Caminho Niemeyer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Caminho Niemeyer
Tipo Museu de arte, Museu de Design, Teatro,
Inauguração 2002
Geografia
País BRA
Cidade Niterói
Coordenadas 22° 54' 28.14" S 43° 07' 33.86" O

O Caminho Niemeyer é um conjunto de equipamentos culturais municipais de grande valor arquitetônico projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer, nos bairros litorâneos na cidade de Niterói, Rio de Janeiro. O complexo se estende por 11 km de extensão ao longo da orla da cidade, do Centro à Zona Zul, desde o terreno do Aterro da Praia Grande (no Centro) até o bairro da Charitas.

O objetivo era revitalizar a orla da cidade junto a Baía de Guanabara e a parte central da cidade de Niterói. As construções, que começaram a ser erguidas em janeiro de 2002, formarão o segundo maior conjunto arquitetônico assinado por Niemeyer, depois de Brasília[1] .O conjunto arquitetônico, ainda inconcluso, é constituído entre outros edifícios, pelo internacionalmente conhecido MAC, mas também por um complexo no Centro da cidade, em que concentra a maioria das edificações, a chamado de Praça Popular de Niterói, composto pela Fundação Oscar Niemeyer, Memorial Roberto Silveira e Teatro Popular de Niterói, mas também há uma série de outros edifícios espalhados ao longo da orla, que são, o Terminal de Barcas de Charitas, o Centro BR do Cinema Brasileiro e a Praça JK. Há ainda projetos para outros edifícios cuja obras ainda não foram iniciadas.

As sete obras concluídas de Oscar Niemeyer fazem da orla de Niterói uma sucessão de cartões-postais, cujo maior destaque é o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC Niterói), e a combinação da paisagem e do projeto arquitetônico tornou o conjunto de edificações em um dos mais conhecidos no mundo[2] .

“Não foi difícil projetar para Niterói porque esta é uma cidade de orla tão bela que possibilita a criação a céu aberto, como um itinerário cultural e religioso.” (Oscar Niemeyer).

Embora, sua maioria esteja fechada ou funcionando apenas parcialmente, os centros culturais serão geridos de forma a proporcionar à cidade não apenas a contemplação do seu conjunto arquitetônico, mas o usufruto da sua programação cultural, educacional e turística, na forma como o seu criador idealizou, mas que ainda foi plenamente implementado.

História[editar | editar código-fonte]

Museu de Arte Contemporânea de Niterói é um dos componentes do Caminho Niemeyer

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói acabara de ser concluído quando o então prefeito do município, Jorge Roberto Silveira, convidou o arquiteto Oscar Niemeyer para um novo projeto. Pensando em revitalizar a zona central e a orla de Niterói, o Prefeito Jorge Roberto decidiu construir um complexo arquitetônico voltado para a cultura, passando pelo bairro da Boa Viagem, onde o MAC se juntaria ao conjunto, formando um caminho ao longo da orla da cidade junto a Baía de Guanabara - o Caminho Niemeyer.

Os edifícios projetadas por Niemeyer foram dispostos ao longo da orla do Centro da cidade até o bairro de Charitas, desde o terreno no Centro de 72.000 m² à beira mar, no Aterro da Praia Grande. Ao longo deste tempo o projeto passou por diversas modificações, tanto com relação a sua própria localização, quanto a definição dos prédios a serem construídos, e mesmo os projetos arquitetônicos destes prédios.

Outro fato retardou o efetivo início das obras: por se tratarem de prédios de alta complexidade de construção - seja por sua arquitetura ou seja pela qualidade do terreno, que exige fundações vigorosas - os custos seriam muito elevados para os padrões de novos empreendimentos da Prefeitura.

Assim, buscando parcerias com a iniciativa privada e com o governo federal para a realização da obra, o Grupo Executivo do Caminho Niemeyer, implantado em julho de 2001, almejava viabilizar o início da construção de todos os prédios do Caminho Niemeyer - inclusive outros que vieram a se integrar ao projeto fora do terreno do conjunto arquitetônico.

Até o ano de 2011, o gasto previsto com a construção do projeto superava em 85% (R$55 milhões)[3] o investimento inicialmente previsto, de R$65 milhões (em valores atualizados).

