Mallu Magalhães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mallu Magalhães
Magalhães se apresentando em São Paulo, 2017.
Informação geral
Nome completo Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães
Nascimento 29 de agosto de 1992 (25 anos)
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões) Cantora, compositora, instrumentista e produtora musical
Cônjuge Marcelo Camelo (2008–presente)
Instrumento(s) vocal, guitarra violão, ukulele, gaita, banjo, escaleta e piano
Extensão vocal Soprano
Período em atividade 2007 — atualmente
Gravadora(s) Agência de Música (2008–presente)
Sony Music (2009–presente)
Página oficial www.mallumusic.com.br

Maria Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães (São Paulo, 29 de agosto de 1992),[1] mais conhecida pelo seu nome artístico Mallu Magalhães, é uma cantora, compositora e instrumentista brasileira. Com quatro álbuns e um DVD lançados, seus maiores sucessos são "Velha e Louca", "Tchubaruba", "J1" e "Shine Yellow".

Sua coletânea Highly Sensitive (2013) recebeu elogios do jornal The New York Times, segundo o jornal, Mallu mostra uma "sensibilidade própria" e é "cativante". Ele também diz que ela "não se preocupa demais em encontrar o tom exato".[2] Mora em Campo de Ourique, Lisboa, com o cantor Marcelo Camelo e a filha Luísa, que nasceu em 28 de dezembro de 2015.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mallu é filha da paisagista Gigi Arruda Botelho e do engenheiro e músico amador apaixonado por rock clássico Eduardo Pereira, que a influenciou em seus gostos musicais. Autodidata, aprendeu a tocar violão sozinha aos nove anos de idade. Assim como o banjo, a gaita, a escaleta, o piano, e o ukulele.

Durante sua infância ouvia atentamente os CDs e LPs de seus pais e de seus avós, prestando atenção à música e aos encartes dos discos e, através deles, foi buscando outros artistas.

Aos doze anos, começou a compor músicas, grande parte delas escritas em inglês.

Carreira[editar | editar código-fonte]

2007—2009: Início, primeiro álbum e ascensão[editar | editar código-fonte]

Em 2007, já aos quinze, Mallu conseguiu juntar um dinheiro e gravou quatro de suas músicas, disponibilizando-as na internet por meio do site MySpace. Dentre elas destacaram-se "Tchubaruba", "J1" e "Get To Denmark".

Em janeiro de 2008 Mallu fez sua primeira apresentação acompanhada por músicos profissionais. Foi convidada a abrir o show da banda Vanguart no Clash Club, reduto alternativo paulistano, onde estavam presentes alguns jornalistas.

Além de suas composições, Mallu despertou a atenção de jornalistas e críticos musicais por suas interpretações das músicas "Folsom Prison Blues" de Johnny Cash e "It Ain´t Me" de Bob Dylan,[1] ambas registradas no programa Popload de Lucio Ribeiro. O programa registrou também muitas de suas composições ainda em fase germinal, que, somadas às suas ainda poucas apresentações ao vivo e ao seu myspace lhe deram espaço em jornais, revistas impressas e eletrônicas como fenômeno da internet.

Mallu Magalhães @ GIG ROCK 6 07.jpg

Partindo de seu show no Clash Club, Mallu percorreu com sua banda (Kadu Abecassis na guitarra, Thiago Consorti no contrabaixo, Jorge Moreira na bateria e Rodrigo Alencar no piano) todo o circuito de festivais brasileiros de música independente (Jambolada, Eletronika, MADA, Coquetel Molotov, Gig Rock e muitos outros), além do Festival Planeta Terra. Sua música "J1" foi usada por uma grande companhia de telefonia celular em comercial veiculado em rede nacional. Mallu também foi convidada a participar do primeiro disco solo do cantor e compositor Marcelo Camelo (Los Hermanos), Sou, fazendo dueto na música Janta.

Gravou seu primeiro álbum num grande estúdio no Rio de Janeiro usando com exclusividade equipamentos vintage, como uma mesa de gravação do mesmo modelo da utilizada pelos Beatles no Estúdio Abbey Road.

