Reófilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Melro-d'água (Cinclus cinclus)

Um reófilo é um ser vivo que está adaptado à vida em águas em movimento rápido, como correderias, cataratas, etc.[1][2]

Exemplos de seres reofílicos[editar | editar código-fonte]

Plantas[editar | editar código-fonte]

Existem vários tipos de plantas reófilas no planeta. Os reservatórios em construção fornecem habitats específicos para as plantas reofílicas. As corredeiras no rio Madeira, em Porto Velho, são famosas pela vaidade das plantas reofílicas.[3] Um exemplo de planta reofílica é a cabelo-de-anjo, uma espécie de arbusto de até 2 metros de altura, nativa do sul da América do Sul.[4]

Insetos[editar | editar código-fonte]

Muitos insetos aquáticos que vivem em cascatas exigem corrente para sobreviver.[5] Epeorus sylvicola, uma espécie de ephemeroptera reofílica. Várias espécies de insetos reofílicos foram encontradas capazes de flutuar. Uma exceção são os Trichoptera.[6]

Pássaros[editar | editar código-fonte]

A regulação de rios através da criação de barragens e reservatórios, bem como a canalização, podem degradar e destruir o gênero Cinclus[7], o único entre os passeriformes por sua capacidade de mergulhar e nadar debaixo d'água.[8]

Peixe[editar | editar código-fonte]

Um número muito grande de espécies de peixes reofílicas é conhecido e inclui membros de pelo menos 419 gêneros em 60 famílias.[9][10]

Moluscos[editar | editar código-fonte]

Ancylus fluviatilis

Espécies de Aylacostoma

Lymnaea ovata

Anfíbios[editar | editar código-fonte]

Neurergus strauchii, um tritão da Turquia

Pachytriton labiatus, um tritão da China

Referências

  1. Fraaije, Rob G. A.; Poupin, Claire; Verhoeven, Jos T. A.; Soons, Merel B. (2019). «Functional responses of aquatic and riparian vegetation to hydrogeomorphic restoration of channelized lowland streams and their valleys». Journal of Applied Ecology (em inglês). 56 (4): 1007–1018. ISSN 1365-2664. doi:10.1111/1365-2664.13326 
  2. Rackemann, Sarah L.; Robson, Belinda J.; Matthews, Ty G. (2013). «Conservation value of waterfalls as habitat for lotic insects of western Victoria, Australia». Aquatic Conservation: Marine and Freshwater Ecosystems (em inglês). 23 (1): 171–178. ISSN 1099-0755. doi:10.1002/aqc.2304 
  3. Junk, Wolfgang J.; Piedade, Maria Teresa Fernandez; Schöngart, Jochen; Wittmann, Florian (1 de dezembro de 2012). «A classification of major natural habitats of Amazonian white-water river floodplains (várzeas)». Wetlands Ecology and Management (em inglês). 20 (6): 461–475. ISSN 1572-9834. doi:10.1007/s11273-012-9268-0 
  4. «Tropicos | Name - Calliandra brevipes Benth.». legacy.tropicos.org. Consultado em 19 de julho de 2020 
  5. Hynes, H. B. N. (Hugh Bernard Noel), 1917-2009. ((2001 printing)). The ecology of running waters. [S.l.]: Blackburn Press. OCLC 668135615  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. Vinikour, William S. (1 de fevereiro de 1981). «Aquatic insect drift through a final-cut strip mine pit, with emphasis on drift distances». Hydrobiologia (em inglês). 77 (3): 225–232. ISSN 1573-5117. doi:10.1007/BF00019670 
  7. Borkhausen, Moritz Balthasar (1797). Deutsche Fauna, oder, Kurzgefasste Naturgeschichte der Thiere Deutschlands. Frankfurt am Mayn :: bey Varrentrapp und Wenner, 
  8. Voelker, Gary (2002). «Molecular phylogenetics and the historical biogeography of dippers (Cinclus)». Ibis (em inglês). 144 (4): 577–584. ISSN 1474-919X. doi:10.1046/j.1474-919X.2002.00084.x 
  9. Lujan, Nathan K.; Conway, Kevin W. (22 de dezembro de 2014). «Life in the Fast Lane: A Review of Rheophily in Freshwater Fishes». Cham: Springer International Publishing: 107–136. ISBN 978-3-319-13361-4 
  10. Riesch, Rüdiger,; Tobler, Michael, 1980-; Plath, Martin,. Extremophile fishes : ecology, evolution, and physiology of teleosts in extreme environments. Cham [Switzerland]: [s.n.] OCLC 900781311 
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.