Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vista lateral do Museu de Arte Contemporânea, Niterói, Brasil.

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói (abv. MAC ) é um museu localizado na cidade de Niterói, estado do Rio de Janeiro, Brasil. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o MAC tornou-se um dos cartões-postais de Niterói. Destina-se principalmente a obras pertencentes à arte contemporânea, todas datadas ao decorrer do século 20. Apresenta desde artes abstratas até obras retratando a ilusão da Monarquia Brasileira. O museu possui um acervo de 1.217 obras da Coleção João Sattamini.[1] Um conjunto reunido desde a década de 1950 pelo colecionador João Sattamini, constituindo a segunda maior coleção de arte contemporânea do Brasil.

Localizado sobre o Mirante da Boa Viagem, na orla de Niterói, o museu com sua fachada futurística possibilita que o visitante desfrute de vistas panorâmicas que se lhe oferecem quer fora do museu, a partir do pátio, quer dentro do museu por um olhar pelo anel de janelas que divide este gigantesco prato de concreto em duas faixas.

O MAC ainda disponibiliza atividades educacionais, dentro outros, desde 1996, chamadas de Desafios Comunicativos da Arte Contemporânea, com o intuito, segundo a administração do museu, de incentivar a "produção artística contemporânea, que se coloca exposta em um espaço público onde circulam indivíduos não pertencentes ao mundo da arte."[1]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

MAC Niterói vista da Praia da Boa Viagem, com a Praia de Icaraí ao fundo

Edificado em 1996, destaca-se na paisagem pelo arrojo de seus traços contemporâneos, que o fazem assemelhar-se a um cálice ou a disco voador. Foram necessários cinco anos para erguer a estrutura de quatro pavimentos, inscrita numa praça de 2.500 .

Cquote1.svg Estudante no início da década de 1960, olhei para o trabalho de Niemeyer como um estímulo, analisando com cuidado os desenhos de cada novo projeto. Quarenta anos depois, ele ainda tem o poder de nos surpreender.

O Museu de Niterói é um bom exemplo. Posicionado no promontório rochoso como uma planta exótica, ele despedaça o convencional justapondo arte com uma vista panorâmica do porto do Rio. É como se, em sua mente, ele tivesse esmagado nas rochas abaixo a convencional caixa da galeria, e nos desafiado a enxergar arte e natureza como duas coisas iguais.

Cquote2.svg

O edifício em si do MAC Niterói é a primeira obra que o museu oferece à contemplação. A estrutura de linhas circulares do edifício apresenta-se como uma escultura de 16 metros de altura em praça aberta, em que o espelho-d'água colocado em sua base e a iluminação empregada confere grande leveza. A rampa sinuosa externa conduz ao interior, com dois pavimentos. O moderno complexo arquitetônico, concebido pelo arquiteto Oscar Niemeyer, apresenta o concreto nu e duro numa forma arredondada, suave e moderna, do jeito que já chega a ser um tipo de marca registrada em quase todas as obras de Oscar Niemeyer.

vista de uma galeria de mostras do MAC, com janelas panorâmicas de um lado e obras em exposição do outro

No primeiro pavimento funciona a Administração. No segundo pavimento, estão a sala de exposições e a varanda panorâmica, envidraçada, também reservada para mostras. O mezanino, por sua vez, que circunda todo o interior do museu, é dividido em salas menores, destinadas a exposições. No subsolo, encontram-se uma área para armazenagem de obras, um bar, um restaurante e um auditório para conferências.

O Museu tem 2 500 m² de área e sua construção demorou cinco anos, tendo sido preciso 300 operários. Foram consumidos 3,2 milhões m³ de concreto, quantidade suficiente para levantar um prédio de 10 pavimentos. O prédio tem 50 metros de diâmetro, tendo recebido tratamento térmico e impermeabilizante. A estrutura consegue suportar um peso de cerca de 400 kg/m² e ventos de velocidade de até 200 km/h.[1]

Acervo[editar | editar código-fonte]

MAC Niterói vista da Praia de Icaraí, com o Pão de Açúcar e a cidade do Rio de Janeiro ao fundo

O acervo permanente do MAC é constituído pela Coleção João Sattamini, um conjunto de mais de mil peças, reunidas desde a década de 1950 pelo colecionador João Sattamini, constituindo a segunda maior coleção de arte contemporânea do Brasil.[3] A idéia de criação do museu, segundo Roberto da Silveira, surge da intenção de João Sattamini de doar sua coleção de arte para a cidade. E o museu nasce precisamente para abrigá-la.