O Caminho Niemeyer inclui atualmente dez projetos, seis concluídos, um em construção e três ainda em fase de projeto. A primeira foi o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) ( inaugurado em 1995) e depois, com o desenvolvimento do Caminho Niemeyer, vieram a Praça JK, o Memorial Roberto Silveira (2003), o Terminal das Barcas de Charitas (2004), o Teatro Popular de Niterói (2007), a sede da Fundação Oscar Niemeyer (2010). O Centro do Cinema Brasileiro (2012) é o sétimo e último inaugurado até o momento.

Composição do Caminho Niemeyer[editar | editar código-fonte]

Edificações do Caminho Niemeyer vistas de uma barca.

Os edifícios do conjunto que estão na área atrás do Terminal Rodoviário João Goulart, no Aterro da Praia Grande, Centro da cidade, constituído pelos prédios da Catedral de Niterói, Memorial Roberto Silveira, Teatro Popular de Niterói e Fundação Oscar Niemeyer forma a chamada Praça Popular de Niterói. Enquanto outros percorrem a orla para além dessa área, como a Praça das Águas, a Praça JK, o Museu BR do Cinema Brasileiro, o Museu de Arte Contemporâneo e a Estação Hidroviária de Charitas.

Estão nos planos a se agregar à Praça Popular, os edifícios do da Catedral de Niterói projetada por Niemeyer.

Construções finalizadas[editar | editar código-fonte]

Na Praça Popular[editar | editar código-fonte]

  • Memorial Roberto Silveira, também chamado de Centro de Memória Roberto Silveira - prédio abriga importante acervo histórico e iconográfico de Niterói, começando com mais de 200 mil títulos digitalizados contendo dados da cidade de Niterói, do Estado do Rio de Janeiro e da vida do ex-governador Roberto Silveira, ainda contém terminais de computadores para consultas eletrônicas, espaço para exposições, central de informação e impressão de dados pesquisados, auditório e painel do artista plástico Cláudio Valério Teixeira, retratando a história de Roberto Silveira. O Memorial Roberto Silveira abriga o Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense, inaugurado em maio de 2013.
  • Teatro Popular de Niterói[4] - O interior do teatro comporta 380 lugares. Entretanto o palco apresenta parte posterior reversível, que se abre para uma ampla praça podendo abrigar espetáculos ao ar livre, ampliando a capacidade máxima para 20.000 lugares em um espaço de 17 mil metros quadrados. Seu traçado sinuoso é característico de seu criador, e seus painéis retratam três desenhos alegóricos de mulheres. Tem mil metros quadrados de área interna. A Prefeitura anunciou intervenções no projeto original e o teatro vai ganhar um palco externo fixo, além de reforma na estrutura interna [5] .
  • Fundação Oscar Niemeyer[6] - construído para abrigar a sede da Fundação Oscar Niemeyer no complexo arquitetônico, ocupando 4.000 m² na região. A construção tem o formato de um caracol e guardaria todo o acervo do arquiteto, como esculturas, projetos, maquetes e trabalhos realizados ao longo de mais de 70 anos. No local seriam instaladas a sua administração, o Centro de Pesquisa e Documentação e a Escola Oscar Niemeyer de Arquitetura e Humanidades. Atualmente, a Fundação será considerada um importante centro de documentação, quando disponibilizar seu acervo bibliográfico e oferecer produtos e serviços de informação crítica voltada à reflexão e difusão do urbanismo, design e artes plásticas, além da valorização e preservação do patrimônio arquitetônico moderno do país. Em 2013 a Prefeitura de Niterói pretende instalar nas instalações do edifício a Escola de Humanidade, Arte e Cultura e o Museu Oscar Niemeyer, junto à escola, como um museu de arquitetura e design, aproveitando o potencial do Caminho Niemeyer para o tema. Atualmente o edifício é um teatro juntamente com um cybercafé para consultas e informações.
  • Centro de Atendimento ao Turista (CAT) - edifício cilíndrico em vidro preto, funciona diariamente das 10h às 17h, tem funcionários bilíngues e promove visitas guiadas pelo Caminho Niemeyer. Fornecerá informações também sobre todos os pontos turísticos da cidade, com internet wi-fi para os turistas. O CAT contará ainda com um Centro de Estudos e Pesquisas Turísticas que vai realizar o monitoramento do turismo na cidade.

