Mahmoud Darwish

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mahmoud Darwish

Mahmud Darwish ou Mahmoud Darwich (Al-Birweh, 1942 - Houston, 9 de agosto de 2008) foi um poeta e escritor árabe nascido na Palestina, à época do Mandato Britânico.

Nascido em um vilarejo, a 10,5 quilômetros de Acre, na Galileia, era o segundo dos oito filhos de uma família sunita de proprietários de terras. A vila árabe foi inteiramente arrasada pelas forças israelenses, durante a guerra de 1948 e a família Darwish refugiou-se no Líbano, onde permaneceu por um ano, e, ao retornar clandestinamente e descobrir que o vilarejo havia sido substituído pelo colonato agrícola judaico de Ahihud.1

Entre 1961 e 1967, foi preso diversas vezes, até 1970, quando passou a viver como refugiado até ser autorizado a retornar, para comparecer a um funeral, em maio de 1996.

Darwish é o autor da Declaração de Independência Palestina, escrita em 1988 e lida pelo líder palestino Iasser Arafat, quando declarou unilateralmente a criação do Estado Palestino.2

Integrante da OLP, Darwich afastou-se da organização em 1993, por discordar da posição da organização no tocante aos Acordos de Oslo.

Darwish é considerado o poeta nacional da Palestina. Seu trabalho, que evoca a dor do deslocamento com paradoxos sutis, foi traduzido em mais de 20 línguas.3 Na obra do poeta, além da angústia do exílio, a Palestina aparece como metáfora do "paraíso perdido", nascimento e resurreição.

Referências

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Darwish em português[editar | editar código-fonte]

  • O jardim adormecido e outros poemas; selec. e trad. Albano Martins. Porto: Campo das Letras, 2002 ISBN: ISBN 972-610-500-X

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.