Metro de Moscovo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Metropolitano de Moscovo
Moscow Metro.svg
Informações
Local Moscovo
Número de linhas 12
Tráfego 3 341 500 000 por ano
Website mosmetro.ru
Dados técnicos
Extensão do sistema 408 Km

O Metro de Moscovo (português europeu) ou Metrô de Moscou (português brasileiro), (em russo: Московский метрополитен), inaugurado na Era Stalin em 1935, é o sistema de metrô de Moscou, capital da Rússia. As estações do metrô de Moscou são conhecidas como “palácios subterrâneos” devido a sua arquitetura sofisticada. Possui um dos sistemas de metrô com os túneis e estações mais profundos do mundo e o maior do mundo por densidade de passageiros, transportando por volta de 3 341 500 000 pessoas por ano e cerca de 9,2 milhões de pessoas por dia. Sua rede é composta de 222 estações, distribuídas por 12 linhas através de 408 km de extensão (sexto mais extenso do mundo atrás de Nova Iorque, Paris, Tóquio e Seul).[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Linhas[editar | editar código-fonte]

O metrô de Moscou (nome completo: Empresa unitária do Estado "Moscow Metro", Russo Государственное унитарное предприятие "Московский метрополитен" / transcrição Gossudarstvennoje unitarnoje predprijatije Moskowski metropoliten) tem uma rede de 408 km de linhas com 222 estações, que está sendo continuamente expandida. A numeração das linhas segue essencialmente a cronologia da inauguração em relação à primeira linha, entretanto no caso das linhas 4 e 11/11a, a numeração das linhas é de forma independente. A Linha 3 Arbatsko-Pokrovskaya é a linha mais longa com 45,1 quilômetros de extensão, enquanto a Linha 11 Kakhovskaya é a linha mais curta com 3,3 quilômetros.

O metrô é utilizado por cerca de nove milhões de passageiros diariamente. Os trens funcionam entre 5:30 da manhã e 2:00 da madrugada. As entradas para as estações e para os túneis de baldeação da estação geralmente abrem entre 5:30 e 5:40 da manhã e fecham à 1:00 da madrugada; as saídas permanecem abertas por pouco mais dependendo da linha e da localização da estação dos últimos trens que ainda transportam passageiros. Durante as horas de pico (7-10 da manhã e 17-20 da noite), os trens transportam em sua maioria em intervalos de 1,5 a 3 minutos, em outros casos a cada 2 a 4 minutos, e apenas a cada 5 a 10 minutos após a meia-noite.

# Nome Inauguração Comprimento Tempo de viagem
1 Socolhnitcheskaia (em russo: Сокольническая) 1935 32,6 km 47 min
2 Zamoskvoretskaia (em russo: Замоскворецкая) 1938 39,9 km 56 min
3 Arbatsko-Pokrovskaia (em russo: Арбатско-Покровская) 1938 45,1 km 67 min
4 Filiovskaia (em russo: Филёвская) 1958 14,9 km 27 min
5 Kolhtsevaia (em russo: Кольцевая) 1950 19,3 km 30 min
6 Kalujsko-Rijskaia (em russo: Калужско-Рижская) 1958 37,6 km 56 min
7 Tagansko-Krasnopresnenskaia (em russo: Таганско-Краснопресненская) 1966 42,0 km 58 min
8 Kalininskaia (em russo: Калининская) 1979 19,7 km 18 min
8A Solntcevksaya (em russo: Солнцевская) 2014 33,5 km 46 min
9 Serpukhovsko-Timiriasevskaia (em russo: Серпуховско-Тимирязевская) 1983 41,2 km 58 min
10 Liublinsko-Dmitrovskaia (em russo: Люблинско-Дмитровская) 1995 28,0 km 42 min
11A Kakhovskaia (em russo: Каховская) 1995 3,3 km 5 min
11 Bolshaya Koltsevaya (em russo: Большая Кольцевая Линия) 2018 10,51 km 14 min
12 Butovskaia (em russo: Бутовская) 2003 10,0 km 18 min
13 Monotrilho (em russo:Монорельс) 2004 4,7 km 15 min
14 Moskovksoe Centralnoe Koltso (em russo:Московское Центральное Кольцо) 2016 54 km 90 min


Além disso, no planejamento oficial das linhas do metrô, o Monotrilho e o  Pequeno Anel Ferroviário de Moscou são chamados de linhas 13 e 14, respectivamente. Apesar de terem o mesmo sistema de tarifas, esses dois sistemas de transporte não são metrôs propriamente ditos, pois possuem uma infraestrutura técnica completamente diferente, não sendo então considerados como parte do metrô de Moscou.

Estações[editar | editar código-fonte]

O sistema do metrô de Moscou se orgulha de ter palácios subterrâneos para o povo. Muitas estações são luxuosamente decoradas devido à influência do classicismo socialista durante o tempo de Stalin. Algumas dessas estações são ricas em detalhes e são classificadas como particularmente dignas de serem vistas em vários guias turísticos. No entanto, a maioria das estações, especialmente fora do centro, tem um estilo muito simples e neutro.

