknown route-map component "mvSTR"
Unknown route-map component "umvSTR" + Unknown route-map component "uvSTR+r-"
Funicular Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "uSTRl" Unknown route-map component "uSTRr" Unknown route-map component "mvSTR" Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "CONTg black"
Unknown route-map component "vSTR-" + Unknown route-map component "uv-SHI2g+l"
Unknown route-map component "v-STR" + Unknown route-map component "uvSHI2gr-"
Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "STR black" Unknown route-map component "uSTR+l-"
Unknown route-map component "uSTRq-" + Unknown route-map component "uvSTR+lg-" + Unknown route-map component "v-STR+lf"
Unknown route-map component "uv-STRrg" + Unknown route-map component "-STRq" + Unknown route-map component "vSTRrf-"
Unknown route-map component "uvSTRlf-" + Unknown route-map component "v-STRlg" + Unknown route-map component "-SHI2lq"
Unknown route-map component "umvSTRq"
Unknown route-map component "uvSTR+rf-" + Unknown route-map component "v-STR+rg"
Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "STR black" Urban non-passenger end station Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "uKDSTaq" Unknown route-map component "uSTR+r" Non-passenger head station Unknown route-map component "vSTR" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "STR black" Unknown route-map component "umvSTR" Unknown route-map component "STRc2"
Unknown route-map component "umvSTR" + Unknown route-map component "-STR3+l" + Unknown route-map component "v-STRlg"
Unknown route-map component "vSTRq" Unknown route-map component "vSTRq"
Urban straight track + Unknown route-map component "vSTRq"
Unknown route-map component "vSTRq" + Unknown route-map component "STRr-"
Unknown route-map component "vSTRq" Unknown route-map component "vSTRq" Unknown route-map component "vSTRr" Unknown route-map component "BHF grey"
Unknown route-map component "BHF black"
Unknown route-map component "uvSTRlf-" + Unknown route-map component "v-STRlg"
Unknown route-map component "umvSTRq" Unknown route-map component "umvSTRq"
Unknown route-map component "umvSTRq" + Unknown route-map component "STRr+1-"
Unknown route-map component "uSHI1+rq" + Unknown route-map component "uvSTRrf-" + Unknown route-map component "v-STR" + Unknown route-map component "STRc4" + Unknown route-map component "vSTR+rg-"
Urban transverse track Urban transverse track Unknown route-map component "uSTRr" Unknown route-map component "STR grey"
Unknown route-map component "ABZgl black" Unknown route-map component "STRq black" Unknown route-map component "SPLaq black"
Unknown route-map component "-STRq grey" + Unknown route-map component "vKBHFeq black"
Unknown route-map component "-STRq grey" Unknown route-map component "-STRq grey"
Unknown route-map component "SHI1+rq grey" + Unknown route-map component "vSTR"
Unknown route-map component "eBHFq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRq grey" Unknown route-map component "STRr grey"
Unknown route-map component "hKRZWae_black" Transverse water Transverse water Transverse water Transverse water
Transverse water + Unknown route-map component "lhSTRae+L"
Unknown route-map component "vSTR"
Transverse water + Unknown route-map component "lhSTRae+R"
Transverse water Transverse water Transverse water Transverse water Transverse water Transverse water Transverse water
Unknown route-map component "STR black" Unknown route-map component "STRc2" Unknown route-map component "STR2+3"
Unknown route-map component "vSTRl" + Unknown route-map component "STRc3"
Unknown route-map component "vSTR+r"
Unknown route-map component "CONTf black" Unknown route-map component "STR2+1" Unknown route-map component "STRc1234"
Unknown route-map component "STRl+4-" + Unknown route-map component "-STR3+l"
Unknown route-map component "vSTRr"
Unknown route-map component "STRc1" Unknown route-map component "STR1+4" Unknown route-map component "STRc4"

