Olivier Beretta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olivier Beretta
06LM 64VetteDrivers.jpg
Beretta (em primeiro plano) no desfile oficial das 24 Horas de Le Mans, ao lado de Jan Magnussen e Oliver Gavin.
Informações pessoais
Nome completo Olivier Beretta
Nacionalidade Mónaco Monegasco
Nascimento 23 de novembro de 1969 (47 anos)
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1994
GPs disputados 10
Títulos 0 (27º em 1994)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 0
Pole positions 0
Primeiro GP Brasil GP do Brasil, Interlagos, 1994
Último GP GP da Hungria, Hungaroring, 1994
Registros nas 24 Horas de Le Mans
Edições 1996–2015
Equipes 4 (Oreca, JML Panoz, Corvette Racing e AF Corse)
Vitórias em classe(s) 6 (1999, 2000, 2004, 2005, 2006 e 2011)

Olivier Beretta (Montecarlo, 23 de Novembro de 1969) é um automobilista monegasco, que correu pela equipe Larrousse em 1994.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Beretta iniciou a carreira no kart aos 13 anos de idade, conquistando o vice-campeonato da categoria 125cc. Em seguida, disputou a Fórmula 3 Francesa, obtendo um terceiro lugar em 1990.

Promovido à Fórmula 3000, assinou com a Piquet Racing, criada pelo tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet e pelo engenheiro Nigel Stepney (conhecido pelo envolvimento no caso de espionagem da McLaren, em 2007). Não conquistou nenhum ponto, mas continuou na categoria em 1993, desta vez na Forti. Pela equipe italiana, ficou em sexto lugar na classificação geral, com 20 pontos e uma vitória, em Donington Park.

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Na Fórmula 1, Beretta foi contratado pela equipe Larrousse, e disputou 10 GPs, tendo como melhor resultado um 7º lugar no GP da Alemanha (na época, 6 pilotos pontuavam). Perdeu a vaga para Philippe Alliot logo após o GP da Hungria, e não voltaria a correr novamente uma etapa da categoria, dedicando-se aos protótipos a partir de 1995.

Seu último contato com carros de F-1 foi entre 2003 e 2004, quando foi piloto de testes da Williams.

Após a Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Após se afastar da Fórmula 1, Beretta foi bem sucedido em outras corridas tendo obtido vitórias nas 24 Horas de Le Mans , correndo ao volante de um Viper GTS-R em 1999 (10º no geral) e 2000 (7º no geral), com a equipe Corvette Racing, 2004 (6º no geral), 2005 (5º no geral) e 2006 (4º no geral). Além disso, conduziu carros da classe LMP 900, onde terminou em 6.º (2001), 4º (2002) e 3º (2003).

Sua última participação em Le Mans foi em 2015, dividindo um Ferrari 458 Italia GT2 da AF Corse, juntamente com o britânico James Calado e o italiano Davide Rigon. Aos 45 anos de idade, Beretta mostrou serviço ao chegar em segundo lugar na categoria LMGTE-Pro e em 21º na classificação geral.

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Beretta foi o último piloto de um principado na F-1, juntamente com seu compatriota Louis Chiron e o liechtensteinense Rikky von Opel (americano de nascimento).

Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.