Grande Prêmio de Singapura de 2012 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio de Singapura de F-1 de 2012
Singapore street circuit v2.svg
Grande Prêmio de Singapura de 2012 (Fórmula 1).
Detalhes da corrida
Data 23 de setembro de 2012
Local Singapore Street Circuit, Marina Bay, Cingapura
Percurso 5,073 km
Total 61 voltas / 309,316 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes
Tempo 1:46.362
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Nico Hulkenberg [1] Force India-Mercedes
Tempo 1:51.033 (na volta 52)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing-Renault
Segundo
Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes
Terceiro
Espanha Fernando Alonso Ferrari


O Grande Prêmio de Singapura de 2012 foi a décima quarta corrida da temporada de 2012 da Fórmula 1.[2] A prova foi disputada no dia 23 de setembro no Singapore Street Circuit, Marina Bay, Cingapura.

No sabádo o inglês Lewis Hamilton conseguiu a pole position, seguido de Pastor Maldonado e Sebastian Vettel. Na corrida o inglês Lewis Hamilton estava liderando a prova com 3 segundos de vantagem sobre o segundo colocado Sebastian Vettel. Mas na 12ª volta o carro do inglês quebrou, e ele teve que abandonar. Com isso Sebastian Vettel se tornou líder da prova. E seguiu até o final conquistando a 2ª vitória no campeonato. Jenson Button ficou na 2ª posição, e Fernando Alonso cruzou a linha de chegada em 3º lugar.[3]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Classificatório[editar | editar código-fonte]

Hamilton foi o pole position.
Q1 — primeira parte

O treino teve início no horário previsto com tempo seco. Aos poucos, os carros foram para a pista Alonso foi o primeiro entre os pilotos líderes do campeonato a liderar a sessão, com 1m49s511mil. Na metade da sessão ele foi superado por Rosberg e também por Maldonado. Os carros da McLaren tiveram problemas com as zebras e com escapadas e demoraram para encostar nos líderes.[4]

Quando faltavam sete minutos para o final do Q1 Hamilton assumiu a liderança ao ser mais de um segundo mais rápido que Alonso. Ele marcou o tempo de 1m48s285mil e teve Button na segunda posição, mesmo sem um grande tempo, tanto que Webber e depois Vettel assumiram o segundo lugar. Vettel ficou há apenas 2 milésimos do tempo de Hamilton.[4]

Na reta final do treino, quando os pilotos começaram a utilizar os pneus super macios, o finlandês Raikkonen fez a melhor volta do dia, porém na sequência foi superado por Di Resta e Grosjean. A disputa para não ser eliminado tinha Ricciardo e Vergne, que melhoraram suas marcas. Kobayashi caiu para 18º enquanto estava nos boxes e foi eliminado. Além dele, foram eliminados também Petrov, Pic, Kovalainen, Glock, Karthikeyan e De la Rosa. O mais veloz foi o francês Grosjean com o tempo de 1m47s688mil.[4]

Q2 — segunda parte

Iniciado o Q2, Alonso e Massa foram os dois primeiros a liderar a sessão, seguidos por Rosberg e Raikkonen já usando pneus super macios. Logo eles perderam suas posições para Webber e e Vettel. Alonso conseguiu recuperar a liderança e Massa subiu para terceiro. Entretanto Vettel marcou 1m46s791mil, em seguida Hamilton foi ainda mais rápido e fez 1m46s665mil.[4]

Faltando sete minutos para a sessão terminar, Senna deu um toque no muro, o quarto do final de semana. Dessa vez porém, ele acabou quebrando a suspensão traseira direita, abandonando a classificação.[4]

Enquanto os líderes mantinham suas posições, mais atrás o brasileiro Massa era o décimo primeiro colocado quando o cronômetro já estava zerado. Massa, Rosberg e Maldonado disputavam um lugar no Q3. Rosberg foi o sétimo, Massa não melhorou sua marca e Maldonado passou para quinto, logo perdendo a posição para Alonso. O brasileiro foi eliminado do Q3, perdendo ainda posição para Hulkenberg e Raikkonen.[4]