Estação Komsomolskaja.

A estação Komsomolskaya na Linha Circular é frequentemente considerada a estação mais bonita de toda a rede de metrô. Inaugurada em 1952, a estação fica localizada abaixo da Praça Komsomolskaya, ao lado das estações ferroviárias de Leningrado, Yaroslavl e Kasaner. Os 72 pilares octogonais na área da plataforma, são todos revestidos em mármore claro e têm o caráter de elementos decorativos além de sua função de suporte. Sobre os capitéis dos pilares ficam os arcos redondos, dando ao usuário do metrô a impressão de passar por um portão redondo ao ir para os trilhos. A área do teto é decorada com vários lustres grandes. Entre eles existem oito mosaicos monumentais, cada um composto de 300.000 peças individuais e emoldurado por estuque, reproduzindo cenas da história russa. Isto cria uma aparência quase barroca. A estação de metrô também inclui várias passagens acima do solo.

A estação de metrô Kiewskaja da linha circular, é também ao mesmo tempo uma estação de transferência para as linhas 3 e 4 abaixo da estação de Kiev que dá seu nome, retrata a amizade entre a Rússia e a Ucrânia em mosaicos. Os temas incluem a anexação da Ucrânia à Rússia e a libertação de Kiev durante a Segunda Guerra Mundial. Além dos lustres, as arcadas esculpidas são dignas de serem vistas.

Estação Mayakovskaya.

Vladimir Mayakovsky, dá nome a estação de metrô Mayakovskaya, que tematiza a Força Aérea da União Soviética com sua implementação artística através de mais de 30 mosaicos abobadados. Os mosaicos, feito com materiais fluorescentes e indiretamente iluminados, têm o objetivo de criar um efeito espacial impressionante. Esta estação de metrô recebeu o Grand Prix de arquitetura em Nova Iorque. Além disso, esta estação tem um arco sussurrante, através de uma acústica ótima, palavras suavemente ditas também podem ser ouvidas claramente do outro lado da estação.

A distância mais curta é de 500 metros entre as estações Vystavochnaya e Meshdunarodnaya da linha 4, a mais longa de longe é de 6.625 quilômetros entre as estações Krylatskoye e Strogino da linha 3. Em média, as estações estão a 1800 metros de distância uma das outras. Essa densidade comparativamente baixa de estações combinada com a alta velocidade dos trens (quase 100 km/h) torna possível cobrir longas distâncias na cidade com velocidade inigualável. O metrô de Moscou é considerado o mais rápido do mundo.

Escada Rolante da estação Park Pobedy.

Como muitas estações estão localizadas em locais muito profundos, foram instaladas escadas rolantes longas, que viajam particularmente rápido. A estação Park Pobedy (Linha 3) fica 84 metros abaixo da superfície e, de acordo com o metrô, tinha as escadas rolantes mais longas do mundo (126 m, 740 degraus; ultrapassada em 2011 pelas escadas rolantes de 137 m da estação Admiralteiskaya do metrô de São Petersburgo). Em algumas estações, leva até três minutos para atingir o nível da superfície ou da plataforma. Desde a construção do metrô em 1935, foi planejado usar o sistema de metrô também como um abrigo antiaéreo, o que explica a grande profundidade da construção. Durante a Guerra Fria, o Metrô foi equipado com portões hermeticamente fechados para servir de abrigo seguro no caso de um ataque nuclear.

O acesso às plataformas é controlado por barreiras de acesso que permitem a passagem somente após colocar um cartão inteligente com um chip incorporado. Modelos mais antigos destas barreiras têm a peculiaridade de que uma barreira que não se abre - como é normal em outros metrôs com barreiras de acesso - mas o acesso aberto é bloqueado se alguém tentar passar sem um bilhete. Entretanto, as estações novas ou renovadas estão equipadas com modernas barreiras (ver foto) que abrem depois que um bilhete válido é apresentado. Barreiras de acesso foram instaladas em todas as estações do metrô de Moscou a partir de 1958, substituindo os cobradores dos trens que tinham sido comuns até então.

Houve muitas variações no valor das tarifas na história do metrô de Moscou: a tarifa original de 50 kopecks foi reduzida para 30 kopecks em 1935 e aumentou novamente para 40 kopecks em 1942 e para 50 kopecks em 1948. Após a reforma da moeda em 1961 até 1991, a tarifa foi paga com uma moeda de cinco kopeck, que era inserida em uma das máquinas de bilhetes em vez dos tokens anteriores. O grande diâmetro desta moeda, era incomum em contraste com as outras. Com a inflação do rublo, o preço aumentou inicialmente para 15 kopecks em 1991. Em 1992, eles trocaram para fichas (inicialmente de metal, depois de plástico), e em 1999 eles trocaram para cartões magnéticos, que depois foram substituídos por cartões inteligentes para todos os tipos de bilhetes até 2008. Desde 2 de fevereiro de 2013, estão disponíveis bilhetes universais, que podem ser utilizados tanto no metrô como em transportes acima do solo, como ônibus. Um bilhete universal custa 57 rublos (dados de 2020), o equivalente a cerca de 0,79 euros. Além disso, você pode comprar bilhetes com 2, 5, 11, 20, 40 ou 60 passagens, com o preço por passagem cada vez mais barato. Em 2018, a passagem de 60 viagens custa 1765 rublos, portanto uma viagem custa pouco mais de 29 rublos (cerca de 0,41 euros). Com um cartão inteligente (russo: Смарт-карта) você pode usar todos os meios de transporte por 24 horas. Crianças menores de 7 anos viajam gratuitamente, e bicicletas não são permitidas, com exceção das bicicletas dobráveis e bicicletas para crianças.

