Iwate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Província de Iwate
(岩手県)
Mapa
Mapa do Japão com Iwate destacado
Informação
Capital Morioka
Região Tohoku
Ilha Honshu
Área 15 278,40 km² (2.º)
 - % água 0,1%
População (1 de Novembro de 2006)
 - Total 1 374 530 (30.º)
 - Densidade populacional 90 hab/km²
Distritos 14
Municípios 59
ISO 3166-2 JP-03
Website www.pref.iwate.jp/english/ (em inglês)
Símbolos
Flor Paulónia-imperial (Paulownia tomentosa)
Árvore Pinheiro vermelho japonês (Pinus densiflora)
Ave Faisão-de-coleira ( Phasianus colchicus )
Mapa da província de Iwate
Bandeira da província de Iwate (ao centro o brasão provincial)

Iwate (岩手県, Iwate-ken?) é uma província do Japão, localizada na região de Tohoku, na ilha de Honshu. A sua capital é Morioka. Com uma área de 15 278 km², é a maior província após Hokkaido.

História[editar | editar código-fonte]

Até a Restauração Meiji, a região da província de Iwate era conhecida como Província de Mutsu.[1]

A provincial de Iwate foi criada em 1876, após a Guerra Boshin, que iniciou a Restauração Meiji. Enquanto a ilha inteira de Honshu foi reivindicada pelo Governo japonês (ou Yamato), desde tempos remotos como um tipo de direito divino ou destino manifesto, as forças imperiais não conseguiram ocupar qualquer área do que hoje é Iwate até o ano de 802, quando dois poderosos líderes Emishi, Aterui e More, renderam-se no Forte de Isawa.

A região hoje conhecida como província de Iwate era habitada pelo povo Jomon, que deixaram artefatos por toda a província. Por exemplo, um grande número de covas do período Jomon médio (2 800 – 1 900 AC) foi encontrado em Nishida. Vários lugares do Período Final do Jonmon (1 900 – 1 300 AC), incluindo Tateishi, Makumae e Hatten contêm bonecos de barro, máscaras e artefatos de argila em forma de nariz e orelha. No sítio de Kunenbashi, na cidade Kitakami, foram encontradas espadas de pedra, tabuleiros e ferramentas, bem como bonecos, brincos e cacos de cerâmica do Período Final do Jonmon (1 300 – 300 AC).

Os resquícios mais antigos da presence japonesa no local datam de 630, quando diz-se que o Santuário de Hakusanfoi construído no Monte Kanzan, onde hoje é Hiraizumi. Nessa época, vários comerciantes, caçadores, aventureiros, padres e criminosos rumavam para Iwate. Em 712, a província de Mutsu, que englobava toda a região de Tohoku, teve sua região oeste das Montanhas de Ou cindidas na província de Dewa. Em 729, o templo de Kokuseki-ji foi fundado onde hoje é Mizusawa, cidade de Oshu, pelo padre itinerante Gyoki.

Pouco se sabe sobre as relações entre esses japoneses que viviam na fronteira e os nativos Emishi, mas no ano de 776 houve uma guinada para pior, quando grandes contingentes do exército Yamato invadiram Iwate, atacando as tribos Isawa e Shiwa em fevereiro e novembro daquele ano. Mais confrontos aconteceram nos anos seguintes, principalmente em Dewa e na região sul de onde hoje é a província de Iwate. Essa situação continuou até março de 787, quando o exército Yamato sofreu uma desastrosa derrota na Batalha da Vila Sifuse, onde hoje é Mizusawa, cidade de Oshu. Lá, More e Aterui, líderes Emishi, liderando um grande contingente de cavalaria, cercaram a infantaria de Yamato e os empurraram em direção ao Rio Kitakami, onde suas armaduras pesadas foram mortais. Mais de mil soldados se afogaram naquele dia. O general japonês Ki no Asami Kosami foi "repreendido" pelo Imperador Kammu quando retornou a Kyoto.

Como os japoneses não conseguiam vencer no campo de batalha, eles apelaram para outros meios a fim de conquistar os Emishis. O comércio de mercadorias de ferro de qualidade e de sake fizeram os Emishi dependentes dos japoneses por esses bens valiosos. Subornos foram oferecidos para os líderes Emishi na forma de cidadania japonesa e status, caso eles se rendessem. No final, uma campanha de queimar plantações e seqüestrar mulhres e crianças Emishi para os realocarem no Japão Ocidental foi adotada. Muitos guerreiros desistiram de lutar para se juntarem a suas famílias de novo.

