Instituto Federal do Norte de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais
IFNMG
Fundação 29 de dezembro de 2008
Localização Montes Claros (sede)
Januária
Salinas
Arinos
Almenara
Araçuaí
Pirapora, Minas Gerais
Reitor(a) José Ricardo Martins da Silva
Página oficial http://www.ifnmg.edu.br/

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - IFNMG foi criado mediante integração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária e da Escola Agrotécnica Federal de Salinas. Sua Reitoria está instalada em Montes Claros.

Unidades formadoras[editar | editar código-fonte]

Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária[editar | editar código-fonte]

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária foi uma instituição de ensino médio-profissionalizante e ensino superior localizada no município de Januária-MG. Atualmente ele é um dos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IF - Norte de Minas).

[Histórico][1][editar | editar código-fonte]

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária ao longo dos seus 50 anos de experiência passou por uma série de transformações de ordem legal, que muito contribuíram para o aperfeiçoamento do seu fazer pedagógico e ou técnico-administrativo. As mais importantes e decisivas dessas transformações são relacionadas como se seguem:

No dia 4 de outubro de 1960, foi celebrado um convênio entre o Governo Federal e o Governo do Estado de Minas Gerais para instalação de uma Escola Agrícola no município de Januária;

No dia 18 de dezembro desse mesmo ano, pela Lei nº 3.853, publicada no DOU de 20 de dezembro de 1960, foi criada a Escola Agrotécnica de Januária-MG;

Pelo Decreto Federal nº 53.558, de 13 de fevereiro de 1964, este Estabelecimento de Ensino passou a denominar-se Colégio Agrícola de Januária;

Pelo Decreto nº 60.731, datado de 19 de maio de 1967, o Colégio Agrícola de Januária, até então subordinado ao Ministério da Agricultura, foi transferido para o Ministério da Educação e Cultura; permanecendo neste Ministério até os dias atuais;

Em maio de 1964, teve início os estudos formais na Escola, sendo matriculada a primeira turma de ginasianos agrícolas, tendo acontecido em 1967, à formatura dos primeiros alunos matriculados como Mestres Agrícolas;

Em 17 de novembro de 1967, ocorreram as inscrições e matrículas à 1ª série do Curso Técnico Agrícola - Ramo Agricultura, a nível de 2º grau, tendo suas aulas iniciadas em agosto de 1968. A colação de grau dessa primeira turma aconteceu em 5 de julho de 1971, como Técnico Agrícola;

No dia 6 de maio de 1972, cola grau a última turma de ginasianos agrícolas passando a escola a funcionar somente com o curso Técnico Agrícola;

No ano letivo de 1974, a Escola fez uma mudança radical no seu Currículo e Calendário escolar, passando a ministrar, sem prejuízo para os alunos que cursavam a habilitação até então oferecida, o Curso Técnico Agrícola – Habilitação em Agropecuária, situação que perdura até a presente data;

Assim, em 3 de Julho de 1975, aconteceu a colação de grau da última turma de Técnicos Agrícolas – habilitação em Agricultura;

Pela Lei nº 8.731, do dia 16 de novembro de 1993, a Escola conseguiu autonomia didático-pedagógica e administrativa, através de sua autarquização;

No Ano Letivo de 1996, além da tradicional habilitação em agropecuária a Escola passou a oferecer uma nova habilitação, a de Processamento de Dados, em nível de Pós-Segundo grau, a qual posteriormente passou a denominar-se Técnico em Informática;

No Ano Letivo de 1998, foi implantada a Habilitação de Técnico em Agroindústria;

No ano letivo de 2000 foi implantado a Habilitação de Técnico em Enfermagem;

Em 2001, mais duas habilitações foram implantadas, uma na Área de Gestão – Técnico em Administração, em que foram oferecidas 60 vagas e outra na Área de Meio ambiente – Técnico em Meio ambiente;

Pelo Decreto Presidencial de 13 de novembro de 2002, a Escola foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária – CEFET de Januária-MG. Ainda no ano de 2002, a Portaria nº 3634 de 19 de dezembro de 2002 autorizou o funcionamento do primeiro Curso Superior na Instituição: o Curso Superior de Tecnologia em Irrigação e Drenagem, com vestibular realizado no mês de dezembro/2003, com o início das aulas em fevereiro de 2004;

Pela Resolução do Conselho Diretor do CEFET Januária N°004/2005 de 20 de Setembro de 2005, autorizou o funcionamento dos Cursos Superiores: Curso Superior de Tecnologia de Sistemas de Informação e Curso Superior de Tecnologia em Administração, com vestibular para Dezembro de 2005, com início das aulas em 2006.

É importante ressaltar que no ano letivo de 2001 a Escola Agrotécnica Federal de Januária-MG realizou a separação de matrículas do seu curso Técnico em Agropecuária, que até então, era constituído de disciplinas de Ensino Médio e de disciplinas de Educação Profissional.

Passando a oferecer os cursos de Ensino Médio e de Técnico em Agropecuária obedecendo aos princípios pedagógicos e filosóficos dos Referencias Curriculares.

Além disso, com a publicação do Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004, esta Instituição manteve a educação profissional técnica de nível médio concomitante de forma articulada ao ensino médio com duração de 03 (três) anos

Cursos[editar | editar código-fonte]

O hoje campus Januária do IF-Norte de Minas oferece os cursos técnicos Concomitantes/Subsequentes de Técnico em Informática, Técnico em Enfermagem e Técnico em Meio ambiente; Integrados ao Ensino Médio: Técnico em Agropecuária e Técnico em Informática; Ensino Proeja: Formação Básica em Agropecuária e Formação Técnica em Informática; Ensino Superior: Bacharelado em Administração e em Agronomia; Licenciaturas em Física e Matemática; e Tecnologias em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão Comercial e Irrigação e Drenagem; Pós-graduação: Especialização PROEJA.

Escola Agrotécnica Federal de Salinas[editar | editar código-fonte]

A Escola Agrotécnica Federal de Salinas (EAF-SALINAS) foi uma instituição de ensino médio-profissionalizante e ensino superior localizada no município de Salinas-MG. Atualmente ela é um dos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IF - Norte de Minas).

História[editar | editar código-fonte]

Com base no Decreto Federal nº 22.470, de 20 de janeiro de 1947 e nas disposições do Decreto-Lei nº 9.613, de 20 de agosto de 1946, o então Deputado Federal Dr. Clemente Medrado Fernandes fundou a Escola de Iniciação Agrícola de Salinas, em 1953. As primeiras aulas foram dadas no ano de 1956, sendo diretor da instituição o engenheiro agrônomo Abdênago Lisboa, que foi responsável também pela construção das primeiras edificações da escola.

Em 1964 a escola passou a se chamar Ginásio Agrícola de Salinas, e posteriormente Ginásio Agrícola Clemente Medrado, e em 1977 passou a se chamar Escola Agrotécnica Federal de Salinas, denominação que se manteve até o final de 2008, quando foi integrado ao Instituto Federal do Norte de Minas.

Cursos[editar | editar código-fonte]

O hoje campus Salinas do IF-Norte de Minas oferece os cursos técnicos em agropecuária e agroindústria, ambos integrados ao ensino médio, além do curso técnico em informática e o curso superior em Tecnologia em Produção de Cachaça.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.