Acompanhada por sua banda e com a produção do álbum assinada pelo produtor Mário Caldato (Beastie Boys, Beck, Bjork, etc), seu álbum de estréia confirmou seu estilo folk e pop rock com belas melodias sobre arranjos bem feitos e foi bem recebido pelo público e pela crítica especializada, alcançado o grande número de 20 mil cópias vendidas numa época onde a cultura do baixar músicas na rede se estabelecia cada vez mais.

Em outubro gravou seu primeiro DVD[3] ao vivo que reuniu algumas de suas apresentações no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em novembro do mesmo ano lançou seu álbum independente pela Agência de Música, num show realizado no Morro da Urca, Rio de Janeiro.

Ainda em 2008 foi indicada no MTV Video Music Brasil 2008 às categorias Artista do Ano, Banda/Artista Revelação e Show do Ano. Também participou de diversos programas de TV. E novamente uma de suas canções, agora "Tchubaruba", foi veiculada num comercial em rede nacional.

Em janeiro de 2009 foi convidada a se apresentar na Europa onde fez shows em Portugal nas cidades de Lisboa e Porto. Voltando ao Brasil, participou dos maiores festivais nacionais como as edições do Planeta Atlântida, Festival de Inverno, João Rock e outros.

Participou do projeto Beatles´69 dirigido por Marcelo Fróes, interpretando e arranjando ao lado de sua banda (agora com André Lima no teclado) a música inédita de Paul McCartney, "How D´You Do", de 1969.[1]

2009—2010: Segundo álbum e desenvolvimento artístico[editar | editar código-fonte]

No segundo semestre de 2009, Mallu grava seu segundo álbum e conta apenas com duas faixas de promoção: "Shine Yellow" e "Nem Fé Nem Santo", ambas indicadas ao prêmio de Videoclipe do Ano das edições do MTV Video Music Brasil, respectivamente, de 2010 e 2011. Acompanhada por sua banda e com participações especiais em algumas faixas (Maurício Takara, Kassin e um naipe de músicos eruditos), agora com produção assinada pelo produtor Kassin (Vanessa da Mata, Caetano Veloso, Jorge Mautner, Los Hermanos, etc), seu segundo álbum mostra maior abertura em termos de linguagens musicais. Embora mantendo suas raízes no folk e no pop rock,[1] Mallu agora flerta com o reggae, com o samba da tropicália e com ambientações da música sinfônica.

Dessa vez seu álbum é lançado em parceria com uma grande gravadora, a Sony Music. O álbum é recebido pelo público e pela crítica especializada, que entendem sua abertura musical como uma "evolução" ou "amadurecimento", porém terminou com o mesmo número de cópias vendidas que seu antecessor.

2011—2013: "Pitanga" e sucesso internacional[editar | editar código-fonte]

Em 30 de setembro de 2011, chega às lojas o terceiro álbum de estúdio de Mallu. Intitulado Pitanga, gerou os singles "Velha e Louca" e "Sambinha Bom", sendo estes dois dos maiores sucessos de toda a carreira da artista também mostrando um lado mais sensual seu, e a faixa "Highly Sensitive" acabou por ser utilizada nos comerciais do Windows 8. O disco obteve a marca de 35 mil cópias vendidas no Brasil e 16 mil cópias em Portugal.

No ano seguinte, em 15 de novembro de 2012, ela participou do episódio 11 da primeira temporada da série "Cantoras do Brasil", em homenagem à Elizeth Cardoso cantando novas versões de “Demais” e “Manhã de Carnaval”. Mallu também participou do álbum Tropicália Lixo Lógico, de Tom Zé, nas faixas "Tropicalea Jacta Est" e "O Motobói e Maria Clara", e do álbum O Passo do Colapso, de Dado Villa-Lobos, na música "Quando a Casa Cai".

Mais à frente, já em 2013, Mallu participou do projeto Mulheres de Péricles, uma homenagem ao cantor e compositor Péricles Cavalcanti feita apenas por cantoras brasileiras, interpretando a música "Elegia". Com isso, obteve o reconhecimento de Caetano Veloso, que ressaltou o grande produção da cantora na música, afirmando que Magalhães chegou longe e dirigiu-se ao extremo oposto do projeto de clareza complicada.

Em abril do mesmo ano, Mallu escreveu a crônica "Viagem de Menina" para a edição 22 da revista bilíngue das lojas Dufry.[4].