Em 801, Sakanoue no Tamuramaro começou uma nova campanha contra Isawa Emishi, tendo um relative sucesso. Finalmente, em 15 de abril de 802, os líderes Emishi More e Aterui renderam-se com cerca de 500 guerreiros. Os capturados foram levados a uma audiência em Kyoto com o imperador e foram decapitados em Moriyama, na província de Kawachi, contra a vontade do General Sakanoue. Esse ato de crueldade enfureceu os Emishi, levando a mais de 20 anos de combates.

Após a rendição, várias fortalezas de modelo chinês foram construídas ao longo do Rio Kitakami. Em 802, A fortaleza de Isawa foi construída onde hoje é Mizusawa, cidade de Oshu. Em 803, o Forte Shiwa foi construído onde hoje é a cidade de Morioka e em 812 o Forte Tokutan também foi construído em Morioka.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Há algumas teorias sobre a origem do nome "Iwate", mas a mais conhecida é a lenda "Oni no tegata", que é associada ao Mitsuishi ou Santuário das "Três Rochas", em Morioka. Fala-se que essas rochas foram jogadas em Morioka por uma erupção do Monte Iwate. De acordo com a lenda, existia um demônio que sempre atormentava o povo local. Quando o povo rezou para os espíritos de Mitsuishi por proteção, o demônio foi imediatamente acorrentado a essas rochas e forçado a prometer nunca mais atormentar o povo outra vez. Como um selo de se juramento, o demônio deixou a marca de seu dedo em uma das rochas, assim dando origem ao nome Iwate, literamente "mão na rocha". Até hoje, após uma chuva fala-se que a marca do dedo do demônio pode ser vista lá.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Monte Iwate e a cidade de Morioka

Iwate é banhado pelo Oceano Pacífico ao leste, com penhascos rochosos ao longo da maior parte do litoral, com algumas praias de areia branca. A fronteira com a província de Akita ao oeste é formada pelos cumes mais altos das Montanhas Ou. A província de Aomori encontra-se ao norte, enquanto a província de Miyagi localiza-se ao sul.

O terreno onde encontra-se a província de Iwate é o mais antigo do Japão. Ainda existem vulcões ativos como o Monte Iwate (com 2 038 metros, o ponto mais alto da província) e o Monte Kurikoma (1 627 metros) nas montanhas de Ou. Entretanto, as Montanhas Kitakami que atravessam o centro da província de norte a sul são mais antigas e não estão mais ativas por milhares de anos. O Monte Hayachine (1 917 metros), que localiza-se no centro de Kitakami, é único de diversas maneiras. É o mais antigo e a montanha mais ao leste de todo o território japonês. Isso lhe dá um ecossistema único que abriga plantas exóticas que não podem ser vistas em nenhum outro lugar no mundo.

Além dessas duas cadeiras de montanhas e o litoral rochoso, a província distingue-se pelo Rio Kitakami, que fui de norte a sul entre as cadeias montanhosas de Ou e Kitakami. É o quarto rio mais longo do Japão e o mais longo de Tohoku. A bacia do Kitakami é ampla e fértil, oferecendo um lugar para as grandes cidades, parques industriais e fazendas da província.

No passado, Iwate era famosa por sua riqueza mineral, especialmente ouro, ferro, carvão e enxofre, que hoje não são mais produzidos. Há uma abundância de água quente que é usada em fontes termais (onsen), que são a base de um setor da economia próspero. As florestas da província são outro recurso valioso. Antes da Segunda Guerra Mundial, as florestas eram inteiramente formadas de faia, mas desde então, passou-se a produzir mais o cedro japonês, cujo crescimento é mais rápido. Entretanto, recentemente passou a existir uma pressão para se restaurar as florestas de faia em algumas áreas.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

O nome Iwate (岩手) significa literalmente "mão na rocha" ou "mão da rocha", e vem do distrito de Iwate, onde fica a capital, Morioka.

Cidades[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a capital da prefeitura.

Distritos[editar | editar código-fonte]

Rocha em Morioka

Cultura[editar | editar código-fonte]

Matsuo Basho visitou e escreveu sobre Iwate durante a viagem descrita em Oku no Hosomichi. Em particular, Hiraizumi inspirou ele.

