John Desmond Bernal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Desmond Bernal
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Nascimento 10 de maio de 1901
Local Nenagh
Morte 15 de setembro de 1971 (70 anos)
Local Londres
Atividade
Instituições Birkbeck College
Alma mater Emmanuel College
Orientador(es) William Henry Bragg
Orientado(s) Dorothy Crowfoot Hodgkin, Max Perutz
Conhecido(a) por Cristalografia de raios X
Prêmio(s) Medalha Real (1945), Guthrie Lecture (1947), Prêmio Lenin da Paz (1953), Bakerian Lecture (1962)

John Desmond Bernal FRS[1] (Nenagh, 10 de maio de 1901Londres, 15 de setembro de 1971) foi um cientista irlandês, nascido em Nenagh, no Condado de Tipperary. Destacou-se por seus trabalhos pioneiros no âmbito da cristalografia de raios X.

Carreira acadêmica[editar | editar código-fonte]

Após realizar estudos na Universidade de Cambridge e licenciar-se em matemática e ciências em 1922, especializou-se em ciências naturais. Continuou seus estudos de pós-graduação sob a tutela de Sir William Bragg nos laboratórios Davy-Faraday em Londres. Em 1924 determinou a estrutura molecular do grafite.

Em seu grupo de pesquisas em Cambridge, Dorothy Crowfoot Hodgkin deu seus primeiros passos em cristalografia, campo em que receberia o Prêmio Nobel de química de 1964. Em 1934, Bernal e Hodgkin tomaram as primeiras fotografias de raios X de cristais protéicos. Outros cientistas destacados que estudaram com John Desmond Bernal incluem Rosalind Franklin, Aaron Klug e Max Perutz.

Mais tarde foi professor de Física em Birkbeck College, parte da Universidade de Londres, e tornou-se membro da Royal Society, a mais antiga sociedade científica do Reino Unido.

Foi também ele quem propôs, em 1929, a chamada esfera de Bernal, baseada em um asteróide oco que se usaria como abrigo de longa duração em missões de colonização do espaço.

Atividades políticas[editar | editar código-fonte]

Sua vida política foi muito ativa, sobretudo nos años 30, após abandonar o Partido Comunista da Grã Bretanha em 1933. De acordo com o autor de sua biografia, Maurice Goldsmith, não teria saído do partido, mas perdido sua carteira de militância e negligenciado sua renovação. Havia sido militante nas fileiras comunistas desde 1923.

Em 1939 publicou A função social da ciência, possivelmente o primeiro texto referente à sociologia da ciência.

Recebeu o Prêmio Lênin da Paz em 1953 por seus trabalhos internacionalistas.

Segundo seus biógrafos, suas convicções ideológicas determinaram que nunca recebesse o Prêmio Nobel, em que pese o fato de que vários de seus discípulos e companheiros de pesquisas foram laureados.

Trabalho durante a Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Participou da invenção dos chamados portos pré-fabricados Mulberry, utilizados no desembarque da Normandia.

Após orquestrar o Dia D, J. D. Bernal desembarcou na Normandia no dia seguinte. Seu amplo conhecimento da região se devia tanto à investigação por sua própria conta em bibliotecas inglesas quanto a ter veraneado em lugares próximos. A Marinha Britânica designou-o transitoriamente para o cargo de comandante para minimizar os problemas relacionados com o fato de ter um civil no comando das forças de desembarque.

Família[editar | editar código-fonte]

Sua família paterna era de origem judaica Sefardita, embora seu pai Samuel fosse Católico; sua mãe, cujo nome de solteira era Elizabeth Miller, era norte-americana convertida ao catolicismo, licenciada pela Universidade de Stanford e jornalista.

Martin Bernal, autor do livro Atenea Negra, é seu filho com Margaret Gardiner. J. D. Bernal teve outros três filhos, dois com Agnes Eileen Sprague com quem se casou em 1921, e mais outros com Margot Heinemann.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • The World, the Flesh & the Devil: An Enquiry into the Future of the Three Enemies of the Rational Soul (1929) [1]
  • Aspects of Dialectical Materialism (1934) with E. F. Carritt, Ralph Fox, Hyman Levy, John Macmurray, R. Page Arnot
  • The Social Function of Science (1939)
  • Science and the Humanities (1946) (panfleto)
  • The Freedom of Necessity (1949)
  • The Physical Basis of Life (1951)
  • Marx and Science (1952) Marxism Today Series No.9
  • Science and Industry in the Nineteenth Century (1953)
  • Science in History (1954) que consta de quatro volumes: The Emergence of Science; The Scientific and Industrial Revolutions; The Natural Sciences in Our Time; The Social Sciences: Conclusions
  • World without War (1958)
  • A Prospect of Peace (1960)
  • Need There Be Need? (1960) (panfleto)
  • The Origin of Life (1967)
  • Emergence of Science (1971)
  • The Extension of Man. A History of Physics before 1900 (1972)
  • On History (1980) conjuntamente com Fernand Braudel
  • Engels and Science, panfleto publicado na revista Labour Monthly
  • After Twenty-five Years
  • Peace to the World, panfleto do British Peace Committee

Referências

  1. Hodgkin, D. M. C. (1980). "John Desmond Bernal. 10 May 1901-15 September 1971" (PDF) (em inglês). Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society 26: 16. DOI:10.1098/rsbm.1980.0002. Visitado em 20 de janeiro de 2013.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • The Visible College (1978) Gary Werskey, sobre John Desmond Bernal, J. B. S. Haldane, Lancelot Hogben, Hyman Levy y Joseph Needham, 2nd edition 1988
  • Sage: A Life of JD Bernal (1980) Biografia escrita por Maurice Goldsmith
  • J. D. Bernal: The Sage of Science por Andrew Brown (Oxford University Press, November 2005).


Precedido por
Charles Robert Harington e David Brunt
Medalha Real
1945
com Edward James Salisbury
Sucedido por
Cyril Dean Darlington e William Lawrence Bragg