Fora da Praça Popular (outros lugares da cidade, especialmente pela orla)[editar | editar código-fonte]

  • Praça das Águas - A praça'[7] no Centro da cidade, no começo da Avenida Amaral Peixoto, junto a Avenida Marquês do Paraná. Conta com grandes chafarizes e esculturas projetas por Oscar Niemeyer, com poesias grafadas do poeta Ferreira Gullar. É o equipamento do conjunto do Caminho Niemeyer mais distante do mar.
  • Praça JK - A praça no Centro da cidade e à beira-mar foi construída em cima da primeira garagem subterrânea de Niterói como homenagem ao presidente Juscelino Kubitschek, através de seu nome e de uma escultura de Oscar Niemeyer e JK sentados num dos bancos da praça e uma marquise projetada por Niemeyer.
  • Museu Petrobras de Cinema (ou Centro do Cinema Brasileiro)[1] - prédio do Museu do Cinema, com formato sugestivo de rolo de filme, com um museu, seis salas de projeção e ainda servirá de sede para a Academia Brasileira de Cinema. Fica no bairro de São Domingos. O projeto prevê além do museu dedicado ao cinema, a instalação de um auditório com capacidade para receber até 700 pessoas. O espaço conta ainda com seis salas de cinema com capacidade para mais de 1.200 espectadores, além de lojas, bares e um café. A localização do museu também é considerada estratégica, uma vez que fica próximo da Universidade Federal Fluminense (UFF), que conta com a única faculdade pública de cinema do Estado do Rio de Janeiro e uma das mais conceituadas do país.
  • Museu de Arte Contemporânea de Niterói - tornou-se o principal cartão-postal não apenas de Niterói mas do Brasil. Destina-se principalmente a obras pertencentes à arte contemporânea, todas datadas ao decorrer do século XX. O museu possui um acervo de 1.217 obras da Coleção João Sattamini e mais de 300 da Coleção MAC Niterói.
  • Módulo de Ação Comunitária, conhecido como Maquinho - localizado em frente ao Museu de Arte Contemporânea, foi criado como centro social para atender a comunidade local, oferecendo oficinas de desenho, de dança e outras.
  • Estação Hidroviária de Charitas, prédio do Terminal das Barcas do bairro de Charitas, ponto final do Caminho Niemeyer - terminal hidroviário de Charitas levou a assinatura do arquiteto Oscar Niemeyer e se tornou uma atração turística da cidade de Niterói. Com 2.000 m² e 700 m² de vidro para compor o salão panorâmico de embarque de passageiros. O espaço abriga lojas de conveniência, o Restaurante Olimpo, e uma vista invejável da enseada e da Baía de Guanabara. Um dos destaques da estação de Charitas é o recuo da estação em relação à linha d´água e a construção de um píer sobre estacas.

Prédios não iniciados[editar | editar código-fonte]

  • Terminal Integração Multimodal - um terminal de transporte urbano que substituiria o Terminal Rodoviário João Goulart de ônibus e a Estação das Barcas da Praça Arariboia, e ainda servirá de futura estação Niterói da linha 3 do Metrô[8] . A Linha 3 começaria na estação Araribóia, num projeto do arquiteto Oscar Niemeyer e se desenvolve ao longo de um trecho de 22 Km – sendo 17,7 Km em viadutos e 4,3 quilômetros em superfície, ligados por 14 estações. O projeto da estação Araribóia irá compor o Caminho Niemeyer e a linha prevê também uma possível extensão até Itaboraí, onde está sendo construído o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj). Em 2010, a Prefeitura anunciou a intenção de que o atual Terminal Rodoviário João Goulart fosse derrubado e substituído por um projeto apresentado o por Oscar Niemeyer, integrando-o assim ao Caminho Niemeyer. Por sua vez, no ano seguinte (2011), após tratativa com o Governo do Estado, que construirá a linha 3, a futura estação de metrô foi deslocada da Praça Arariboia à Praça Popular do Caminho Niemeyer, substituindo-o por um único Terminal de Integração Multimodal. Este projeto de edifício consistiu em uma adaptação ao projeto Niemeyer para o novo Terminal Rodoviário João Goulart e pelo abandono do projeto anterior de nova estação hidroviária, permitindo a multimodalidade entre ônibus, barcas e metrô em um único terminal.
  • Centro de Convenções - um Centro de Convenções corresponderia a uma cúpula de 80 m. No térreo, um salão de exposições; no andar inferior, o generoso espaço destinado aos diferentes encontros que serão aí promovidos [9] .
  • Catedral de Niterói - Em 1996, Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro, idealizou uma nova Catedral para Niteroi e se iniciou o projeto que foi repassado para Oscar Niemeyer e o Prefeito Jorge Roberto Silveira. Em outubro de 1997 o projeto da Nova Catedral assinado pelo arquiteto Oscar Niemeyer foi abençoada pelo Papa João Paulo II, hoje São João Paulo II, em sua segunda visita ao Rio. Na ocasião João Paulo II conheceu a planta e a maquete da catedral e abençoou a pedra fundamental da Nova Catedral de Niterói. A pedra fundamental foi lançada no ano de 1999 em uma grande festa no terreno, pelo inicio das obras do Caminho Niemeyer.

