Jorge Sá Borges

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jorge Sá Borges
Jorge Sá Borges
Ministro(a) de Flag of Portugal.svg Portugal
Período V Governo Constitucional
  • Ministro do Trabalho
Antecessor Eusébio Marques de Carvalho
Sucessor Eusébio Marques de Carvalho

Jorge Sá Borges (Porto, 1933 - Lisboa, 8 de Novembro de 2009) foi político português.

Licenciado em Direito e advogado de profissão, foi vice-presidente da direção de Jorge Sampaio na Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa, em 1960-61, e seguidamente um dos ativistas da célebre crise académica de 1962, que iniciou um período de contestação generalizada dos estudantes contra a ditadura.

Após o 25 de abril de 1974, Sá Borges esteve ligado à fundação do Partido Social Democrata, protagonizando a primeira cisão do partido, logo em 1975.

Mais tarde participou na fundação do Movimento Social Democrata, que integrou outros dissidentes do PSD, como Joaquim Magalhães Mota, José Manuel Sérvulo Correia ou Miguel Veiga.

Ocupou o cargo de Ministro do Trabalho no V Governo Constitucional. Fora antes ministro dos Assuntos Sociais nos governos provisórios de Vasco Gonçalves e de José Pinheiro de Azevedo.


Funções governamentais exercidas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Eusébio Marques de Carvalho
Ministro do Trabalho
V Governo Constitucional
Sucedido por
Eusébio Marques de Carvalho


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.