No final de 2013, Mallu Magalhães lança Highly Sensitive, sua primeira e única coletânea, que reúne material de seus três discos lançados anteriormente.[5] O disco, lançado somente nos Estados Unidos, teve todo seu estoque esgotado por americanos que não sabiam que a cantora era brasileira, fazendo com que novos lotes fossem encaminhados para mais lojas, totalizando mais de 50 mil cópias vendidas somente no país.

2014—2015: Banda do Mar e carreira musical consolidada[editar | editar código-fonte]

Em 6 de maio de 2014, Mallu anuncia que estava formando a Banda do Mar com Marcelo Camelo e o português Fred Pinto Ferreira.[6] O disco Banda do Mar foi eleito um dos melhores discos do ano pela Rolling Stone Brasil,[7] e emplacou a primeira posição das paradas, rendendo ao trio duas indicações ao Grammy Latino,[8] duas vitórias do Prêmio Multishow de Música Brasileira[9] e um Troféu APCA.[10] Entre os maiores sucessos da banda, estão os singles "Mais Ninguém", que já conta com mais de 20 milhões de visualizações no YouTube, e "Dia Clarear", entre outras faixas como "Muitos Chocolates" e "Hey Nana".

No mesmo ano, fez sua primeira participação no cinema no filme "Tim Maia" interpretando "Medo de Amar" como a musa da Bossa Nova, Nara Leão, em uma única cena.[11] Além disso, Mallu Magalhães, grávida de seu primeiro filho, lança o livro infantil "Juju Bacana", que também é ilustrado pela cantora. A ideia surgiu a partir do convite da marca de roupas infantis Green para desenvolver a obra de acordo com a coleção, utilizando de seus temas, estampas e universo como elementos para criação.[12]

Ainda em 2015, Gal Costa grava "Quando Você Olha Pra Ela", composição de Mallu, em seu novo disco Estratosférica. A canção foi lançada como primeiro single do projeto da cantora baiana.[13]

2016—presente: "Vem" e o retorno da carreira solo depois de seis anos[editar | editar código-fonte]

Com o nascimento de sua primeira filha com o cantor Marcelo Camelo, no final de 2015, Mallu optou por ficar longe dos palcos para se dedicar à maternidade.[14] Em março de 2016, a cantora surpreende e anuncia a pequena digressão Saudade, Voz e Violão, que realizara no Brasil e em Portugal, por conta da saudade da música, do público e da família no Brasil.[15] Em vias de iniciar a turnê, a cantora divulga, sem nenhum aviso prévio, a bossa "Casa Pronta", considerada uma das melhores músicas nacionais do ano, segundo a revista Rolling Stone Brasil.[16][17]

Em 2017, após seis anos sem lançar nada, Mallu Magalhães anuncia e disponibiliza seu quinto e mais recente álbum de estúdio, Vem, considerado o seu melhor trabalho até então, tendo como canções de trabalho "Casa Pronta", "Você Não Presta" e "Vai e Vem", além dos singles promocionais "Será Que Um Dia" e "Navegador". O disco alcançou a segunda posição das paradas no Brasil e a quinta em Portugal e foi muito bem recebido pela crítica, que ressalta o amadurecimento musical e poético de Mallu.[18]

Com o novo lançamento, a cantora e compositora entra em sua quinta turnê, acarretando o mini documentário Turnê Vem 2017/2018, com aproximadamente 20 minutos de duração, produzido pela NOIZE Record Club. Além das imagens dos bastidores da digressão pelo Brasil, o curta também contém depoimentos da cantora e os poemas inéditos "Poema de aeroporto" e "Sobre o final das coisas", escritos pela própria.[19] A turnê foi eleita a 2ª melhor do ano pelo jornal Estadão, atrás somente de Caetano Veloso e seus respectivos filhos.[20]

Já no segundo semestre, o cantor Paulo Miklos grava "Não Posso Mais", de autoria de Magalhães, para o álbum A Gente Mora no Agora, o seu primeiro depois da sua saída dos Titãs.[21] Em Setembro de 2017, foi anunciada como uma das compositoras convidadas para o Festival RTP da Canção 2018, que procura o representante de Portugal no Eurovision Song Contest.[22]