Hamilton foi o líder da sessão. Os eliminados foram Hulkenberg, Raikkonen, Massa, Pérez, Ricciardo, Vergne e Senna.[4]

Q3 — terceira parte

Em suas primeiras tentativas Vettel e Button fizeram as melhores voltas, porém Hamilton conseguiu ser quase um segundo mais rápido que seu companheiro de equipe ao fazer 1m46s362mil. Vettel ficou em terceiro após fazer 1m46s694mil, com Button entre os dois. Faltavam quase quatro minutos para o final quando apenas esses três carros haviam ido para a pista.[4]

Com um minuto para a que o cronômetro zerasse oito pilotos foram para a pista, exceção feita a Schumacher e Rosberg, que ficaram nos boxes. Em sua primeira volta, Maldonado marcou o segundo tempo, com Alonso como terceiro, posição ocupada por Vettel na sequência. Button ficou apenas na quarta posição e Hamilton, já com a pole position garantida, não melhorou seu tempo.[4]

Hamilton ficou em primeiro seguido por Maldonado, Vettel, Button, Alonso, Di Resta, Webber, Grosjean, Schumacher e Rosberg, respectivamente.[4]

Grid de largada para a corrida.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Vettel venceu a prova.

Antes da corrida ser iniciada, o grid fez um minuto de silêncio em homenagem ao Dr. Sid Watkins, neurocirurgião britânico que falaceu no dia 12 de setembro aos 84 anos. Ele responsável pela revolução de normas médicas e de segurança na categoria. Na largada, os olhos estavam voltados para Maldonado, conhecido pela quantidade de incidentes em que se envolveu na temporada. Enquanto Hamilton partiu tranquilo na liderança, Maldonado da WilliamsF1 tomou tanto cuidado que perdeu posição para Vettel e Button. No meio do pelotão, Petrov, que largou em 18º, se precipitou, freou tarde na primeira curva e atingiu Massa, que largara em 13º. Com o pneu esquerdo traseiro furado, Massa precisou seguir para os boxes, caindo para último lugar.[5]

Imprimindo um bom ritmo de prova, Hamilton manteve-se na liderança e abriu vantagem de 3 segundos sobre Vettel nas dez primeiras voltas. Button e Maldonado se descolaram da dupla, enquanto Alonso, em quinto, não conseguia se aproximar. Senna seguiu sua corrida de recuperação: ganhou 4 posições na largada e mais duas nas voltas iniciais. EM último lugar, Massa tentava se recuperar se aproximando de seu algoz Petrov.[5]

Entre os líderes, Webber foi o primeiro a parar nos boxes, na nona volta. Seu parceiro de RBR, Vettel fez seu pit stop duas voltas depois. Hamilton parou no 12º giro e retornou à pista em terceiro, atrás de Button e Maldonado, porém reassumiu a ponta após a parada nos boxes dos rivais. Após a rodada de pit stops, a vantagem de Hamilton para Vettel passou para pouco menos de dois segundos. Em terceiro vinha Button, seguido por Maldonado e Alonso. Na 20ª volta, Massa era o 18º, e o Senna o 12º. Nesta mesma volta, Massa realizou seu segundo pit stop e retornou em 21º.[5]

Hamilton administrava a vantagem tranquilamente e seguia rumo a sua terceira vitória em quatro corridas. Porém, na 23ª, o câmbio da sua McLaren lhe pregou uma peça. Com problemas mecânicos, o britânico abandonou a prova, e Vettel assumiu a liderança. O segundo colocado passou a ser Button. Mais atrás, Alonso tentava se aproximar de Maldonado, na busca por um lugar no pódio. Os dois foram para os boxes ao mesmo tempo na volta 30. A Ferrari fez um trabalho melhor que a Williams e soltou o Alonso na cola de Maldonado.[5]