Economia[editar | editar código-fonte]

As indústrias de Iwate estão concentradas ao redor de Morioka e são especializadas em semicondutores e comunicações.

Política[editar | editar código-fonte]

O atual governador é Takuya Tasso (達増拓也), que está nesta posição desde 30 de abril de 2007.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população atual de Iwate em 1 de outubro de 2007 é de 1 363 702 habitantes, sendo 651 730 homens e 711 972 mulheres.

Os registros mais antigos de censo datam de 1907, quando a população de Iwate era de 770 406 habitantes, com 389 490 homens e 380 916 mulheres. Esse também é o único censo a registrar mais homens do que mulheres.

Em 1935, a população de Iwate ultrapassou a marca de um milhão de habitantes, alcançando uma população de 1 095 793.

Em 1985, a população da província alcançou o maior valor da história, com 1 433 611 habitantes.

O censo de 1950 registrou a maior quantidade de nascimentos na província, com 45 968 registros. Desde então, houve um leve declínio para 10 344 nascimentos em 2007. O maior número de mortes foi registrado em 1945, com um total de 32 614. O número de falecimentos diminuiu aos poucos até 1980, quando atingiu seu menor valor, de 9 892. Desde então o número de mortes aumentou gradualmente para 14 774 registro em 2007.

Graças aos avanços da medicina, o número de crianças mortas ao nascer diminuiu de 4 246, em 1950, para apenas 332, em 2007.

O número de casamentos na província também diminuiu de 13 055, em 1950, para sua maior baixa de todos os tempos, de 6 354, em 2007.

Educação[editar | editar código-fonte]

Universidades, colégios (de curto período) e Kosens (colégios especializados)[editar | editar código-fonte]

Universidades[editar | editar código-fonte]

Universidades públicas

Universidades particulares

Colégios (de curto período)[editar | editar código-fonte]

Colégios Públicos

Colégios Particulares

Kosens (colégios especializados)[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Wanko soba

Iwate é principalmente conhecida por sua natureza, seus onsens e sua culinária. De lá também são conhecidos dois grandes escritores que contribuíram muito para a literatura atual japonesa: Takuboku Ishikawa e Kenji Miyazawa. Há também o Parque de Iwate, onde ficam os restos do Castelo de Morioka.

Pratos famosos[editar | editar código-fonte]

  • Wanko soba (わんこそば) - soba colocado em pequenas quantidades de cada vez na tigela; o servidor coloca uma porção, a pessoa come, e isso se repete ritmicamente até a pessoa tampar a tigela indicando que já está satisfeita.
  • Morioka rēmen (盛岡冷麺) - macarrão com sopa fria picante, geralmente acompanhada de uma ovo cozido, kimchi e pepino conservado em vinagre.
  • Ja-ja men (じゃじゃ麺) - macarrão parecido com o udon, acompanhado por miso com carne, gergelim e alho, e pepino fatiado por cima. Ao lado do prato é colocada uma porção de gengibre como tempero.

Lista de onsens famosos[editar | editar código-fonte]

Tōshichi onsen

Sul do pé do Monte Iwate[editar | editar código-fonte]

  • Amihari onsen (網張温泉)
  • Ōshuku onsen (鶯宿温泉)
  • Minami Amihari Arine onsen (南網張ありね温泉)

Hachimantai[editar | editar código-fonte]

  • Matsukawa onsen (松川温泉)
  • Tōshichi onsen (藤七温泉)

Hanamaki[editar | editar código-fonte]

  • Dai onsen (台温泉)
  • Ōsawa onsen (大沢温泉)
  • Namari onsen (鉛温泉)

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Sukawa Kōgen onsen (須川高原温泉)
  • Kunimi onsen (国見温泉)
  • Getō onsen (夏油温泉)

Símbolos provinciais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Nussbaum, "Provinces and prefectures" em Japan encyclopedia, p. 780

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Iwate
Província de Iwate
Cidades
Hachimantai | Hanamaki | Ichinoseki | Kamaishi | Kitakami | Kuji | Miyako | Morioka (Capital) | Ninohe | Ofunato | Oshu | Rikuzentakata | Tono
Distritos
Hienuki | Higashiiwai | Isawa | Iwate | Kamihei | Kesen | Kunohe | Ninohe | Nishiiwai | Shimohei | Shiwa | Waga