No mesmo ano, em comemoração aos 10 anos da sua carreira e do lançamento de sua primeira canção, o sucesso "Tchubaruba", Mallu divulga uma nova versão da música em suas redes socais acompanhada de um vídeo contendo imagens de programas como Altas Horas, Caldeirão do Huck e Programa do Jô, de quando realizava a divulgação de seu primeiro álbum, aos seus 15 anos.[23]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Mallu Magalhães possui apenas uma única irmã, Ana, responsável por encorajar a cantora a tocar música para os amigos quando tinha apenas 14 anos.[23]

Desde 2008, Mallu mantém um relacionamento com o cantor e compostidor Marcelo Camelo, com quem vive na cidade de Lisboa, em Portugal, há mais de quatro anos. Em Setembro de 2015, confirmou a gravidez de seu primeiro filho com o músico. Luísa nasceu no dia 28 de dezembro de 2015.[24]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Mallu Magalhães é apontada como revelação da música brasileira, sendo aclamada por publicações como Rolling Stone Brasil,[25] Revista Trip[26] e Bravo![27][28] pela sua precocidade, espontaneidade e talento para compor e cantar tanto em inglês como em português. Suas maiores influências são The Beatles, Belle and Sebastian, Bob Dylan, Johnny Cash, e incluem o rock clássico, o folk americano, a MPB, o samba Tropicalista entre outros estilos musicais semelhantes.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Mallu Magalhães

Outras gravações[editar | editar código-fonte]

Título Álbum
"Janta" (feat. Marcelo Camelo) Sou
"Shine Yellow" Festival International Nuits d'Afrique, 24e édition - Compilation 2010
"Elegia" Mulheres de Péricles
"Nossa Canção" O Bem-Amado - Trilha Sonora
"It Ain't Me Babe" Letra & Música: Bob Dylan
"The Last Time I Saw You" Multishow Registro: Vanguart
"Velha e Louca" Mulheres do Brasil
"Sambinha Bom"
"Quando a Casa Cai" (feat. Dado Villa-Lobos) O Passo do Colapso
"Manhã de Carnaval" Cantoras do Brasil (Deluxe Version)
"Demais"
"Tudo Outra Vez" (feat. Macau) Tudo Outra Vez - Single
"Something In The Way" (feat. Tricky) Somenting In The Way - Single
"Sambolento" (feat. Bruno Capinan) Tudo Está Dito
"Tropicalea Jacta Est" (feat. Tom Zé) Tropicália Lixo Lógico
"Atraente" (feat. Luis Otávio & Ana Camelo) Acalanto

Turnês[editar | editar código-fonte]

Turnê Ano Lançamentos
Turnê Mallu Magalhães 2008–2010 DVD Mallu Magalhães
Turnê Pitanga 2012–2014
Turnê Banda do Mar 2014–2015
Saudade, Voz e Violão Tour 2016
Vem Tour 2017–2018 Documentário Turnê Vem 2017/2018

A Turnê Banda do Mar foi realizada com a banda luso-brasileira Banda do Mar, da qual Mallu faz parte.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota
2014 Tim Maia Nara Leão Longa-metragem
2017 Turnê Vem 2017/2018 Ela mesma Documentário

Literatura[editar | editar código-fonte]

Ano Título Editora Páginas
2015 Juju Bacana Editora Jaboticaba/Matrix 36

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Grammy Latino

Ano Categoria Resultado
2015 Melhor Álbum Rock Brasileiro - "Banda do Mar" Indicado
Melhor Canção Brasileira - "Mais Ninguém" Indicado

MTV Video Music Brasil

Ano Categoria Resultado
2008 Artista do Ano Indicado
Banda ou Arista Revelação Indicado
Show do Ano Indicado
2009 Artista do Ano Indicado
Videoclipe do Ano - "Vanguart" Indicado
Vocalista - Banda dos Sonhos Indicado
2010 Artista do Ano Indicado
Videoclipe do Ano - "Shine Yellow" Indicado
Pop Indicado
2011 Videoclipe do Ano - "Nem Fé, Nem Santo" Indicado
2012 Videoclipe do Ano - "Velha e Louca" Indicado
Artista Feminino Indicado

Prêmio Multishow

Ano Categoria Resultado
2012 Clipe do Ano - "Velha e Louca" Indicado
2014 Melhor Álbum - "Banda do Mar" (Superjúri) Venceu
Novo Hit - "Mais Ninguém" (Júri Especializado) Venceu

