Palácio Itamaraty

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palácio Itamaraty
Palácio Itamaraty, em Brasília.
Nomes alternativos Itamaraty, Palácio dos Arcos
Estilo dominante Moderno
Arquiteto Oscar Niemeyer
Engenheiro Joaquim Cardoso
Início da construção 1960
Fim da construção 1970
Inauguração 20 de abril de 1970[1]
Proprietário atual Governo Federal
Dimensões
Altura 13 m
Diâmetro 84 m x 84 m
Número de andares 3
Local Brasília, DF,
Brasil Brasil
Endereço Esplanada dos Ministérios, Bloco H - Eixo Monumental

O Palácio Itamaraty, também conhecido como Palácio dos Arcos, é a sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, situado em Brasília, capital do Brasil. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com cálculo estrutural do engenheiro Joaquim Cardoso, o palácio foi inaugurado oficialmente em 20 de abril de 1970 pelo presidente Emílio Médici.[2] [1] Atualmente, três edifícios compõem o complexo do Ministério: o Palácio, o Anexo I e o Anexo II, conhecido popularmente como "Bolo de Noiva". O palácio possui o maior hall sem colunas do mundo, com área de 2 800 metros quadrados.

Palácio dos Arcos[editar | editar código-fonte]

Escultura "Meteoro", desenhada por Bruno Giorgi

"Palácio dos Arcos" foi o primeiro nome dado ao edifício, devido aos arcos da fachada. No entanto, a tradição do nome "Itamaraty", oriunda do nome da antiga sede do ministério no Rio de Janeiro, foi mais forte e o palácio seguiu chamando-se Palácio Itamaraty, apenas com a exclusão do "do" de "Palácio do Itamaraty". Em seu interior, há painéis de artistas como Athos Bulcão, Rubem Valentim, Sérgio Camargo, Maria Martins e afresco de Alfredo Volpi. O paisagismo interno e externo é de Roberto Burle Marx. Em frente ao Palácio do Itamaraty, sobre o espelho d'água, encontra-se a escultura "Meteoro", desenhada por Bruno Giorgi.

A pedra fundamental do palácio foi lançada em 12 de setembro de 1960, no entanto, devido às dificuldades técnicas para atender às inovações do projeto, este só foi efetivamente concluído e inaugurado, no Dia do Diplomata, em 20 de abril de 1970 pelo presidente Emílio Garrastazu Médici e pelo Ministro das Relações Exteriores, embaixador Mário Gibson Barbosa.

O palácio já recebeu visitas ilustres de personalidades como Pelé, na sua inauguração, em 1970[1] e de chefes de estado como a Rainha Elizabeth do Reino Unido, quando o edifício ainda estava em obras, em 1968[3] , dos presidentes americanos Ronald Reagan, em 1982[4] e de Barack Obama, em 2011[5] .

No protesto de 20 de junho de 2013, ocorrido em Brasília, em que se reivindicavam diversas mudanças ao Governo Federal, vidraças do prédio foram apedrejadas, algumas paredes pichadas e parte da fachada incendiada por um coquetel molotov jogado por manifestantes.[6] .

Anexo II[editar | editar código-fonte]

O anexo II, que, por sua forma circular, também é conhecido como "Bolo de Noiva", teve sua construção iniciada em 1979 e foi concluído em 1986.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Brazil.Brasilia.01.jpg A Wikipédia possui o(s) portal(is):
Portal Arquitetura e Urbanismo


Referências

  1. a b c Inauguração do Itamarati Folha de São Paulo (21 de abril de 1970). Visitado em 28 de junho de 2013.
  2. [http://veja.abril.com.br/especiais/brasilia/poesia-concreta-joaquim-cardozo-p-058.html A poesia concreta de Joaquim Cardozo] VEJA. Visitado em 19 de janeiro de 2014.
  3. Breve História da Construção do Palácio Itamaraty (7 de maio de 2005). Visitado em 28 de junho de 2013.
  4. Reagan elogia a abertura e exalta amizade com o Brasil Zero Hora (2 de dezembro de 1982). Visitado em 28 de junho de 2013.
  5. Após Almoço, Obama deixa Palácio do Itamaraty Folha de São Paulo (19 de março de 2011). Visitado em 28 de junho de 2013.
  6. Manifestações em Brasília tem 3 presos e mais de 120 feridos G1 (21 de junho de 2013). Visitado em 28 de junho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palácio Itamaraty
Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.