Na 33ª volta, o indiano Karthikeyan bateu no muro da curva 18 e provocou a entrada do carro de segurança. A maioria dos pilotos aproveitou o momento para realizar pit stops. Maldonado, que havia entrado nos boxes pouco antes da entrada do safety car, parou novamente e Alonso assumiu a terceira colocação. O venezuelano voltou à pista em décimo, quando recebeu pelo rádio a má notícia de que estava com problemas hidráulicos, deveria se retirar da prova. Com isso, dupla da Force India, Di Resta e Hulkenberg, se tornou quarto e quinto colocados, respectivamente, seguidos por Webber e Pérez. Senna aparecia em 14º, duas posições à frente de Massa.[5]

Após cinco voltas sob bandeira amarela, o safety car saiu da pista para a relargada, porém teve que entrar em ação novamente logo na volta seguinte. Schumacher bateu em Vergne, que tentava ultrapassar Pérez. Depois da corrida, os comissários puniram o Schumacher com a perda de dez posições no grid da corrida aseguinte, o Grande Prêmio do Japão. Pouco antes do acidente, Senna e Massa já ensaiavam uma disputa pela nona posição. A nova largada foi dada na 43ª volta. E o disputa prevista entre Massa e Senna se concretizou. A batalha foi dura. Massa colocou por dentro antes da curva 13, ponto mais estreito do circuito. O piloto da Ferrari ficou espremido no muro e os dois chegaram a se tocar. Massa derrapou, mas conseguiu segurar o carro e ganhar a posição. O incidente ficou sob investigação pela direção de prova, que preferiu não punir ninguém. Na sequência, Massa ultrapassou Ricciardo e assumiu a oitava posição. Senna ainda perdeu mais uma posição, para Webber, e saiu da zona de pontuação. Voltas depois, a dupla da Sauber se envolveu em dois incidentes com Hulkenberg. Primeiro, Pérez deu um leve toque na Force India dele. Logo após, Hulkenberg tentou passar Kobayashi, os dois se tocaram, danificaram seus carros e precisaram ir para os boxes.[5]

Na última volta, Senna abandonou a prova com problemas no carro. Após a corrida, Webber foi punido por usar a parte de fora da pista para superar Pérez, e teve 20 segundos adicionados a seu tempo total e perdeu o ponto que havia conquistado. Vettel seguiu tranquilamente na ponta para assegurar a vitória. O alemão da RBR cruzou a linha de chegada nove segundos à frente de Button. A terceira posição ficou o líder do campeonato, Alonso.[5]

Resultado final da corrida.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Equipe Q1 Q2 Q3 voltas
1 4 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 1:48.285 1:46.665 1:46.362 1
2 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 1:49.494 1:47.602 1:46.804 2
3 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing-Renault 1:48.240 1:46.791 1:46.905 3
4 3 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 1:49.381 1:47.661 1:46.939 4
5 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 1:49.391 1:47.567 1:47.216 5
6 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 1:48.028 1:47.667 1:47.241 6
7 2 Austrália Mark Webber Red Bull Racing-Renault 1:48.717 1:47.513 1:47.475 7
8 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 1:47.668 1:47.529 1:47.788 8
9 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 1:49.546 1:47.823 sem tempo 9
10 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:49.463 1:47.943 sem tempo 10
11 12 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 1:49.547 1:47.975 11
12 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 1:48.169 1:48.261 12
13 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 1:49.767 1:48.344 13
14 15 México Sergio Pérez Sauber-Ferrari 1:49.055 1:48.505 14
15 16 Austrália Daniel Ricciardo STR-Ferrari 1:49.023 1:48.774 15
16 17 França Jean-Éric Vergne STR-Ferrari 1:49.564 1:48.849 16
17 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 1:49.809 sem tempo 221
18 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 1:49.933 17
19 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 1:50.846 18
20 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 1:51.137 19
21 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth 1:51.370 20
22 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 1:51.762 21
23 23 Índia Narain Karthikeyan Hispania-Cosworth 1:52.372 23
24 22 Espanha Pedro de la Rosa Hispania-Cosworth 1:53.355 241
107% tempo: 1:55.226
Fonte:[6]