Troféu APCA

Ano Categoria Resultado
2014 Melhor Grupo - Banda do Mar Venceu

Melhores do Ano

Ano Categoria Resultado
2008 Melhor Revelação Musical Indicado

Meus Prêmios Nick

Ano Categoria Resultado
2008 Artista Revelação Indicado

Women’s Music Event Awards by Vevo

Ano Categoria Resultado
2017 Melhor Álbum - "Vem" Indicado
Melhor Música - "Você Não Presta" Indicado

Referências

  1. a b c d «Biografia de Mallu Magalhães». R7. Letras. Consultado em 27 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 24 de abril de 2013 
  2. «Mallu Magalhães é elogiada pelo 'New York Times': 'Sedutora'». Música. 29 de outubro de 2013 
  3. «Cobertura: Mallu Magalhães – Gravação do DVD». Revista O Grito! — Cultura pop, cena independente, música, quadrinhos e cinema. 14 de outubro de 2008 
  4. «Revista Dufry World Ed.22». Março–maio de 2013 [ligação inativa] 
  5. «Mallu Magalhães - Highly Sensitive». Allmusic. Consultado em 27 de agosto de 2017 
  6. «Marcelo Camelo e Mallu Magalhães anunciam banda juntos e disco sairá no segundo semestre». RollingStone. 6 de maio de 2014 
  7. «Os melhores discos nacionais de 2014». Rolling Stone Brasil. Consultado em 27 de agosto de 2017 
  8. http://rollingstone.uol.com.br/noticia/maria-bethania-lenine-e-banda-do-mar-estao-entre-os-indicados-ao-grammy-latino-2015/#imagem0
  9. http://jovempan.uol.com.br/entretenimento/famosos/banda-do-mar-e-alice-caymmi-sao-os-grandes-vencedores-do-premio-multishow-2014.html
  10. http://www.lollapaloozabr.com/2014/banda-do-mar-ganha-premio-da-apca/
  11. http://www.imdb.com/name/nm3526827/
  12. http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,gravida-do-primeiro-filho--mallu-magalhaes-lanca-o-livro-infantil-juju-bacana,10000003181
  13. http://rollingstone.uol.com.br/noticia/gal-costa-lanca-quando-voce-olha-pra-ela-cancao-que-tem-letra-de-mallu-magalhaes/#imagem0
  14. «Mallu Magalhães está grávida de Marcelo Camelo». G1. Consultado em 4 de junho de 2017 
  15. «Mallu Magalhães». Facebook. Consultado em 4 de junho de 2017 
  16. «Mallu Magalhães lança vídeo de 'Casa Pronta', inédita do próximo álbum». Folha de S. Paulo. Consultado em 31 de maio de 2017 
  17. «Melhores Músicas Nacionais de 2016». Rolling Stone Brasil. Consultado em 31 de maio de 2017 
  18. http://miojoindie.com.br/resenha-vem-mallu-magalhaes/
  19. «Mallu documenta show em curta que inclui poemas e trilha sonora original». Mauro Ferreira - G1. Consultado em 6 de novembro de 2017 
  20. http://cultura.estadao.com.br/blogs/divirta-se/divirta-se-elege-as-melhores-atracoes-de-sao-paulo-em-2017/
  21. http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/post/paulo-miklos-apresenta-uma-das-mais-belas-baladas-de-nando-reis.html
  22. http://media.rtp.pt/extra/eventos/conheca-os-26-compositores-do-festival-da-cancao-2018/
  23. a b «Mallu Magalhães grava vídeo em homenagem aos dez anos de 'Tchubaruba'». O Globo. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  24. «Mallu Magalhães dá à luz Luisa, filha com Marcelo Camelo». G1. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  25. «Garota Prodígio». RollingStone. 7 de março de 2008 
  26. «Peso-leve». Revista Trip. 5 de março de 2008. Consultado em 28 de junho de 2017. Arquivado do original em 14 de julho de 2012 
  27. «Revolucionária Aos 16 anos». Bravo!. Outubro de 2008. Consultado em 28 de junho de 2017. Arquivado do original em 24 de setembro de 2013 
  28. «A Ascensão de Mallu Magalhães». Bravo!. Consultado em 28 de junho de 2017. Arquivado do original em 24 de setembro de 2013