Ramallah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ramallah
Ramallah4.JPG
Ramallah vista de cima
We-map.png
Ramallah, Cisjordânia no CIA World Factbook.
Hebraico רמאללה
Árabe رام الله
Significado Monte de Deus
Fundada em século VI
Governo (desde1995)
Coordenadas 31° 54′ N 35° 12′ E
População 32.278 [1] (2013)
Jurisdição 16344 dunams (16.3 km²)
Prefeito Janet Mikhail
Website www.ramallah.ps

Ramallah ou Ramalá (mais correctamente Rām Allāh, em árabe رام الله , que significa "Monte de Deus" ou, mais propriamente, "Casa de Deus") é uma cidade palestina com cerca de 32 278 habitantes[1] , situada no centro da Palestina (Cisjordânia), a aproximadamente 15 km ao norte de Jerusalém.

Os árabes palestinos consideram como sua capital al-Quds ("a Santa", isto é Jerusalém). Contudo, devido à permanente situação de precariedade e de conflito com o Estado de Israel, conjugado com a substancial essência de um verdadeiro e próprio Estado Palestino, fizeram de Rāmallāh a capital virtual, ou tacitamente provisória, da administração palestiniana. Em Rāmallāh, de facto, encontram-se as sedes de vários ministérios, as representações diplomáticas estrangeiras (sob as formas de Consulado e Embaixada) como a chamada Muqāta'a (المقاطعة, al-Muqāta'a, "a Separada"), isto é o complexo de edifícios que alberga a sede da Autoridade Nacional Palestina e onde se encontra também o escritório principal do presidente Abu Mazen; sempre internamente à Muqāta'a foi construído o mausoléu do ex-líder palestino Yasser Arafat.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ramallah localiza-se cerca de 15 km ao norte de Jerusalém, construída em uma montanha com vista para a costa oeste e cercada por montanhas a sul e leste. A altitude da cidade varia entre 830 e 880 metros acima do nível do mar e, devido à proximidade com o mar, os ventos que sopram de oeste carregam consigo um pouco de umidade.[2]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Ramallah é mediterrânico (Csa na classificação climática de Köppen-Geiger), de modo que a cidade está exposta aos rigorosos ventos de sudoeste e, às vezes, ventos frios de nordeste, úmidos ou secos. As temperaturas médias no inverno raramente ultrapassam a marca de 0 °C, enquanto que a média no verão dificilmente ultrapassa 35 °C. A precipitação média anual é de 500 mm.[2]

No início de abril, sopram ventos do sul que trazem uma grande quantidade de poeira, além dos ventos quentes entre o fim do verão e o início do outono.[2]

Demografia[editar | editar código-fonte]

O primeiro censo realizado em Ramallah foi através de um mandato britânico em 1922, que registrou uma população de 3.067 habitantes.[3] Na pesquisa de Sami Hadawi, em 1945, a população era de 5.080 habitantes, com os cristãos sendo a maioria da população.[4] No entanto, a composição demográfica da cidade mudou drasticamente entre 1948 e 1967, quando passou a ter 12.134 habitantes, com apenas pouco mais da metade dos habitantes da cidade sendo cristã, a outra metade muçulmana.[5]

A população de Ramallah diminuiu drasticamente no final do século XX, tendo registrado 24.722 habitantes em 1987 e apenas 17.851 habitantes dez anos depois, em 1997. No censo de 1997, realizado pelo Palestinian Central Bureau of Statistics (PCBS), os refugiados palestinos responderam por 60,3% da população da cidade.[6] Havia 8.622 homens e 9.229 mulheres. Houve um aumento na população com menos de 20 anos de idade, que passaram a responder por 45,9% da população, enquanto que aqueles com idade entre 20 e 64 anos eram 45,4% dos habitantes e pessoas com mais de 64 anos representavam 4,7% do total populacional.[6] De acordo com estimativas do Palestinian Central Bureau of Statistics, a população de Ramallah em 2013 era de 32.278 habitantes.[1]

Religião[editar | editar código-fonte]

A Mesquita Abdel Nasser Jamal é uma das maiores da cidade. A Igreja Ortodoxa de Ramallah, a Igreja Greco-Católica Melquita, a Igreja Evangélica Luterana e a Igreja Batista de Ramallah são algumas das instituições religiosas que operam escolas na cidade. Um pequeno grupo de Testemunhas de Jeová e Mórmons estão presentes na área, entre outros.

Economia[editar | editar código-fonte]

Ramallah possui é um dos sinais mais evidentes de crescimento econômico na Cisjordânia, tendo o crescimento de sua economia estimada em 8% anualmente. Este crescimento tem sido atribuído a uma relativa estabilidade e apoio ocidental doado para a Autoridade Palestina. A economia dinâmica de Ramallah continua a atrair os palestinos de outras cidades da Cisjordânia, onde oportunidades econômicas são menores. A economia aumentou cinco vezes desde 2002.[7]

A cidade tem sido descrita como a sede do poder da Autoridade Nacional Palestina e serve como sede para as ONGs e embaixadas internacionais. Vários investimentos financeiros têm impulsionado a economia de Ramallah, principalmente após o fim da Segunda Intifada, em 2005.[8]

Em 2010, Ramallah se tornou o principal centro de atividade econômica e política nos territórios sob o controle da Autoridade Palestina.[9] A cidade experimentou um considerável avanço econômico, nos primeiros anos do século XXI, com diversos estabelecimentos comerciais, principalmente apartamentos e hotéis, sendo erguidos e construídos, particularmente no bairro de Al-Masyoun.[9] Em 2010, centenas de empresas palestinas foram incentivadas a mudarem-se de Jerusalém Oriental para Ramallah devido aos baixos impostos da cidade.[9] Tal incentivo foi destacado no jornal norte-americano The New York Times que, em 2010, chamou Ramallah de a capital de facto da Cisjordânia.[9] [10]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Ramallah é geminada com:

Referências

  1. a b c Estimativa populacional em Ramallah e região, 2007 - 2016. Palestinian Central Bureau of Statistics.
  2. a b c Ramallah Municipality. Localização e clima (em árabe) Ramallah.ps. Página visitada em 22 de junho de 2013.
  3. Harris, Chauncy Dennison. Trabalho de pesquisa: Questões 217-218 de padrões mundiais de mudança urbana moderna: Ensaios em homenagem a Chauncy D. Harris (em inglês) p. 154
  4. Hadawi, 1970. p. 65
  5. Ramallah Enciclopédia Britânica Online. 27 de dezembro de 2008.
  6. a b População palestina por localidade, sexo e grupos de idade Palestinian Central Bureau of Statistics.
  7. A construção de Ramallah significa o crescimento econômico da Cisjordânia (em inglês)
  8. Economia de Cisjordânia e Gaza: Antes e depois da crise (em inglês)
  9. a b c d Nova Palestina (em inglês)
  10. Ramallah atrai uma multidão cosmopolita - Michael T. Luongo, 3 de junho de 2010, The New York Times. (em inglês)
  11. Bordeaux - Rayonnement européen et mondial (em french) Mairie de Bordeaux.. Página visitada em 2013-07-29. Cópia arquivada em 2013-02-07.
  12. Bordeaux-Atlas français de la coopération décentralisée et des autres actions extérieures (em french) Délégation pour l’Action Extérieure des Collectivités Territoriales (Ministère des Affaires étrangères).. Página visitada em 2013-07-29. Cópia arquivada em 2013-02-07.
  13. Trondheims offisielle nettsted – Vennskapsbyer (em Predefinição:No icon) Trondheim.com. Página visitada em November 13, 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ramallah