Por ocasião do falecimento de Dom Carlos Alberto Navarro, em 2003. O projeto foi arquivado.

O Bispo Dom Frei Alano Maria O. P. Pena, preferiu deixar arquivado, por ver que não era possível a viabilidade financeira do projeto e não tendo articulação politica para a mesma.

Em 2012, a pedido de Dom José Francisco o então prefeito Jorge Roberto Silveira, doou o terreno para a nova catedral, fazendo com que os esforços pela sua construção fossem retomados.

Em 2013, durante JMJ o Arcebispo de Niterói apresentou o projeto ao Papa Francisco, que o abençoou.

No dia 12 de Outubro de 2014, foi entronizada a pedra de inicio as obras com o aditivo de mais um ano para inicio das obras

O projeto de templo religioso em uma das extremidades da Praça Popular de Niterói em trecho Centro da cidade do Caminho Niemeyer[10] , construída aos cuidados da sua respectiva igreja[11] . O templo se chamará Catedral São João Batista, em homenagem ao padroeiro da cidade e seguindo a tradição católica. Com capacidade para original de até 3.800 pessoas, modificada para 5.000, a pedido de Dom Carlos Navarro, idealizador do projeto. A catedral tem uma cúpula circular suspensa, amparada por três pilares de 45 m em relação ao nível do mar em arco com forma de mitra papal, que são três elementos no ar, dá o sentido de religiosidade ao prédio. De acordo com a Arquidiocese de Niterói, que é a responsável pela construção, a catedral seguirá o último projeto revisado por Niemeyer[12] . Em 2008 Oscar Niemeyer, a pedido da Prefeitura, projetou a Torre Panorâmica para substitui-lo em seu lugar, embora o projeto também esteja congelado. Mas em 2013 o projeto da Catedral foi retomado. As datas de início da obra é datada por 12 de outubro de 2014. Quando um adicional foi assinado pelo atual prefeito Rodrigo Neves. A arquidiocese não estima uma data para término da obra[13] .

Prédios cogitados[1] [editar | editar código-fonte]

  • um oceanário ou aquário público - equipamento de constava no projeto original do Aterro da Praia Grande, aquário gigante em forma de molusco[14] , retomado no projeto do Caminho Niemeyer [15] . A alternativa a não construção do projeto de Niemeyer seria a instalação do oceanário no histórico, mas desativado Forte Gragoatá, como sugeriu a Universidade Federal Fluminense[16] , que fica nas imediações de dois de seus campi, e no meio do traçado do Caminho Niemeyer.
  • uma capela flutuante - que constava no projeto original do Caminho Niemeyer em homenagem a Nossa Senhora do Líbano.
  • uma Arena Multiuso - transformação do parque da Concha Acústica de Niterói, próximo ao campus da UFF, em uma arena multiuso - ideia que surgiu em 2010.
  • Torre Panorâmica - Torre com 80 metros de altura, que abrigará um restaurante e um bar, além de um mirante com visão panorâmica de 360 graus do Centro de Niterói e Baía de Guanabara, a ser erguida na Praça Popular, ladeada pelo Teatro Popular e pelo Memorial Roberto Silveira[17] . O prédio estava orçado em 2011 em R$ 19 milhões. - Este projeto foi arquivado. Substituindo pelo projeto da Nova Catedral.