Notas:

Corrida[editar | editar código-fonte]

# Piloto Equipe Voltas Tempo Grid Pontos
1 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull Racing-Renault 59 2:00:26.144 3 25
2 3 Reino Unido Jenson Button Mclaren-Mercedes 59 +8.9 4 18
3 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 59 +15.2 5 15
4 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 59 +19.0 6 12
5 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 59 +34.7 10 10
6 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 59 +35.7 12 8
7 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 59 +36.6 8 6
8 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 59 +42.8 13 4
9 16 Austrália Daniel Ricciardo STR-Ferrari 59 +45.8 15 2
10 15 México Sergio Perez Sauber-Ferrari 59 +50.6 14 1
11 2 Austrália Mark Webber Red Bull Racing-Renault 59 +67.1 7
12 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth 59 +91.9 20
13 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 59 +97.1 17
14 12 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 59 +99.4 11
15 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 59 +107.9 19
16 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 59 +132.9 21
17 22 Espanha Pedro de la Rosa HRT-Cosworth 58 +1 Volta 24
18 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 57 +2 Voltas 22
19 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 57 +2 Voltas 18
Ret 17 França Jean-Eric Vergne STR-Ferrari 38 Acidente 16
Ret 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 38 Acidente 9
Ret 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 36 Hidráulico 2
Ret 23 Índia Narain Karthikeyan HRT-Cosworth 30 Acidente 23
Ret 4 Reino Unido Lewis Hamilton Mclaren-Mercedes 22 Câmbio 1
Fonte:[9]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.

Referências

  1. Singapour 2012, Meilleurs tours (em francês). Stats F1 (24 de setembro de 2012).
  2. Calendário da F1 de 2012 confirmado. Autosport (31 de agosto de 2011). Página visitada em 22 de março de 2012.
  3. Singapour 2012, Classement (em francês). Stats F1 (24 de setembro de 2012).
  4. a b c d e f g h i j Carlos Eduardo Garcia (22 de setembro de 2012). Hamilton conquista pole com sobras em Marina Bay (shtml) (em português). Quatro Rodas. Página visitada em 26 de setembro de 2012.
  5. a b c d e f g Hamilton quebra, e vitória cai no colo de Vettel em Cingapura; Massa é 8º (html) (em português). globoesporte.com (23 de setembro de 2012). Página visitada em 26 de setembro de 2012.
  6. Collantine, Keith. "Hamilton on pole as Maldonado shines in Singapore", F1 Fanaitc, Keith Collantine, 22 de setembro de 2012. Página visitada em 26 de setembro de 2012.
  7. Noble, Jonathan. "De la Rosa gets gearbox penalty", Autosport, Haymarket Publications, 22 setembro de 2012. Página visitada em 26 de setembro de 2012.
  8. Collantine, Keith. "Senna falls to 22nd with gearbox change penalty", F1 Fanatic, Keith Collantine, 23 de setembro de 2012. Página visitada em 26 setembro de 2012.
  9. FORMULA 1 SINGTEL SINGAPORE GRAND PRIX 2012 (em inglês). Site Oficial da Fórmula 1. Página visitada em 29 de setembro de 2012.
  10. a b Singapour 2012, Championnat (em francês). Stats F1 (24 de setembro de 2012).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Grande Prêmio de Singapura de 2012 (Fórmula 1)
Prova Anterior:
GP da Itália de 2012
Campeonato do Mundo da FIA
Fórmula 1, Temporada 2012
Próxima Prova:
GP do Japão de 2012

Prova Anterior:
GP de Cingapura de 2011
Grande Prêmio de Cingapura Próxima Prova:
GP de Cingapura de 2013