Iniciada em 1966, quando Sattamini reside na Itália, a coleção de quase 1.200 obras define-se como um dos mais significativos conjuntos de arte brasileira produzida entre os anos 1950 e 1990. A coleção abrange um amplo espectro da arte contemporânea tal qual veio se consolidando no Brasil a partir da década de 1950. Aqui se acham obras de, por exemplo, João Carlos Goldberg, Frans Krajcberg, Tomie Ohtake, Abraham Palatnik, Mira Schendel e Carlos Vergara, entre outros. Estas obras revelam influência de muitas vertentes artísticas contemporâneas, como, por exemplo, da Nova Objetividade Brasileira, do Experimentalismo, do Concretismo e do Neoconcretismo.

Além da Coleção João Sattamini, o MAC NIT conta também com a Coleção MAC de Niterói, constituída atualmente por um conjunto de 369 obras de arte, doadas por artistas que realizaram exposições no Museu.

Caminho Niemeyer[editar | editar código-fonte]

A partir da concretização deste projeto, a Prefeitura Municipal de Niterói convidou o arquiteto a realizar outros trabalhos na cidade. A série de intervenções urbanísticas e edifícios que abrigam atividades culturais daí decorrentes, e que seguem um faixa contínua na paisagem da cidade, são conhecidos como Caminho Niemeyer.

Edificações do Caminho Niemeyer vistas de uma barca.

O Caminho Niemeyer inclui atualmente dez projetos, cinco concluídos, dois em construção e três ainda em fase de projeto: Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Praça JK, Memorial Roberto Silveira, Teatro Popular de Niterói[4] , Estação Hidroviária de Charitas, prédio do Terminal das Barcas de Charitas, Fundação Oscar Niemeyer[5] .

==Programação==* . * Glorinha e Renato. Show musical infantil sempre no segundo sábado de cada mês, às 11 horas da manhã no Auditório. Além das exposições programadas há uma programação regular:

  • Cineclube Cineolho - Local: auditório (subsolo do museu), distribuição de senhas a partir das 15h30 (60 lugares), Entrada Franca
  • Feira de Troca Cultural - no pátio do Museu de Arte 10 às 13h - 1º domingo do mês - trazer seus objetos de cunho cultural, usados ou não, para expor e realizar as trocas. - paralelamente à feira estará acontecendo a Tocata Aberta, uma oficina experimental de música intuitiva.
  • Encontro para Professores - Local: auditório (subsolo do museu) - Toda 3ª quinta-feira do mês, 14 às 17h - Programa pedagógico mensal para professores e estudantes de cursos de licenciatura de todas as áreas de conhecimento.
  • Visita Orientada para o Público Espontâneo - Todo sábado, 11h00 às 11h40 e 15h00 às 15h40
  • Contação de Histórias no MAC de Niterói - Todo domingo, 16h
  • Tai Chi Chuan - quartas e sextas-feiras, 07h30 às 08h30; domingos, 08h30 às 09h30

Bistrô[editar | editar código-fonte]

O Bistrô MAC, localizado no Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Subsolo. Terças, quartas, quintas e domingo, das 9h às 18h. Sextas e sábados, das 9h à meia-noite.[6] .

Biblioteca e Publicações[editar | editar código-fonte]

Aproximadamente 40 mil documentos sobre arte moderna e contemporânea brasileira. Livros, catálogos, teses, dissertações, dossiês (de artistas visuais, críticos de artes, arquitetura e design), revistas, recortes de jornais (clippings), multimeios (DVD, CD, CD-ROM e VHS) e outros itens informacionais, focados na história e na memória da instituição, são disponibilizados pela Divisão de Teoria, Pesquisa, Curadoria e Documentação para consulta.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.