Barreiras de acesso na entrada de uma estação.

Todas as estações têm salas de primeiros socorros e uma delegacia ao lado das plataformas. Em meados dos anos 2000, todas as estações do metrô de Moscou também tiveram câmeras de vigilância instaladas, cujas gravações são transmitidas para as respectivas delegacias; além disso, foram instalados postes de informação e chamadas de emergência nas plataformas das estações. Para melhor prevenção de ataques terroristas, todos os cestos de lixo foram removidos das plataformas e salas da estação no início dos anos 90, e nos anos 2010 foram instalados detectores de metais e máquinas de raios X nas entradas da estação para controlar pessoas e bagagens, embora tenham sido utilizados de forma aleatória até agora.

Em quase todas as estações, há canais com cerca de 30 cm de profundidade na área central dos trilhos, onde se pode escapar de um trem que se aproxima no caso de uma queda sobre os trilhos. Esta possibilidade de fuga também é explicitamente mencionada nas regras oficiais de uso e conduta para o metrô de Moscou. Entretanto, em tal situação é perigoso tentar se esconder sob a plataforma, pois nesta área há um trilho condutor de alta voltagem. Os canais dos trilhos só estão faltando em certas estações acima do solo, onde existem outras rotas de fuga.

Para pessoas em cadeiras de rodas, o uso do metrô de Moscou só é possível de forma  limitada até agora. Das mais de 200 estações, cerca de uma dúzia têm acesso  sem barreiras. e, na maioria das estações subterrâneas, uma instalação adicional seria extremamente caro devido à sua localização relativamente baixa.

Mapa[editar | editar código-fonte]

Moscow metro ring railway map en sb future.svg

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. https://mosmetro.ru/press/digits/
  2. О метрополитене auf der Website der Metro Moskau (russisch), abgerufen am 3. November 2018.
  3. Moskau, die Kosten für die Reise in den öffentlichen Verkehrsmitteln, Nowaja Gaseta, 2. Januar 2018
  4. ↑ W. Malzewa: U-Bahn in Moskau. Geschichte des U-Bahnbaus in der Hauptstadt (russisch).
  5. ↑ Philipp Meuser: Ab in den Bunker!, Internetangebot des Cicero – Magazin für politische Kultur.
  6. ↑ aktuell.ru: Ein Mammutprojekt: Der Bau der Metro, Teil einer Dokumentationsreihe zum 70-jährigen Jubiläum der Moskauer Metro 2005.
  7. ↑ Eva Gerberding: DuMont Reise-Taschenbuch Moskau. DuMont Reiseverlag, Ostfildern 2004, ISBN 3-7701-4779-0.
  8. ↑ Christina Haberlik: 50 Klassiker. Architektur des 20. Jahrhunderts. Gerstenberg Verlag, Hildesheim 2001, ISBN 3-8067-2514-4.
  9. Neuer Kurs für Moskau
  10. Artikel zum Metroanschlag vom 6. Februar 2004 auf russland.ru
  11. Минздрав: в аварии в московском метро пострадали 217 человек (ru), RIA Nowosti. Abgerufen am 5. August 2014.
  12. Hochspringen nach:a b Jahresbericht 2008 der Metro Moskau (Memento vom 12. Juni 2009 im Internet Archive) (PDF; 5,54 MB).
  13. ↑ RIA Nowosti: Haushalt: 222,9 Millionen Euro für U-Bahn-Bau in Russland 2007 vorgesehen, 23. Mai 2007.
  14. Iswestija, 27. November 2008
  15. ↑ russland-heute.de: Siemens und Hyundai wollen Moskauer Metro betreiben (Memento vom 5. Juni 2011 im Internet Archive), 25. Mai 2011.
  16. Die „geheime Moskauer Metro 2“ – Deutsche Übersetzung eines Artikels von Juri Saizew auf www.metro.ru (Memento vom 2. Oktober 2008 im Internet Archive)
  17. Vgl. Rezension des Romanes
  18. ↑ Wladislaw Hedeler: Rezension bei H-Soz-Kult vom 10. November 2002.
  19. https://de.wikipedia.org/wiki/Moskau_Jaroslawler_Bahnhof
  20. https://de.wikipedia.org/wiki/Moskau_Kasaner_Bahnhof
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Metro de Moscovo


Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.