Mattia Binotto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mattia Binotto
Nascimento 3 de novembro de 1969 (50 anos)
Lausana
Cidadania Itália
Alma mater Universidade de Módena e Reggio Emília, Escola Politécnica Federal de Lausana
Ocupação engenheiro
Empregador Scuderia Ferrari

Mattia Binotto (Lausana, 3 de novembro de 1969) é um engenheiro suíço naturalizado italiano, atual chefe de equipe da Ferrari na Fórmula 1.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Binotto recebeu uma licenciatura em engenharia mecânica pela Universidade Técnica de Lausanne em 1994, ele ganhou um mestrado em engenharia automotiva, em Modena.

Ele se juntou a Scuderia Ferrari em 1995, originalmente como engenheiro de testes, e então desempenhou um papel similar na equipe de 1997 a 2003. Depois de um período como engenheiro-chefe, ele se tornou chefe de motor e KERS em 2009, antes de se juntar à diretoria de operações da unidade de potência no final de 2014, desempenhando um papel fundamental na recuperação do desempenho com seu motor turbo híbrido V6.[2]

Em 27 de julho de 2016, Binotto foi nomeado diretor técnico da equipe, substituindo James Allison.[3][4] Durante os dois anos em que Binotto trabalhou como diretor técnico, a Ferrari mais uma vez competiu por vitórias regulares e também encerrou um jejum de cinco anos sem pole position.

Em 7 de janeiro de 2019, a Ferrari anunciou que Maurizio Arrivabene seria substituído por Mattia Binotto como chefe da equipe, com efeito imediato.[2][5] Porém, mesmo depois de ter sido nomeado como novo chefe de equipe, ele permaneceu acumulando a função de diretor técnico da equipe.[6] Em julho daquele ano, foi relatado que o cargo de diretor técnico na realidade passou a ser exercida por três pessoas diferentes, que respondem diretamente a Binotto: Enrico Cardile (suspensão), David Sánchez (aerodinâmica) e Corrado Iotte (motor). Além de Simone Resta retornando de seu cargo na Alfa Romeo Racing para liderar o projeto do carro da Scuderia Ferrari de 2021.[7][8]

Referências

  1. «Mattia Binotto». Scuderia Ferrari. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  2. a b «Ferrari confirma saída de Arrivabene e chegada de Binotto». br.motorsport.com. Consultado em 7 de janeiro de 2018 
  3. «Ferrari: James Allison leaves role as technical director» (em inglês). BBC. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  4. F1, la Ferrari saluta James Allison: al suo posto c'è Mattia Binotto. gazzetta.it. 27 de julho de 2016. Consultado em 7 de janeiro de 2019
  5. «Ferrari Announcement». Scuderia Ferrari. 7 de janeiro de 2019. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  6. «Binotto deixa função de diretor-técnico, mas mantém cargo de chefe da Ferrari». Grande Prêmio. 19 de julho de 2019. Consultado em 19 de julho de 2019 
  7. «F1: Binotto não será mais diretor técnico, mas segue na Ferrari». motorsport.uol.com.br. 19 de julho de 2019. Consultado em 24 de julho de 2019 
  8. «F1 – Binotto não é mais o diretor técnico da Ferrari». autoracing.com.br. 22 de julho de 2019. Consultado em 24 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]