Línguas da Guiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para as línguas faladas na Guiana Francesa, veja Línguas da Guiana Francesa.

Apesar da Guiana ser um país extremamente multilíngue, o inglês é a única língua oficial desse país, que é o único país sul-americano a ter o inglês como língua oficial.[1][2] O número real de pessoas que falam inglês nesse país não deve ultrapassar os 60%, e como língua materna é provável que esse número seja menos de 10%.

O multilinguismo da Guiana é uma riqueza excepcional. A estrutura e diversidade dos idiomas (línguas ameríndias, português, chinês, hindi, espanhol...) só é comparável com os do vizinho Suriname.

Estatutos das línguas[editar | editar código-fonte]

  • O inglês é a língua oficial, usada na administração e nas escolas.[3]
  • O crioulo da Guiana goza de um estatuto mais ou menos formal de língua nacional.
  • As línguas ameríndias gozam do estatuto de línguas protegidas desde 2006.
  • O Português e o espanhol são tema de promoção.

Crioulo da Guiana[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Crioulo da Guiana

O crioulo da Guiana (um crioulo baseado no inglês com sintaxe africana e / ou do leste da Índia) é amplamente falado na Guiana.[1] É língua materna de 75% da população, mas 80% dos guianeses conseguem compreender esta linguagem.

Este crioulo é falado especialmente no norte do país, mas falantes podem ser encontrados em todo o território da Guiana. Porém, os crioulos sofrem de uma forte desvalorização social e possui uma imagem negativa.

Línguas ameríndias[editar | editar código-fonte]

Um número de línguas ameríndias são faladas por uma minoria da população. Estes incluem línguas caribes como o macuxi, o capom e o uaiuai; línguas aruaques como o arauaque (ou lokono) e o wapixana.[1][2]

Outras línguas[editar | editar código-fonte]

Pelo fato da Guiana ter recebido uma grande quantidade de imigrantes de inúmeras nacionalidades distintas, vários outros idiomas são bastente falados por comunidades de imigrantes e seus descendentes residentes nesse país, principalmente, o português, o chinês, o hindi, o urdu, o espanhol e o tâmil.[1][2][4]

Língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

A língua portuguesa tem uma grande e crescente presença na Guiana, devido há dois fatores, o país fazer fronteira com o Brasil e principalmente pelo grande número de imigrantes brasileiros vivendo no país, em 2000, segundo a embaixada brasileira de Georgetown e outras estimativas, residiam cerca de 10 mil brasileiros na Guiana.[5][6] No país, também existem comunidades de imigrantes portugueses (principalmente madeirenses) e seus descendentes que falam o português como sua língua nativa.[7] A língua portuguesa é ensinada no país no ensino secundário, desde que o Ministério da Educação anunciou oficialmente a inclusão do português nos currículos escolares em 17 de outubro de 2013, inicialmente em cinco liceus.[8][9][10]

Segunda e terceira línguas[editar | editar código-fonte]

O português é uma língua cada vez mais utilizada como segunda língua na Guiana, especialmente no sul do país, na fronteira com o Brasil.[1] O neerlandês e o francês são faladas por aqueles que visitam frequentemente a vizinha Guiana Francesa e Suriname. O francês é amplamente ensinado nas escolas secundárias, juntamente com o espanhol como línguas estrangeiras. O espanhol também é usado por uma minoria da população como segunda língua. O espanhol é falado normalmente pelos visitantes e moradores da Venezuela.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Smock, Kirk (2008). Guyana: The Bradt Travel Guide. [S.l.]: Bradt. 19 páginas. ISBN 978 1 84162 223 1 
  2. a b c Ali, Arif (2008). Guyana. London: Hansib. ISBN 978-1-906190-10-1 
  3. «Informações sobre a Guiana». Consultado em 14 de fevereiro de 2015 
  4. «Guiana». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  5. «Guyana: Caught in Brazil's Net?; Small Nation, New to Free Markets, Fears Loss of Its Identity» (em inglês). The New York Times. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  6. «Um pedacinho do Brasil na capital da Guiana». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  7. «Some preliminary thoughts on Portuguese emigration from Madeira to British Guiana» (em inglês). Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  8. «Língua Portuguesa é incluída no Ensino Secundário da Guiana». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  9. «Língua Portuguesa no Ensino Secundário das escolas da República da Guiana». Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  10. «Língua Portuguesa no Ensino Secundário das escolas da República da Guiana». Ventos da Lusofonia. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  11. Damoiseau, Robert (2003) Eléments de grammaire comparée français-créole guyanais Ibis rouge, Guyana, ISBN 2-84450-192-3

Ligações externas[editar | editar código-fonte]