Projetos abandonados[editar | editar código-fonte]

  • Terminal Hidroviário do Centro (Estação Arariboia) - anteriormente a ideia de uma estação multimodal de integração com a linha 3 do metrô, o arquiteto Oscar Niemeyer chegou a projetar uma nova estação hidroviária, que deixaria a Praça Arariboia e se integraria ao conjunto da Praça Popular do Caminho Niemeyer, justamente atrás do atual Terminal Rodoviário João Goulart. O edifício da nova estação de barcas, cuja versão original de projeto[10] foi apresentado em 2001, tinha o formato de ondas do mar, contaria com um estacionamento coberto, um enorme saguão de espera para embarque e desembarque de passageiros e um píer para atracação das embarcações. Com a saída da estação das barcas da Praça Arariboia, esta seria reconvertida em uma marina pública, como era o planejamento original ainda na década de 1970 da construção do Aterro da Praia Grande. Em 2010, foi anunciado que o atual Terminal João Goulart seria derrubado e substituído por um projeto elaborado por Oscar Niemeyer, integrando este terminal de ônibus ao Caminho Niemeyer. Em 2011, após tratativa com o Governo do Estado, que construirá a linha 3 do metrô, a futura estação de metrô da Praça Arariboia foi incorporada ao projeto de terminal hidroviários e desse terminal de ônibus, substituído-os assim por um único projeto, um Terminal de Integração Multimodal, que consistiu em uma adaptação ao projeto Niemeyer de novo Terminal Rodoviário João Goulart permitindo a integração ônibus, barcas e metrô. Assim a estação hidroviária e metroviária de nome Arariboia, apesar desse nome não estará na Praça Arariboia, e sim na Praça Popular do Caminho Niemeyer.

Projetos Cancelados[editar | editar código-fonte]

  • Catedral evangélica - projeto ora abandonado, ora re-anunciado, de templo religioso em uma das extremidades da Praça Popular de Niterói em trecho Centro da cidade do Caminho Niemeyer[10] , construída aos cuidados da sua respectiva igreja[18] . A catedral, originalmente oferecida a Igreja Batista (2001), abandonado em 2004 e em 2012 para a Igreja Adventista[19] , também ocupará um terreno cedido pela prefeitura na área da Praça Popular. O templo terá um pórtico de 23 metros de altura, com um vão livre de 61m de extensão, e também haverá um prédio de apoio. Templo contaria com um auditório para 5.000 pessoas. Em 2008 Oscar Niemeyer, a pedido da Prefeitura, projetou o Centro de Convenções para substitui-lo na Praça Popular, em seu lugar, embora o projeto também esteja congelado.

Referências

  1. a b c http://veja.abril.com.br/vejarj/020403/arquitetura.html
  2. http://www.ofluminense.com.br/editorias/cidades/um-caminho-com-tracos-fortes-e-linhas-sinuosas
  3. http://oglobo.globo.com/rio/bairros/posts/2011/07/02/caminho-faraonico-389883.asp
  4. http://oglobo.globo.com/rio/mat/2007/04/05/295243376.asp
  5. http://jornal.ofluminense.com.br/editorias/cidades/teatro-popular-de-niteroi-vai-ganhar-novo-palco-e-reforma-interna
  6. http://www.radarfluminense.com/2010/12/caminho-niemeyer-inaugura-mais-uma-obra.html
  7. http://www.spinsengenharia.com.br/obras/praca-das-aguas/
  8. http://jornal.ofluminense.com.br/sites/default/files/EIN%20REVx01%20prancha%2003.jpg
  9. http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/11.044/3876
  10. a b c http://www.annamarianiemeyer.com.br/OSCAR%20NIEMEYER/Livro%20Oscar%20NIemeyer%20Minha%20Arquitetura%201937-2004/FOTOS%20PAGINAS%20LIVRO/caminho%20niemeyer%20-%20planta%20baixa%20pb.jpg
  11. http://extra.globo.com/noticias/rio/caminho-niemeyer-area-sera-cedida-para-construcao-de-catedral-7115252.html
  12. http://www.arqnit.org.br/arqnit/informativos/construcao-da-catedral-catolica-no-caminho-niemeyer-e-retomada
  13. http://novacatedral.arqnit.org.br/catedral.html
  14. http://www.istoe.com.br/reportagens/detalhePrint.htm?idReportagem=12251&txPrint=completo
  15. http://www.pesca.sp.gov.br/noticia.php?id_not=770
  16. http://www.ofluminense.com.br/editorias/educacao/uff-esta-de-olho-no-forte-do-gragoata
  17. http://www.niteroi.rj.gov.br/novo/index.php/component/content/article/114-caminho-niemeyer-tera-torre-de-60-metros-de-altura
  18. http://www.ofluminense.com.br/editorias/politica/nova-igreja-sera-construida-em-niteroi-e-obra-tem-assinatura-de-niemeyer
  19. http://www.atribunarj.com.br/noticia.php?id=9753&titulo=A%20VEZ%20DO%20TEMPLO