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. Instrução de Exploração Técnica N.º 50. INTF («Entrada em vigor 11 de Dezembro de 2005»): p.5
  4. a b c REIS et al, 2006:12
  5. a b c d e f TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 13 de Maio de 2017 
  6. Horário da Linha do Norte em 1933, incluindo o lanço até Coimbra.
  7. a b «Requalifição da estação de Coimbra-B avança na mesma empreitada de terminal de Metrobus». Notícias de Coimbra. 3 de dezembro de 2018. Consultado em 5 de dezembro de 2018 
  8. «Coimbra - Ramal da Lousã». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 7 de Maio de 2017 
  9. «Coimbra». Comboios de Portugal. Consultado em 15 de Novembro de 2014 
  10. a b c d Estação Ferroviária de Coimbra na base de dados SIPA da Direção-Geral do Património Cultural
  11. a b c Sinalização da estação de Coimbra” (diagrama anexo à I.T. n.º 28), 1978
  12. MARTINS et al, 1996:16
  13. a b c d e f g SOUSA, José Fernando de (16 de Junho de 1940). «Coimbra e os Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 52 (1260). p. 371-373. Consultado em 10 de Julho de 2018 
  14. SERRÃO, 1986:237
  15. a b BORGES, 1987:37
  16. a b «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 50 (1206). 16 de Março de 1938. p. 154. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  17. a b c «Parte Official» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 16 (378). 16 de Setembro de 1903. p. 313-315. Consultado em 7 de Maio de 2017 
  18. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 16 (379). 1 de Outubro de 1903. p. 336-337. Consultado em 7 de Maio de 2017 
  19. PROENÇA, 2012:51
  20. MARTINS et al, 1996:249
  21. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 7 de Maio de 2017 
  22. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. Ano 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 19 de Fevereiro de 2018 
  23. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 51 (1232). 16 de Abril de 1939. p. 221-223. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  24. a b c d e f MARTINS et al, 1996:128-129
  25. NUNES, José de Sousa (16 de Junho de 1949). «A Via e Obras nos Caminhos de Ferro em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 62 (1476). p. 418-422. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  26. AFONSO e ROSETA, 2005:98
  27. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 51 (1235). 1 de Junho de 1939. p. 281-284. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  28. MARTINS et al, 1996:259
  29. «O que se fez em Caminhos de Ferro em 1938-39» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 52 (1266). 16 de Setembro de 1940. p. 638-639. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  30. «Linhas portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 62 (1476). 16 de Junho de 1949. p. 435. Consultado em 23 de Fevereiro de 2018 
  31. a b «Comboio sem passageiros descarrilou». Público. Ano XIII (4622). Lisboa: Público, Comunicação Social, S. A. 15 de Novembro de 2002. p. 61 
  32. Soldado, Camilo (1 de junho de 2017). «Vão-se os carris, ficam as rodas. Metro do Mondego, afinal, vai ser um autocarro». Público. Consultado em 5 de dezembro de 2018 
  33. Comboios regionais : Linha do Norte : Coimbra - Aveiro - Porto C.P.: 2021.04.25

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AFONSO, João; ROSETA, Helena (Novembro de 2005). IAPXX – Inquérito à Arquitectura do Século XX em Portugal. Lisboa: Ordem dos Arquitectos. 290 páginas. ISBN 972-8897-14-6 
  • BORGES, Nelson Correia (1987). Coimbra e Região 1.ª ed. Lisboa: Editoral Presença, Lda. 259 páginas 
  • MARTINS, João; SOUSA, Miguel; BRION, Madalena; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • PROENÇA, Maria (2012). D. Manuel II. Col: Reis de Portugal 7.ª ed. Lisboa: Círculo de Leitores e Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa da Universidade Católica Portuguesa. 304 páginas. ISBN 978-972-42-3659-9 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
  • SERRÃO, Joaquim Veríssimo (Março de 1986). História de Portugal: O Terceiro Liberalismo (1851-1890). Volume 9 de 19. Lisboa: Verbo. 423 páginas 

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • ANTUNES, J. A. Aranha; et al. (2010). 1910-2010: o caminho de ferro em Portugal. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e REFER - Rede Ferroviária Nacional. 233 páginas. ISBN 978-989-97035-0-6 
  • CERVEIRA, Augusto; CASTRO, Francisco Almeida e (2006). Material e tracção: os caminhos de ferro portugueses nos anos 1940-70. Col: Para a História do Caminho de Ferro em Portugal. 5. Lisboa: CP-Comboios de Portugal. 270 páginas. ISBN 989-95182-0-4 
  • VILLAS-BOAS, Alfredo Vieira Peixoto de (2010) [1905]. Caminhos de Ferro Portuguezes. Lisboa e Valladollid: Livraria Clássica Editora e Editorial Maxtor. 583 páginas. ISBN 8497618556 
  • SALGUEIRO, Ângela (2008). A Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses: 1859-1891. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa. 145 páginas 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Coimbra

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.